1. Spirit Fanfics >
  2. Let Me Be Your Man >
  3. Pagando Na Mesma Moeda

História Let Me Be Your Man - Capítulo 34


Escrita por: MoanaMalik

Notas do Autor


Tenham uma excelente leitura e não surtem, ok! Precisamos de vocês vivas para as bombas que estão por vir. Preparem o pano pra passar por Zayn também e já deixem nos comentários a cor que vocês escolheram. Kkk

Nao poderiamos simplesmente fazer de qualquer jeito pra chegar no hot... Tem todo um planejamento antes.

BOA LEITURA A TODAS ❤

Capítulo 34 - Pagando Na Mesma Moeda


Fanfic / Fanfiction Let Me Be Your Man - Capítulo 34 - Pagando Na Mesma Moeda

A imagem de um homem promíscuo definia perfeitamente o Levy, mas eu não me importaria de tentar algo, já que, como Zayn mesmo disse, eu pareço estar mais necessitada do que realmente pareço, o que o faz deduzir que eu não estou com ninguém e não quero que ele pense que tem razão.

— Você realmente não parece ser desse país ou qualquer outro que eu conheço... Suponho que veio do paraíso, acertei? — Gargalho jogando a cabeça para trás, balançando os meus cabelos na intenção de que ele me olhe ainda mais.

— Passou perto...— Eu mordo os lábios.— Digamos que por mais que eu pareça um anjo, não sou um. — Ele me olha surpreso, sorrindo de lado e descendo os olhos para meus peitos.

— Se não é um anjo, o que é? — Levy questiona mordendo os lábios. Aquilo quase tira a minha respiração.

— Bem... Eu te conto depois, mas agora...— O que eu vou fazer é ridículo, mas eu quero mesmo saber o porque dessa reunião estar demorando tanto e principalmente, qual o papel do deus grego aqui nela.— O que fazia lá em cima com o Malik e seus homens?— Finjo que não quero saber sobre a loira, mas espero que ele colha esse limão verde e me entregue bem maduro.

— Não acho que esse seja um assunto interessante pra gente agora. — Ele fala desinteressado e eu faço uma carinha pidona, fazendo um biquinho. — Mas bem, com você me olhando com esse biquinho lindo, eu posso me esforçar.

— Você é um doce. — Levo a mão até a sua coxa e aperto. Levy leva o copo a sua boca ao mesmo instante, me olhando sério enquanto bebe. Era até sexy.

— É só uma reunião de negócios que o Malik está fazendo com a minha irmã. Digamos que somos donos de uma empresa muito famosa em Paris e temos sociedade com ele, só pra expandi os negócios mesmo.— Eu sabia que esse cara era irmão dela. Ele fala com um pouco de arrogância, como se quisesse me impressionar. — Sério, tem homens mais interessantes que o Malik e você tem um bem na sua frente, sem contar que ele também tem um rolo complicado com a minha irmã.

— Mesmo? — Mantenho o meu olhar sério e desinteressado, como se aquilo não me afetasse.

— Sim, mas isso não importa. Eles são assim, ficam bem, depois voltam e ficam nesse iô-iô maluco. A minha irmã é louca por ele. — Ele bebe mais do conteúdo do seu copo. — Mas sério, quer continuar falando disso ou quer aproveitar comigo? Acho que a segunda opção é muito mais interessante.

— Pode ser. — Eu disse não tão empolgada como antes, pois as informações serviram como um chute no meu estômago, o que eu não devia estar sentindo, já que eu meio que sabia desses dois, ela deixou bem claro a relação tóxicas deles aquele dia no banheiro...

— Não fica assim, Chéri... Qual é, a gente está em uma das baladas mais fodas de Abu Dhabi... A Nerverland é onde tudo acontece. Cadê seu espírito festeiro de agora pouco, gata? — Ele tenta animar-me novamente. — Nao ficou assim porque te disse que o cara que você quer está com outra, né? — Vejo ele sorrir sem graça.

— Levy... Eu estou ótima, mas acabei ficando um pouco entendida. — Vejo que ele sorri com ironia. — O que foi?

— Fala sério! Nao minta pra mim. — Ele continua com um sorriso afetado.— Não é nada legal quando uma gata dá em cima de você só pra ter informações do cara que ela quer.— Ele se levanta um pouco irritado e eu me bato por ter sido tão idiota. Óbvio que ele percebeu.

— Foi mal, eu não quis...— Seguro o seu braço. pensando um pouco antes de dizer uma mentira com besteira. — Olha, não entenda mal, mas somos dois adultos e não estamos aqui procurando alguém pra casar, convenhamos.— Ele me olha atento. — Talvez eu tenha mesmo me interessado por ele e só quis saber o que rolava pra ficar com você numa boa. Agora que já sei que ele tem alguém, o descarto por completo e não seja hipocrita, sei que faria o mesmo se estivesse afim de alguém que não fosse eu, e me usaria como segunda opção. — Sou sincera e ele me olha com os olhos surpresos.— Sei que pode estar irritado agora, mas vamos jogar isso de lado e nos importar somente com o que queremos, e eu tenho certeza que é a mesma coisa, já que você não para de olhar pra os meus peitos e eu pra o volume em sua calça. — Mando a real, querendo mesmo acreditar nisso. Eu devia, já que o Malik claramente é carta fora do baralho.

— Você não é mesmo um anjo e é a mulher perfeita. — Ele morde a boca e chega mais perto, agarrando a minha cintura com força. Eu seguro seus braços musculosos, impressionada com tanta gostosura em uma pessoa só.

Ele logo sorri de lado pra mim, como se acabasse de ter tido uma ótima ideia.

— O que foi?

— Confia em mim?

— Não, eu acabei de conhecer você. — Ele me olha com a testa franzida. — Mas eu posso fingir que confio.

— Eu sei como tornar a sua noite mais interessante ainda, mesmo estando comigo aqui, é claro.— Se gaba, sussurrando na minha orelha e raspando a barba no meu pescoço quando me beija de leve. Eu me arrepio na hora.

— E o que seria? — Pergunto e ele beija a minha bochecha antes de se afastar e tirar algo do bolso. — O que é isso.

— Garanto que um mundo novo vai nascer aí na sua cabecinha e tudo vai ficar ainda mais divertido.— Ele chega no meu ouvido de novo.— Até mesmo quando eu estiver entrando fundo em você, gostosa.

Bem, o efeito dessas palavras não foi o mesmo como acontece quando Zayn me diz aquelas palavras sujas que me deixam molhada só de ouvir, mas eu não posso negar que foi quente.

— E isso é pra que? — Pergundo quando ele pede mais um shot de vodka para nós dois, me entregando um comprimido estranho. 

— Pra te fazer feliz.— Ele responde, já colocando o dele na boca e engolindo com a vodka. Eu engulo em seco, pois sei que não é muito inteligente aceitar qualquer coisa que for de um desconhecido.

— Eu não sei se quero...

— Qual é, eu te falei o que quis ouvir mesmo você me usando pra obter essas informações... sem falar que disse confiar em mim. — Ele fala convincente. Eu podia mesmo fazer isso como uma inconsequente, uma vez na vida nao vai fazer mal, vai? Só fazendo pra saber. 

— Tá bem. — Pego o copo da mão dele e coloco o comprimido na boca, engolindo aquilo com uma careta. Não tinha gosto nem nada. — O que acontece agora?

— Espere e verá, enquanto isso, vem dançar comigo? — pede sugestivo, colocando os copos no balcão e me puxando pra pista de dança. Nisso eu olho para cima, percebendo que eles ainda estão naquela reunião irritante e sem fim.

Levy começa a se mexer ao som da musica, apertando o meu corpo contra o dele enquanto me olhava com uma sensualidade absurda. Logo senti meu corpo esquentar e uma sensação estranha se fez presente, como se meu coração estivesse de fato batendo em minha garganta.

O som ficou mais alto e as cores ficaram mais vívidas, assim como as pessoas que começaram a ficar distorcidas, dançando com tanta lentidão que me senti parada, ao mesmo tempo que sabia que estava me mexendo junto com elas.

Meu corpo todo começou a esquentar e eu fiquei com uma vontade absurda de dançar enquanto abraçava ele.

— Essa música é muito boa. — Agarrei em seu pescoço e falei alto em seu ouvido. 

— A melhor. — Ele respondeu sorrindo pra mim. Ele tinha um sorriso tão bonito, mais tão bonito que eu quis lamber aquele rosto e chupar aquela boca.

— Você é tão bonito. — Eu disse rindo e jogando a minha cabeça para trás. — Eu estou tão feliz em ter conhecido você. 

— É mesmo? — Assenti pulando ao som da música. Nessa hora ele enfiou as mãos entre meus cabelos e chegou perto da minha boca, mas não me beijou. — Quer ficar ainda mais feliz? — Eu assenti, sentindo meu coração batendo alto, como um martelo... Não, como uma marreta. Ah, será que o martelo mágico do Thor consegue alcançar esse som que o meu peito faz? Aposto que não!

Ele se aproxima do meu rosto e uma risada alta sai dos meus lábios, pois seu rosto estava engraçado, como se ele tivesse ganhando uns dez quilos de gordura ali. Eu empurro ele, sorrindo como nunca antes.

— Não! — Coloco a mão na barriga rindo. — Você está muito rápido. Vai me engolir.

— O que?

— O que o quê? — Ele ri e eu também. — Você ia me beijar. — Seu rosto então volta ao seu estado natural, mas os olhos ficam brilhantes.

— Você não quer? — Nego, colocando a minha mão na boca.

— Não fica triste, pois eu não quero ainda. Mas eu quero tudo e quer saber? — Pergunto passando a mão em seu pescoço. — Eu sinto que posso fazer tudo!

Eu grito girando com os braços abertos depois que me afasto dele de novo, olhando pra cima e vendo que Zayn nos olha com uma cara nada boa. Nessa hora eu fico mais feliz ainda.

— Tudo que você quiser, amor.— Ouço a voz do Zayn e me viro pra traz de novo, vendo que não era ele. — O que foi?

Como assim? Por que a voz maravilhosa dele está nele ?

— Uau! — Toco seu rosto. — Você tem uma voz linda. — Falo com a boca aberta, sentindo como se meus dedos fossem se afundar em sua pele. — Eu sinto tudo em você.

— Sente é? — Era a voz do Zayn, a porra da voz dele. Me viro para trás outra vez, sentindo raiva quando o vejo beijando aquela loira no sofá bem ao meu lado.

Mas como assim? Ele estava agorinha me olhando la de cima! Quando foi que ele desceu?

— Eu não gosto da sua irmã. — Olho pra ele de novo, vendo que do meu lado Zayn e Perrie se beijam vorazmente agora na pilastra ao fundo. — Mas que...— Zayn pisca pra mim e volta a beijar ela agora bem do meu lado aqui na pista de dança.

Mas o que? Eles estavam na pilastra agora gente! Eu so posso estar ficando louca.

— O que disse? — Ouço a voz do Levy, não mais a do Zayn.

— Me sinto estranha. — Eu falo, colocando meus braços em seu pescoço e o abraçando.— Quero carinho. — Fecho os meus olhos, e iniciando uma dança lenta. Ele aperta a minha cintura e desce até a minha bunda. Eu abro os olhos para reclamar, vendo muitos Zayn’s e Perrie’s se beijando e eu não gosto nada nada disso.

— Você é uma delícia, hein!?—Ele me aperta mais nele.

— Quero sair daqui! — Falo me soltando, irritada por ver ele beijando elas. Como pode? Não devia ter Zayn pra esse tanto de Perrie, só pra mim. Mas se ele pode, eu também posso.

— Eu também. — Levy Fala. — Mas antes...— Ele aperta minha bunda e me beija, deslizando sua língua pra dentro da minha boca com brutalidade. Eu retribuo seu beijo, arranhando o seu pescoço e mordendo seus lábios com força.— Agora eu to duro pra porra. — Ele fala quando se separa.

Me atrevo a olhar pra cima mais uma vez e ele está la me olhando incredulo e com o olhar magoado, sorrio satisfeita porque foi exatamente assim que me senti quando o vi beijando aquela mulher aquela noite, touché baby!

— Me tira daqui. — Pedi sem tirar meus olhos do Zayn que agora nos encarava com muita raiva, Levy sorri e segura a minha mão, me puxando imediatamente pra fora pela porta lateral.


Notas Finais


Gente muito obrigada a todas pelo carinho e comprometimento de estar aqui com a gente hoje nesse surto coletivo e podemos garantir que ainda tem muuuuita coisa pra rolar, estamos nos dedicando muito a essa fic e podem ter certeza que faremos tudo o mais perfeito possivel pra vocês, ta?

Entao nos vemos amanhã queridas, um beijo grande no coração de todas vocês❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...