História Legacy (Clexa) - Capítulo 36


Escrita por: e LoverWoods

Postado
Categorias The 100
Personagens Anya, Bellamy Blake, Clarke Griffin, Costia, Dra. Abigail "Abby" Griffin, Echo, Emori, Indra, Jasper Jordan, John Murphy, Lexa, Lincoln, Marcus Kane, Maya Vie, Octavia Blake, Personagens Originais, Raven Reyes, Roan
Tags Clexa
Visualizações 175
Palavras 1.941
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção Científica, Mistério, Misticismo, Policial, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Canibalismo, Cross-dresser, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Mutilação, Necrofilia, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Boa Leitura.

Capítulo 36 - Octavia Blake


Fanfic / Fanfiction Legacy (Clexa) - Capítulo 36 - Octavia Blake

Raven e eu…. três meses…minha vida…meu trabalho.

Resumindo tudo?

Muito trabalho.

Muita saudade.

Muitos amassos com Raven , às escondidas pela cidade.

E assim se resume aos meus três meses trabalhando e ficando com ela, mas felizmente ela valia a pena Raven era uma mulher incrível e após os três meses que passei com ela,eu conclui que provavelmente eu estou apaixonada...e como estou com isso?

Estou animada e muito animada pois o meu futuro me aguarda e nele eu consigo ver Raven que será minha futura esposa maravilhosa e minhas amigas todas conseguindo o que tanto lutamos para ter :um futuro livre e independente e nós vamos conseguir.

Agora vocês devem estar se perguntando como eu me sinto estando no meio de um enredo de filme de terror?

Me sinto tendo liberdade …como deveria dizer que me sinto ?

Bom me sinto ótima estou quase três meses livre daquela sensação de vazio,de solidão e de estar presa sem ar.

Ter conhecido Lexa em minha infância foi a grande motivação que tive para seguir firme e forte na vida,apesar de tudo,ela é a melhor pessoa do mundo, ela não se importa com coisas triviais ou com dinheiro e beleza…ela só se importa com os sentimentos que as pessoas podem a oferecer sem cobrar nada em troca,e por ela,por sua cabeça bagunçada eu me tornei o que sou…sem contar que a forma como a mente humana (ou não tão humana) funciona,sempre me fascinou.

Quando meus pais quiseram nos levar embora para frança,eu recusei, não poderia abandonar Lexa ou pólis…tudo o que eu amava e ano, está aqui.

E agora,em toda a minha vida…eu me sinto livre... então abri meu consultório na cidade e usei de desculpa para fucar,claro que completei com frases do tipo : "quero ser independente", "está é a melhor fase da minha vida, não posso ir embora quando finalmente estou me descobrindo no mundo" etc…

E agora eu estou livre do meu passado,estou livre das lembranças ruins sobre o orfanato,sobre as pressões de meus pais, livre de qualquer rotina com a minha família tenha me obrigado a cumprir por quase toda minha vida,não me entendam mal,não é como se eu não amasse minha família mas eles me mantiveram presa no seu cativeiro de rotinas monótonas e chatas por toda minha vida, o dom da beleza…por muito tempo foi minha ruína,pois está beleza só atraia pessoas podres e má intencionadas.

Não posso reclamar de meus pais adotivos,Jasper e Maia Jordan Blake eram ótimos país,sempre me incentivaram a ser o melhor que eu podia,sempre amaram a mim e meu irmão como pais biológicos amam seus filhos,mais sempre me privaram do mundo,sabiam dos meus problemas no orfanato e assumiram completamente o papel de pais protetores.

Mas depois que conheci Raven as coisas melhoraram para mim, Bellamy começou a me dar mais liberdade ou espaço para ter uma ,meus pais começaram a pegar menos no meu pé o que tornou suas ligações quase nulas,mas eu não esperava me apaixonar por ela eu não esperava me envolver com ela mas realmente aconteceu.

Raven e eu somos bem parecidas e muito diferente ao mesmo tempo,tipo Raven é a garota intelectual ,habilidosa na mecânica e é a latina mais gostosa e linda que todo mundo deseja ,às vezes ela é bem arrogante mas ainda boa de coração apesar de não demonstrar direito seus sentimentos ,já eu sou a garota de briga,quero sempre ser aventureira me arriscando, eu gosto disso não sou muito intelectual não faz muito a minha praia apesar de eu ser uma psicóloga/psiquiatra.

Mas é assim que nós duas nos completamos somos completamente iguais e completamente opostas , acho que amor é isso,mesmo a pessoa sendo completamente errada ela é a pessoa completamente certa e assim nós nos encaixamos dentro de todos os defeitos e qualidades uma da outra e nos tornamos uma só, não por possessividade, não pode achar que possuímos uma outra mas sim por que aos olhos de quem nos vê juntas não vê tanta diferença é sim apenas amor e harmonia respeito e dignidade.

Isso é o amor não precisa ser mais e não precisa ser menos só precisa ser forte firme e constante.

Entediada de ficar sozinha em casa resolvi ir ver minha morena treinar pois agora Raven fazia aulas de luta na academia da cidade devido a equipe do FBI estar em cima dela, feito gaviões.

Quando cheguei na sala onde minha morena treina eu buguei.

Eu fiquei ali, pasma vendo aquela mulher e pensando como ela conseguia ser ainda mais linda toda suada e descabelada. Quando me dei por mim e acordei da minha viagem, olhei e ela não estava mais ali. Eu olhei para um lado e para o outro, e nada. Como ela poderia ter desaparecido assim? Quando de repente, senti uma mão áspera segurando por trás do meu pescoço e uma boca úmida com um ar quente e respiração ainda ofegante falando no meu ouvido:

-- Está procurando alguma coisa ou alguém? _ Raven disse em voz zombando de mim. _ eu tenho algemas especiais…

A olhei assustada levando a mão ao peito.

-- Você está bem? _Ela me perguntou se afastando um pouco de mim. _ te assustei?

-- Sim. Sim, eu estou muito bem. _ Falei pausadamente, mas tentando parecer segura do que eu estava falando. _ me assustou um pouquinho mas já passou.

-- Ah, sim. Mas você está um pouco pálida e trêmula. Parece estar nervosa, aconteceu algo? _ disse Raven se aproximando ainda mais. _ me diga.

-- Não. _ Foi apenas o que eu consegui responder.

-- O que você faz por aqui? Veio conhecer o espaço? Esses dias te vi observando meu treino pelo vidro…_ disse Raven sorrindo.

Então ela me puxou pela faixa do kimono que estava mal amarrada na minha cintura e colocou a mão sobre meus seios, logo depois me deu um golpe, que eu desconheço o nome, tão rapidamente que quando percebi já estava no chão com suas pernas entrelaçadas as minhas e com o seu olhar fixo no meu. E ela foi aproximando o seu rosto do meu bem devagarzinho…

Eu fiquei totalmente mole, eu não conseguia mais me ver sem a Raven eu não queria mais ninguém além dela,e naquele momento eu imaginei aquela mulher se aproximando do meu rosto e me beijando intensamente com aquela boca carnuda gostosa. Mas o que ela fez foi segurar as pontas da parte superior do meu kimono e dar um impulso com seu corpo para o lado e fazer assim com que agora eu ficasse por cima dela.

-- viu? Essa seria a reação correta ao meu ataque. _ Raven diz me provocando.

Treinamos vários golpes e ela me passando algumas técnicas de luta entre muitos sorrisos, suores e brincadeiras. Ela era demais! Eu estava encantada! Nesse ambiente ela se transformava em outra Raven,Ela era linda, educada, cheirosa, divertida, forte, segura, sedutora, sensual e muito, mas muito gostosa. Já devia ser bem tarde quando, para minha tristeza e frustração, ela me disse que a minha aula tinha acabado e perguntou se eu tinha gostado. Eu apenas balancei a cabeça positivamente e ela disse:

-- Então vamos ver se você aprendeu mesmo! _ disse Raven se aproximando.

E de repente me aplicou o mesmo golpe do início da aula.Quando estava em cima de mim, chegou perto do meu ouvido e sussurrou:

-- E agora, como você faz para sair daqui?_ disse Raven soltando sua respiração quente no meu pescoço.

-- E se eu não quiser sair daqui? _Eu disse.

Ela passou a ponta do nariz pelo meu maxilar e pescoço, olhou-me fixamente nos olhos e disse:

-- Se não sair enquanto puder, vai ter que aguentar as consequências depois…_ disse ela sorrindo.

-- Posso saber quais seriam as consequências?_ sussurro hipnotizada por ela.

-- Vou te fazer uma proposta bem justa certo? Vamos lutar e se eu ganhar você namorada comigo e apenas comigo e se eu perder podemos continuarmos como estamos ,topa?_ diz Raven lambendo os lábios.

Naquele momento eu não estava em condições de recusar mais nada, minha intimidade já estava piscando de tanto prazer. Eu só queria saber como aquela mulher faria para me levar a loucura. Eu já sabia que eu não conseguiria ganhar na minha condição e como quem cala consente eu apenas fiquei quietinha. Ela continuou imobilizando meus braços, e começou a beijar o meu pescoço. Depois ela abriu um pouco meu kimono e começou a massagear meus seios, depois foi descendo e começou a massagear meu clitóris. Quando ela percebeu que minha intimidade estava molhada, ela passou os dedos e levou a boca e lambeu todos eles.

O que era aquilo?! Eu já estava louca de prazer quando ela tirou toda a minha roupa, pegou as cordas das aulas de capoeira que estavam lá jogadas no canto e amarrou meus braços e minhas pernas e vendou meus olhos com a faixa do seu kimono. Ela começou mordendo minhas orelhas, beijando meu pescoço e a lamber meus seios e chupar meus mamilos. Que delícia, eu estava quase gozando!

Então ela foi me dando leves beijinho na barriga e quando chegou enfiando a língua no meu umbigo, eu gemia como louca. Até que ela chegou na minha intimidade e começou a chupar meu clitóris. Eu me retorcia toda, ela começou a penetrar sua língua em minha intimidade, aquela boca carnuda, quente e molhada se misturava aos lábios da minha intimidade. Eu urrava de prazer amarrada sem poder fazer nada e eu preferia morrer de prazer a pedir para ela parar…

Depois que viu que eu estava toda molhadinha ela começou a enfiar os dedinhos na minha vagina, foi colocando um a um porque eu era bem apertadinha e ao ver que ela estava se dilatando de tanto tesão ela juntou três dedos e me penetrou fundo, colocava e tirava deliciosamente, eu gozei, gozei muito. Ela desamarrou as minhas pernas, abriu elas e começou a dar leve batidinhas no meu clitóris, depois pegou o dedinho e começou a deslizar-lo até no meu ânus o deixando lubrificado com o gozo da minha própria intimidade. Ela começou a beijá-lo e a lambê-lo, e enfiou o dedinho lá também, colocou dois dedos no meu ânus e três em minha intimidade. Desse jeito eu cheguei ao ápice do prazer, cheguei ao orgasmo, nunca ninguém me fez chegar ao orgasmo tão rápido assim como aquela mulher!

Ela soltou meus braços, deitou por cima de mim, colocou minhas mão nas suas costas, entrelaçou suas pernas nas minhas novamente e começou a massagear meu clitóris e o dela fazendo movimentos de cima para baixo, encostando minha intimidade melada na dela. Começou devagarinho e foi acelerando o movimento até ficar bem rápido, chegamos ao orgasmo e gozamos juntas.

Estavamos cansadas, mas eu tinha que retribuir todo o prazer que ela havia me dado e também resolvi mostrar a ela meus talentos, eu ia satisfazê-la e dar para ela muito prazer, então eu a chupei gostoso. Lambi toda sua intimidade e explorei cada pedacinho , enfiei meus três dedos e a comi com força.Ela tinha um gosto e um cheiro maravilhoso que me dava cada vez mais prazer. Eu mordi sua barriga e mamei no seus grandes seios. Transamos a noite toda. Ela era deliciosa!

Acabamos adormecendo ali mesmo nuas e gozadas, acordamos com a luz do dia ultrapassando as janelas de vidro e o barulho das pessoas abrindo suas lojas no corredor. Corremos e tomamos banho juntas. Rápido, mas com muitas carícias, enquanto ninguém chegava no espaço. Ela deixou um bilhete na recepção como se fosse da noite anterior avisando que chegaria atrasada e fomos embora separadamente.Quando cheguei no meu quarto e fui trocar de roupa, mexi no bolso da calça e achei um bilhete dela que dizia:

#agora você é só minha.#

Ao imaginar seu sorrisinho ao escrever e minha reação lendo esse bilhete, sorri também.

“ Somente sua “

Já não via a hora da festa chegar logo…



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...