1. Spirit Fanfics >
  2. Leah e Ithan - Calmaria >
  3. Lua de mel

História Leah e Ithan - Calmaria - Capítulo 37


Escrita por:


Notas do Autor


E chegamos ao desfecho dessa linda estória! Vamos conferir!?


Garanto que vocês vão amar! 😉

Capítulo 37 - Lua de mel


Fanfic / Fanfiction Leah e Ithan - Calmaria - Capítulo 37 - Lua de mel

Quatro meses se passaram desde a noite do nosso noivado. Daquele dia em diante, não nos transformamos mais em lobos. Jake nos dispensou da matilha. Disse que tinham vários lobos novos que poderiam ficar muitos anos ainda pela frente e eu e Ithan tínhamos uma vida humana pra viver.

 

 Deixamos o cabelo crescer novamente e como cresceu rápido! Era um alívio não ter que cortar toda a semana. Meg, Emma e Jane mantinham o cabelo na altura dos ombros, mas eu não conseguia fazer isso como loba! O pelo longo me atrapalhava, mas a elas parecia não fazer diferença. Confesso que estava com saudades de ver o cabelo de Ithan comprido, formando um coque! Não adiantava, eu não conseguia disfarçar o suspiro cada vez que o via! Ah, esse homem virava minha cabeça e me fazia ter os pensamentos mais obscenos possíveis.

 

Um mês depois que parei de me transformar em loba, minha menstruação desceu... ah, fazia tanto tempo que não sentia cólicas e com certeza essa era uma coisa da qual não sentia falta... três dias sem poder sentir meu lobo em mim... afff... aos poucos, nossa temperatura foi baixando, até ficar igual a dos humanos comuns. Nossos sentidos também foram diminuindo e pudemos perceber que as habilidades dos nossos irmãos lobos estavam aguçadas, enquanto as nossas não apareciam mais. Mas não importava. A nossa vida deveria correr seu curso normal.

 

Adorava nossos momentos a dois, seja onde fosse! Até mesmo na nossa nova casa, em meio a bagunça da reforma... Bem, no caso não era tão nova! Era a casa que Jane cresceu com os irmãos. Quando Jeff construiu sua nova casa junto à cabanha, ele deixou a antiga casa para trás. John quando se casou, morou lá por um tempo, até construir a casa nova, e agora era a nossa vez de começar a vida a dois lá. Era até que grande. Sala, sala de jantar, cozinha, banheiro e dois quartos no térreo e mais uma suíte no andar de cima. Só nossa! 

 

Cuidei dos mínimos detalhes! Decorei com todo o carinho. Ficou muito aconchegante. Minha cama foi para lá, pois era maior que a do Ithan. Duas mesinhas de cabeceira, alguns quadros na parede recém pintada de branco, um baú nos pés da cama e uma cabeceira almofadada de veludo marrom. A cama ficava de frente pra enorme janela que dava para uma vista linda de um lago, nos fundos da casa, rodeado pela enorme  floresta. Cortinas brancas com um black out por trás para deixar o quarto bem escuro. Adorei. Ithan também. Ah, do nosso jeitinho. 

 

O grande dia chegou! Estava tudo pronto e do jeito que manda a tradição quileute. Minha mãe fez uma vestido típico da tribo e Jane fez também um traje típico para Ithan, ambos em tecido artesanal, como as gerações passadas costumavam usar. A cerimônia seria conduzida pelo avô de Ithan, pois era o mais velho das duas famílias. Preparamos a cerimônia na praia, em uma tarde que Alice previu que estaria quente, com um por do sol ao fundo. Bancos foram distribuídos em duas fileiras, enfeitados com flores do campo, minhas preferidas. Na frente, quase sendo  beijado pelas ondas do mar, um tablado decorado com flores e uma cortina branca com uma leve transparência. 

 

Ithan e sua família chegaram mais cedo para recepcionar os convidados. Seth também foi antes. Enquanto isso, minha mãe me preparou, como mandava o costume! Me deu um banho com flores e perfumes, penteou meu cabelo e vestiu o meu vestido.

 

- Seu pai sentiria muito orgulho da mulher que você se tornou, minha filha! – mamãe sussurrou, me olhando profundamente.

 

- Sinto falta dele, mamãe! – abaixei o olhar.

 

- Eu também, minha querida! – me abraçou. – agora chega de saudosismo! Temos um casamento para realizar! – Sorriu e me deu um beijo estralado no rosto. Saímos. 

 

O chefe Swan nos levaria até a praia, mas não nos acompanharia até o altar. Ele disse que era o espírito do meu pai que me acompanharia e eu tinha certeza disso. Chegamos.

 

Desci do carro e vi tudo lindo, pronto! Todos os nossos amigos, lobos e vampiros ali, aguardando o nosso sim definitivo...  e o melhor de tudo, Ithan, maravilhoso, na lateral direita dos bancos, acompanhado de sua mãe e irmãs. Ele estava deslumbrante com o peitoral de fora, cabelos jogados sobre os ombros e um sorriso iluminando seu rosto... ah, como eu parecia uma adolescente deslumbrada.

 

 Seguimos o protocolo quileute. Eu e minha mãe nos dirigimos para a lateral esquerda do local, onde Seth nos aguardava. Era costume que toda a família acompanhasse os noivos até o altar e assim fizemos. Todos os convidados se colocaram em pé para que nossas famílias nos conduzissem até o altar. Ao chegarmos no tablado, minha mãe me conduziu pela mão até o centro e a Jane fez o mesmo com Ithan.

 

- Eu, Sue Clearwater venho diante de todos os nossos amigos e familiares entregar a ti, Ithan Sky Stuart, a minha amada filha, sangue do meu sangue, carne da minha carne para que ela se junte a ti e seja sua família a partir de agora!- Mamãe soltou minha mão e se afastou, ficando a três passos de mim, ao lado de Seth.

 

- Eu, Jane Sky Stuart venho diante de todos os nossos amigos e familiares entregar a ti,  Leah Clearwater, o  meu  amado  filho, sangue do meu sangue, carne da minha carne para que ele se junte a ti e seja sua família a partir de agora!- Jane soltou a mão de Ithan e se afastou, ficando atrás dele e ao lado das filhas. Demos as mãos. A partir de agora, seria só nós dois. Vi meu rosto refletido naqueles olhos profundos. Seu rosto sereno refletia a certeza que este momento só estava acontecendo pra concretizar a união das nossas almas, pois nossos corpos já eram um do outro a tempos.

 

- Ithan e Leah, vocês estão aqui para firmar compromisso diante de todos os presentes e receber as bênçãos dos espíritos dos antepassados da nossa tribo e do Criador, afim de formar uma nova família, baseada no amor e no companheirismo. – Jeff começou a conduzir a cerimonia. -  Tudo o que vocês aprenderam dos seus pais, sua educação, seu respeito e seu amor vocês devem usar de modelo para que possam juntos gerar e criar seus filhos. Vocês estão dispostos a abandonar o passado e construir um futuro juntos? 

 

- Sim! – respondemos juntos.

 

- Vocês estão dispostos a se amarem incondicionalmente e passarem por cima de todo e qualquer desafio para manter sua família unida e feliz? – continuou.

 

- Sim! – afirmamos.

 

- Agora eu peço para que vocês fiquem de costas um para o outro, de olhos fechados. – Jeff ordenou. Assim o fizemos. Encostei meu corpo no dele, fechando os olhos. Senti um calor nos envolver, uma brisa de verão leve e aconchegante repousou sobre nós dois. 

 

- Antes de vocês nascerem, o criador já havia destinado suas almas a pertencerem um ao outro, para que elas pudessem crescer, se encontrar e gerar frutos. Todos os seus passos foram planejados pelo criador! Ele fez com que vocês vencerem cada desafio das suas vidas  para que vocês pudessem chegar nesse momento! Agora vocês estão recebendo a bênção dos espíritos, que vos guiaram para cumprir a vontade do Criador! Eles vos  acompanharão para toda a vida!

 

Sentiu um arrepio percorrer minha espinha. Apertei as mãos de Ithan e ele correspondeu. Os espíritos estavam conosco, presentes no nosso  casamento. Ouvi um sussurro leve no meu ouvido: “ você será muito feliz, minha filha! Você merece!” Estremeci. Senti uma gota correr pelo meu rosto. Sorri! Meu pai estava ali, comigo, nesse momento lindo. 

 

- Agora, suas vidas traçadas antes do nascimento, estão e permanecerão ligadas para a eternidade! Vocês não são mais duas pessoas, são uma só! Quando olharem para Ithan, verão Leah! Quando olharem pra Leah, verão Ithan! E no futuro, verão os filhos de vocês refletindo todo esse amor e entrega! Que o criador vos abençoe e vos acompanhe por todos os cantos dessa terra, até que Ele vos chame para se juntarem aos espíritos dos nossos antepassados! 

 

Senti o ar quente se transformar em uma leve brisa. Abri os olhos, me virei pra Ithan, que fez o mesmo! Éramos um só a partir daquele momento perante os outros, por que no nosso íntimo já sabíamos que era assim!

 

Recebemos os cumprimentos dos nossos amigos e familiares. Cerca de 60 pessoas, só os mais íntimos, mas toda a matilha estava presente compartilhando da nossa felicidade. Fomos para a recepção, organizada em  duas tendas gigantes sobre um tablado, toda decorada com flores, cortinas, mesas e cadeiras, tudo branco! Tudo perfeito! Jane, Emma e Meg cuidaram de tudo junto com minha mãe e com a namorada de Seth! Um encanto.

 

Fomos até um gazebo, montado na  lateral das enormes tendas. Suas laterais eram fechadas com tecido para ficar mais íntima. Trocamos de roupa, em meio a uns abraços e beijos. Estávamos tão felizes, que toda essa alegria explodia em desejo. Mas agora não era hora. Vesti um vestido longo, branco, de alças, feito em um tecido leve e fino, com uma pequena transparência dos joelhos pra baixo. Era preso na cintura, moldando meu corpo. Foi um presente de Meg e Emma! Era a forma delas mostrarem que me receberam na família. Adorava elas! Eram como irmãs pra mim, irmãs que eu não tive. Coloquei uma sandália rasteira nos pés! Nada mais apropriado para o momento. 

 

Já Ithan colocou uma calça de linho bege e uma camisa social branca, deixando dois botões abertos na altura do peito e dobrando as mangas, uma sandália nos pés e o  cabelo preso em coque. Fiquei o admirando enquanto ele prendia o cabelo! Como ele era perfeito... nem acreditava que tudo isso tava acontecendo.

 

Fomos para a festa! Aproveitamos a noite toda!Quando escureceu, a iluminação com velas e lâmpadas deu um ar romântico à decoração! A comida preparada pelos funcionários da cabanha estava maravilhosa! Os bolos e doces então... hum... nem gostava tanto assim de doces, mas adorei... 

 

Noite de núpcias é uma coisa em desuso, eu diria! Depois dessa festa de casamento, estávamos tão cansados, que o que queríamos era dormir! E foi o que fizemos!

 

De acordo com a tradição quileute, nossa lua de mel seria passar uma semana trancados  dentro da nossa casa! Nada de visitas! Nada de sair! Só nós dois! Como Ithan quis fazer tudo de acordo com a tradição, assim foi.

 

Ele tem o incrível dom de acordar mais cedo que eu! Todos os dias me levou café da manhã na cama ou preparou uma enorme mesa de café na cozinha. A cada dia uma coisa diferente! Café com leite, suco de laranja, achocolatado, torradas, bolo! Passávamos o dia juntos, namorando, aproveitando a companhia um do outro, assistindo séries... enfim!

 

Só uma coisa estava me incomodando! Cólicas! Aff... minha menstruação não estava regulada desde que parei de me transformar e desde o segundo dia da lua de mel, sentia uma cólica constante, fraquinha, mas constante... e nada da maldita menstruação... ainda bem! Pelo menos poderia aproveitar mais meu MARIDO! Que palavra linda! Marido... só meu! 

 

No quinto dia, depois de um delicioso café da manhã que eu com certeza não teria feito melhor, senti uma sensação estranha... um embrulho no estômago... será que foi por que comi panquecas com mel e ovos mexidos... fiz uma mistura que Ithan achou engraçada, mas tava gostoso! Só que agora eu percebi que não foi uma boa ideia.

 

Senti o gosto do café subir pela minha garganta. Corri para o banheiro. Arghhhh... que sensação horrível... comer é bom, mas colocar tudo pra fora, não!! Lavei meu rosto, minha boca e sai. Ithan me esperava na porta do banheiro, com um rosto preocupado.

 

- Está tudo bem com você, minha linda? – perguntou. Eu o abracei.

 

- Está sim! Acho que já coloquei pra fora o que me fez mal... já estou com fome de novo! – ri, me soltando do abraço dele e indo em direção a mesa do café.

 

- Espere – ele me acompanhou, chegando a cozinha e parando na porta – será que você está...- não completou a frase, mas era óbvio.

 

- Grávida!? – paralisei! Como não pensei nisso antes! Era nítido que o meu corpo estava dando sinais disso! Coloquei as mãos na barriga... será que eu estava carregando um bebê ali? Desde que noivamos, ficamos juntos varias vezes sem nos prevenir, sem nos cuidar. Levantei os olhos para Ithan. Ele estava parado ainda na porta da cozinha. – Você está decepcionado comigo? – perguntei, tentando adivinhar sua reação. Ele abriu um sorriso largo, que iluminou todo o seu rosto. Veio em minha direção.

 

- Claro que não! Estou surpreso! Mas muito feliz! Mais do que eu imaginaria que seria possível ficar! – deitou sua cabeça em meu colo, acariciando a minha barriga. Voltou seu olhar pra mim -  obrigada, Leah, por ser a melhor parte da minha vida... – fez uma pausa, respirou fundo, sorrindo e deixando uma pequena lágrima escorrer pelo seu rosto – obrigada por me dar muito mais do que eu sonhei! Amo você de uma forma que eu não consigo colocar em palavras e vou amar cada filho que tivermos, assim como amo a mãe deles! 

 

 

 


Notas Finais


E aí, gostaram do final desse lindo casal!? Comentem, please!

E pra vcs não ficarem com saudade, já vou emendar mais uma fic, dessa vez com personagens que eu criei, mas que são parte dessa daqui! Chama-se “Tempestade” e a personagem principal é a Meg, irmã do Ithan, que eu já mencionei aqui! Vocês vão amar! É uma fic mais longa e mais densa, com muitos sentimentos envolvidos e relações mais complexas! Não deixem de acompanhar!

Agradeço de coração quem me acompanhou nessa jornada e estou aguardando os comentários! Quero muito saber o que vocês acharam de Calmaria! 💋❣️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...