História Leaves Of The Past - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Kris Wu, Lay, Lu Han, Personagens Originais, Sehun, Suho, Tao, Xiumin
Tags Exo, Mistério, Sobrenatural, Viagem No Tempo
Visualizações 4
Palavras 2.671
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Ficção Científica, Hentai, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Hope you enjoy ^^

Capítulo 3 - Bad, Bad Wolves


Fanfic / Fanfiction Leaves Of The Past - Capítulo 3 - Bad, Bad Wolves

-Mas me diga uma coisa... De onde você veio, exatamente?- JongDae perguntou olhando o ruivo, que ainda observava a colher flutuando.

 

            -De um lugar distante... - ChanYeol estava distraído. Não sabia o que estava balbuciando no comento em que inconscientemente conversava com o bruxo- Um mundo distante...

 

            -Mundo... Distante? ... Que tipo de mundo?- O de olhos azuis suspeitou, cruzando seus braços.

 

            -Sim, sim... Lá é uma constante guerra... - Ao ouvir o comentário do ruivo, a colher que pairava sobre o ar caiu com força no chão. Ao encarar o grisalho, Yeol viu um tom severo de preocupação e desespero em seus olhos, como se as palavras dele tivessem o afetado.

 

            -Guerra...? Você... Veio do outro lado da Floresta de Luperion?- Chen disse andando um pouco para trás, parecia temer algo vindo do alto.

 

            -O que? Não, não! Eu quis dizer que eu vim de um outro mundo aonde a guerra não passa do desrespeito constante... - Park então reformulou sua frase, trazendo mais calma e paz para Kim

 

            -Graças a Merlin, por um segundo eu pensei que você fosse da... Deixa pra lá- O mais velho disse balançando a cabeça de forma negativa, dando meia volta e indo em direção as enormes e extensas prateleiras enfileiradas em uma das paredes, aonde poções podiam ser vistas e tocadas. O de olhos grandes então ficou com uma expressão confusa, se perguntando que lugar JongDae iria citar antes de cortar sua frase.

 

            -De onde você achou que eu vinha?- O ruivo perguntou se aproximando de Kim, que quase deixou uma das poções cair ao ouvir o questionamento.

 

            -Lugar nenhum

 

            Chen disse ríspido e curto. Isto somente deixou o de 19 anos mais curioso ainda, que lugar havia além da floresta na qual havia aparecido? ChanYeol não havia olhado para o outro lado, mas lembrava de que havia sentido uma brisa gélida e forte vindo do lado direito do corpo ao acordar. Haveria um reino inimigo ao outro lado daquele bosque imenso? Ou seria uma tribo de pessoas indesejadas e expulsas do enorme reinado? JongDae retornou a mesa com algumas poções, pondo estas cuidadosamente sobre a madeira clara do móvel.

 

            -Existe algo além daquela floresta?- Park arriscou a pergunta; O grisalho então bateu na mesa com uma das poções, utilizando certo nível de força, mas não o suficiente para quebrar a garrafa. Este se voltou a Yeol, o olhando de forma afiada e respirando fundo, pensando em como formar sua resposta.

 

            -Existe um local... Uma espécie de vila... Aonde vivem... Pessoas com... Maldições- O rapaz de olhos azuis disse se aproximando lentamente do ruivo- E você nunca, mas nunca mesmo, deve ir lá. As pessoas daquele lugar são brutais e nojentas, com um comportamento extremamente agressivo... Eles...

 

            Por um segundo, Kim não sabia o que dizer, era como se aquele assunto o deixasse sem palavras por conta do medo e da angústia. Como que o que houvesse além das árvores já tivesse ameaçado o jovem, como se já tivesse sido atacado por o que vivia naquele local. -Eles são... Maus... Lobos, muito, muito maus- O rapaz disse quase como um sussurro. Quando a palavra “lobos” saiu dos lábios que geralmente sorriam, um arrepio subiu pela espinha do alto. Lobos? Haviam lobos e pessoas naquele local?

 

            -Como assim... Lobos?

 

            -Você... Já deve ter ouvido falar dos lobisomens, certo?- Chen perguntou olhando ChanYeol, que concordou com um aceno de cabeça- Bem... É isso que vive além da floresta. Lobisomens, mas não são lobisomens simples. São lobisomens ferozes e ágeis, marcados por seus olhos de cor vermelho vivo que brilham sobre o escuro, perante a luz do luar. Eles caçam na floresta, e várias vezes tentaram nos atacar... Sabe o comandante YiFan? Aquela cicatriz no olho dele foi por causa de um destes lobisomens. Ou melhor, pelo líder deles.

 

            -E quem é o líder deles?- O garoto indagou, espantado com o que JongDae havia acabado de contá-lo.

 

            -Ninguém sabe... - O grisalho disse respirando fundo- Mas temos dois suspeitos. Um lobo grande e escuro, com olhos avermelhados, e outro de pele castanha, com olhos verdes. - A descrição dos dois animais não ajudará muito a mente do menor, mas pelo menos agora saberia o risco que corria caso visse um lobo com essas características. A ajudante de Chen então apareceu, olhando os dois.

 

            -Senhor? O rei JunMyeon esta o chamando... - A garota disse de forma tímida, deixando a porta de entrada para o local meio aberta.
 

            -Ah, sim, claro. Eu já volto vocês dois não façam nenhuma besteira hein. - O rapaz disse dando uma piscada para o ruivo e saindo, o mesmo logo ficou tão vermelho quanto seus próprios cabelos. A menina timidamente começou a arrumar as coisas que estavam espalhadas pela mesa de madeira longa, observando o alto de hora em hora, que se encontrava paralisado no mesmo lugar.

 

{...}

 

            -Você... Está bem?- A jovem perguntou cutucando levemente o braço do rapaz, que saiu de seu estado de transe.

 

            -H-Hm? A-Ah, sim, sim, estou bem- ChanYeol disse sorrindo timidamente para a menina - Só... Pensando na vida- O garoto disse pondo suas mãos para trás do corpo e balançando suavemente de um lado para o outro, como uma criança indefesa.

 

            A garota continuou organizando o lugar extremamente bagunçado, pondo poções e peças de roupa no lugar, assim como livros e frascos de vidro que estavam todos em um cantinho, perto da porta. O ruivo começou a olhar as capas dos livros que a menina punha nas prateleiras da enorme estante. Livros com capas de couro pesadas, e que continham uma língua estranha de formas e sinais para simbolizar as letras.

 

            -Me desculpe... Mas que língua é essa?- O alto perguntou para a menina, apontando para um dos livros. Era enorme e escuro, com algumas pedras chamativas formando um círculo ao centro, em cima do círculo, escrituras estranhas nomeavam o livro de espessura grossa, e ao centro da circunferência, havia um desenho tribal de um animal jamais visto pelos olhos acastanhados de Park.

 

               -Oh, esta? - A menina disse apontando para a escritura na capa – Essa é a 噁心的語言 ou a Língua dos Asquerosos, você provavelmente não conseguiu ler porque só o Chen sabe essa língua fluentemente no reino inteiro – A garota disse pondo o livro de volta em seu devido lugar.
 
               -Mas como você sabe o que está escrito ai?
 
               -Kim que me disse, ele falou que teria que traduzir as palavras para o chinês porque a pronúncia dessa língua é incompreensível para nós humanos. Ele disse que a pronúncia é quase como um som de cobra.
 
               -Mas... Essa língua é para falar com cobras?
 
               -Não seu bobo- A jovem disse rindo e olhando ChanYeol, então pegando outro livro- Esse é para falar com cobras, aquele é para falar com os Asquerosos, ou os Acterinous Epalopoctos como JongDae gosta de chamá-los. Eles são criaturas semelhantes a um texugo, mas com o rosto todo deformado e meio nojento sabe, por isso são chamados de Asquerosos. – S/N disse terminando de arrumar os livros, enquanto Yeol tentava imaginar a imagem de um Asqueroso em sua cabeça – E você? Ouvi que você foi encontrado na floresta de Luperion, na beirada do Pico da Noiva. O que lhe trouxe aqui?
 
               -Eu... Eu não sei como vim parar aqui na verdade... – O rapaz disse coçando a nuca, envergonhado. Como iria explicar que estava cochilando e de repente apareceu naquele lugar?
 
               -Como assim não sabe? - A moça indagou olhando o alto, que tentava encontrar uma maneira de se explicar.
 
               -Eu... Estava dormindo e... Ai eu acordei... Aqui... – O ruivo disse bem baixo, mordendo nervosamente seus lábios rosados.
 
               -Acordou... Aqui? Estranho... – A menina disse confusa, tentando pensar nas possibilidades.
 
               -Você dormiu ao pé de uma Oliveira? – O grisalho então apareceu na porta, sem fazer nenhum barulho e consequentemente, assustando os dois menores.
 
               -C-Como você sabe? – O garoto perguntou levemente espantado com a dedução rápida e certeira do de olhos azuis
 
               -Mas é claro... Como não pensei antes – Kim disse para si mesmo – Suas vestes, sua falta de conhecimentos místicos e gerais, sua aparência e até mesmo o sotaque!
 
               -Como assim senhor...? – A jovem indagou
 
               -Ele dormiu ao pé da Oliveira de SiGan YeoHaeng, essa árvore pode fazer as pessoas viajarem no tempo em questão de segundos! – Chen disse com uma animação enorme. Este saiu correndo pelo cômodo enorme, procurando algo – Sim, sim, você deve ter dormido por aproximadamente 5 minutos, o suficiente para a árvore enfeitiçada lhe levar de uma realidade ou tempo para outro completamente diferente. – O rapaz falava de maneira animada e divertida, enquanto foleava as páginas de um de seus grossos livros.
 
               -Um momento... Então... Eu só dormi por 5 minutos?! – O ruivo disse, parecia mais indignado com a quantidade precária de tempo que havia dormido do que com o fato de que estava em outro tempo, bem mais longe que o seu.
 
               -Sim! E isso foi o suficiente para trazer você de seu mundo cheio de inovações, para o nosso mágico e místico. Isso é incrível! Espere até o rei saber! Ele ira ficar maravilhado e certeza que você ganhará um lugar especial na corte dele, talvez até do lado do General YiFan!
 
{...}
 
               -... Ao meu lado é? Nunca – Wu rosnou, deixando o parapeito da porta pesada em passos rápidos e frustrados. Havia ouvido toda a conversa de JongDae com sua assistente e o prisioneiro desconhecido, e certamente não parecia feliz; Rapidamente chegou ao saguão principal do castelo, deixando com que a capa negra que vestia, passasse por dentro todos de forma misteriosa. Dois de seus cavaleiros começaram a andar consigo, até o mesmo parar.
 
               -Vão e prendam o novo prisioneiro novamente na cela, tenho assuntos a tratar com vossa majestade. – YiFan disse de forma fria e rápida, recebendo confirmação de ambos os cavaleiros. O moreno então voltou a se encaminhar a sala de reuniões, aonde JunMyeon discutia com alguns barões da classe alta do reino. Ao chegar à sala luxuosa, o alto rapidamente se dirigiu a pequena roda que se instalava diante a uma mesa redonda, com um mapa no centro.
 
               -Poderíamos cercar a parte aonde os Pectinem* se encontram, e então ataca-los com força máxima – Um dos homens sugeriu.
 
               -Seria inútil – O general interviu, tomando a atenção de todos ali presentes para si – Eles são espertos e rápidos, com faro e audição aguçada, demoraria menos de 5 trabem** para chegarem até o batalhão e atacarem a todos os cavalos. Eu fui sigiloso em minha última tentativa e o que levei de lembrança? Uma bela cicatriz e um olho cego.
 
               -... O General YiFan tem razão
 
               -Ah meus caros, eu sempre tenho razão. – O homem disse, dando uma risada sarcástica – Agora se me dão licença, tenho que falar com vossa majestade, a sós. – Os barões rapidamente se retiraram do cômodo, deixando os dois mais velhos sozinhos na sala.
 
               -O que quer comigo, Senhor Wu?
 
               -Eu preciso lhe falar sobre nosso “convidado” de cabelos avermelhados, ele... – Um estrondo então foi ouvido vindo de outra sala, o que alarmou os dois homens. Ambos então se dirigiram ao saguão, suposto local da origem de tal barulho de tanta frequência. Ao chegarem lá, gritos e barulhos podiam ser ouvidos de todos os cantos, assim como pedidos de socorro, e garras se batendo contra o chão e as paredes.
 
              
               O formado de um lobo apareceu repentinamente sobre um enorme buraco feito em uma das paredes do castelo, acompanhado de outras silhuetas peludas e ferozes, que rosnavam e latiam. Pessoas corriam para todos os lados, enquanto os animais entravam em quantidades enormes dentro da construção de pedra, atacando todos que viam pela frente. Sangue, membros, e até órgãos podiam ser vistos sendo espalhados por todo o local, o que começava a desesperar o rei. Os cavaleiros suportes do general se aproximaram dos homens, então forçando o loiro a se retirar do local. O mesmo se debatia com força, enquanto suplicava para lhe soltarem, dizendo que seu povo precisava de sua ajuda naquele momento.
 
{...}
 
               Ao ouvirem a gritaria e desespero vindos do salão principal do castelo, os três que estavam na sala de experimentos de JongDae saíram correndo, preocupados com o que estava acontecendo. ChanYeol olhou pelo salão assim que chegaram, tomando um susto ao ver os animais de grande porte citados mais cedo estripando pessoas em plena luz do dia.
 
               -V-Você não tinha me dito que eles só atacavam de noite? – Park disse olhando Chen, que se encontrava perplexo perante a situação.
 
               -Sim... Eles sempre atacam de noite, eu nunca tinha visto um ataque em plena luz do dia... – O grisalho falou olhando o local, que já possuía a cor vermelha escura por conta do sangue. – Eu não entendo, por que eles estão aqui? O que vieram buscar? Eles só caçam coelhos e cervos, não seres humanos.  
 
               -Senhor... Acho melhor sairmos daqui antes que viremos almoço de lobo – S/N disse preocupada, observando a brutalidade a sua frente. Os dois rapazes concordaram e logo o trio saiu por um dos buracos construídos pelos animais, mas a situação ao lado de fora não se encontrava melhor. Os gritos e sangue aumentaram drasticamente, assim como o número de corpos mutilados, tanto de adultos quanto de crianças. –Ei! Olhem!
 
               Ao centro da enorme confusão, o comandante dos cavaleiros lutava com dentes e unhas pela vida, sendo arranhado e atacado por quase a matilha inteira de lobos. YiFan se punha a socar e transferir golpes com sua espada contra os animais, mas não era o suficiente para pará-los. Os bichos possuíam um tamanho descomunal para lobos normais, muito maiores e mais fortes, como se fossem híbridos de algo. O corpo do rapaz estava ficando cada vez mais fraco, quando Yeol se deparou com uma cena. Wu estava prestes a ser tomado por um bote letal, um grande lobo de pelugem acastanhada e olhos verdes se aproximava pelo telhado de uma das casas, enquanto um branco e de olhos azulados vinha lentamente por trás. A estratégia perfeita para executar a morte do general.
 
               Por impulso, o ruivo então se pois para a ação. Levou pouco tempo para que o lobo acastanhado pulasse para abocanhar a parte traseira da cabeça do moreno, mas como um raio em uma noite de trovões, Park conseguiu interceptar o ataque, agarrando o animal com força, caindo no chão com este. O lobo branco, ao ver o amigo caído sobre o chão, rapidamente correu para socorrê-lo, tentando atacar o alto, mordendo em seu braço com tremenda força. Os outros animais da matilha, vendo seus líderes atacando um outro jovem, rapidamente se puseram a morder o corpo indefeso e, agora fraco, do menino.
 
               Os gritos de dor de ChanYeol alertaram JongDae de que havia algo errado. O grisalho e a menina correram rapidamente para socorrer o que se encontrava no chão, se debatendo por liberdade. A confusão imensa impossibilitava dos dois verem o rapaz, mas como se alguma voz lhe alertasse em seu interior, Kim rapidamente pronunciou algumas palavras, enquanto segurava um graveto apontado para a matilha reunida.
 
               -Liberictus sapieno mectiras afectanos! – O rapaz gritou, a concentração de magia em sua mão passou para o graveto, que por sua vez transmitiu a onda de mágica para a matilha que atacava Park. Os lobos então se afugentaram, sentindo dor devido a carga de energia elétrica transferida em seus corpos.
 
               Um uivo foi ouvido, vindo de uma colina mais a frente, dentro do reino. Eram os dois líderes da alcateia de lobos, que chamavam os mais novos. Os animais rapidamente se afastaram, então logo sumindo da vista de todos que se encontravam vivos. S/N e o de olhos azuis rapidamente correram até o corpo estirado no chão, coberto pelo próprio sangue. O jovem mal conseguia pronunciar palavras, muito menos manter seus olhos abertos por muito tempo.
 
               -Park... Hey Park, me escuta – Chen disse enquanto a jovem punha  a cabeça do garoto sobre seu colo. Ambos possuíam feições preocupadas – Aguenta rapaz, aguenta... Você não pode morrer, não hoje.
 
 
 
 
 
                                Estas foram as últimas palavras que ChanYeol ouviu, até sua mente se descarregar,

e o ruivo desmaiar.


Notas Finais


Glossário:
* Lupinotuum pectinem significa "lobisomem" em Latim
** Lux trabem significa "feixe de luz" em Latim


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...