História Lembranças. - Capítulo 14


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Erikagraziele, Fanfic, Henriquedelima, Henriquelima, Ricklima
Visualizações 17
Palavras 1.583
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Ficção, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Álcool, Canibalismo, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Necrofilia, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Obrigada por ler, obrigada pelo comentário e também pelo favorito 💛
Boa leitura...

Capítulo 14 - Capítulo XIV


O passado é a lição que devemos refletir, e nunca mais repetir. 


Erika Graziele - São Paulo.


No capítulo anterior... 


- Alex... - disse sussurrando entre nosso beijo.

- Para... - mordeu meu lábio e voltou a me beijar.

- Estamos em um cinema... - disse e ele mordeu minha língua, me impedindo de falar.

- Quer sair daqui então? - ele parou o beijo, olhou para meus olhos e mordeu meus lábios.


Agora... 


Olhei para suas íris verdes e fiquei a encarar - las, eu não sabia o que responder, eu queria, mas tinha medo de me machucar novamente. Sei que não deveria julgar ele desse jeito, por que ele não tinha nada a ver com o que o Henrique havia feito para mim, mas igual, eu não sabia o que responder. Fiquei apenas olhando para ele, Alex balançou a cabeça negando e desviou o olhar para a tela, mas logo me olhou novamente.

- Você quer ? - sua voz era baixa, ele transmita calma.

- Quero... mas... - fiquei olhando para suas íris, Alex levou sua mão direita até minha bochecha e a ficou acariciando.

- Mas o que meu amor ? - sorri ao escutar ele me chamar desse jeito e desviei o olhar para baixo.

- Eu tenho medo... - Alex levou sua mão até meu rosto e o puxou devagar, nossos rostos estavam frente à frente, Alex sorriu, um sorriso largo e selou, demoradamente, nossos lábios.

- Medo de que ?

- Não sei, só tenho medo... - disse apenas, Alex olhou rapidamente a tela do cinema e voltou a olhar para meu rosto.

- Com ele você não tinha medo. - isso não tinha sido uma pergunta, Alex suspirou baixo, desceu sua mão para seu colo e virou seu rosto para a tela do cinema.

- Alex... - ele não olhou para mim, apenas ficou calado, olhando a tela. - Alex...

- Eu quero ver o filme. - disse com uma voz grossa, olhando para a tela.

- Ok. - meu tom de voz era triste, Alex ficou olhando para a tela como se eu não estivesse ali.


Uma hora e meia depois... 


O filme havia acabado, Alex em todo esse tempo não tinha desviado o olhar da tela, ele apenas trocava algumas palavras comigo, quando queria pegar a pipoca ao meu lado, nada a mais.

Assim que a tela ficou escura, as luzesse ascenderam, Alex se levantou e me olhou, antes de sair para fora da sala.

- Vamos. - sua voz ainda era grossa ao falar comigo, eu apenas me levantei e o segui, saindo da sala.

Andamos em silêncio para fora, Alex estava na praça de alimentação do shopping quando parou e me olhou.

- Quer comer alguma coisa? - seu olhar não parava em meus olhos, ele olhava para mim como se não fosse eu ali, e sim alguma qualquer.

- Você vai comer algo?

- Não, não estou mais com fome. - disse apenas, seus ombros estavam tensos, ele não respirava bem.

- Alex. - me aproximei e toquei em seu braço, Alex desviou seu braço de meu toque e ficou parado, um pouco distante de mim. - Alexandre, não faz isso, me desculpa.

- Desculpa ? É sério isso? - sua voz era um tom irônico, ele ficava me olhando, como se não acreditasse em que eu estava a falar.

- Você quer que eu diga o que ?

- Não quero que diga nada, só se está com fome ou não. - sua voz de um tom irônico foi para um tom frio, Alex estava ainda distante de mim.

- Não, não estou com fome. - minha voz alcançou um tom frio, Alex não pareceu ligar, apenas ficou a me olhar.

- Ótimo, vamos embora. - disse suas palavras e caminhou para longe de mim.

Pensei em o deixar ir, mas não tinha como voltar para casa, além de estar sem dinheiro e sem minha carona, minha casa ficava um pouco longe dali, não seria uma boa idéia ir andando. Respirei fundo tentando me acalmar, andei em direção a seu carro um pouco atrás dele, assim que o mesmo chegou no carro, deu alarme o destravando e entrou. Abri a porta, entrei, á fechei e coloquei meu cinto de segurança.

Alex ligou o carro, deu partida e logo começou a sair do local.

Em todo o trajeto, Alex ficava olhando para a estrada, calado. Eu apenas olhava pela janela, segurando as lágrimas que queriam sair de meus olhos, assim que chegamos ao meu condôminio, achei que Alex me deixaria ali, mas não, ele adentrou o condomínio e estacionou em uma das vagas que estavam sobrando. Desligou o carro e virou seu corpo para meu lado.

- Erika. - sua voz ainda estava com um tom frio, eu respirei fundo, ainda olhando para a janela, sabia que se olhasse para ele, acabaria chorando.

- Sim? - escutei sua respiração ficar mais pesada, minha voz tinha saido com um tom de voz triste e choroso.

- Olha para mim, por favor. - sua voz estava voltando ao normal, respirei fundo e olhei para ele. Alex estava com seu corpo em minha direção, seu rosto estava com uma feição preocupada.

- Pode falar. - por mais que eu tentasse demonstrar que não estava triste, ou ao menos chorando, minha voz saia com um tom triste e também choroso.

- Não chora. - Alex levou sua mão até meu rosto, passou seu dedo, onde segundos antes, havia caído uma lágrima. - Por favor, não quero te ver chorando por minha causa, por causa de meu jeito.

- Não estou chorando. - ele sorriu, meu sorriso preferido estava estampado em seu rosto, era aquele seu sorriso que mostrava suas covinhas.

- Não está? - perguntou - me ainda com seu sorriso no rosto.

- Não. - disse por fim, Alex ficou me olhando, aproximou nossos rostos e me beijou.

Seu beijo era calmo, ele adentrava sua língua em minha boca lentamente, sua mão,que estava em meu rosto, foi até minha cintura, me trazendo mais para ele.

Nossas línguas brincavam, ele sorriu entre o beijo e mordeu devagar meu lábio, parando o beijo, deixou sua testa colada a minha e sua mão em minha cintura.

- Me desculpa, eu não queria agir daquele jeito. Não sei o que deu em mim, eu nunca agi dessa forma contigo, acho que foi por que eu pensei nele e você junto. Me desculpa, por favor. - levei minhas mãos até seu rosto, Alex afastou seu rosto para me olhar e ficou olhando para minhas íris castanhas esverdeadas.

- Me desculpa também, eu não devia ter falado aquilo...

- Não - ele cortou minha fala. - Você estava certa, eu apressei as coisas demais.

- Não.. - Alex balançou a cabeça negando, fazendo minhas palavras pararem.

- Vem, vou levar você até lá dentro. - Alex abriu a sua porta do carro, saiu, a fechou e deu a volta, parou na minha e a abriu.

- Não precisa. - tirei o cinto de segurança e sai do carro, Alex fechou a porta e entrelaçou nossos dedos.

- Precisa sim. - caminhamos lado a lado em direção ao elevador, ele apertou o botão de chamada, o elevador abriu e entramos.

- Obrigada. - Alex sorriu, se encostou na parede de vidro do elevador ainda segurando minha mão.

- Disponha. - apenas sorri e fiquei olhando para seu rosto e para suas íris verdes, Alex me encarava, suas pupilas estavam dilatadas, ele se aproximou de mim, me deixando contra a parade de vidro, ficando em minha frente. - Você não tem noção do quanto eu te amo, minha branquela.

- Minha branquela ? - perguntei soltando uma risada baixa, Alex sorriu e beijou minha testa lentamente.

- Sim, por que você é branca e também me pertence.

- Te pertenço? - Alex sorriu, trilhou uma trilha de beijos de minha boca até meu pescoço, todos lentamente.

- Sim, só à mim. - sorri sentindo seus beijos, levei minhas mãos até sua cintura e fiquei á acariciando enquanto sentia seus beijos, agora mais para perto de minha boca.

- Interessante... - Alex parou seus beijos em minha boca, onde deu uma mordida em meu lábio, o puxando para si. - O elevador.

Alex olhou para trás, as portas do elevador já estavam abertas, entrelaçou nossas mãos novamente e saiu do elevador, andamos de mãos dadas até a porta de meu apartamento, assim que chegamos, Alex se virou em minha direção e olhou para nossas mãos.

- Você tem a chave ?

- Sim. - soltei sua mão, procurei no bolso de minha calça a chave e lhe entreguei, Alex abriu a porta, me olhou e colocou a chave no chaveiro, perto da porta.

- Então, tchau. - disse com um sorrisinho de canto, sorrio olhando ele e andei até a porta, olhei para ele antes de passar por o mesmo, coloquei a mão na porta e fiquei olhando para ele.

- Tchau. - Alex apenas sorriu, ficou me olhando, enquanto me olhava, mordia lentamente seus lábios.

- Posso ganhar um beijo?

- Um beijo? - Alex deu dois passos em minha direção, se aproximando mais.

  - Na bochecha. - disse, sorrio olhando ele, aproximei meu rosto para beijar sua bochecha, mas, Alex, no mesmo instante girou seu rosto e selou nossos lábios. - Ou na boca. - disse entre o beijo, ele adentrou minha boca com a sua língua e começamos um beijo lentamente.


Notas Finais


Obrigada por ler.
Não esqueçam o comentário ♥
Um beijo e até o próximo capítulo....


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...