História Learning to Sin - Capítulo 16


Postado
Categorias Turma da Mônica Jovem
Personagens Carmem, Cascão, Cascuda, Cebola, Denise, Do Contra, Dorinha, Franjinha (Franja), Magali, Mônica, Xaveco
Tags Aventura, Colegial, Hentai, Romance
Visualizações 48
Palavras 1.449
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Ficção Adolescente, Hentai, Romance e Novela, Violência
Avisos: Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oiiii galeraaa

Tudo bem com vocês?
Bom, como prometido o cap está aí 💙
Um pouco atrasado porque reler a fic demorou mais do que eu esperava.

Espero que gostem :3

Capítulo 16 - Minha estrela


Fanfic / Fanfiction Learning to Sin - Capítulo 16 - Minha estrela

                 POV.Narradora


    * Quarto da Marina *

      -Eu sei Franja... Mas que droga... Sim, sim eu já arrumei tudo, porque se fôssemos esperar que a sua queridinha fizesse algo estaríamos ferrados!

    Marina estava falando furiosa no celular, tentando controlar seu tom de voz pra que ninguém pudesse escutar.

     -Ta bem, desculpa... você vêm?...ok, até mais.

     Ela desliga a chamada e sai de seu quarto indo para a sala, se despede de seu pai e sai de casa sem dar explicações de onde iria, ou o que iria fazer.


       POV. Mônica

     Acordo assustada depois de mais um pesadelo com a imagem que tive de DC naquele estado, juro que se consegui dormir 3 horas essa noite foi muito. Olho para o lado e vejo minha melhor amiga dormindo profundamente... essa criatura tá quase roncando, muita inveja dela nesse momento.

  Ontem ficamos até  tarde conversando, quer dizer, ela ficou tentando me fazer parar de chorar, sinceramente não sei como suportaria toda essa confusão sem ela, apesar de bem maluca ela sabe como acalmar e até arrancar alguns sorrisos de alguém. Não contei pra ela da minha pequena vingança com o Cebola, é melhor que ela não saiba que foi ele quem fez isso com o DC.

     Tudo o que eu queria era não ter mais que olhar na cara daquele idiota, o que ele fez passou dos limites. Aliás eu tenho certeza de que não foi só por um ciuminho que ele o matou, deve ter algum motivo por trás disso, e eu vou descobrir. Mesmo que seja um motivo bobo, um cretino como ele não deve saber o valor de uma vida.

     Ultimamente tenho me esquivado desse tipo de pensamento, se for parar pra processar tudo o que aconteceu vou acabar ficando louca. Nessas horas eu sinto falta de ter a minha mãe por perto, ela era sempre a mulher forte em que eu podia me inspirar.

     Ouço o barulho do despertador tocando- 7:00. Aperto o botão de encerrar e fico sentada na cama. Magali acorda, se alonga, preguiçosa, e se vira para mim.

     -Já acordada Mô.

     -Não consegui dormir direito.

     -Você ainda deve tar bem mal por isso não é?

     -Sim...

     -Eu entendo... Mas levanta daí sua panda, precisamos nos arrumar.

     -Tudo bem.

     Magali estava bem menos abalada, estava triste, mas não como se seu melhor amigo tivesse morrido, como é o meu caso.

     Me levanto, pego minha toalha no guarda-roupa e vou para o banheiro que ela tinha em seu quarto, tiro minhas roupas sem pressa alguma, ligo o chuveiro e mudo para a temperatura quente. Paro em frente ao espelho e fico encarando meu reflexo, meus olhos, meu cabelo curto um tanto bagunçado. Realmente uma noite cheia de pesadelos te deixa horrível.

     Entro no chuveiro e tomo meu banho, lavo meus cabelos com o shampoo e condicionador de chocolate que a Maga tinha, meu favorito. Fico um tempo ali deixando meus músculos relaxarem com a água quente.

     Saio do banho, me enrolo em minha toalha e saio assim mesmo. O lado bom de estar na casa da sua melhor amiga. Magali para de mexer no seu celular e me olha enquanto escolho algo pra vestir nas minhas coisas.

     -Uiii... como a minha garota é gostosa.- rio

     -Boba

     Ela se levanta e também vai tomar seu banho. O velório do DC começará as 9:00, logo depois que terminar será o enterro, não sei por quanto tempo vou aguentar me manter firme, mas tenho que ir. Escolho um vestido curto, preto de veludo  simples, que era um pouco mais soltinho na parte de baixo. Visto minha lingerie e o vestido por cima, calço minhas sapatilhas também pretas com lacinho fino. Penteio e seco meus cabelos que estavam quase tocando meus ombros já, faço uma maquiagem simples e passo apenas um gloss em minha boca, borrifo um pouco de perfume, pego minha bolsa e coloco no ombro, não quero olhar meu celular. Fico sentada na cama esperando a Magali sair e se trocar, o que não demora muito.

     -To pronta mô, vamos comer.

     -Vai sem mim Maga, vou ficar esperando lá fora, tô sem fome e preciso tomar um ar.

     -Bom, não sabe o que tá perdendo, comida é sempre o melhor remédio.

     Sorrio para ela e saímos do seu quarto, ela vai para a cozinha e eu vou para o pequeno jardim que ela tinha na frente de casa. Fico de olhos fechados sentindo o sol me aquecer e me preparando pra o que teria que presenciar: o enterro do meu melhor amigo.

     Alguns minutos depois ela também sai e vamos andando em direção ao salão onde seria o velório, já que ficava perto.

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

Era um salão consideravelmente grande e estava lindo, todo decorado, com velas e arranjos de flores por toda parte. Em um canto estava uma mesinha com café e algumas bolachas, não estava lotado, mas tinha mais gente do que eu imaginava. No centro do salão estava o caixão dele, preto e, para a minha surpresa e alívio, fechado.

Magali me puxa para um canto onde a família de DC estava, sua mãe chorava sem parar, demos nossos pêsames e ficamos conversando um pouco até outro grupo de pessoas vir comprimentá-los.

Andando pelo salão vejo meus pais, mais tarde teria que conversar com eles, mas não estou com cabeça para isso agora.

-Maga, vou ali pegar um pouco de café...

-Ok linda, vou ficar lá fora te esperando.

Aceno e vou pegar minha preciosa dose de cafeína. Com a xícara na mão volto meu olhar para o caixão á minha frente, tomo um gole de café e me lembro de quando conheci o Do contra, com apenas 5 anos.


FLASHBACK ON

-Monicaaaaoo... onde você foi filhotinho?

Continuo correndo e procurando meu Mônicão por cada canto, está começando a anoitecer e a mamãe vai ficar furiosa se não trouxer ele devolta.

-OH MONI...

Paro de gritar porgue ouço um barulho estranho vindo de uma casa Branca do meu lado, parece o meu filhotinho fungando.

Corro na direção do barulho e me assusto ao ver um garotinho, que parece ter a minha idade, sentado no chão, abraçando seus joelhos e chorando.

-Ei menininho... porquê tá tão triste?

-M-eu... meu p-papai...

-Onde?

Ele aponta para a janela e vou olhar por ela. Um homem que parecia muito com esse menino estava deitado no chão, mas não parecia respirar.

-E-eu...-funga- nunca mais vou... poder s-sair com ele...

Estava difícil entender o que ele falava, talvez porquê chorava muito.

-Ahh... seu papai não te contou ?- me sento do lado dele.

-Hein?

-Quando uma pessoa muito legal vai embora daqui, essa pessoa vira uma estrelinha, pra poder continuar sempre com as pessoas que gostam dela, então sempre que você sair e tiver uma certa estrelinha piscando no céu, seu papai vai estar saindo com você.

O menino olha pro céu e encara uma estrelinha por um tempo, depois olha pra mim, e já estava parando de chorar. Nos assustamos e acabamos rindo quando Mônicão chega e da uma boa lambida na bochecha dele.

Pego meu filhote no colo e vou correndo pra minha casa. Talvez volte a falar com esse menininho fofo amanhã.

FLASHBACK OFF

Magali me puxa dizendo que o enterro já ia começar e á sigo, aproveitando o caminho pra limpar uma lágrima teimosa que caia pela minha bochecha.

Depois de muitos discursos e homenagens. Deixo algumas flores em cima de seu caixão, brancas, sua cor favorita.

Volto para o meu lugar e mais uma vez fico com meus pensamentos, enquanto via alguns homens abaixarem o caixão.

Depois daquele dia, eu realmente voltei a ver aquele "menino fofo". Alguns anos mais tarde percebi que naquele dia, eu fui porto-seguro dele, e fomos porto seguro um do outro desde então. E agora... Parece que eu também tenho a minha estrelinha.

Me ocorreu como, há pouco tempo, eu tinha tudo... uma família com seus defeitos e um tanto doida, mas unida e... "normal"... tinha um melhor amigo, passamos um tempo sem nos falar muito pelas viagens dele, mas no fundo eu sempre tive a certeza de que ele estava lá, em algum lugar, pra ser meu porto seguro quando eu precisasse. Eu tinha uma vida escolar chata as vezes, mas adorava. E em alguns dias tudo isso foi tirado de mim, algumas dessas coisas, ELE tirou de mim.

     O que impede que essas coisas ruins também aconteçam com a Maga, ou com meus irmãos?

     Não! Eu não quero que eles passem por isso, não vou deixar que a minha vida, essa vida de máfia onde pessoas inocentes pagam os preços mais altos, tire tudo deles também. E não vou deixar que o cretino do Cebola, ou qualquer outra pessoa, me tire mais nada!

     


Notas Finais


Eiiita nossa...

Kkk bom meus amores espero que tenham gostado, e comentem o que acharam please 💙

Nos vemos logo logo 💙😘
(Aliás estou com planos de postar toda quinta-feira)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...