História Lembra-se de Mim? - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chen, Lu Han, Tao, Xiumin
Tags Cbx, Chenbaek, Serial Killer
Visualizações 107
Palavras 2.147
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Romance e Novela, Suspense, Terror e Horror, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


E aí galerow, beleza?
Então, voltei com o 3° capítulo da fic.
Desculpem se eu demorar a postar, é que agora estou em período de prova, aí já viram né?! Estou quase sem tempo nenhum.
Mas finalmente consegui tirar um tempinho para continuar pelo menos o terceiro cap.
Enfim... É isso! Boa leitura amores.❤

Capítulo 3 - Capítulo III


Assim que passou do corredor, avistou o topo da escada, sem pensar duas vezes, foi andando em passos lentos até o local.

Por mais que quisesse se mostrar forte na frente de Baekhyun para acalma-lo, no fundo, também estava com bastante medo. Queria que tudo aquilo fosse apenas a imaginação dos dois os pregando peças, mas infelizmente, não era.


Chegando lá, se deparou com a figura do palhaço o encarando no final da escada, segurando uma grande faca. E claro, vendo o semblante assustado do moreno, deu novamente sua gargalhada, que fez com que todos os pelos do corpo do rapaz se arrepiassem. Em seguida, ameaçou subir as escadas, fazendo com que Jongdae saísse em disparada até o quarto de hóspedes onde deixara Baekhyun - sozinho - o gritando.


- BAEK!!! CORRE! RÁPIDO!!! - berrou correndo pelo corredor.


Chegando ao quarto, reparou que Baekhyun não se encontrava ali e logo se desesperou chamando pelo rapaz, andando de novo pelo corredor da grande casa. Enquanto seguia seu caminho no intuito de ir ao quarto dos pequenos Tao e Luhan, na esperança de encontrar Baekhyun ali, as luzes da casa se apagaram, deixando o lugar em absoluto breu.


Por sorte, estava perto do quarto dos pequenos e seguiu tateando as paredes cautelosamente para não fazer nenhum barulho.


Agora Chen não podia negar que estava com muito medo pelos seguintes fatores: Havia um maníaco na casa onde ele estava, seu namorado havia sumido, o local estava completamente escuro e o tal maníaco estava quieto demais e com certeza, algo de muito ruim estava por vir e Jongdae temia por isso.


Com um pouco de dificulade, finalmente, conseguiu chegar à porta do quarto dos meninos. Mas quando girou a maçaneta, percebeu que a porta estava trancada.


- Ei, meninos, abram a porta! - falou perto da porta, em tom baixo - Sou eu, o Chen!


Assim que falou, ouviu o barulho das chaves e em seguida, a porta se abriu e logo foi puxado para dentro do cômodo, sendo abraçado por um Baekhyun completamente nervoso e assustado e com o rosto manchado por lágrimas, porém aliviado de ver que nada havia acontecido com o companheiro. Em seguida, trancaram novamente a porta e ficaram abraçados com os pequenos, que estavam acordados e muito assustados.


- Você me deixou preocupado! - Jongdae limpou a garganta e prosseguiu - Quando cheguei no quarto e não te vi, meu coração se apertou e comecei a ficar desesperado com medo de algo ter acontecido.


- Desculpa, eu não queria te deixar preocupado. - respondeu abraçando o outro - Só que com o seu grito, a única coisa que me veio na cabeça foi os meninos, então vim correndo e me tranquei aqui com eles, e...


Baekhyun foi interrompido por um forte barulho vindo de não muito longe, como se estivessem quebrando tudo em algum lugar da casa. Barulhos de passos puderam ser ouvidos, seguidos do irritante barulho metálico - provavelmente da faca que Jongdae vira na mão do maníaco - e da gargalhada, que agora parecia estar ainda mais perto.


- E-ele e-está vindo! - O Byun quase não conseguiu falar por conta do desespero que o consumia - O-o que vamos fazer? Eu não quero morrer! Não quero que você e nem os meninos morram também! - falou chorando desesperadamente.


- Calma, está tudo bem, ninguém aqui vai morrer! Fica calmo! - O Kim falou abraçando o amado na tentativa de acalmá-lo, mesmo sabendo que as coisas não estavam nada bem.


- Titio, nós vamos morrer? - Luhan perguntou, se agarrando ao Kim.


- E-eu não quero morrer! - Tao disse chorando copiosamente.


Ver os meninos desesperados assim fez o coração dos mais velhos doer. Já que eram apenas crianças inocentes e indefesas no meio de uma situação aterrorizante como aquela. O que os fez ficarem muito mais preocupados com tudo o que estava acontecendo.


- Não vai acontecer nada, fiquem calmos! Vai dar tudo certo, nós vamos proteger vocês! - O rapaz disse tentando acalmar os pequenos.


Por mais que falasse coisas para tentar acalmar a situação, no fundo ele sabia que as coisas podiam piorar e não tinha a menor noção do que fazer para pelo menos salvar os meninos.


- C-chen? Está com seu celular aí? - Baekhyun o perguntou.


Claro que o mais novo entendeu o porquê da pergunta do outro, e ficou se sentindo um idiota por não ter pensado nisso antes. Passou as mãos nos bolsos de sua calça procurando pelo aparelho e logo olhou de volta para Baekhyun.


- Droga, eu deixei no quarto!


Baekhyun o olhou sentindo suas esperanças se esvairem e abaixou a cabeça para esconder sua frustração e tristeza.


- Eu vou lá buscar! - Disse já pondo a mão na maçaneta da porta, pronto para destrancá-la.


- NÃO! - O mais velho foi à passos rápidos em direção ao mais novo, segurando com força o seu pulso - Você está se arriscando demais! Essa pessoa, seja lá quem for, não está aqui para brincadeira e ela está muito quieta, está esperando apenas uma oportunidade para atacar!


- Baek, essa é a nossa única chance! - disse pousando sua outra outra mão sobre a mão do mais velho que ainda o segurava - Preste atenção, eu vou lá o mais rápido que eu puder, pego o celular e volto. Enquanto você fica aqui com os meninos. Feche a porta e a tranque. Quando eu estiver aqui, baterei levemente na porta duas vezes. - Contou seu plano para o mais velho que mesmo cedendo, continuava receoso, com medo de dar errado.


- Mas e se não der certo? - Perguntou já sentindo seus olhos se umidecerem.


- Vai dar tudo certo. Fique tranquilo, ok? - Disse afagando os fios do mais velho e limpando com a ponta dos dedos as lágrimas do mais velho que insistiam em cair e logo destrancando a porta do quarto e saindo escuridão a fora.


Rapidamente, Baekhyun trancou novamente a porta e se sentou na cama chorando, abraçando os pequenos que também não paravam de chorar.


- Titio Baek? Vai ficar tudo bem com o Titio Chen? - Tao perguntou.


- Vai sim, meu anjo. - disse abraçando ainda mais forte os pequenos, buscando confortar os meninos e a si próprio, rezando para que tudo corresse como o esperado.


Baekhyun não podia negar que estava com muito medo e só em passar pela sua cabeça que algo podia acontecer com o mais novo, só em pensar que poderia o perder, seu coração doía.

✖��✖


Assim que saiu do quarto, o Kim foi andando em meio a escuridão até o quarto de hóspedes. Foi andando o mais rápido que pôde, com cautela, claro, para não esbarrar em nada pelo caminho e fazer barulho para atrair a atenção do maníaco que ali estava. E enquanto andava, tentava de todas as maneiras entender o porquê de aquilo estar acontecendo consigo.


De vez em quando, o rapaz olhava para trás ou para os lados para ter certeza de que não havia ninguém à sua espreita. O mesmo já estava desconfiado, já que tudo parecia tão calmo e silencioso, já que não ouvia mais a gargalhada do maníaco ou até mesmo o barulho metálico da faca que estava com o próprio. O Kim supôs que já havia se passado cerca de trinta minutos desde o momento em que ouviu os barulhos causados pelo palhaço pela última vez e chegou a conclusão de que a pessoa que ali estava, estava aprontando algo.


Continuou a andar até que avistou a porta do quarto de hóspedes - que se encontrava aberta, já que o mesmo quando ali mal entrou, saiu em disparada atrás de Baekhyun, sem se importar em fechá-la.


Ainda receoso, parou na porta do quarto observando o local, para ter certeza de que não havia ninguém ali. Após percorrer todo o local com os olhos e constatar que estava sozinho ali, entrou de vez no quarto para começar a sua busca pelo aparelho celular, que era a única salvação de todos que estavam na casa.


Olhou em cima da cama e nada do celular. Olhou na pequena cômoda que havia ali e nada. Se abaixou e olhou em baixo da cama, onde pôde ver o aparelho caído no chão. Rapidamente o pegou e saiu correndo do quarto, voltando ao quarto dos meninos.


Enquanto corria, conseguiu ouvir barulho de passos atrás de si, o que o fez correr ainda mais rápido, logo chegando à porta do quarto dos pequenos e batendo na porta e chamando por Baekhyun, rezando para que o mesmo não demorasse a abrir a porta. Logo, a mesma se abriu e o rapaz entrou rapidamente, logo tratando de trancá-la.


✖��✖


Esperando impacientemente pela volta do mais novo, Baekhyun andava de um lado para o outro no quarto com mil e um pensamentos em sua mente e seu coração na mão. Estava se perguntando se o outro havia conseguido chegar ao quarto e se conseguiu achar o celular. Por mais que tivesse se passado poucos minutos desde que havia saído dali, para Baekhyun parecia uma eternidade.


Durante o tempo em que se perdia em pensamentos nada positivos, Baekhyun ouviu passos rápidos no corredor, como se alguém estivesse correndo. Por um momento pensou que fosse o maníaco e começou a se desesperar, mas assim que ouviu as batidas na porta e a voz de Chen o implorando para abrir depressa, pôde se sentir aliviado e rapidamente abriu a porta, vendo um Jongdae desesperado entrando no local e trancando a porta, em seguida, arrastando um móvel que ali havia, o colocando em frente a mesma, para impedir que o tal palhaço entrasse ali.


Assim que colocou o móvel na frente da porta, pegou seu celular do bolso na intenção de ligar para a emergência, mas com uma coisa ele não contava: O celular não estava com sinal!


- DROGA! - gritou, jogando o aparelho na cama.


- O que houve? - Perguntou sem entender.


- Não tem sinal! - respondeu, vendo o mais velho arregalar os olhos.


- E agora? O que nós vamos fazer? Como vamos sair daqui? - perguntou desolado.


- Eu não sei! - O coreano respondeu passando as mãos no cabelo e olhando pela janela avistando uma escada que parecia ser bem frágil, mas que parecia ser a única solução, posicionada ao lado da janela. Logo, uma ideia veio à sua mente.


Se debruçou na janela e arrastou com certa dificuldade a escada para o meio da janela. Olhou para Baekhyun que retribuiu com um olhar como se dissesse: "O que você planeja fazer?"


- Vamos tirar os meninos daqui primeiro! - disse - Venham aqui! - chamou os pequenos - Conseguem descer por aqui?"


- A-acho que sim. - Luhan respondeu.


- E você Tao? Acha que consegue?


- E-eu não sei. - O menino respondeu olhando assustado por ser tão alto.


- Escutem bem, vocês tem que sair daqui e buscar ajuda, mas o único jeito é esse. - Disse apontando para a escada.


Assim que terminou de falar ouviu a gargalhada e e seguida um forte barulho, logo ouvindo pela primeira vez o maníaco falar.


- Onde será que eles estão? - o homem disse em tom debochado - Não adianta se esconderem, eu vou achar vocês! - Prometeu em tom sério.


Pelo barulho, o homem parecia estar abrindo todas as portas que havia no corredor, à procura dos quatro. Baekhyun e Jongdae se olharam desesperados e por um momento, Jongdae pensou que aquela voz lhe era familiar.

Sabiam que a qualquer minuto o homem os achariam e a única coisa que queriam no momento era salvar os pequenos ali presentes e em seguida sair, os dois, dali, são e salvos.


- Não temos muito tempo! Vamos logo com isso - Baekhyun disse nervoso.


Chen pegou primeiro Luhan e o colocou na janela e logo o menino alcançou a escada e foi descendo com cuidado para não cair, já que seria uma queda bem feia. Assim que Luhan desceu, o coreano pegou Tao e o colocou na janela e o menino por um momento ponderou se deveria ou não descer.


- Vem logo! - Luhan que já estava lá em baixo, falou incentivando o irmão a descer.


Logo ouviram um barulho mais forte e bem mais próximo, seguido da voz do homem.


- Eu vou achar vocês! Não adianta ficar brincando de pique esconde! - disse gargalhando - Se bem que isso torna as coisas bem interessantes - riu.


Os três ali no quarto se entreolharam e logo Tao alcançou a escada, descendo devagar, já que tinha medo de altura. Em seguida, os rapazes que olhavam o menino descer, ouviram um barulho na maçaneta da porta, vendo a mesma mexer.


-Oh, parece que achei! Eu disse que os acharia! - o homem disse soltando uma gargalhada ainda pior que as outras.


Notas Finais


Eita, o que será que vai acontecer hein? Por que esse tal homem está fazendo isso tudo?
Só vamos descobrir no próximo capítulo (ou não kkkk).

OBS: Como eu estou meio atolada com os estudos, não sei quando postarei o próximo, mas prometo não demorar muito.

Por hoje é só!
Kissus, amores! ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...