1. Spirit Fanfics >
  2. Legends of a forgotten land (interativa) >
  3. Visitas na cela escura (parte um)

História Legends of a forgotten land (interativa) - Capítulo 7


Escrita por:


Capítulo 7 - Visitas na cela escura (parte um)


Fanfic / Fanfiction Legends of a forgotten land (interativa) - Capítulo 7 - Visitas na cela escura (parte um)

Clã Bjorn 

Aposentos do líder 

18:50

Baek estava ao lado da cama de Axel olhando o irmão com um pouco de descrença nos olhos. 

"Um jovem selvagem fez isso com você? Tem certeza que está treinando Axel?" 

"O garoto me pegou de surpresa, e enfiou uma estaca em mim. Como você quer que eu esteja? A ferida infeccionou." 


Baek olhou para o mais velho que tinha uma longa faixa branca embalando sua ferida, ele estava realmente surpreso. 


"Chega com esse olhar ridículo nos olhos, eu não te chamei aqui para rir de mim." 


Axel falou em um tom grave, deixando transparecer o seu orgulho ferido, Baek é a única pessoa que o fazia ficar desconfortável quando o assunto são suas habilidades de guerra, pois o garoto mesmo sendo relativamente jovem, tem um desempenho excepcional. 


Nesse momento, Aryeh entrou pela porta do quarto com suas lindas vestes douradas se espalhando pelo chão. Axel olhou para Baek e apontou na direção do homem. 


"Eu te chamei aqui por causa disso." 

Ao olhar para o rosto de Aryeh, Baek pode compreender que a situação não era boa, o sorriso levemente distorcido era um grande sinal das verdadeiras emoções de Aryeh.


"Olá Baek, preciso de sua ajuda para um pequeno serviço. Recentemente, Axel foi invadir uma pequena vila, preciso que você extraia informações de uma das pessoas que foram capturadas." 


A situação era de fato estranha para Baek. Tribos pequenas são pessoas sem importância, o que havia de tão diferente nessa? 


"Que informações eu devo trazer?" 

"A pessoa com que você vai estar lidando é um discípulo do mestre Lohan, ele provavelmente sabe alguma coisa sobre os truques daquele velho desgraçado, se ele realmente souber, traga a informação. Se não mate ele." 


Baek não podia se conformar. Como eles podiam tratar ele como um simples soldado? Ele era um general e estava sendo designado para torturar alguém? Ele deveria estar lutando e não "extraindo informações".


 E não só isso, eles sabiam da moral de Baek, mesmo que ele fosse um assassino incrivelmente habilidoso, ele não gostava muito de torturar pessoas amarradas a uma cadeira, se o inimigo não pode se defender, a luta não tem valor.


"Você não vai precisar tocar no garoto, eu só preciso de alguém para ter o controle de toda situação. E não esqueça, se essa missão fosse tão simples como você acha, eu teria mandado outra pessoa." 


Como se soubesse o que ele estava pensando, Aryeh falou com toda seriedade. 


"Irmão, eu conto com você." 


Sem poder recusar, Baek balançou a cabeça em concordância. 


"Ah, quase ia me esquecendo, Enlai entre por favor" 


Um jovem usando um chapéu estranho entrou na sala, mas parou perto da porta. 


"Esse é Enlai Erick, ele também vai te acompanhar." 


Baek já havia ouvido falar desse garoto, e no momento não achava que ele seria útil lá, mas resolveu se poupar o esforço de contestar, afinal ele sabia que vindo de Aryeh, ele não receberia uma resposta realmente verdadeira. 

"Como quiser." 

Baek falou em um tom monótono e saiu do quarto.



 Masmorra dos ímpios 

19:30


Dentro da cela escura, Kirav estava jogado no chão gelado com a companhia de ratos e baratas que vinham rodear o seu corpo de tempos em tempos, para ver se o mesmo ainda estava vivo. 


O cheiro pútrido subia por suas narinas, carne podre, dejetos humanos, e sangue seco, se misturavam em um aroma odioso. 


Aquela cela com certeza já havia sido ocupada por centenas de pessoas, e obviamente eles não sobreviveram por muito tempo. 


Com o seu corpo deitado nas pedras úmidas, Kirav pode ver uma das pedras da parede se mover. 


E de lá, uma voz doce surgiu. 


"Ei, você ainda está vivo?" 


Um rosto suave e puro se espremeu para olhar pelo espaço que a pedra havia deixado. 


"Meu nome é Freya, como você se chama?" 


Olhando para o jovem estirado no chão, Freya não pode deixar de sentir pena. Os olhos sem vida estavam vermelhos pela falta de sono, ele parecia ainda pior do que quando ela o viu pela primeira vez. 


Sem receber uma resposta, ela se deu conta que o rapaz estava em choque, ou simplesmente cansado de mais para responder. 


"Olha eu trouxe pão, carne e água. Venha pegar um pouco." 


Ainda sem reação. 


"Eu entendo que sua situação está difícil, mas você não pode desistir. Se você desistir, ninguém vai lutar por você." 


Ouvindo a voz sutil, Kirav fez o que pode para arrastar o seu corpo cansado até a pequena abertura.  


Vendo que o rapaz estava se aproximando, Tirou rapidamente as coisas de sua bolsa e começou a alimentar o jovem. 


Quando estava satisfeito, Kirav falou com sua voz cansada. 


"Como… como você sabia que eu iria estar aqui?" 


Um sorriso brincalhão surgiu no rosto da garota. 


"Eu não sabia, só adivinhei e dei sorte. Você não é o primeiro prisioneiro que eu venho ver, então pelo modo que te trataram hoje no meio da cidade, eu chutei que você viria parar aqui." 


"Qual o seu objetivo ajudando prisioneiros, nós não somos pessoas supostamente perigosas?" 


Uma risada amarga escapou pela garganta da garota. 


"Você realmente deve ser um forasteiro. Se você morasse aqui saberia que as pessoas perigosas de verdade estão passeando no meio da rua." 


Kirav escutou atentamente o aviso da garota, pensando no que havia acontecido com ele, ele pode entender as palavras da garota. 


"Como eu escapo daqui?" 


Kirav uma centelha de esperança surgiu no coração dele. Se essa garota conhecia o lugar, ela podia conhecer a saída.


"Infelizmente, não há saída." 


 Freya viu a alegria escorrer pelos olhos do rapaz. 


"O único jeito de você sair daqui seria pela porta da frente, não há outros lugares para escapar aqui, você teria que lutar, mas obviamente não está em condições. Sinto muito." 


"Tudo bem, tanto faz." 


O clima ficou pesado e estranho, Kirav emanava uma aura angustiante e Freya não sabia como consolar ele, na verdade, não existia um consolo. 


Então ela ficou esperando jovem parar de comer, e quando ele terminou, ela arrumou as coisas na bolsa para ir embora. 


"Tenho que ir." 


Não recebendo uma resposta, ela se levantou para deixar o local, um pouco decepcionada.  


"Kirav, meu nome é Kirav." 


A voz dele a parou em sua caminhada, e uma ideia estúpida que Freya insistia em tirar de sua cabeça voltou, e ela resolveu seguir o seu instinto. 


"Tome isso, duvido que você vá conseguir, mas você pode tentar." 


Então pelo buraco, Freya passou uma pequena faca com uma lâmina prateada afiada, então ela saiu do lugar, e desapareceu em meio da floresta. 


Kirav pegou a faca e a escondeu enterrada no canto esquerdo da cela. 


Quando terminou de enterrar, Kirav pode ver algumas pessoas adentrarem a masmorra, Os corredores se encheram com as cores laranjas do fogo, e logo alguns homens de armaduras e um jovem com roupas azuis e um chapéu adentraram a cela. 


Ainda sentado no chão, Kirav nem levantou os olhos para os homens. 








Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...