História Leave My Heart Out Of This - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Alexandra Daddario, Camila Cabello, Shawn Mendes
Personagens Camila Cabello, Shawn Mendes
Tags Camila, Camren, Laucy, Lauren, Normina, Shawmila
Visualizações 57
Palavras 2.303
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção, Ficção Adolescente, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Surpresa kkkkk.
Espero que gostem.
Deixem seus comentários e não esqueçam de favorita a fic.
Peço a ajuda de vocês para divulgar a fic galera.

Capítulo 5 - Just A Kiss


   PVO LAUREN

- Olá, boa noite. Grande parte dos presentes aqui já me conhecem, mas para os que não, meu nome é Lauren Jauregui e eu iriei me apresentar para vocês hoje, então espero que apreciem o show.

Escutei alguns assobios vindo dos fundos do enorme restaurante enquanto me dirigia até o enorme piano. Olhei Camila e vi que ela estava com uma espressão de confusão no rosto, oque me causou um sorriso no canto dos lábios.

- Give me love like her 'Cause lately I've been waking up alone Pain splattered teardrops on my shirt Told you I'd let them go

(Me dê amor como ela Porque ultimamente tenho acordado sozinho Lágrimas de dor escorrendo na minha camiseta Disse a você que os deixaria ir)

And I'll fight my corner Maybe tonight I'll call ya After my blood turns into alcohol No, I just wanna hold ya

(E eu vou lutar pelo meu espaço Talvez eu te ligue hoje a noite Depois do meu sangue virar álcool Não, só quero te abraçar)

Give a little time to me, we'll burn this out We'll play hide and seek, to turn this around All I want is the taste that your lips allow

(Me dê um pouco de tempo, vamos queimar tudo isso Vamos brincar de esconde-esconde para mudar isto Tudo que quero é o sabor que seus lábios permitem)

My, my, my my, oh, give me love My, my, my my, oh, give me love My, my, my, my, give me love

(Minha, minha, minha, minha, oh, me dê amor Minha, minha, minha, minha, oh, me dê amor Minha, minha, minha, minha, me dê amor)

Give me love like never before 'Cause lately I've been craving more And it's been a while but I still feel the same Maybe I should let you go

(Me dê amor como nunca antes Porque ultimamente tenho desejado mais E faz algum tempo, mas ainda sinto o mesmo Talvez eu deveria deixar você ir)

You know I'll fight my corner And that tonight I'll call ya After my blood, is drowning in alcohol No I just wanna hold ya

(Você sabe que vou lutar pelo meu espaço E que vou te ligar hoje a noite Depois que meu sangue estiver se afogando em álcool Não, só quero te abraça)

Give a little time to me, we'll burn this out We'll play hide and seek, to turn this around All I want is the taste that your lips allow

(Me dê um pouco de tempo,vamos queimar tudo isso Vamos brincar de esconde-esconde para mudar isto Tudo que quero é o sabor que seus lábios permitem)

My, my, my, my, oh, give me love Give a little time to me, we'll burn this out We'll play hide and seek, to turn this around All I want is the taste that your lips allow

(Minha, minha, minha, minha, oh me dê amor Me dê um pouco de tempo, ou queime isso Vamos brincar de esconde-esconde para mudar isto Tudo que quero é o sabor que seus lábios permitem)

My, my, my, my, oh, give me love My, my, my, my, oh, give me love My, my, my, my, oh, give me love

(Minha, minha, minha, minha, oh, me dê amor Minha, minha, minha, minha, oh, me dê amor Minha, minha, minha, minha, oh, me dê amor)

Enquanto eu cantava e passeava meus dedos nas teclas do piano, minha mente viajava. Ia do passado até memórias recentes, memórias no qual me faziam curvar meus lábios em um mero sorriso e outras que me traziam olhos marejados. Memórias que me fizeram pensar em Katherine e outras em Lucy, memórias que me fizeram pensar na minha família. Me fizeram lembrar da noite em que minha mãe decidiu ir embora, e em como eu sufoquei de tanto chorar aquela noite com cada lágrima que escorria dos meus olhos e cada soluço que tentava ser contido em vão.

Enquanto minha mente vagava entre o passado e o presente, eu observava Camila. Havia um mero sorriso no canto de seus lábios enquanto ela cantava baixinho a música. Fechei os olhos e terminei a música me levantando em seguida enquanto ouvia a seção de aplausos, agradeci e voltei a minha mesa.

Encontrei uma Camila sorridente me olhando enquanto eu me sentava.

- E então? Continua clichê o suficiente pra você ?

Disse com um mero sorriso no canto dos lábios e a vi alargar seu sorriso.

- Então isso se tornou um encontro Lauren?

Abaixei a cabeça com um sorriso fraco nos lábios e lhe encarei por alguns segundos enquanto tomava um pouco de vinho.

Eu não conseguia encara-la por muito tempo, não conseguia manter o verde dos meus olhos fixados no castanho escuro dos seus. Eu sentia como se ela pudesse ver todo o meu passado, todas as minhas dores e felicidades.

- Usando de meus artifícios agora camila ?

- Porque essa música Lauren?

Disse ela mudando de assunto. Bebi um pouco do vinho da minha taça e lhe olhei serenamente. Eu sabia que uma hora ou outra ela me perguntaria isso, sabia que ela pensaria ser para ela. Devo admitir que de certo modo ela estava certa, mas essa música além de ser linda, me fazia pensar sobre tudo na minha vida.

- Essa música é linda Camila, porque não ela, essa deveria ser a questão. Não acha ?

- Talvez.

- Enfim .. Vamos fazer os pedidos, oque acha ?

(...)

- Então quando cheguei em casa aquele dia o imbecil estava sentado na escada do prédio me esperando porque queria conversar, mas eu não queria conversar, não queria olhar na cara dele. Eu sentia o ódio correr pelas minhas veias, mas o pior era sentir que só som da voz dele ainda mexia comigo. E .. era estranho, porque ao mesmo tempo que ela me dava enjoo ela me trazia um certo alívio. E eu acho que isso é oque me corroe todos os dias entende? saber que por um segundo eu ponderei a ideia de que poderia perdoar oque ele fez.

Nós ja haviamos acabado de comer, deveríamos estar a mais ou menos meia hora sentadas tomando vinho e conversando.

- Mas oque ele fez que foi tão grave assim para que fizesse com que você pedisse o divórcio, afinal é um casamento e não um namoro de dois meses.

- Eu não me sinto muito confortável falando sobre isso, e aqui não é o lugar apropriado.

- Entendo ... Posso te fazer uma última pergunta ?

- Hmm ..  Claro.

- Se você o amava, porque desistiu tão fácil se ele errou apenas uma vez, mesmo sendo grave como disse?

- Porque esse 'pequeno erro' me mata todos os dias até hoje. Acho melhor irmos embora, já está ficando tarde.

Pagamos a conta e fomos em direção ao estacionamento. Enquanto dirigia escutei meu celular tocar estridente e vi que era Taylor.

- Lauren aonde você está?

- Estou voltando pra casa Tay, oque houve?

- O Cris está com febre e chorando, hoje a Mama ligou e falou com ele, só que ela disse que não conseguiria vir essa semana para Londres e ele surtou. Começou a chorar e a febre voltou, eu já dei banho nele e o remédio, só que não está adiantando.

- Cadê o Papa?

- Ele saiu hoje cedo, disse que ia trabalhar em alguma festa. Só que ele ainda não voltou.

- Ok, já estou indo.

Desliguei o celular e comecei a dirigir em direção a minha casa.

- Eu preciso passar na minha casa primeiro, eu juro que vai ser rápido Camila.

- Tudo bem Lauren, aconteceu algo grave?

- Não.

(...)

Estacionei o carro em frente a minha casa e sai do mesmo junto a Camila. Assim que abri a porta vi Taylo sentada no sofá com Cris em seu colo.

- Espere aqui só um minuto Camila.

Vi Camila se sentar no sofá enquanto Taylor nos olhava sem entender. Peguei Cris no colo e escutei seu choro baixo, coloquei a mão em sua testa e vi que a febre estava realmente alta.

- Eu já volto Camila, só vou colocá-lo para dormir.

- Tudo bem Lauren.

Subi as escadas com Cris chorando em meu ombro, fui em direção ao meu quarto e o coloquei sentado na ponta da minha cama.

- Ok Cris enxuga essas lágrimas e vamos conversar. Você já é um homenzinho, eu sei que está com saudades da Mama, mas pense que eu e Taylor também estamos e nem por isso passamos o dia chorando. Ela não vai poder vir essa semana Cris, espere mais um pouco assim como eu e Taylor. Vai ficar tudo bem meu amor.

Eu dizia firme mas não de forma rude, sabia que era muito mais difícil para Cris tudo isso que estava acontecendo do que para eu e Taylor.

A gravidez de Cris foi a mais complicada, minha mãe estava separada de meu pai, ela chegou ao ponto de pensar em abortar o Cris. Mas então tudo foi entrando

nos eixos, mas isso não significa que não foi complicado depois também. Minha mãe demorou muito para aceitar Cris, meu pai quem acordava de madrugada para dar a mamadeira do Cris ou trocar suas fraudas ou simplesmenter fazê-lo dormir novamente.

Quando Cris começou a desenvolver problemas de saúde minha mãe percebeu a burrada que estava fazendo ao negar o próprio filho, hoje em dia um não vive sem o outro. Cris acabou se tornando o filho mais agarrado a Clara.

Eu fiquei cerca de vinte minutos no quarto com Cris. Lhe dei o remédio, dei banho e o coloquei para dormir, assim que desci as escadas vi o olhar curioso de Camila.

- Taylor, eu vou levá-la em casa e volto logo em seguida. Vá dormir pois está tarde.

Com certo protesto vi Taylor se levantar e ir em  direção as escadas.

- Vamos Camila?

- Ele está bem Lauren?

Ela perguntou quando já estavamos no carro me despertando de meus devaneios.

- Sim, digamos que ele só precisasse de um colo amigo.

Despois disso Camila ficou calada até chegar ao seu apartamento, oque eu agradeci mentalmente, pois naquele momento a única coisa na qual eu queria pensar era em um belo nada, eu só queria minha mente vazia, em total neblina.

Estacionei o carro em frente a seu prédio e o desliguei em seguida.

- Chegamos. E então, gostou do nosso encontro clichê ?

Disse com um sorriso no canto dos lábios e uma sombrancelha arqueada, vi suas bochechas ganharem um tom claro de vermelho enquanto ela me olhava com um sorriso brincando no canto de sua boca.

- Isso não foi um encontro Lauren.

- Ok, então quando teremos um encontro de verdade?

Eu queria rir da cara que ela fez, mas me contive pois sabia que era capaz dela tacar algo na minha cara por rir dela.

- Nós não teremos encontro algum Lauren.

-Porque não?

- Porque eu sou hetero e você é minha amiga sapatão.

Eu não aguentei e dei uma gargalhada com oque ela disse.

- Você é péssima Camila. Como você sabe que é hetero se nunca nem ao menos beijou uma mulher?

- Eu sei que sou e acabou.

- Eu consigo te provar o contrário, sabe disso não é mesmo ?

- Não mesmo Lauren, boa noite.

Ela disse antes de abrir a porta do carro. Sai do carro junto dela e a acompanhei até próximo da entrada do prédio.

- Eu estava brincando Camila, ou talvez não.

- Lauren!

- Calma sua velha, senão você tem um treco ai.

- Eu não sou velha. É .. eu vou subir, já está tarde e você tem que voltar pra casa ainda.

- Eu não ganho nem um beijo de boa noite ?

Ela me olhou de uma forma estranha, mas não um estranho ruim, apenas diferente.

- Na bochecha Camila (?)

- Na bochecha apenas.

Ela se aproximou calmamente, eu sentia sua respiração cada vez mais próxima da minha até que senti seus lábios no canto da minha boca.

A minha pele parecia formigar com o toque, o cheiro do seu perfume me embriagava cada vez mais.

Até que eu levei uma mão a sua cintura e inconscientemente a puxei para mais perto, mas acho que o mais estranho disso tudo foi ela não ter se afastado.

Eu sentia sua respiração mais pesada que o normal.

Eu sentia vontade de beija-lá, eu queria sentir o sabor dos seus lábios nos meus, eu queria saber se eles eram tão gostosos quanto aparentavam ser.

Coloquei a outra mão no meio de suas costas e me afastei milimetricamente, apenas o suficiente para conseguir fixar meus olhos nos seus lábios.

- Lauren, oque você está fezendo?

- Você deveria se perguntar oque estamos fazendo.

Disse perto o suficiente da sua boca para fazê-la se arrepiar.

- Você não quer ?

- Eu não sei.

- Tudo bem então. Boa noite Camila.

Dei um beijo em sua bochecha e me afastei com calma e me direcionei ao meu carro. Não dei tempo para que ela falasse algo, apenas liguei o carro e buzunei uma vez acenando para me despedir dela.

Eu precisava colocar meus pensamentos em ordem, ainda havia aquela maldita mensagem de Lucy, eu teria ainda que saber por qual motivo minha mãe não viria a Londres essa semana.

Não teria sido nada mal beija-lá, afinal ela queria, caso contrário não teria se rendido assim tão fácil. Ela é bonita, tem um corpo de dar inveja.

Ela seria uma boa distração dos meus problemas.

Quando cheguei em casa aquela noite, só me lembro de ter tirado os sapatos e me jogado na cama sem pensar duas vezes, segunda seria outro dia e eu pensaria melhor no que fazer com a minha incrível vida.



Notas Finais


E então galera ? Gostaram ? Kkk


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...