História Leave My Heart Out Of This - Capítulo 6


Escrita por:

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton, Shawn Mendes
Tags Camila, Camren, Laucy, Lauren, Norminah, Shawmila
Visualizações 67
Palavras 3.600
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, LGBT, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi gente.
Então, nesse capítulo vocês irão saber um pouco spbre o passado da Camila, sobre as intenções da Lauren com a Camila e com as outras garotas kkkk .. me perdoem por isso.

Capítulo 6 - Take me back to the start


PVO CAMILA

Flash Back On

Me peguei pensando oque era amor. 

Se existe um tipo de amor ou se existem vários tipos de amor. Se quando você ama alguém, você consegue ser capaz de 'desamar' depois.

Ou se você não ama alguém, você é capaz de amar essa pessoa incondicionalmente?

Eu estava deita ao lado de Shawn, já era madrugada, ele estava em um sono profundo enquanto eu não conseguia fechar os olhos.

Eu não parava de pensar, não conseguia dormir mas também não conseguia chegar a uma conclusão, até que lembrei da minha série favorita, havia visto esses dias e pensei que fazia sentido a teoria da azeitona. Onde um casal da minha série favorita, em que a garota amava azeitonas e o cara odiava, então ele sempre dava as azeitonas pra ela.

E ai você pensa que amar seria ser o oposto do outro? Completar o outro?

E ai na série você descobre que o cara amava azeitona também mas pra ver a garota feliz, ele dizia que não gostava e dava suas azeitonas pra ela, mesmo gostando também.

E é isso que é o amor, é você se importar em tornar o dia da pessoa melhor, é você cuidar da pessoa. É você querer algo mas saber que as vezes é preciso abrir mão.

Infelizmente eu não conseguia sentir toda essa imensidão por Shawn.

Não conseguia me entregar de corpo e alma.

Havia se passado uma semana desde minha conversa extremamente estranha com Sofi.

Depois disso apenas vi ela distante de tudo e de todos.

Meu corpo estava em alerta e eu nem ao menos sabia o porquê.

Peguei a camisa de Shawn que estava jogada ao lado da cama já que ainda estava nua e fui em direção ao banheiro, precisava de um banho para relaxar um pouco e tentar dormir já que no dia seguinte estaria de plantão na casa de meus pacientes.

(...)

Era folga de Shawn, não quis acordar-lo pois sabia que ele estava cansado.

Já arrumada para ir trabalhar decidi deixar um bilhete.

Você estava dormindo tão bonitinho que não quis te acordar, já estou com saudades. Ah, vamos jantar fora quando eu voltar ?( Acho que merecemos isso).

PS: Te amo.

Sorrio assim que acabo de escrever, deixando o bilhete sobre o meu travesseiro, talvez eu um dia pudesse amor ele da mesma forma que o amor era descrito nos filmes e sentir as tal "borboletas no estômago", mesmo não acreditando que isso aconteça, eu me casei. Tenho que tentar fazer valer apena. Sai do quarto e passei pelo de Sofi, a porta estava trancada, o que me pareceu muito estranho, eu tornaria a conversar com Sofi assim que eu voltasse de plantão.

(...)

O plantão seguia sem qualquer anormalidade, meu paciente estava muito bem de saúde para quem tinha acabado de passar por uma pneumonia. Meus devaneios são interrompido por uma ligação de Sofi, que atendo sem pestanejar.

- Sofi?

- Mila, eu preciso conversar com você.. E eu não sei como falar.. Eu ..

Escuto sua voz sendo entrecortada por soluços, a última vez que vi Sofi desse jeito tínhamos nos 'despedido' de nossa mãe.

- Oque houve Sofi? Porquê está chorando meu amor ?

- O Shawn .. Ele .. E-ele

Talvez fosse por conta do choro da minha irmã, ou por ouvir o nome de Shawn, não sei ao certo, só sei que uma dor se alojou em meu peito, e lágrimas silenciosas rolava pelo meu rosto. Então cortei o silêncio e a agonia que estava tomando conta de mim.

- Sofi, aconteceu algo com o Shawn ?

Ela chorou com ainda mais força, e cortou o silêncio que mais parecia gritar no meio de nós duas.

- Não, ele fez .. Ele .. Mila o Shawn me molestou.

Tudo o que eu queria era morrer ao saber que uma coisa dessas havia acontecido com a minha irmã, e o pior, a culpa era toda minha. Eu não estava perto para impedir, eu não consegui ver a maldade. Porque eu fui tão cega? Como eu fui tão cega?

- Sofi .. Quando isso aconteceu ?

A minha voz não queria sair, eu sentia como se cada músculo do meu corpo estivesse congelado, eu sentia meu coração bater tão forte que eu poderia jurar ouvir seus batimentos.

- Você estava trabalhando .. Eu estava dormindo no sofá, nós havíamos visto um filme só que eu peguei no sono, eu acordei sentindo a mão dele .. Alisar meu corpo. Eu não conseguia me mexer Mila, eu não conseguia falar, era como se eu tivesse entrado em um transe horrível e .. E eu me senti tão suja por não conseguir falar pra ele parar.. Então quando eu consegui fazer minha voz sair e disse para ele parar eu .. Eu não sei oque foi que eu vi quando o olhei ou melhor dizendo, não sei quem eu vi. Não parecia o mesmo Shawn, eu não conseguia vê a mesma pessoa quando olhava ele.

Isso aconteceu a duas semanas, eu não tive coragem de te contar, eu .. Me perdoa Mila, por favor .

- Sofi pegue as suas coisas e vá para a casa da Ally, diz que eu pedi.

E... Eu te amo. E você não tem que pedir perdão por nada.

Antes que dissesse qualquer outra coisa ela desligou, até mesmo antes que eu pedisse perdão. Tudo o que queria era gritar, não sabia o que se passava em meu coração, em minha mente, não acreditava que havia falhado com a pessoa mais importante da minha vida. Por quê isso estava acontecendo comigo? O que eu fiz de errado?

Ainda tinha 24 horas de plantão, e o pior era saber que não poderia abandonar o meu paciente, por isso, deixei o mesmo na cama e fui ao banheiro, precisava me recompor, assim que adentrei o banheiro, olhei o meu reflexo, e então percebi qua já não havia mais uma única lágrima em meu rosto, eu estava oca, eu já não tinha mais nada, a não ser duas certezas, eu tinha nojo do Shawn, e eu tinha nojo e raiva de mim mesma por ter falhado com Sofi, por ter permitido que isso acontecesse.

Me olhando aquele momento eu comecei a me questionar sobre oque teria acontecido se eu não tivesse sido fraca.

E se eu tivesse apenas dito não quando ele me pediu em casamento, quando eu percebi que ele não era a pessoa certa (?).

Flash Back Off

Havia lágrimas em meus olhos, eu sentia meu coração bater descompassado dentro do peito, aquela memória .. Aquela maldita memória me lembrava todos os dias que eu era um lixo.

Eu coloquei dentro da minha casa a pessoa que tentaria abusar da minha irmã.

Eu havia me deitado várias vezes com a pessoa que havia tentado abusar da minha irmã.

Eu fui pra cama com aquele homem! Eu me sentia um lixo, as mesmas mãos que passearam pelo corpo da minha irmã aquela noite passearam pelo meu diversas vezes depois.

Eu estava dentro do ônibus, estava voltando pra casa pois havia acabado de sair da faculdade.

Fechei os olhos e respirei fundo afastando aquelas lembranças da minha mente, algo que era quase impossível.

Passei em frente ao Rice's e automaticamente me lembrei do dia fatídico que conheci Lauren e involuntariamente dei um sorriso de lado.

Fazia uma semana desde a última vez que havíamos nos visto, desde então vivíamos trocando mensagens e por incrível que pareça eu lhe dava uma certa prioridade. Era bom conversar com ela, diferente de conversar com um homem que não iria saber me responder nem ao menos o dia da independência, claro que nem todos são assim, porém a grande maioria é.

Me lembrei da noite em que ela havia me pedido um beijo e ri com isso, eu não seria mais uma conquista barata dela é outra, digamos que oque ela tem no meio das pernas não me atrai muito.

Mas mesmo admitindo que ela realmente era muito bonita e sua áurea sexual era extremamente atrativa eu ainda sim preferiria homens.

Acabo rindo com o meu pensamento quando percebo que já estava quase em frente de casa. Apenas desço do ônibus e vou em direção ao prédio.

Eu estava exausta, queria tomar um banho e deitar.

(...)

Eu estava deitada com Sofi entre minhas pernas enquanto assistíamos a TV, nós dávamos gargalhadas do filme enquanto estávamos comendo pipoca.

- Mila, posso te fazer a pergunta ?

- Você já está fazendo cabeçuda.

Digo rindo e vejo ela fazer uma careta me dando língua.

- Claro que pode Sofi, fale logo.

- Você e não sente falta ?

- Do que exatamente ?

- Dele ..

- Sofi, porque isso agora ? Você sabe muito bem que eu não sinto. Então porque perguntar uma coisa dessa ?

Ajeitei minha postura no sofá e lhe olhei séria. Eu estava sentindo meu sangue começar a ferver.

- Você não sai com ninguém desde que se separaram e .. Você perdeu muito peso.

Você realmente acha que eu não escuto ou vejo quando você chora ? Porque não conversa comigo ?

O rosto dela mudava diversas vezes conforme ela falava oque fez meu coração se apertar com oque ela acabará de dizer.

POV Lauren

Se tinha alguém que eu menos esperava pra tornar a minha vida bem balanceada esse alguém é Lucy Vives, desde daquele nosso último encontro confesso que a mesma me deixou tão desnorteada e balanceada e para minha surpresa até mesmo espanto eu precisava me abrir com alguém e tentar explicar e contar o real motivo por eu estar assim, e mesmo sabendo que a resposta de tudo está relacionado com o meu quase envolvimento com Lucy eu posso odia-la por ter feito tanta sacanagem por mim, porém é inegável não omitir o quanto ela mexe muito com o meu consciente e meus sentimentos que antes eram frágeis e hoje se tornaram algo recíproco ou foda-se pra qualquer situação desgastante.

Porém foi tudo inevitável e possível de se acontecer.

Flash Back On

Longos minutos se passaram, finalmente havíamos chego no local, claro que eu desci acompanhada com Alexandra Daddario, e antes dela falar alguma coisa murmurei para que só ela escutasse.

- Gostou? vai gostar mais ainda, quando ver o que vai acontecer.

Um sorriso dela já era resposta pra tudo. A nossa chegada foi tão inédita que atraímos um monte de olhares para a nossa direção, certamente iremos pra outro lugar depois que eu conseguir o que eu realmente quero, entre um olhar e outro acabei avistando três pessoas conhecidas ambos sentados próximos, não esperei mais nenhum minuto se quer e puxei Alexandra em direção as pessoas presentes, que ao chegar sorri animadamente, principalmente em ver quem eu menos esperava estar presente em um lugar como esses.

- Olá queridos, trouxe uma ótima companhia, parece que a noite só está começando, certo?

Indaguei ao olhar para eles, passei uma de minhas mãos em cima do meu cabelo, olhando em seguida para o lado lançando um olhar ao inconveniente, voltei a olhar para eles murmurando em um tom irônico.

- Lucy Vives você por aqui, não imaginei que frequentava festas assim, que inconveniente não é mesmo (?).

Vi ela revirar os olhos e passar uma das mãos nervosamente pelo braço e então sair em direção a um corredor qualquer daquela enorme casa.

- Lauren oque você está pensando em fazer ?

- Nada demais alexandra, não se preocupe, eu te vejo em alguns minutos, já volto.

Não esperei a garota a minha frente responder e sai em disparada na mesma direção que Lucy.

Não demorou muito para que eu a encontrasse.

Ela estava sentada na beira da piscina, apenas me aproximei e me sentei ao seu lado.

- Porque você está aqui ?

Ouvi ela perguntar depois de longos minutos de silêncio.

Eu sentia meus pés formigando dentro da água da piscina.

- Eu não sei.

O silêncio entre nós era maior do que tudo naquele momento.

Eu não sabia oque se passava na cabeça dela e muito menos no coração, mas eu sabia exatamente oque se passava dentro de mim.

A minha cabeça dava voltas e voltas, eu realmente não sabia oque estava pensando.. Não exatamente.

Mas eu sabia oque eu sentia. O cheiro do perfume dela me deixava bêbada, o sorriso torto me deixava sem chão.

E isso me parece tão incerto. E eu não quero mais incertezas na minha vida, eu realmente estou cansada, mas ela me puxa sem nem ao menos saber é me deixa presa a ela sem nenhum esforço.

Fui despertada dos meus devaneios quando escutei o barulho da água e quando olhei para o lado ela já estava de pé caminhando em direção a casa.

- Lucy?

Vi ela parar no meio do caminho e me olhar .. De uma forma diferente. Ela parecia estar chorando.

- E .. Eu tenho que ir ..

Na mesma hora me levantei e fui o mais rápido possível em sua direção.

- Espera só um pouco .. Vamos conversar ?

- Lauren ..

- Eu não estou pedindo nada demais Lucy, vai ser a última vez que iremos conversar sobre .. Só .. Só me deixa falar por favor ?

Disse por um fio de voz e a vi suspirar.

- Tudo bem ..

Caminhamos em direção a uma das mesas que havia perto da piscina.

Pedi para que ela esperasse um pouco e fui em direção a cozinha é peguei um copo de whisky com gelo.

- Você realmente tem certeza do que está fazendo Jauregui ?

Eu dei um pulo ao ouvir a voz de Dinah atrás de mim.

- Você quer me matar Jane ? Meu Deus!

- No momento talvez. Me diz, oque você está fazendo com ela lá fora ? Pensei que já tinha colocado nessa cabeça dura que não vai dar certo com ela por mais que você tente.

Essa garota é toda complicada Lauren, você mais do que ninguém sabe disso e continua correndo atrás.

- Dinah, nós só vamos conversar .. Eu ..

- Lauren, você está voltando a estaca zero nisso tudo, olha pra você ? A quanto tempo não tem uma noite descente de sono? Você também vai voltar a beber como uma alcoólatra? Não se afunde outra vez Lo .. E oque a Alexandra está fazendo aqui? Não acredito que ligou pra ela. Ela esta sozinha naquela sala com um bando de gente babando nela e se eu fosse você eu a tiraria de lá.

- Eu não vou Dinah. Eu só preciso beber um pouco, não é por isso que vou virar alcoólatra. E você tem razão, não tenho dormido muito bem ultimamente.. Ela só foi a primeira na qual eu pensei pra vir comigo Dinah. Achei que uma boa noite de sexo e uma festa, fossem me fazer melhorar um pouxo

Soltei um suspiro e passe a mão pelo rosto. Eu estava exausta e achava que uma festa iria me distrair um pouco dos problemas de casa e dos pessoais.

- Eu tenho que ir, ela está me esperando, mais tarde falo com você.

Não esperei ela responder, apenas sai de lá e fui em direção a mesa.

Ela estava perdida em pensamentos assim como eu.

Puxei uma cadeira e me sentei a sua frente.

- Como estão as coisas com seu pai, Lucy?

- Ele está me tratando bem .. Por incrível que pareça. Por um milagre ele me deixou vir a essa festa.

- Fico feliz por você ..

- Vá ao ponto, nós não estamos aqui para falar do meu pai e ambas sabemos disso ..

Ela queria que eu fosse direta ? Ok.

- Porque você desistiu assim tão fácil? Porque não tentou nem um pouco continuar comigo?

- Você sabe muito bem que meu pai ..

- Seu pai ? O seu pai .. Sempre ele. Obedecer uma 'regra' imbecil .. Eu.. Eu nem tenho como definir isso ..

É mais importante do que a sua felicidade Lucy ?!

Essa merda toda é porque você não teve peito com ele ?

- É tão fácil pra você falar não é mesmo? Você é sua família feliz, os seus pais te aceitam da forma como você é, você não foi abandonada pela sua mãe! Você tem noção de como é difícil acordar todos os dias e saber que minha mãe foi embora e me largou com meu pai?

Eu dei uma risada irônica que ressoou por todo o ambiente.

- Família feliz... Você realmente estava falando isso ? Você realmente tem certeza disso Lucy ? Você sabe muito bem de tudo, porque eu te contei, então não seja hipócrita de falar isso.

A essa altura do campeonato eu já estava de pé na frente dela com o copo de whisky vazio.

- Eu sinto muito não tender as suas espectativas Lucy. Sinto muitíssimo.

Eu disse com um tom de ironia transbordando pela minha voz, então vi ela se levantar e caminhar em minha direção até ficar a centímetros de distância de mim.

Senti meu corpo se enrijecer e nossas respirações se misturarem.

- Lauren, eu não sei oque fazer .. Eu ..

Levei minha mão até sua cintura e uma até seu rosto acariciando levemente sua bochecha.

- Não precisa fazer nada agora ...

Não esperei ela falar, apenas uni nossos lábios.

Eu precisava daquilo, precisava sentir o gosto da boca dela novamento, precisava sentir meu coração acelerar e sentir aquele bendito frio na barriga outra vez.

A sua boca tinha um gosto suave de canela, enquanto na minha só havia vestígios de whisky.

Eu poderia jurar que estava ouvindo meu coração bater ritmado com o dela.

Essas sensações .. Fazia tanto tempo que não sentia elas.

Me afastei calmamente separando nossos lábios e encarei seu rosto corado.

- Só tente Lucy .. Você, assim como eu, sabe que é praticamente impossível ficarmos longe. Isso dói e eu não suporto mais.

- E se não adiantar de nada isso? E se no final for tudo uma grande ilusão e acabar antes mesmo de começar ..

- Pelo menos você vai poder dizer que ao menos tentou. Vai poder fizer que não foi uma covarde e que bateu de frente com seu pai.

Eu ainda tinha um fiozinho de esperança de que ela iria enfrentar o pai, de que ela não abaixaria a cabeça para ele mais uma vez.

- Só vamos lá pra dentro aproveitar a festa Lucy, amanhã será um novo dia e nossas cabeças iram estar melhor do que hoje.

Ela apenas concordou com a cabeça enquanto seu rosto estava escondido na curva do meu pescoço. Apenas me deixei sentir aquilo.

Quando entramos uma música tocava ao fundo.

Eu não amava Lucy, mas eu gostava muito dela.

Amar .. Até hoje não entendo oque seria isso .. Ou talvez eu só não tenha sentido outra vez.

Mas oque explicaria aquele frio na barriga toda vez que ela sorria? Ou os arrepios e o formigamento na pele quando ela me tocava? Eu não tenho a mínima ideia, ou eu talvez, simplesmente não queira ter.

Talvez não queria ter por não querer me decepcionar outra vez ..

Minha mãe sempre me dizia que decepções são coisas impossíveis de se conter. Elas são como a chuva, as vezes elas poder vir fracas ou as vezes podem vir tão fortes que iram arrancar o teto de suas casas.

Eu me sentia vulnerável a Lucy, pelo simples fato de já estar tão frágil com tudo que estava acontecendo na minha vida .. Talvez eu só precisasse de alguém pra me concertar .. Arrumar toda a bagunça que havia dentro de mim.

Flash Back Off

Eu estava deitada de barriga pra cá encarando o teto branco do meu quarto.

Naquele momento quem me olhasse diria que eu estava serena .. Enquanto na verdade um turbilhão de coisas se passavam na minha mente, incluindo memórias indesejáveis.

Eu queria pegar o celular e ligar para minha mãe. Queria dizer que queria que ela voltasse pra casa porque eu precisava dela, precisava fazer como todas as outras vezes. Eu só precisava colocar a cabeça no colo dela e chorar por alguns minutos como já havia feito tantas vezes. Eu queria tirar todas as obrigações dos meus ombros.

Queria me sentir leve, só isso.

As vezes eu fico me perguntando oque levou meu pai a chegar no buraco que está hoje, ou quais escolhas, ou se foi ele mesmo que quis isso.

Eu fico me perguntando porque ele fez tudo oque fez com a minha mãe.

Eu sei que não deveria ficar pensando nesse tipo de coisa, mas é algo inevitável.

Eu me lembro de diversas vezes acordar durante a madrugada porque escutava ele chegar em casa bêbado e ouvia os gritos da minha mãe com ele.

Na maior parte das vezes ele chegava lá pelas 4 da manhã com cheiro de perfume de mulher, as roupas bagunçadas mais do que o necessário e algumas marcas pelo corpo.

Foram incontáveis vezes que me levantei e fui tirar minha mãe de perto dele. Quase sempre colocava ela pra dormir comigo quando isso acontecia. E no dia seguinte eu não conseguia olhar na cara dele, eu sentia nojo do homem que ele havia se tornado e sentia raiva da minha mãe por aceitar aquele tipo de coisa.

Até que um dia eu acordei e as malas dela já estavam prontas para ir para Boston.

(...)

Eu estava na sala com Cris e Taylor vendo um filme no qual eu não prestava atenção pois estava com o celular em mãos falando com Camila e Lucy ao mesmo tempo.

Eu sei oque parece, porém não é.

Eu estava conversando com Lucy e até então o assunto era como nós iríamos nos ver novamente sem que o pai dela soubesse.

Enquanto com Camila eu conversava coisas banais do tipo como o dia dela havia sido e uma vez ou outra eu falava uma gracinha do tipo "Óbvio que você nunca teria coragem de dormir com uma mulher, mas se tiver me avise que estou a disposição".

Eu falava esse tipo de coisa brincando, mas acho que Camila não levou tão na brincadeira assim, agora bastava saber se isso seria um ponto contra ou a favor da minha ilustre pessoa.

Camila: Você realmente estaria disposta ?

Lauren: Porque não, não é mesmo (?).

Camila: Ok.. Isso é meio estranho.

Lauren: Não tem nada de estranho nisso kkkkk.




Notas Finais


E então, como estamos?
Eu concerto os erros depois gente.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...