História Let me be your Hero - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Boku no Hero Academia (My Hero Academia)
Personagens Dabi, Denki Kaminari, Eijirou Kirishima, Fumikage Tokoyami, Fuyumi Todoroki, Hanta Sero, Hitoshi Shinsou, Hizashi Yamada (Present Mic), Izuku Midoriya (Deku), Katsuki Bakugou, Kyoka Jiro, Mashirao Ojiro, Mina Ashido, Minoru Mineta, Momo Yaoyorozu, Muscular, Ochako Uraraka (Uravity), Shouta Aizawa (Eraserhead), Shouto Todoroki, Tenya Iida, Toga Himiko, Tomura Shigaraki, Toshinori Yagi (All Might), Tsuyu Asui, Yuuga Aoyama
Tags Bakuraka, Kachaco
Visualizações 140
Palavras 3.743
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Ficção Adolescente, Hentai, Luta, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Trazendo o segundo capitulo, novinho em folha. Mas devo avisar que creio que os próximos demorarão um pouco mais para ficarem prontos, mas boa leitura!

Quero aproveitar e agradecer aos perfis que comentaram capítulo passado e aos que favoritaram a história. Amo vocês, VIVA KACHAKO!

Capítulo 2 - Game Over?


Fanfic / Fanfiction Let me be your Hero - Capítulo 2 - Game Over?

XX 19/04 - Sexta-feira - 12:13 XX

Izuku On.

No dia seguinte decidi tentar tirar alguma informação do Ka-chan ou do Kirishima, mas não tive boas oportunidades. Comecei a observar, é o que eu faço de melhor. Ka-chan ficou o dia inteiro olhando estranho pra Uraraka. A quanto tempo ele vinha fazendo isso? Vez ou outra eu via o ruivo e ele de segredinhos. O que estão aprontando?

Então agora no final da aula devo dizer que todo herói precisa conhecer seus limites e os de seus parceiros para um bom trabalho em equipe. Vocês terão trabalho pra entregar semana que vem. Irão discutir em duplas as vantagens e desvantagens de suas individualidades. Tanto da própria, quanto a do colega. A entrega é em apenas uma folha. Vou sortear as duplas, sem reclamações.

- Droga! - Ouvi alguns dizerem.

- Espero cair com alguma garota! - Mineta juntava as duas mãos em uma oração.

- Asui e Midoriya, Mineta e Kirishima. - “Nãooo”, foi o que Mineta disse. - Momo e Todoroki, Kaminari e Jirou, Iida e Tokoyami, Bakugou e Uraraka. - Parei de ouvir nos últimos dois nomes. Uraraka estava de olhos arregalados, olhei para Ka-chan e a reação dele foi ficar vermelho como um tomate. Ele está gostando dela? Ou isso é por estar irritado? Aizawa-sensei continuou sorteando os nomes, mas não prestei mais atenção. Não me agrada saber que não posso ficar com Uraraka, afinal, somos melhores amigos e eu... Gosto dela, de uma outra forma. Tudo bem, Ka-chan nunca se apaixonaria por alguém até conquistar seus objetivos, né?

Izuku Off

Uraraka On.

O QUE? Estou ferrada. E agora? Eu vou travar, não vou conseguir fazer esse trabalho com ele. E se ele tentar me explodir? E se eu disser algo errado? Me senti sendo observada. Deku estava me olhando preocupado. Alternava seus olhos entre mim e alguém no fundo da sala. Bakugou... Virei para trás e nossos olhos se encontraram, mas desviamos na hora. A quanto tempo eu estava sentindo algo por ele? Antes de nossa batalha tudo que eu conseguia sentir por ele era medo, depois no acampamento de verão, quando o loiro foi sequestrado pela Liga dos Vilões notei o quanto fiquei com um peso no coração. Queria ser forte o suficiente para salvá-lo, mas ao mesmo tempo, no fundo eu tinha certeza que ele conseguiria sair daquela situação.

XXXX

Fomos dispensados, então como combinado, me encontrei com Deku e Tsuyu-chan na saída da U.A. Amanhã é sábado e aniversário dele... Ele é taurino? Será que é ciumento? O que? Só posso estar ficando maluca.

Fomos até uma loja perto do shopping comprar comida e alguns balões para a festa do Bakugou.

- Acho que é melhor comprarmos dois tipos diferentes de Doritos. Porque o Ka-chan gosta de comida apimentada

- Certo. Será que ele gosta de bolo? Enfim, um aniversário sem bolo não é um aniversário, kero. - Tsuyu-chan disse.

- Eu peguei uns balões das cores do uniforme do Bakugou. Laranja, preto e verde. Espero que ele não exploda todos. - Eu disse. Não acho que ele goste de festas ou balões, mas vou ficar chateada se ele odiar tudo.

- Acho que tá tudo certo por aqui. Não está faltando nada, né? Tsuyu-chan, você escolheu o bolo?

- Floresta negra, kero.

Então nós voltamos para a U.A. Colocamos o bolo no frigobar do quarto do Deku e eu escondi os balões no meu. Depois de amanhã só precisaríamos arrumar tudo.

XX 19/04 - Sexta-feira - 23:45 XX

Tomei um banho quentinho e fui até a sala comunal. Quero ficar um pouco aqui. Todos já foram dormir, então posso ficar sentada na janela olhando pro céu estrelado. Não é a primeira vez que faço isso, quando estou sem sono e quando preciso pensar venho até aqui.

Estou progredindo muito com minha individualidade. Aprendi a usá-la de outras formas, mas provavelmente vou ser uma heroína de resgate, afinal, posso levantar escombros, impedir quedas, salvar as pessoas. Quase não fico enjoada, só quando exagero muito mesmo. Os vilões deram um tempo, então tudo deveria estar tranquilo. Deveria... Só de pensar nele o meu coração acelera e eu sinto um gelo no estômago. A voz rouca dele, os cabelos espetados, aqueles olhos vermelhos. Por que tem que ser tão perfeito? Diferente dos outros, eu adoro quando ele fica bravinho, eu acho tão fofo. Tenho uma certa quedinha quando vejo a cara amarrada dele. Acho que tenho atração por “Bad boys”. Mas tinha que ser justo esse?

- Tá sem sono, cara de lua? - Senti um gelo subindo pela minha coluna quando ouvi a voz do loiro.

- Ba-bakugou? E-eu... - Olhei para ele, estava com uma regata preta, cabelos bagunçados e olheiras. - É, sem sono. Ma-mas e você?

- Eu não consigo dormir, não paro de pensar. - Então ele fez uma cara de confuso e pareceu ficar irritado. - Não que seja da sua conta. - Não vou mentir, me magoou, mas tudo bem. É o Bakugou, o que eu esperava? Esqueça, Uraraka, ele nunca vai pensar em você de outro jeito.

- Entendi. - Me levantei. - Vou te deixar sozinho então, pra não te incomodar. - Estava indo em direção ao corredor dos quartos quando ele segurou meu pulso, o mais delicado que poderia.

- Fique... Ou morra. - Ele sussurrou e abaixou o olhar, corado. Não estou entendendo mais nada.

- Hã... Você quer conversar?

- Não. Só fique um pouco. - Ele se jogou no sofá e ficou olhando o teto por um curto tempo. - Quer saber, esquece. Vou pro meu quarto. Faça o que quiser. - Então ele levantou bravo e foi direto ao dormitório dele. Agora eu realmente não entendi.

Depois de ficar ali pensando por um bom tempo, decidi ir dormir. Senti um pouco de frio e sem querer acabei pensando no quanto o Bakugou deve ser quentinho. É tão errado eu ficar pensando isso, mas é tão bom. Estou apaixonada, não sei a quanto tempo, só sei que nunca me pareceu tão certo como agora.

Uraraka Off

XX 20/04 - Sábado - 08:07 XX

Bakugou On

É meu aniversário, eu merecia um dia inteiro de sono e vídeo game, mas esses malditos do Kirishima e Kaminari me acordaram agora a pouco pra irmos tomar um tal de “café dos deuses”, como disseram. Eles insistiram tanto, então eu aceitei, já tinha perdido o sono mesmo. Inferno...
Quando chegamos no café fizemos nossos pedidos e sentamos num canto qualquer. Os dois idiotas tagarelavam alguma coisa sobre a alienígena rosa e a emo dos fones. O meu interesse era de 0% no assunto.
Foi então que vi, no outro canto do café, um casal. A garota bebeu um pouco do que tinha na xícara e saiu com um bigode de chantili. Ele começou a rir e pegou parte daquela meleca na cara dela, passando no nariz. Então os dois riram. Parecem felizes. Kirishima também parece feliz... Mas, alguém poderia ser feliz assim comigo? Digo... Com todo esse meu jeito grosso e explosivo, não sei se alguém seria capaz de me suportar. Ninguém pode saber disso, mas eu reconheço o meu gênio. Já a cara de lua... Qualquer um desses manés da U.A dariam um rim para ficar com alguém como ela. Ela é meiga e fofa, delicada e bondosa, eu sei... Também sei o quanto é forte e resistente, aguentou vários dos meus ataques e lutou contra vilões quando fez estágio. Uma garota como ela merece algo muito melhor do que um ogro como eu, então pelo nosso bem, preciso ignorar os sentimentos.

- O que foi, Bakugou? Ficou triste do nada? - Kaminari perguntou e eu já trouxe de volta minha armadura, a cara feia.

- Eu queria estar dormindo, seu sem noção.

- Relaxa Kaminari, ele deve estar pensando em alguém. - Maldito Kirishima.

- Bakugou apaixonado? Conta outra. E quem seria a louca que se apaixonaria por ele? Seria explodida na primeira crise de ciúmes.

- Cala a porra da boca ou quem vai explodir aqui é você, Pikachu de merda. - Não da pra mentir, o que ele disse me afetou um pouco. Será que é verdade?

- Não esquenta, irmão, garotas gostam dos bad boys. Foi isso que a Mina-chan me disse. E se um dia alguém for gostar de você, tem que ser pelo que você é. - Kirishima às vezes parece que tem cérebro.

- Eu to pouco me fudendo pra garotas. Eu vou ser o número um, só isso importa.

- Bakugou, Bakugou... Todos nós cedemos aos instintos em algum momento. Eu tô caidinho pela Jirou, por exemplo.

- E mesmo assim, ainda não foi falar com ela, imbecil covarde. - Se bem que eu não posso falar muito.

Algum tempo se passou e eu já estava implorando mentalmente pra irmos embora. Depois do café, fomos ao shopping, ao fliperama e comemos algo na praça de alimentação. Kirishima olhou o celular, que estava marcando 16:45, e disse que já podíamos voltar pra U.A.

- Ei, não é só o Kaminari que está sendo covarde, Bakugou. Você vai fazer trabalho com ela, por que não aproveita pra se aproximar? - Kirishima me disse enquanto Kaminari terminava de tomar água no bebedouro, sem que pudesse nos ouvir.

- Cale a boca, ou arranco ela fora. - Ele riu como resposta.

Bakugou Off

Uraraka On

Já está quase tudo pronto. Só falta pegar o bolo e pronto. Mina mandou mensagem para Kirishima, dizendo que já podiam voltar. Deku e eu fomos pegar o bolo do Bakugou e já que era muito grande, nós dois tivemos que carregar. Colocamos em cima da mesa de centro, sentamos no sofá e avisaram que estavam na porta.

- VAI MALDITO, ABRE ESSA PORRA! - Parece que o aniversariante não está muito de bom humor. Acendi as velas rápido e Bakugou abriu a porta com um chute.

Ele ficou com uma cara de surpresa que eu particularmente achei uma gracinha.
Aqueles olhos vermelhos encontraram os meus e não saíram mais até que começamos a cantar o parabéns. Todos batiam palmas para ele. Enquanto cantávamos, a cara dele ficou seria, e eu juro que pude ver um brilhinho nos olhos do loiro.

- Agora é hora do “com quem será?”. - Mina gritou. - COM QUEM SERÁ? COM QUEM SERÁ? - Todos começaram a cantar juntos, mas Deku, Kirishima e eu ficamos quietos.

- EU VOU EXPLODIR SUAS CABEÇAS INÚTEIS! CALEM A BOCA, COADJUVANTES MALDITOS! - Ele gritou de forma até que engraçada, parecia desconsertado.

- Galera, EI! - Kirishima começou a sobressaltar a voz, tremendo. - O BAKUGOU NÃO CURTE NINGUÉM, VAMOS PARAR COM ESSA COISA! - Reação estranha.

- Aí, que bando de manés. - Jirou bufou.

- Parabéns Bakugou-kun! - Eu disse para quebrar o clima e ele me olhou, parecia... Calmo ou feliz. É difícil dizer. - Vo-você tem que fazer um pedido antes que as velas se apaguem.

Ele se aproximou do bolo. Fechou os olhos por alguns segundos e assoprou. Ficou olhando para as velas depois de apagadas. O que será que ele pediu? Pra ser o herói número um? Não, Bakugou nunca pediria isso, ele faria por esforço, não por magia.

- UHUUUUULLLL, AGORA VAMOS COMER! - Mineta berrou tão feliz como se estivesse vendo uma garota nua. - PRA QUEM É O PRIMEIRO PEDAÇO?

- Pra mim. - O loiro pegou um pedaço de bolo com um biquinho fofo. Se jogou no sofá enquanto todos pegavam pedaços de bolo.

- SEM GRAÇA! 

- Não vai comer, Uraraka-san? - Deku me perguntou.

- Ah... É que eu não gosto de cerejas de bolo. Eu fico com essas coxinhas.

Uraraka Off

Bakugou On

Eu nunca tive uma festa surpresa. Eu não ligo para essas coisas idiotas, mas ver que todos estavam ali, inclusive ela, me deixou... Até que feliz. Nada demais, continuo não ligando. Acho que Uraraka esta me amolecendo.

Fiquei comendo meu bolo enquanto pensava em tudo aquilo. Deve ter sido ideia do Kirishima. Mas eu não sabia que todos gostassem de mim, mesmo eu sendo o que sou. Enfim, foda-se. 

- Gente, vamos jogar o jogo da garrafa! - O idiota das fitas sugeriu, muito animadinho pro meu gosto. Pikachu e a alienígena rosa fizeram uma cara maliciosa demais. Onde estou me metendo?

Sentamos em uma roda, até porque Kirishima me implorou para participar. Só faço isso por conta de tudo o que fizeram por mim, ou já teria explodido tudo e todos. Não pouparia um único fio de cabelo. 

- Muito bem. Pra início de conversa, eu quero criar regras para esse jogo não sair do controle - O oclinhos babaca começou. - Nada de desafios abusados ou perigosos - O cabelo de uva bufou - Entendidos? 

- Dá um tempo Iida, a gente nunca se diverte. Se não quer participar, vai dormir. - A menininha invisível falou. 

- Se não posso obriga-los, o meu dever é ficar e garantir que ninguém se machuque. 

- Calma aí, tem um detalhe - Kaminari pegou uma bebida - Quem for questionado, terá que beber um shot. - Um bando de babacas berrou em aprovação e o quatro olhos estava quase surtando. - Vamos Iida, vai ser legal, só dessa vez. 

- Só dessa vez... - Se deu por vencido. 

Pegaram uma garrafa e Mina foi a primeira a girar. Caiu na sapa e na tal de Momo. 

- Momo pergunta pra Tsuyu-chan. 

- Verdade ou desafio, Asui-san?

- Desafio, kero. - Então ela tomou um pouco da bebida. Todos festejaram pela escolha. Adoram ver alguém se foder. 

- Te desafio a limpar os óculos do Iida-kun com sua língua. - A garota começou a rir e só faltava Iida se matar. O desafio foi cumprido. Giraram a garrafa novamente. 

- Mina pergunta para Uraraka. - Agora eu quero ver. A cara de lua bebeu um gole e fez uma cara feia. 

- Nossa, isso é tão ruim, credo. Tá ardendo minha garganta.

- Verdade ou desafio, Urarakinha? - Mina falou maliciosamente. O que essa besta rosa está aprontando?

- Ve-verdade... - Ela disse baixinho, estava com medo.

- É verdade que você é apaixonada pelo Midoriya? - Senti minhas mãos latejarem. Por que estou com raiva dessa pergunta? Ao mesmo tempo que quero saber, tenho medo da resposta. Maldita, maldita, mil vezes maldita.

Eu não quero, Uraraka. Eu não quero gostar de você, eu não quero. Mas que maldição. Tudo agora me faz pensar em você, chegar perto faz eu sentir meu estômago revirando, faz eu querer te trazer pra perto e não soltar mais. Diga logo que gosta do nerd, talvez assim eu pare com essa idiotice absurda de me apaixonar.

- Não... Deku-kun é meu melhor amigo, só isso. - Cachorra.

- Iiiiih Midoriya, ficou na friendzone. Quem roubou a Uraraka-san de você, hein? - Mineta provocou. Deku fez uma cara esquisita, parecia um pouco de tristeza com raiva, mas foda-se.

- Mas eu também vejo a Uraraka-san como minha amiga. - Isso não soou nem um pouco confiante. Quer dizer que o maldito quer entrar no meu caminho? Mais uma guerra contra esse nerd. 

- Seeeeeiiii...

- Próximos. - Girou a garrafa novamente. - Kirishima pergunta para Mineta. - O nanico escolheu verdade. 

- Qual a garota que você mais quer pegar dessa sala? - Mineta ficou pensando e fazendo uma lista mental nojenta. 

- Olha, eu não recusaria nenhuma, mas a Jirou e a Asui... Não! Momo ou Uraraka! - Ele ficou babando depois de responder e fazendo gestos na frente do corpo imitando peitos.

- Mineta, isso é ridículo. - Momo disse brava. Olhei para a cara de bolacha e ela estava com lágrimas nos olhos. Chega! Esse foi o limite.

Minhas mãos esquentaram e eu peguei ele pela gola da camisa. Esse merda é mais leve do que uma pena. Todos ficaram me olhando assustados. Meus olhos encontraram os de Uraraka, úmidos. Aquilo me quebrou em pedaços e me fez perceber: não posso mais voltar atrás, estou apaixonado e acabado. O cabelo de uva se contorceu, agarrando minhas mãos e eu senti raiva o suficiente para matá-lo ali. Mas eu não sou um imbecil, eu só vou assustar... bastante.

- Se você não tem o mínimo de respeito - encarei ele como se quisesse furar seus olhos, porque na verdade eu quero - acho bom começar a ter. Eu posso te explodir aqui e agora, em um segundo. 

- Ba-bakugou, é brincadeira, me de-desculpa.

- Você está vendo alguém me impedir, maldito? - Ele negou com a cabeça. - É porque todos odeiam essas bostas que você cospe pela boca. Então peça desculpa para a Uraraka, não pra mim. - Ela me olhou corada e senti que todos perceberam meu erro, não citei Momo. - Momo também. - Completei.

- Me-me desculpem, me-meninas. - Ele as olhou, implorando pra fugir. 

- Agora é nossa vez, cabelo de uva, vamos brincar. Então tome um gole. - Passei um copo pra ele, que bebeu sem contestar. Ninguém tentou sequer interferir. O gelinho ambulante parecia tão puto quanto eu. - Verdade ou desafio, Mineta? - Me esforcei para fazer o sorriso mais macabro que era capaz. Ele ia abrir a boca, mas respondi por ele - Ótima escolha, desafio. 

Me levantei segurando sua camisa, levando-o até uma vassoura. Dei uma encravada de cueca que ele vai sentir até ano que vem e alguns começaram a rir, outros me pediram pra não exagerar. Deixei a cueca dele presa no cabo da vassoura. 

- Seu desafio é ficar assim até o final da brincadeira. - Ele não se pronunciou. Só ficou chorando e tentando aliviar o incomodo. Voltei ao meu lugar. - Agora podem continuar.

- Uau, quem não adora um bad boy? - Mina disse rindo. Passaram algumas rodadas e admito que foi engraçado. Momo foi desafiada a beijar o gelinho, Deku e Kirishima fizeram uma queda de braços, Mina desafiou a garota dos fones a dançar, entre outras merdas. - Próximos. Kaminari pergunta pra Uraraka. 

- Desafio! - A garota disse e bebeu um pouco. Ela estava meio rosa pelas rodadas em que havia tido de beber. Eu tive que beber um pouco, mas ainda aguento, apesar de estar meio animado demais, preciso de controle. 

- Eu te desafio a sentar no colo do garoto que você acha mais interessante da sala e ficar até o fim da brincadeira, mas você tem o direito de negar se achar abusivo.  - O QUE? Eu acho que fiquei nitidamente incomodado, porque o Kirishima ficou me olhando preocupado. Se ela sentar no colo de algum maldito, eu vou explodir de vez, não vai ser só o tarado que vai se fuder.

- Tá bom, hahaha. - Ela ficou rindo, claramente não muito consciente de seus atos. Ela olhou pra todo mundo do círculo e deu risada. 

Foi aí que tive o maior dos choques da minha vida. Ela veio devagar na minha direção, sorte que a essa altura, a maior parte dos babacas estavam alterados e ninguém percebeu o quão vermelho eu devo ter ficado. Ela se aproximou, bastante corada.

- Bakugou-kun, me dá licença? - Ela ficou me encarando e eu fiquei imóvel. 

Ela se virou e sentou na minha frente de costas pra mim, esperando eu abrir passagem pra ela. Abri um pouco as pernas sem pensar, afinal, eu ia jogar ela pra longe e acabar com a festa? Nenhum deles vai se lembrar disso, Katsuki, relaxa. Então devagar ela veio para trás e encostou no meu peito. Uraraka é tão pequena que me deu uma sensação de estar protegendo ela e a vontade de dizer o que sinto foi forte. 

Senti um gelo subindo pela minha coluna e me segurei ao máximo pra não despertar meu amigo. "Pensa na sua avó pelada, pensa na sua avó pelada". Quando percebi, a maioria tinha dormido, sobrando Mineta, Todoroki, Deku e Kirishima.

- Você é tão quentinho... - Olhei para baixo e vi a bolacha se aconchegando em mim, colocando o rosto entre meu peito e braço esquerdo. Ainda não caiu a ficha, minha mente tá explodindo. - Da para ouvir seu coração, Katsuki... - Foi inexplicável como me senti quando ela disse meu primeiro nome. Se eu não fosse eu, pediria que me chamasse assim para sempre. 

Uraraka adormeceu com um sorriso delicado no rosto. Não, não dá mais para voltar atrás mesmo, na verdade, acho que nem quero. Mesmo que esteja bêbada, ela me escolheu como cara mais interessante. Ela não estaria mentindo, estaria? 

- Vão ficar olhando? - Sussurrei quando notei os quatro me olhando. - Se algum de vocês disser um pio, eu explodo seus cérebros até sobrarem cinzas. - O maldito nerd se levantou de cara feia e foi pro segundo andar onde ficava seu quarto, sem dizer nada. Todoroki tirou Mineta da vassoura, que foi correndo pro banheiro, e foi para perto de Momo, que estava do outro lado da sala dormindo. 

- Então... - Kirishima começou - Ela... Parece que gosta de você...

- Cala a boca... - Olhei pra ela de relance. - Nunca pensei que fosse dizer isso, mas não consigo mais ficar longe dessa... Dessa coisa. Devo estar doente.

- Você está apaixonado, irmão. - Ele sorriu pra mim e saiu de fininho quando fiz cara feia. 

- Pois é, cara de bolacha... Você escutou essa? - Me levantei devagar com ela no colo, fazendo o máximo para não acorda-lá. Levei ela até o quarto, que ficava no terceiro andar, na frente do meu. Estava destrancado, então entrei. 

Coloquei ela na cama e a cobri. Fiquei olhando para ela por uns segundos, queria gravar aquela imagem. Antes que eu pudesse partir ela segurou meu pulso. Senti uma corrente elétrica passando por meus braços. 

- Fi-fica... Por favor... - Ela estava me olhando e eu, como um bom desgraçado, não resisti. 

Eu sei que deveria ser errado, mas essa atração vai além do meu controle, sinto que preciso ficar. Sinto que quero ficar perto dela enquanto ela permitir. Deitei ao seu lado, me cobrindo. Então ela me olhou e sorriu, chegando mais perto e colocando a cabeça no meu ombro. Minha mão foi até sua bochecha para acariciar. 

- Promete que não vai embora até eu dormir? - Ela perguntou. 

- Você promete esquecer disso tudo amanhã? 

- Não... - Ela riu. - Só fica aqui comigo, por favor.

- Sempre... - Game Over?


Notas Finais


Calma pessoal, pra quem não gosta que o casal fique junto rápido, vou fazer com que a relação seja um pouco mais lenta. Mas diculpe, sou muito ansiosa hahaha.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...