História Learn to Love Again - Capítulo 9


Escrita por:

Postado
Categorias Foo Fighters
Personagens Chris Shiflett, Dave Grohl, Nate Mendel, Pat Smear, Personagens Originais, Taylor Hawkins
Tags Bandas, Dave Grohl, Ego Kill Talent, Foo Fightes, Musica, Nate Mendel, Rock
Visualizações 20
Palavras 740
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Comédia, Festa, Ficção, Musical (Songfic), Romance e Novela

Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Tem umas partes que são necessárias apesar de chatinhas, né? Mas vamos superar! Haha

Capítulo 9 - Capítulo 9


Fanfic / Fanfiction Learn to Love Again - Capítulo 9 - Capítulo 9

- Rammi, você precisa ver. - Dave falava empolgado com o tecladista que estava na rodinha em que formava com Jean, Taylor, Jonathan e Pat - Esse cara aí voa na bateria! - Apontando para Jean - Isso é monstro. Ele tocou por anos no Sepultura!

- Não exagera Dave... - Jean rechaçou os elogios - Eu só toquei no Sepultura o que o Igor criou - Ele é um exagerado Rammi. 

- Eii Irmão! Não se diminua não... Você é foda e sabe disso! - Jonathan elogiou o amigo - E oh, Dave! Ele está mandando muito nas guitarras do EKT! 

- Uouuu!! Guitarrista também, Man!? Está fazendo mesmo caminho que você, Dave! - Taylor observou - Virou dono da banda também?? - Alfinetando o melhor amigo. 

- Não sou o dono da banda. - Dave reclamou. 

- Ele está certo Taylor. Nós vivemos numa ditadura democrática. - Pat remendou fazendo piada com o autoritarismo de Dave. 

- Cadê os outros caras, Jean?! - Dave questionou virando o assunto. 

- Foram atrás da minha irmã. Aqueles lá não dão um passo sem a Jujuba. Quero ver como vai ser quando ela for embora. - Jean comentou despreocupado enquanto sorvia mais um gole de bebida - Ela está de mudança. Vai estudar fora. - O baterista concluiu e Dave, com o seu raciocínio a jato ligou os pontos. 

- Julia, a fotógrafa, é sua irmã?? - O líder do Foo Fighters perguntou ao fazer as conexões, iluminando os olhares de Taylor, Rammi e Pat. 

- O que estão falando da minha namorada?? - Théo entrou na roda de supetão já meio alto. 

- Julia é minha irmã sim, Dave. - O baterista respondeu ao amigo norte americano. E Théo, ela não é mais sua namorada. Deixa ela te pegar falando isso que teremos um homicídio. - Jean pontuou. 

- Ahhhh otário! - Jonathan deu um tapinha na cabeça de Théo que apenas emburrou a cara.

(...)

Nate e Chris ainda estavam espalhados no quarto do primeiro decidindo se iriam descer ou não para socializar. Nate nesse momento não era a animação em pessoa. E o segundo, era solidário ao primeiro. Depois de 550.000 whatsapps de Dave os ameaçando por serem antisociais, os amigos finalmente decidiram se movimentar. Nate, vestiu a primeira camisa que achou pela frente, coincidentemente, era a sua camisa preferida atualmente que trazia uma estampa de sombrancelhas esquisitas que fazia uma direta referência ao Leonardo Nimoy encontrada nos confins do Soho em sua recente viagem a Inglaterra.

Elevadores são verdadeiras caixas de situações constrangedoras. As pessoas quando estão dentro do elevador nunca sabem direito o que fazer. É aquela música esquisita, as pessoas excessivamente aglomeradas em cima umas das outras. Vez ou outra tinham os vizinhos pentelhos e enxeridos... Nate sempre teve aversão a elevadores. Até aquele momento. 

Quando o elevador parou no quarto andar, a figura adorável da menina que conheceu mais cedo entrou no diminuto espaço. A menina, que trazia uma graciosa cara de sono e olhos baixos, sequer notou a presença dos dois músicos. Chris notou bem a presença da garota. Também inevitávelmente notou a falta de jeito de Nate e as bochechas coradas diante da nova presença. Então, o guitarrista imediatamente colocou as engrenagens para funcionar. Para Shiflett, Deus, Alah, Jeová, Budah, Brahmma, Krishnah ou qualquer outro ser cósmico que fosse colocou Júlia ali naquele momento para que ele pudesse dar o pontapé inicial no seu plano "Desencalhar Nate no Brasil 1.0". Afinal, o quão providencial pode ser um encontro num cubículo em que não se pode correr?

- Juliaaa! - Shiflett chamou animadamente a garota, se fazendo notar. 

- Oh! Boa noite rapazes. Estou tão concentrada nas formas em que vou torturar o Niper que sequer os notei aí. - A menina os cumprimentou falante. 

- Acredita que estávamos falando justamente de você? - o guitarrista comentou  com um sorriso malicioso brincando nos lábios enquanto olhava descaradamente para Nate que quis morrer naquela hora. 

- De mim? - Júlia questionou confusa mas sorriu em simpatia. 

- Sim, o Nate aqui estava me contando o quanto ele ficou curioso com o seu projeto do documentário. 

- Eu disse? - Nate soltou quase que num berro e tomou uma cotovelada de Chris. 

- Ele disse sim. Aliás vocês poderiam conversar sobre isso, o que acham? - Shiflett sugeriu ouvindo o sinal do elevador avisando a chegada ao térreo, saltou e saiu andando apressado na frente deixando ao "casal" pra trás.


Notas Finais


Nate e Chris... Como eu amo esses dois. 😍


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...