1. Spirit Fanfics >
  2. Le Magicien Du Cirque (Taegyu - ABO) >
  3. Début de Cours Extensifs

História Le Magicien Du Cirque (Taegyu - ABO) - Capítulo 5


Escrita por:


Capítulo 5 - Début de Cours Extensifs


Chapitre Cinq:: Début de Cours Extensifs

(Início das extensas aulas)



 

Beomgyu resmungou, sentindo algumas áreas doloridas em seu corpo, enquanto Yeonjun apenas suspirava cansado, já acostumado com aquele aquecimento. O azulado andou pelo quarto, e de frente à um baú, tirou dali um grande livro, e o colocou sobre a cama, chamando o loiro pelo olhar.

 

— Sobre o que fala nesse livro? — Perguntara, mantendo a postura ereta, enquanto cruzava as pernas, ficando ao lado do amigo. Yeonjun repetiu o ato, e logo abriu o livro, na primeira página.

 

— Conceito de Acrobacia, seus tipos e movimentos. — Respondeu, mostrando páginas escritas e desenhos do tópico. O mais novo assentiu, o esperando continuar. — Já ouviste falar no conceito, Gyu?

 

— Para ser sincero, eu já li bastante sobre sua história, mas nunca achei que fosse realmente seguir esse caminho um dia. — Sorriu. — Devido ao surgimento e criação do circo, ela foi desenvolvida em grande parte do século VII. É um esporte dinâmico. Desenvolve em seus participantes coragem, força, coordenação motora, flexibilidade, habilidades de saltos e equilíbrio. Os acrobatas executam rotinas com a cabeça, mãos e pés dos seus parceiros, criando um esporte belo e, ao mesmo tempo, intrigante. Estou certo? — O mais velho confirmou, e logo sorriu.

 

— Certo, então vamos pular essa partes e vamos para uma das mais importantes, os movimentos. Iremos começar com os básicos. — Informou, folheando com os olhos vidrados entre os grandes títulos das páginas, até que parou, abruptamente, batendo a mão na folha do livro, assustando o outro Choi. — Achei!

 

Curiosamente, o loiro se abaixou, inclinando-se para o lado, para ver do que se tratava, e viu as palavras em uma língua na qual desconhecia.

 

— Está em qual idioma?

 

— Alemão, mas não precisas se preocupar, vou te explicar tudo para ficar mais compreensível. — Sorriu, e o ômega mais novo voltou para a posição inicial. — Bom, prepare-se para ficar a noite inteira nisso.


 

.


 

 

.


 

 

.



 

Beomgyu acordara cedo, sem sono nenhum, mesmo dormindo um pouco tarde na noite passada, e suspirou ao encontrar a maioria dos ômegas do quarto dormindo, enquanto outros apenas se arrumavam ou ficavam lendo algo, ainda em suas camas.

 

Se levantou, esticando o tronco, acabando por levantar levemente o casaco no processo, e logo começou a se alongar, assim como Yeonjun havia o ensinado. Quando sentiu o corpo já mais relaxado, comparando com a primeira vez que fizera aquele aquecimento, preparou o uniforme adequado que lhe entregaram para as aulas após arrumar a cama, e os colocou ali, pegando algumas coisas, e logo foi em rumo ao banheiro do quarto.

 

Observou todo o cômodo, vendo que era de um tamanho médio. Deixou suas coisas delicadamente em cima do grande lavatório, e encheu a metade da banheira após tampar o ralo, colocando alguns sais e bombas efervescentes, vendo que a temperatura da água estava agradável.

 

Suspirou, retirando lentamente o seu pijama, mostrando o corpo cheio de curvas que tinha, e logo entrou na tina, sentindo seus músculos relaxarem. Ficou pouco tempo ali, hidratando sua pele e lavando os fios molhados, até resolver sair. Esvaziou a água da banheira, se secando e enrolando-se no roupão, sentindo o ar frio assim que saiu do banheiro.

 

Após os dias de convivência com os ômegas do quarto, não se sentiu mais envergonhado ao se trocar ali, visto que os outros não tinham problemas com aquilo. Caminhou até a sua cama, e lentamente, começou a passar um creme em seu corpo, para logo então começar a se vestir, assim que estava apenas de uma roupa íntima e uma blusa sem mangas, destacando seus ombros estreitos por conta de sua classe, uma ômega se sentou na cama ao seu lado, suspirando enquanto o encarava.

 

— Je suis jaloux de toi, très jaloux (eu tenho inveja de ti, muita inveja). —Admitiu, atraindo a atenção do loiro, que a olhou confuso. — Tous les omégas n'ont pas la bénédiction d'un si beau corps (não são todos os ômegas que possuem a bênção de um corpo tão bonito assim).

 

O loiro corou, observando o próprio corpo.

 

— Je ne l'ai jamais remarqué (eu nunca reparei nisso). — Riu, um pouco envergonhado, e a outra o acompanhou. — Mais pourquoi tout d'un coup (mas por que de repente)?

 

A morena suspirou antes de responder.

 

— Beaucoup ici commentent sur vous, vous savez? Principalement pour être belle et avoir l'attention de Kang Taehyun, le meilleur magicien du cirque (Muitos aqui comentam de ti, sabia? Principalmente por ser bonito e por ter a atenção de Kang Taehyun, o melhor mágico do circo). — Beomgyu arregalou os olhos, ele nem ao menos sonhava com isso.

 

— Je n'ai jamais pensé que Taehyun était si célèbre pour que les gens commencent à commenter notre amitié (Nunca achei que Taehyun fosse tão famoso para passarem a comentar de nossa amizade). — Murmurou, e a outra ficou surpresa.

 

— Ce sont juste des amis? Je pensais que tu aimais une manière romantique (São apenas amigos? Eu achei que tu gostaste dele de uma forma romântica). — E, no mesmo momento, o Choi voltou o olhar para o seu colo, observando os seus dedos brincarem entre si enquanto sentia suas bochechas quentes, deixando tudo claro para a ômega, que acabou rindo. — Dieu ... je savais! Tu le regardes comme un idiot amoureux, et il est tout de même (Deus... eu sabia! Tu o olhas feito um bobinho apaixonado, e ele é do mesmo jeito).

 

Beomgyu, no mesmo instante, a encarou, com a expressão em um misto de surpresa e choque, e sentiu as mãos tremerem. Engoliu em seco, sentindo o coração bater forte.

 

— C-Comment (como assim)?

 

— Je ne l'ai jamais vu regarder les autres comme il te regarde, pas même Huening, car les deux sont très proches. Il vous regarde comme s'il avait gagné l'une des meilleures choses en Dieu (Eu nunca o vi olhar para outros como ele olha para ti, nem mesmo para o Huening, já que ambos são bem próximos. Ele te olha como se ele tivesse ganhado uma das melhores coisas de Deus). — Sorriu, suspirando. — Je rêve qu'un jour un alpha me fera face comme ça (Eu sonho para que um dia um alfa me encare assim).

 

Beomgyu não teve nem tempo de processar aquelas palavras, logo Yeonjun entrou no cômodo, o chamando para irem ao local que Beomgyu iria aprender, o fazendo terminar de se vestir.




 

.

 

 

.

 

 

.

 

 

 

Beomgyu poderia sentir o olhar divertido do professor ômega em si, enquanto engolia em seco, com as bochechas fervendo em vergonha.

 

— Estás nervoso para a primeira aula, Beomgyu-ah? — Jimin perguntou, com um sorriso no rosto, observando o outro loiro assentir. Riu de forma leve, sentando ao lado do loiro no canto do palco do grande lugar.

 

— Não sei se vou me dar bem nisso. — Murmurou, quase fazendo um bico, igual a uma criança.

 

Fofo.

 

— Não precisas se preocupar com isso, tu ainda terás muitos meses para aprender, e logo então se apresentar para os donos. — Tentou o reconfortar, colocando a pequena mão no ombro fino do outro. — E até lá irá evoluir muito, acredite.

 

Beomgyu então o encarou, mordendo os lábios pela ansiedade.

 

— O que tu pretendes me ensinar? E quanto tempo ficaremos aqui?

 

O ômega mais velho sorriu, de forma animada.

 

— Tudo o que me ensinaram, Beom-ah. Iremos ficar o dia todo se precisar.


 

[...]


 

Beomgyu suspirou, tentando, mais uma vez, realizar o Tkachev entre as barras fixas e assimétricas.

 

— Tu conseguiste fazer os movimentos básicos com facilidade, anjo. — O Park chamou sua atenção. — Então não precisa preocupar-se se não conseguir hoje, também podes visitar essa sala em outros horários sem ser as nossas aulas. Tu também conseguiste executar o Diamidov e o Janz, que são complexos. — Disse, e logo ajeitou o menor novamente.

 

— Qual o segredo desse salto, hyung? — Perguntou, um pouco cansado, encarando o mais velho.

 

— Eu não bem como lhe explicar, mas, basicamente, tu terás que  largar a barra, passa de costas por cima dela na posição carpada ou com as pernas separadas, e em seguida, pega a barra novamente. É algo que exige muito esforço. — Suspirou. — Lembro que anos atrás eu considerava esse salto um dos piores da minha vida, porque não conseguia realizá-lo por nada, então tá tudo bem se não conseguir, sim? — Confortou o outro, que sorriu, assentindo. — Bom, a nossa aula acabou, e como sei que vai ficar aí, vou mandar trazerem algo para comer.

 

— Obrigada, Jimin hyung!


 

.

 

.

 

.

 

 


 

Buscou fôlego, antes de, novamente, tentar saltar entre as barras novamente. Sua blusa colava em seu tronco pelo suor, e estava, a cada momento, limpando o seu rosto. Seu corpo já estava exausto, ele não aguentaria muito tempo ali, sabia disso, mas resolvera tentar ultrapassar os seus limites.

 

Acabou tropeçando nos próprios pés antes de segurar-se à barra após o salto, e suspirou fundo, recuperando a postura, e tentando de novo, até que, em um momento, realizou o salto completamente.

 

Sorriu, cansado, se ajoelhando pela exaustão.

 

— Tu vas bien (tu estás bem)? — Levantou o rosto, vendo Taehyun ajoelhado, em sua frente, com a feição preocupada, mas não teve tempo de dizer algo, logo seu corpo perdeu as forças.

 

O Kang arregalou os olhos, e pegou o ômega antes do menor ir diretamente ao chão, e o embalou em seu peitoral, o pegando no colo, vendo que ele estava acordado, mas cansado demais para fazer algo. Levantou-se, e com o Choi em seus braços, seguiu até a parede, o colocando, de forma cuidadosa, sentado ali, e se sentou ao seu lado, o firmando com o braço.

 

— As-tu faim (estás com fome)? — Perguntou, com a feição preocupada, e o loiro assentiu. O alfa o deixou ali, indo pegar uma bandeja com algumas frutas e pães, e com água, e logo voltou, deixando tudo no colo alheio, voltando a ficar sentado ao seu lado.

 

— Achei que fosse me repreender por ter me esforçado demais… Ou ter brigado comigo. — Disse, pegando o pão, dando uma leve mordida.

 

— J'aurais pu te réprimander ou me battre avec toi, mais je ne l'ai pas fait. Je ne pense pas que je pourrais le faire (eu poderia ter te repreendido, ou ter brigado consigo, mas não o fiz. Não acho que iria conseguir). — No mesmo momento, Beomgyu o encarou, se lembrando de mais cedo, das palavras da ômega.

 

Seria possível...?

 

Sentiu o coração bater rápido, e, por um misto de coragem…

 

— T-Taehyun, posso lhe perguntar algo? — Sua voz estava baixa, mas o alfa escutou, e o encarou. — Achas que tem alguma chance de… nós dois ficarmos juntos, de forma romântica?

 


Notas Finais


comentem!!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...