História Learning To Love - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Romance
Visualizações 6
Palavras 1.682
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, LGBT, Musical (Songfic), Poesias, Romance e Novela, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Mais um capítulo novinho....

Capítulo 3 - Date Night


Fanfic / Fanfiction Learning To Love - Capítulo 3 - Date Night

POV Camila

Passei o batom vermelho na boca e ajeitei pela última vez meus cabelos para o lado, sim, eu aceitei ir para o encontro com ele, mas só porque não tinha nada melhor para fazer. Ok, eu resolvi dar uma chance pra ele, afinal... Não faz nada mal ter alguém pra dar uns beijo ás vezes, né?  Olhei mais uma vez a roupa que eu estava, eu vestia uma calça jeans bem apertada e toda rasgadinha na perna e uma blusa branca cheia de desenhos de boquinha na mesma, nós pés uma botinha de salto toda preta. Meu celular começou a tocar, olhei pelo visor e era ele.

-Alô?-falei atendendo e pegando minha bolsa e saindo, Nathalie não estava em casa ainda.

-Eu estou aqui embaixo.

Ele disse  isso e desligou, um grosso mesmo. Sai do AP e desci as escadas, saindo o condomínio, o encontrando, parado, em frente ao carro com os braços cruzados.

-Oi- disse sem graça, não sei porque, mas estar perto do Lucca me deixava sem graça.

-Oi- ele disse vindo até mim e me dando um beijo estalado no rosto. - Você tá muito bonita- ele disse me olhando de cima á baixo.

-Obrigada- disse e ri sem graça, minha guarda estava mais baixa, nem eu entendia o porque- Vamos?- disse entrando no carro e fechando a porta.

-Vamos...-ele sussurrou baixo e entrou no carro dando partida.

O clima estava descontraído, nós fomos rindo e conversando, ele era realmente divertido.

-Pra aonde nós vamos?- disse o olhando.

-Pra minha casa.- ele disse simples, na maior naturalidade possível.

-Que? Eu não vou pra sua casa.- disse cruzando os braços e fechando a cara.

-Relaxa...eu não vou te morder não.

Eu realmente não queria ir pra casa dele, não queria, mas ele ficou falando que nós só íamos jantar, aceitei. Ele estacionou o carro na garagem da casa dele e nós descemos, eu fui andando na frente e ele conseguiu me alcançar me puxando pelo braço e colando nossos corpos.

-Lucca...eu já te falei sobre isso. Eu NÃO quero. - disse o afastando

-Poxa, você diz que não é de ficar só por ficar, mas você não me dá uma chance.- ele disse se aproximando novamente e eu o afastei.

-Eu acabei de te conhecer, deixa as coisas acontecerem.- sai de perto dele.

-Ok- ele bufou e em seguida deu um sorriso malicioso me olhando- Prometo que só vou tocar em você, quando você me pedir. - ele sorriu e eu cai na gargalhada, era só o que me faltava.

-E quem disse que eu vou pedir?- cruzei os braços e olhei com as sobrancelhas arqueadas.

-Isso é o que a gente vai ver - ele piscou e riu.

Ele abriu as portas da casa dele e nós entramos. Deixei minha bolsa e celular em cima do sofá e nós fomos para a cozinha. Ele havia feito uma comida que estava maravilhosa. Nós jantamos em um clima descontraído e rindo, respondemos perguntas e estávamos nós conhecendo melhor, confesso que o clima estava muito gostoso e havia rolado algumas troca de olhares e sorrisos, eu sentia alguma coisa diferente do lado dele, não sei explicar. Sei que é rápido demais, mas eu sou assim, esse lado grosso e não liga pra nada é só máscara. Após o jantar, fomos nós sentar na borda da piscina, com os pés na água.

-Você gosta de fazer medicina?- ele disse quebrando o silêncio que havia se instalado

-Não..-disse sussurrando baixo.

-Pode falar alto. - ele disse rindo- O que você gosta de fazer então?

-Eu gosto de dançar e de atuar.- disse o olhando.

-Dançar? Jura? Você deve ser boa, pelo que me lembro na balada..- ele disse fazendo uma cara de safado como se estivesse lembrando.- Adoraria ver esse show no claro- ele mordeu os lábios e me encarou sorrindo.

Porque não, né? Me levantei e o puxei pela mão para se levantar também, em seguida o coloquei sentado na cadeira que havia ali. Ali havia um som e eu coloquei a música do Trey Songz- Na na para tocar. Me aproximei dele e comecei a dançar de acordo com a música, ele me olhava prestando atenção em cada movimento. Eu passei as mãos pela meu corpo e em seguida abaixei, descendo até o chão e subi empinando o bumbum. Me aproximei dele e sentei no seu colo, rebolando e fazendo movimentos para frente e para trás no seu colo. Ele mordeu os lábios e reprimiu um gemido, pode sentir o amiguinho dele lá em baixo dar sinal de vida, foi quando fiquei sem graça e parei o olhando nos olhos.

-Uê porque parou? Parou porque?- ele disse me olhando.

Me aproximei e quando fui beijar ele, ele se afastou, o olhei confusa sem entender nada.

-Você tem que pedir..-ele disse sussurrando e com a maior cara de safado estampada na cara.

-Me beija, por favor...- disse sussurrando, baixinho no ouvido dele.

Sem nem demorar, ele se aproximou e me beijou. Sua língua brincava com a minha e nosso beijo se intensificava cada vez mais... Ora ele mordia meus lábios, ora beijava meu pescoço  e aquilo estava muito, muito bom, mais do que era pra ser. Ele parou o beijo e seus lábios estavam vermelhos, eu sorri olhando.

-Quer..subir lá pra cima?- ele disse tentando recuperar o folêgo, eu neguei com a cabeça e me afastei, saindo de cima do colo dele.

-Não, é melhor não...É melhor eu ir embora, já está tarde.- disse negando e sorrindo sem graça, enquanto limpava o canto da boca que estava sujo de batom.

Nesse momento, ele me puxou pela cintura e me beijou me fazendo calar a boca e borrando todo o restinho de batom de novo.

-Eu estava falando...- disse o repreendendo após o beijo

-É, eu sei- ele revirou os olhos- Beijo é beijo. Eu continuo doido por você. - ele disse enquanto colocava uma mexa do meu cabelo atrás da orelha.

-Isso não vai dar certo, Lucca.. Eu acho melhor nós sermos só amigos.- ele gargalhou, alto, MUITO alto- Do que você tá rindo, palhaço?- disse revirando os olhos.

-De você! Você precisa me dar essa chance para nós conhecermos melhor e por algum motivo arruma desculpas pra isso. Eu sei que nós conhecemos a 3 dias, só que você me faz sentir de uma forma que eu não sei explicar, é diferente. Não estou dizendo para a gente namorar, só para a gente se conhecer.  Eu nem te beijo se você não quiser, mas pelo menos, tenta, se dá essa chance.

-Você promete não se apaixonar por mim?

-Eu vou tentar... E você? Promete não se apaixonar por mim?

-Disso você pode ter certeza, não vai dar certo mesmo. - disse dando de ombros.

-É isso que eu gosto em você, seu otimismo- ele disse e riu irônico.

Eu sorri pra ele, sem jeito e ele me puxou pelo braço, me beijando novamente. Me afastei e ele me olhou confuso.

-Hora de ir pra casa...- disse, rindo sem graça- Por favor...

-Ok- ele revirou os olhos.

Ele pegou as chaves e nós fomos pro carro. Em cerca de meia hora estava em casa, ele usou o caminho mais longo de próposito.

-Ok... Obrigada pelo jantar. Por tudo. - disse e abri a porta saindo do carro.

-Calma...- ele me segurou pela mão. - Boa noite pra mim é assim....

Ele me segurou pela nuca e me puxou pra um beijo intenso. Cheio de desejo, que eu correspondi. Nós afastamos por falta de ar.

-Ok... boa noite!

Sai do carro mais que depressa antes de perder o controle completamente. Subi pro meu AP e entrei no mesmo, vendo a Nathalie sentada, no sofá, com a maior cara de brava.

-Onde você estava?- ela perguntou batendo o pé no chão.

Fechei a porta atrás de mim e a olhei, a cara dela de brava estava realmente muito engraçada.

-Fui jantar com um amigo- disse dando de ombros.

Meu celular apitou e tinha uma mensagem.

''Boa noite, Camz, dorme bem, adorei a noite de hoje, você fez eu me sentir bem, como eu não me sinto á muito tempo. Até amanhã! PS: É o Lucca HAHA :)''

Soltei um sorriso de orelha a orelha, mas só respondi com um '':)''.

-Um amigo te faz sorrir desse jeito e te faz chegar com o batom todo borrado?- Nathalie disse no meu ouvido e eu dei um gritinho por ter levado um susto.

-Que susto, Nathy!- disse colocando a mão no peito- Não é nada demais.- disse revirando os olhos.- É só um carinha.

-Me conta...- ele pediu fazendo biquinho.

-Ok...- revirei os olhos- Tudo começou na balada, ontem...

Contei a história pra ela, contei do encontro, do beijo, que ele quer tentar...

-Uau, ele se apega rápido assim?- ela disse sorrindo

-Não, ele só quer sexo, eu tenho certeza.

-Camila, nem todo menino é assim.

-Ele é.

-Como você tem certeza?

-Eu não sei... Só tenho!

-Não deveria. Tenta pelo menos.

-Eu vou tentar, só não vou dar muita corda pra ele. Não acredito nessas coisas, você sabe. Não gosto disso.

-Você é chata, sabia?- ela disse bufando- Só toma cuidado, Mila.- ela disse e beijou minha testa.- Vou dormir, até amanhã.

Não respondi, simplesmente levantei e subi indo pro meu quarto. Tomei um banho relaxante e coloquei um pijama, deitando na cama. O Lucca até que era legal. Me fazia sorrir. Me deixava relaxada. Era bonito. Agradável. Eu nunca gostei de ninguém, desde pequena sempre tive a opinião de que nenhum homem presta e eles só querem sexo, por isso sempre me reprimi muito. Mas, não sei... O Lucca fez meu estômago revirar de uma forma que não sei explicar. Eu ficava timída perto dele. Eu não sabia como agir. É contra todas as leis do universo alguém mexer tanto com você assim do dia pra noite. Mas, acontece, né? Eu só espero não me arrepender disso. Suspirei e não conseguia dormir de jeito nenhum, mas eu precisava, tinha faculdade amanhã.  Fechei os olhos e peguei no sono mais rápido do que imaginava.


Notas Finais


Primeiramente, sim, sei que eles se envolveram rápido demais, mas essas coisas acontecem, né? Basta um olhar e pronto, fodeu tudo pra sempre, mas nada é tão fácil né migos, hahaha.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...