1. Spirit Fanfics >
  2. Leilão. >
  3. Leilão.9

História Leilão. - Capítulo 9


Escrita por:


Notas do Autor


Boa noite, trago mais um capítulo dessa fanfic que estou amando escrever, acho que é a primeira vez que me sinto bem produzindo uma longfic, que por mais ruim que esteja ainda me deixa bem e feliz
Enfim, chega de conversa afiada e vamos para o capítulo, espero que gostem e até mais ♥
Aliás, antes de mais nada, perdão pelos erros ortográficos, é meio difícil de escrever pelo celular visto que não uso corretor.

Capítulo 9 - Leilão.9


Katsuki chegava naquela residência em mais um dia cansativo e irritante, se lembrava perfeitamente das vezes que deu de cara com Todoroki pela empresa e de como a raiva se apossava de seu corpo, odiava aquele homem, odiava com todas as suas forças, havia tornado-se um monstro por culpa dele, e mesmo que, tivesse agido por conta própria, ainda o odiava por te-lo feito entrar nessa situação, uma situação que ão sabia como reverter.
Ao adentrar sua casa o clima calmo no ambiente se tornou tenso e amedrontador, seus olhos vermelhos estavam completamente focados no ser que tremia em desespero sobre o sofá, via a forma como o garoto se encontrava, o suor descendo pelo seu rosto pálido enquanto implorava para que não fosse machucado, e claro, aquilo deixou Bakugou em desespero já que não tinha motivos para tal coisa estar acontecendo. Mas tudo em questão de segundos se silenciou quando o corpo fraco do esverdeado caiu para o lado no estofado.

- Oe, Pikachu, o que é que ele tem, porra?! - Gritou dessa vez já que não obteve resposta antes, fechando a porta atrás de si para assim se aproximar do sofá e ficar de frente para Izuku, o que havia desmaiado. 

- Ele teve uma crise de ansiedade forte, não sou especialista nessas coisas, mas não tem outro motivo para ter desmaiado após todo aquele desespero. - O oiro mais jovem respondeu enquanto arrumava o esverdeado no sofá, subindo as pernas do mesmo para então se afastar com um suspiro. - Vá tomar seu banho, eu cuido dele. - O pedido foi feito e logo viu Denki sair andando em direção a cozinha. Katsuki nesse momento pensava no que fazer, sinceramente ele já não sabia mais, por isso apenas respirou fundo e deixou a sala indo em direção as escadas, não demorando a chegar no segundo andar e caminhar até seu quarto, mas antes acabou parando em frente ao quarto de Izuku, vendo como esse ainda estava desorganizado, não que se importasse, mas parecia que nem Sen entrava mais ali. Não tardou muito para que abandonasse aquele corredor após entrar em seu cômodo, tirando rapidamente suas roupas em caminho ao banheiro, estava necessitando muito de um banho.

A culpa de todo aquele inferno estar acontecendo o atormentava, o que deveria ter feito quando recebeu a proposta do leilão? Ignorado ou denunciado Todoroki por tráfico humano? Havia falhado muito nessa parte, colaborou com um crime muito bem bolado que de anos em anos vem acontecendo com mais frequência, agora estava ali se corroendo e sentindo a culpa estúpida o invadindo. 
Após terminar de se banhar, saiu rapidamente do banheiro para então se secar e se trocar, antes de tudo precisava comer para pensar melhor no que faria sobre o caso de Izuku, precisava o devolver para sua família, mas como faria isso sem sair prejudicado? Precisava arrumar toda uma estratégia primeiro. 

- M-me desculpe Denki, e-eu não queria... - Ouviu um choro baixo em meio a pedidos de desculpa após chegar nas escadas, tendo em seguida uma risada baixa vinda de seu amigo que parecia reconfortar Izuku.

- 'Tá tudo bem, não se preocupe, isso acontece, por sorte você estava no sofá. - Seu amigo conversava com o esverdeado tentando o acalmar, já que o choro era frequente, e para não estragar aquele clima apenas permaneceu no topo da escada.

- O s-senhor... M-mestre não está furioso? - Sentiu uma pontada forte em seu peito, por que ficaria furioso? Todos tem uma queda algum dia, e ser chamado de mestre por Izuku já não era mais um desejo de satisfação, sentiu um certo nojo de si após ouvir tais palavras.

- O que?! Claro que não bobinho, ele  ficou foi é preocupado, e olha, ele não vai te machucar, se ele encostar um dedo em você eu pego meus músculos e soco bem forte a cara dele - Era engraçada a maneira como Denki conversava com Izuku, e sabia que o menor se sentia melhor após uma risada gostosa ecoar por seus ouvidos, tinha feito certo em trazer Denki para dentro de sua casa.
Não tardou para que em passos lentos Bakugou descesse as escadas, vendo novamente aquele sorriso no rosto de Izuku sumir e o garoto por mais uma vez ficar pálido. 

- Calma, calma, o biribinha não vai fazer nada, olhe para mim. - Viu como Denki segurou o rosto de Izuku calmamente, fazendo-o encara-lo. - Isso, olhe somente para mim e agora respire bem fundo, puxe o máximo de ar que conseguir. - O loiro pedia calmamente e Izuku seguia as instruções, sorte a sua de ter Kamiari ali para o ajudar, sinceramente, não sabia o que seria de si sem o rapaz.

- O-obrigado, Denki-kun. - E pela primeira vez o Kun foi adicionado no vocabulário do menor, isso era bom, se sentia confortável perto de Kaminari, pelo menos isso. Não tardou então para deixar os dois sozinhos na sala e se dirigir para a cozinha. Como Sen não havia passado em sua casa hoje a janta não tinha sido feita, então sabia que teria que botar a mão na massa, algo que não gostava, mas não iria ficar com fome e deixar os outros dois da mesma forma. 
Saco vai, tempero vem, Katsuki tentava fazer um shikasashi, bolinhos de arroz temperados, fazia tempo que não comia, e amava, então por que não?

Do outro lado conseguia ouvir as risadas de Denki ecoando por toda a sala e cozinha, o garoto era escandaloso, mas não se incomodava, era até bom esse ar mais calmo dentro do ambiente, sentia-se mais calmo mentalmente. 

- Pikachu, faz um favor, coloca no jornal aí! - Pediu em tom alto, e em segundos pôde ouvir a TV ligava e a mesma ter o som aumentado, como sempre queria saber o que estava acontecendo, já que nessa manhã não teve tempo de ouvir as notícias no carro.

- Eu estarei subindo com o Izuku, qualquer coisa é só me gritar. - Kaminari apareceu na cozinha apenas para o informar, e Katsuki apenas assentiu, deixando o loiro mais novo tranquilo para sair do local. Até então estava tudo bem, os bolinhos de arroz que fazia estavam saindo até que bonitinhos, pela primeira vez sentia-se calmo, até ouvir a música de iniciação do jornal.

" Um caso que chocou os moradores de Osaka, o desparecimento de um jovem de 17 anos a quase 6 meses, que segundo a polícia pôde ter sido vítima de um sequestro. No dia 12 de maio de acordo com a mãe da vítima, o jovem Izuku Midoriya tinha saído em direção a Tokyo para uma entrevista de emprego, depois disso não houvera mais notícias. "

Uma repórter comentava sobre o caso, e Bakugou naquele momento paralisou, mas então voltou a vida ao perceber que quase havia se cortado. Deixando a cozinha, o homem se dirigiu até a sala, abaixou o volume da TV e se sentou em frente a mesma.

" A polícia ainda está investigando o caso, obtendo o maior conjunto de informações sobre a vida do garoto que possa ajuda-los com alguma pista. Uma palavrinha do policial Keigo Takami. - Passamos 5 meses nos dedicando ao jovem Midoriya, muitas informações já foram resgatadas, como a que a empresa ToyKids faliu em 2005, seria impossível uma contratação de um local com esse nome, estamos investigando ainda de onde o e-mail foi enviado e conseguimos capturar um dos "funcionários" dessa empresa. Estamos tentando de tudo para encontrar o garoto, que desejamos estar vivo. - O departamento está oferecendo meio milhão para quem encontrar Izuku Midoriya, sua mãe Inko não quis dar entrevista. " 

E então a reportagem sobre o caso acabou, dando inicio a outras que não lhe davam mais interesse, estavam buscando Izuku, o que iria fazer agora? Se entregar, inventar uma história, fugir? Estava ferrado em relação ao caso, não tinha para onde correr, e mesmo que soubesse que poderia pagar fiança ainda não queria ser preso, seria uma vergonha para sua empresa.

- Maldição.. - Comentou em tom baixo antes de pegar o o controle sobre a mesinha de centro e desligar a TV, voltando então para a cozinha onde com calma tentou voltar a fazer os bolinhos. A casinha que se matinha estava as poucos caindo, e precisava arranjar um jeito de se safar dessa, nem que para isso ajudassem a colocar Todoroki atrás das grades.

Um pequeno tempo passou e a comida básica estava pronta, e antes que pudesse subir para chamar os dois rapazes os viu adentrando a cozinha. Izuku mantinha a abeça baixa enquanto Denki o segurava pelo braço.

- Vamos comer a comida do Bakugou. Você não colocou veneno, né? - Com um ranger de dentes o loiro mais velho atacou um pano de prato na cara do outro, o fazendo rir antes de se sentarem todos sobre a mesa, contudo o esverdeado ainda mantinha a cabeça baixa. Seria um inferno comer nesse clima. - Uuuh, bolinhos de arroz, faz tempo que não como, Izuku, é uma delícia, você precisa comer - O loiro mais novo pegou três e colocou no prato do menor, esse que permaneceu parado.

- Quer que eu saia para você comer? - Bakugou se pronunciou, fazendo as esmeraldas se fixarem em si rapidamente, e com um balançar rápido  negativo de cabeça o menor começou a comer lentamente, respirando fundo a cada segundo que pudesse.

- É gosto não é, eu como direto em uma lanchonete aqui perto. - Denki falava de boca cheia enquanto encarava os bolinhos na mesa, fazendo questão de colocar dois de uma vez na boca com um grande sorriso, não tardando a começar a tossir desesperadamente ao se engasgar, o que chamou a atenção de Midoriya, o garoto que agiu rapidamente batendo nas costas do loirinho que cuspiu o que tinha na boca na mão de seu salvador.

- Não pode fazer isso, Denki-kun... Pode acabar morrendo asfixiado ou entupir uma das vias respiratórias... Tem que comer de vagar - A voz de Izuku era baixa e calma, o menor então se levantou e foi até o lixo da cozinha, não tardando a jogar o que tinha na mão ali antes de voltar com um suspiro fraco.

- Nossa... Você foi rápido. - Bakugou por mais uma vez falou, e Izuku sorriu minimamente após desviar o olhar.

- Minha mãe sempre... - Cogitou se deveria falar ou não, mas apenas balançou a cabeça e levou seu olhar para os bolinhos no prato. - Eu me engasgava bastante... Com as coisas... E ela sempre me ajudava assim. - Respondeu em tom baixo antes de colocar um dos bolinhos na boca e mastigar lentamente, sabia que o menor não estava afim de comer.

- Aah, ele salvou a minha vida, você é um herói Izuku, melhor do que aquele de quadrinhos All Might - Kaminari disse sorrindo tímido antes de colocar um dos bolinhos na boca, agora comendo calmamente para não correr o risco de se engasgar de novo, não queria passar pela experiência medonha de novo.

O jantar passou calmo, pela primeira vez sentiu que Midoriya estava mais calmo, por sorte não teve nenhuma crise de ansiedade, e dava tudo isso graças a Denki que ajudava o menor da maneira que podia, o ensinando a respirar fundo e contar até 10 para se acalmar, era de fato alguém que não se arrependia de ter enfiado em sua casa.
Quando o jantar acabou o loiro mais velho colocou tudo na pia, deixando por ali para arrumar mais tarde ou para Sen limpar no dia seguinte.

- Pikachu, deixa eu falar, amanhã pode ficar em casa, você precisa continuar cuidando dele para mim, eu vou pedir para Hitoshi te cobrir, pode ser? - Perguntou após chegar perto do amigo, o entregando uma barriga de chocolate e jogando outra sobre as pernas de Izuku, e Bakugou não esperava ver uma reação tão bela como aquela. Os olhos esmeraldinos brilhantes como verdadeiras jóias e um sorriso um pouco grande cobrindo o rosto, não demorando a ver o mesmo abrindo o pacotinho da barrinha e logo começando a comer como uma criança. Pronto, sabia que o garoto gostava de chocolate, era um bom começo.

- Ah, tudo bem... O Shin trabalha tão bem... - Sabia da paixonite do amigo pelo homem, mas não se importava, era até bom se esses se dessem bem, afinal, sempre que queria descansar tinha um Pikachu no seu ouvido falando sobre o quanto amava aquele mané, tipico de um virgem chato. 
Após comerem aquela pequena sobremesa, Bakugou se sentou em sua poltrona e pegou seu notebook, afinal, por mais que não estivesse na empresa, ainda precisava trabalhar para manter tudo em perfeito estado, já que havia chego mais cedo em casa. Em meio a isso Izuku e Denki subiram para os quartos, deixando o loiro ali sozinho que tentava colocar os pensamentos em  ordens, ainda estava atrás de uma solução para os problemas que estavam envolto de si.

Uma coisa é certa, tinha em mente que de um jeito ou de outro a prisão seria seu castigo.


Notas Finais


E foi isso, espero muito que tenham gostado e não sei quando o próximo irá sair, fiquei de folga nesse sábado e domingo então foi mais fácil. Bom, de toda forma continuarei a escrever ♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...