História Learning To Love - Capítulo 17


Escrita por: ~

Postado
Categorias Ashley Benson, Fifth Harmony, Shay Mitchell
Personagens Ally Brooke, Ashley Benson, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton, Personagens Originais, Shay Mitchell
Tags Camren, Norminah, Outros, Romance
Visualizações 176
Palavras 2.729
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Famí­lia, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi amores, voltei um pouquinho antes porque tô muito ansiosa pra postar esse capítulo! Espero muito que gostem! Boa Leitura Bolinhos ❤😍🌸💙❤🌸💕 Fiquem bem❤❤❤

Capítulo 17 - Privileged


Fanfic / Fanfiction Learning To Love - Capítulo 17 - Privileged

         8 Columbus Cir, Midtown Mall, N.Y.

 

                     06 de Julho de 2015.

 

                   Pov Dinah Jane Hansen.


 

22:57 PM.


 

O desfile foi totalmente maravilhoso, Kate se superou, cada peça era mais linda do que a outra. Até me deu vontade de comprar algumas, que são do meu estilo.


 

Agora tá rolando uma After Party aqui no hotel mesmo como comemoração e tenho certeza de que vai ficar tão boa quando o desfile.


 

:- Dinah, a Amelie está te procurando!- Ashley disse, me puxando.


 

:- Com licença meninas!- Deixei minha taça de vinho junto com Normani.


 

:- Não demora!- Escutei Camila dizer e fiz um gesto positivo com a cabeça.


 

:- Porque eu tenho que falar com praticamente com todo mundo?- Rolei os olhos, deixando Ashley me guiar.


 

:- Porque você se formou na melhor escola de moda, em Paris ainda por cima!- Ashley disse.


 

:- Achei que fosse por eu ser legal!- Dei uma risada- Que triste.


 

:- Um pouco triste!- Ashley riu- Aqui está ela Amelie!- Paramos de frente para a britânica, que estava conversando com uma mulher ruiva.


 

:- Prazer Senhora Hansen!- Amelie estendeu a mão para mim- Achei que não estava por aqui.


 

:- Eu não perderia uma dessas!- Apertei a mão dela- É bom ver você.


 

:- O próximo desfile é o seu né?- Ela abriu um sorriso- Esse eu não perco por nada.


 

Fiquei conversando com ela durante um bom tempo, até um outro grupo chegar. Me despedi de Amelie e voltei para onde as outras meninas estavam, mas só Normani estava lá e com Shay.



 

Ao ver as duas juntas, apertei meus passos e parei ao lado delas.


 

:- Algum problema aqui?- Perguntei com um sorriso forçado.


 

:- Problema algum Dinah, só estava conversando com a moça!- Shay respondeu, olhando fixamente para Mani- Não é?

 

:- Sim, a gente falava sobre o desfile!- Normani olhou para mim, eu sei que elas estão mentindo.

 

:- Enfim, preciso voltar para a minha acompanhante! Deixei ela sozinha- Shay se afastou- A gente se esbarra, Hamilton.


 

:- Até, Mitchell!- Normani acenou para ela, que se afastou.

 

:- Sobre o que vocês estavam falando?- Perguntei séria.


 

:- Sobre o desfile!- Mani desviou o olhar- Ela não é insuportável comigo.


 

:- Hum… Cadê as meninas?- Olhei para os lados, na intenção de encontrá-las.


 

:- Camila e Lauren devem estar se pegando em algum lugar. Ally foi até a Ashley!- Ela me respondeu.


 

:- Tá afim de ir para um lugar mais reservado?- Abri um sorriso malicioso- Acho que seria bem mais proveitoso.


 

:- Para onde você quer ir? Tomar um ar?- Normani disse, se fazendo de desentendida… Mas é cínica mesmo.


 

:- Que tal o seu apartamento?- Digo naturalmente e pude perceber a expressão dela mudando. É isso que eu quero, conhecer o lado não comportado dela.


 

:- Seria uma ótima ideia, mas e a Lauren?- Normani disse, perto do meu ouvido.

 

:- Nós duas sabemos que Lauren vai acordar na cama da minha melhor amiga! Nada mais justo do que eu acordar na cama da melhor amiga dela também…- Digo num tom baixo e fui me afastando dela- Se quiser, me siga.


 

Essa noite, nada e nem ninguém vai me atrapalhar.


 

                 Pov Normani Hamilton.


 

23:47 PM.



 

Dinah estava me mostrando o que realmente quer, finalmente… Depois dela praticamente me convidar para transar, eu nem pensei duas vezes e a segui. Ela entrou no seu carro e repeti o gesto.


 

A única coisa que Hansen disse para o motorista foi o meu endereço. Ela está me mostrando um lado que eu não conhecia, seu lado perverso e provocador… Não vou negar que quero conhecer cada vez mais essa face dela.


 

Durante todo o caminho, ela jogou comigo. Ficou passando a mão pela minha coxa, fez desenhos imaginários com a ponta dos dedos e agora que notei. Puta que pariu, que dedos são estes senhor? Me dá calafrios só de pensar no que eles podem fazer.


 

Depois de torturantes minutos, nós finalmente chegamos no meu prédio. Hansen dispensou o motorista e veio me seguindo sem dizer uma palavra sequer…


 

:- O que você pretende fazer comigo?- Perguntei num tom baixo, enquanto me encostava na parede metálica do elevador.


 

:- Achei que eu quem deveria te perguntar isso- Dinah passou a língua pelos lábios- Hoje é uma noite diferente Senhorita Hamilton!- Ela veio se aproximando de mim em passos lentos- Você deve ter ouvido falar, que eu tenho fama de ativa né?


 

:- S-Sim …- Foi a única coisa que eu consegui dizer, sem deixar de olhar para a boca dela.

 

:- Hoje não vai ser assim!- Dinah me olhou de cima a baixo- Eu quero que me prove do que é capaz.


 

Quando estava me preparando para atacar os lábios dela, a mesma se afastou saindo do elevador que já estava com as portas abertas. Essa filha da mãe está me provocando e vai se arrepender.


 

Caminhei atrás dela em passos rápidos e quando a mesma parou em frente a porta do meu apartamento, colei nossos corpos, a deixando contra a porta. Uma das minhas mãos desceram para sua cintura e a outra afastou seus cabelos. Dinah tem um cheiro de rosas maravilhoso.


 

:- Se eu fosse você, não ficava me provocando!- Fiz questão de sussurrar no ouvido dela e pude sentir sua respiração se acelerar.


 

:- Está esperando o quê para me castigar por isso?- Ela disse, me olhando por cima do ombro com um sorriso debochado nos lábios.


 

:- Não debocha de mim Hansen!- Puxei o cabelo dela delicadamente, deixando seu pescoço exposto para mim- Quem debocha de mim, ganha marcas.

 

:- É mesmo Senhora Hamilton? Pois então abra essa porta e não perca a oportunidade que eu estou te dando!


 

Abri minha bolsa sem pressa alguma e peguei a chave dentro dela, passei meus braços em volta da corpo de Dinah, que está prensado a porta e encaixei a chave na fechadura, abri a maçaneta e com meu próprio corpo, fui empurrando Hansen para dentro do apartamento, ela só deu uma risada.


 

:- Eu não vou perder tempo Dinah!- Fechei a porta com o pé e caminhei na direção dela- Tanto que hoje as coisas vão ser aqui na sala.


 

:- Gostei da originalidade!- Hansen se virou de frente para mim- No sofá ou no chão?


 

:- Cala a boca!- Sem perder mais tempo, ataquei os lábios dela com veracidade. Como esperei foi totalmente correspondido, Dinah cedeu passagem para minha língua apressada.


 

Sua respiração estava quente e mais forte, pude senti-la sob meu rosto. Enquanto minha língua travava uma guerra com a dela, levei minhas mãos até o fecho do macacão rosa claro que ela veste e desci o zíper. Separei nossos lábios para poder ter a visão plena de seu corpo.


 

Dinah agora só estava coberta por um conjunto de roupas íntimas rendado, na mesma cor de seu macacão. Ela sorriu ao ver meu olhar sob seu corpo e eu realmente não consigo parar de olhar, seus seios fartos pareciam querer pular do sutiã.


 

:- Você… é tão…- Tentei dizer, ainda hipnotizada com o corpo perfeito a minha frente.


 

:- Gostosa?- Ela sorriu, com um ar superior na expressão- Vire-se, também quero te apreciar.


 

A única coisa que fiz foi me virar, para que ela abrisse o zíper do meu vestido e Dinah fez isso com toda a calma do mundo. O vestido deslizou sob meu corpo e caiu nos meus pés, deixando meu conjunto íntimo vermelho exposto.


 

:- Gostei da cor…- Ela disse perto do meu ouvido- Combina muito com sua pele.


 

:- Acho que ficariam bem melhores no chão!- Me virei para ela, deixando nossos lábios próximo. Porém guiei minha boca até o pescoço dela, deixando beijos molhados por ali- Você não acha?


 

:- Acho…- Dinah disse, botando as mãos no fecho do meu sutiã- Por isso devo tirar.


 

:- Vejamos que a apressada agora é você!- Falei quando ela passou o sutiã pelos meus braços, deixando meus seios expostos.


 

:- Eu?- Dinah sorriu maliciosa, olhando fixamente para os meus seios- Não mesmo.


 

Fui empurrando o corpo dela na direção do sofá com cuidado, até que ela caísse sentada no mesmo. Assim que Hansen caiu sobre o sofá, subi em seu colo deixando uma perna em cada lado.


 

:- Você esqueceu…- Fui beijando o pescoço dela- Que quem vai comer você, sou eu?!- Subi os beijos para a bochecha dela, sentindo sua pele macia sobre meus lábios.


 

:- Não…- Dinah fez um gesto negativo com a cabeça- Eu não me esqueci!- Num gesto rápido ela abriu o sutiã e a peça se afrouxou em seu corpo, não pude me conter e então o puxei, para deixar os seios dela totalmente expostos.


 

Mais uma vez desci meus beijos, passando pelo pescoço… Até finalmente chegar aos seios, iniciei uma massagem no direito e levei minha boca para o esquerdo para a surpresa dela. Pude ouvir seu forte suspiro.


 

Comecei a sugar seu seio com leveza e cuidado para não machucá-la, sem parar de massagear o outro. Os suspiros dela, se misturaram com o barulho de sucção que ecoava.


 

:- É-É só isso que você sabe fazer?- Escutei ela dizer e parei a sucção instantaneamente.


 

:- O que disse?- Levantei o olhar, para encarar os olhos castanhos escuros dela.


 

:- Eu… Perguntei se é só isso que você sabe fazer- Dinah abriu mais uma vez, seu sorriso debochado.


 

Não me dei trabalho de responder, apenas sai do colo dela, ficando de joelhos no sofá e segurei em sua cintura. Eu não ia mandar, ela vai obedecer se quiser sentir prazer.


 

:- Assim que você quer?- Hansen suspendeu suas pernas e imitou meu gesto, ficando de joelhos no sofá. Guiei sua cintura, para que ela ficasse de costas para mim- De quatro na primeira vez?


 

:- Ninguém mandou você debochar de mim!-  Ela ficou na posição e acertei um tapa na bunda dela, estalado. Dinah não estava esperando por isso e deixou um gritinho escapar- Doeu?


 

:- Não…- Ela olhou por cima do ombro, apoiando seus braços em cima das almofadas- Eu só não esperava!- Hansen sorriu e se empinou para mim.


 

:- Não achei que você fosse assim!- Puxei a calcinha dela com dois dedos- Tão… Passiva!- Desci o pano por suas pernas, até chegar os pés para poder retira-la por completo.


 

:- Eu não sou passiva!- Escutei ela dizer- Estou te dando a chance de me dar prazer, sinta-se privilegiada.


 

:- Privilegiada é essa posição!- Passei a mão pela bunda dela, admirando a posição maravilhosa. Esse é meu ângulo favorito.


 

:- Não perca tempo, Hamilton!- Dinah me encarou, impaciente- Vamos com isso.


 

Posicionei meu indicador e o do meio e os guiei até a entrada dela, completamente apertada. A acariciei só com a ponta deles e Dinah jogou seu corpo para trás a fim de obter mais contato.


 

:- Então você quer…- Fui penetrando meus dedos com cuidado na entrada apertada dela- Isso?


 

Hansen gemeu manhosa como resposta e se empinou mais para mim. Me posicionei melhor atrás dela e levei minha mão livre a sua cintura, acariciando  mesma. Comecei a acelerar os movimentos, dando ritmo e velocidade.


 

:- Ohhh… Hamilton!- Ela gemeu, apertando as almofadas.


 

:- Porra…- Suspirei- É tão bom estar aqui dentro.


 

:- Dieu, baise-moi!( Deus, Me fode!)- Não precisei entender francês para saber que eram palavras de aprovação, já que no mesmo momento Dinah começou a vir de encontro aos meus movimentos.


 

:- Isso… Geme pra mim, vai!- Movi meus dedos mais rápido, sentindo eles escorregarem dentro dela.


 

:- Ohh Hamilton, isso!- Ela gemeu com a voz falha- Aí.


 

Puxei a cintura dela, contra os meus dedos para aprofundar os movimentos e nesse momento, Dinah gemeu alto. Ali era o ponto de mais prazer dela e me aproveitei disso, movendo meus dedos com rapidez naquela direção, as respostas dela eram só gemidos sôfregos.


 

Só precisou de mais algumas estocadas para ela se deixar vir. Senti sua intimidade se fechando em torno dos meus dedos e logo seu gozo lambuzar todo o meu dedo.


 

Dinah deixou seu corpo mole cair sobre o sofá e retirei meus dedos de dentro dela com delicadeza, doida para provar seu gosto. Levei meus dois dedos até a boca e os chupei com vontade.


 

:- M-Meu Deus…- Hansen disse num suspiro.


 

:- Você gostou?- Perguntei enquanto me deitava em cima do corpo dela.


 

:- Estou, sem… Palavras!- Ela disse, de olhos fechados.


 

Tirei os fios de cabelo que estavam colados no rosto dela, totalmente suado por sinal e beijei sua bochecha.


 

:- Parece que a privilegiada foi você!- Dei uma risadinha.


 

:- Me dá só uns minutos para eu me recuperar que eu vou te mostrar que não brinco em serviço!- Dinah abriu os olhos e me encarou.


 

:- Estou te aguardando!- Passei minha mão pelo rosto dela, fazendo um leve carinho. Depois disso, sai de cima do seu corpo e fiquei pensando.


 

Ainda estou desacreditada, dias atrás eu ficava imaginando como seria o sexo com essa mulher e agora ela está deitada no meu sofá depois de ter um bom orgasmo, que eu proporcionei. Isso foi melhor do que nos sonhos.


 

Me despertei dos meus devaneios depois de ouvir um barulho, olhei para Dinah e vi que ela estava no chão, de joelhos será a mulher tá tão mole que caiu?


 

:- Fica tranquila!- Ela riu- Eu não cai, só estou aqui para fazer meu trabalho.


 

:- Porra que susto!- Digo ao sentir ela se encaixando entre as minhas pernas.


 

:- Relaxa Mon Petit!- Dinah passou a língua pelos lábios- Só erga um pouquinho o seu corpo.


 

:- O que você vai fazer?- Ergui um pouco meu corpo para que ela pudesse tirar minha calcinha. O que Hansen fez com uma rapidez extrema.


 

:- Tem certeza que nem desconfia?- Ela sorriu, enquanto jogava minha calcinha para um canto da sala.


 

:- Puta que pariu…- Digo a primeira coisa que veio na minha mente.


 

Dinah afastou um pouco as minhas pernas e botou sua cabeça entre elas. Pude sentir sua respiração calma e quente contra a minha intimidade.


 

:- Eu amo esse cheiro feminino!- Ela levantou o olhar e sorriu- Vai ser um prazer…


 

Hansen levou suas mãos até minha cintura e me puxou para frente, deixando meu corpo mais inclinado. Fechei os olhos com força ao sentir a boca dela tocando minha intimidade.


 

Não pude conter um gemido rouco, ao sentir a língua dela passeando sobre meu clitóris. Ela faz com calma, como se fosse sua especialidade. Minhas mãos quase que involuntariamente foram para os cabelos dela, empurrando sua cabeça contra o meu sexo, eu queria mais.


 

Quando menos esperei Dinah começou a me chupar com força, o que acabou arrancando mais um gemido meu. Joguei minha cabeça para trás, tentando controlar minha respiração.


 

Essa é realmente a especialidade dela, essa boca macia e ágil me suga com rapidez e leveza, me levando ao delírio. Como ela pode chupar tão bem assim?


 

Dinah deixou suas sugadas mais firmes e começou a usar sua língua quente. Eu sabia que não aguentaria mais por muito tempo.


 

:- Ohh Hansen, isso…- Gemi baixo- Me chupa… Ohh!


 

Ela puxou meu corpo contra sua boca, chupando-me com mais agilidade e foi nesse momento que senti meu orgasmo vindo, a onda de prazer me atingiu me deixando em êxtase e gozei na boca dela.


 

Joguei minha cabeça para trás mais uma vez, para apoiá-la no sofá e senti Dinah passando a língua por toda minha extensão, tirando cada rastro do meu gozo.


 

:- Foi bom para você?- Ela refez a minha pergunta.


 

:- Não… Não tenho palavras!- Imitei a resposta dela.


 

:- Eu disse que não brincava em serviço!- Escutei a voz dela mais próxima a mim.


 

:- E que boca é essa hein!- Abri um sorriso e a encarei.


 

:- Isso é porque você ainda não provou meus dedos!- Dinah me deu um selinho e deitou em meu ombro.


 

Ficamos juntas, conversando durante longos minutos. Até ela lembrar que precisava ir para casa, Sophie tem aula amanhã cedo e ela não poderia deixar de levá-la. Eu a entendi, não vou ficar chateada com isso. Sophie é prioridade, para nós duas.


 

Dinah se despediu, disse que queria repetir a noite mais vezes e depois foi embora, me deixando com as lembranças da noite maravilhosa que tivemos.



Tenho a absoluta certeza de que nunca vou me esquecer e de que quero muito mais da Senhora Hansen.


Notas Finais


Perdoem-me qualquer erro gramatical✌✌👌👌👌😓


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...