História Let me go see the light - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Bendy and the Ink Machine
Personagens Alice Angel, Bendy, Boris the wolf, Henry, Joey Drew, Personagens Originais, Sammy Lawrence
Visualizações 4
Palavras 3.252
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Ficção, Ficção Científica, Romance e Novela, Sobrenatural, Survival, Suspense, Terror e Horror, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Bissexualidade, Canibalismo, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Necrofilia, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 2 - Ato 2: anjo demoníaco


Abri meus olhos aos pouco e olhei para os lados ainda estava nesse maldito lugar poderia ser um sonho… quer dizer um pesadelo mas pelo menos eu iria acordar e conseguiria sair desse inferno mas como sempre a vida não é um chá com os amigos


Me levantei de onde eu estava, era um quarto com uma cama bem meia boca, não esperava nada tipo cinco estrelas mas era aceitável, bem estou aqui já faz algum tempo nem sei ao certo quanto tempo se passou me levantei e fui ir conversar com Boris que no caso só eu iria falar


Boris não é uma pessoa de muitas palavras, sendo que até agora nunca vi ele falar provavelmente ele deve estar tocando seu banjo na cozinha improvisada que ele fez, me levantei por completo para ir até lá mas parei e coloquei minha mão em meu estômago sentido ele revirar, minha garganta ficou seca e senti minhas pernas ficarem bambas corri em direção ao banheiro e abri a primeira por colocando minha cara em frente a privada e despejando todo o líquido indesejado do meu corpo para fora, minhas entranhas pareciam querer ir junto eu sabia que a qualquer hora essas sopas iriam fazer mal mas não tem outra coisa que comer


-ótimo… devo ter pegado intoxicação alimentar… eu só quero ir embora… - coloquei minhas mãos em meus cabelos e logo voltando a colocar minha cara na privada despejando mais líquidos de minha barriga


Era uma sensação horrível isso minha mente estava pedindo para meu corpo parar mas isso era impossível, dessa vez deve ter realmente passado esse mal estar me levantei e fui me olhar no espelho minha cara toda inchada meus cabelos bagunçados com manchas secas de tinta cortes em meus braços estava mais branco que um fantasma, eu realmente estava cágado sorri com esse pensamento


Sai do banheiro e fui “conversar” com Boris estava seriamente pensando em sair desse lugar e ir achar um meio de voltar para superfície, já que mesmo que eu fiquei aqui essas sopas não vão durar para sempre - provavelmente se a comida acabar Boris vai deixar de lado sua bondade e me atacar para me devorar em milhares de pedaços - balancei a cabeça estava pensando nisso de novo, Boris é tão gentil diferente de outras criaturas que encontrei ele realmente é bondoso


Fiz um pouco de sopa para nós e ele me entregou uma alavanca e apontou para a porta, entendi o que queria dizer e coloquei a alavanca em seu dispositivo e a virei para baixo destravando a porta


-Boris isso daqui vai ficar bem perigoso então se quiser ficar aqui onde é bem mais seguro pode ficar - o logo se levantou e veio em minha direção e saiu da casa - tem certeza Boris não quero que você se machuque - ele fez um “sim” com a cabeça e seguimos caminho


Logo a frente encontramos um caminho sem iluminação alguma e um armário, em minha cabeça eu já liguei os pontos ou eu iria precisar me esconder ou eu vou ter que andar no meio do escuro


-bem vamos lá Boris está pronto… se bem que está escuro demais não dá para enxergar nada - Boris cutucou meu ombro e me entregou um espécie de lanterna - wow, valeu cara isso deve servir


Entramos na escuridão e logo me arrependi era extremamente escuro e parecia um local onde as máquinas funcionavam tinha várias engrenagens para os lados e muita fumaça, claro não poderia esquecer da tinta tinha alguns canos no teto onde a tinta passava e fazia um barulho terrível e com isso Boris veio correndo e me abraçou e começou a tremer, fiz um cafuné em sua cabeça e prosseguimos até fora desse breu


-bem sem saída… você tem alguma ideia Boris - Boris pegou a lanterna que estava na minha mão e entrou em um duto de ventilação e depois disso o portão começou a abrir - não sei o que fez ao certo Boris mas obrigado - comecei a andar e logo me vi em um novo estúdio esse eu não conhecia, a única coisa que eu sei é que pertence a Alice - wow eu realmente não me lembro disso daqui… deve ter uma saída aqui em algum lugar


Achei uma alavanca para abrir a porta e assim fiz prosseguindo para outra sala, que esta parecia ser uma espécie de almoxarifado, tinha vários bonecos, a maioria seno da Alice pelo jeito ela não fez tanto sucesso assim… bem só espero que ela seja boazinha afinal ele relembre tem que ser um anjo, depois de um pequeno quebra cabeça consegui passar para a próxima sala, na primeira vista eu me toquei que estava em um lugar onde Alice deveria dar seus shows, era até bonitinho tinha várias coisas de anjo ao redor da sala até as luzes se apagaram… espera o que


Um áudio da animação da Alice começou a tocar e a luz do cenário de fundo se acendeu, eu me aproximei para poder enxergar o que estava acontecendo - um grande erro meu - até eu ser brutalmente jogado para trás devido ao vidro que tinha se quebrado só pude ver Alice totalmente distorcida gritando “eu não sou um anjo” depois disso as luzes se acendem novamente


-eu vi você… uma nova mosca presa em minha teia… vamos ver se você pode se juntar aos anjos - sua voz ecoou em minha cabeça, até eu recuperar minha consciência e voltar ao normal


Eu não acredito que eu fui tão tolo ao pensar que além de Boris, teria Alice para me ajudar a sair desse maldito lugar mas eu estava terrivelmente enganado… devo ser mesmo um idiota, continuei seguindo caminho e encontrei uma bifurcação ambos os lados pareciam que levavam para o mesmo lugar só tinha uma pequena diferença, um era do anjo e outro do demônio… sendo a conclusão mais lógica fui pelo do anjo porém o portão se fechou na minha cara e eu bati meu rosto nele


-sério mesmo… eu realmente vou ter que ir por ali… - disse falando para todos os cantos esperando alguma coisa me responder mas nada aconteceu


Prossegui pelo caminho do demônio me arrependi logo que pus meu pé nessa sala, a maioria de seu interior era cheio de tinta e peças mecânicas espalhadas para todos os cantos sem falar nos bonecos do Bendy que estavam jogados para todo canto dando um belo cenário de um filme de terror, segui pelo caminho toda hora olhando para os lados me certificando de que nada iria me atacar, mas eu tinha a estranha sensação de estar sendo vigiado


Estava quase saindo do caminho do demônio, porém um enfeite de papelão do Bendy apareceu na parede me dando um susto me fazendo cair no chão, para minha sorte era apenas Boris que me ajudou a levantar e abaixou suas orelhas deixando a entender que tinha se desculpando, Boris me entregou um pedaço de cano colado a uma fita, pelo menos alguma coisa para se defender prosseguimos até a próxima sala e chegamos em um elevador


Estava meio óbvio que isso era uma armadilha e o elevador iria despencar, tentei evitar de entrar nele de primeira indo para uma porta que estava do seu lado, mas como sempre isso é clichê em filmes a porta estava trancada, não me restou outra opção a não ser entrar no elevador, Boris entrou nele e eu fui logo em seguida as portas então se fecharam e ele começou a descer com a voz de Alice ao fundo


-você é realmente interessante… tão diferente dos outros… parece que conseguiu um encontro com o anjo venha até minha nível nove… apenas siga os gritos…


Alguma coisa estava bem errada nisso daqui, era meio óbvio que isso é uma armadilha e eu burro estou indo ter um “encontro” com um anjo, que mais parece a mulher do demônio, tínhamos chegado na sala onde Alice estava por via das dúvidas pedi para Boris ficar no elevador já que podia ser perigoso e lá estaria seguro e ele estava lá quietinho com um osso que tinha achado no chão em sua boca


A sala de Alice era digna de um filme de terror, tinha vários Boris mortos amarrados com seu peito totalmente estourado - pelo menos ele não vai precisar ser obrigado a ver isso - pensei comigo mesmo e logo cheguei na sala onde Alice estava, só não esperava que ela estivesse torturando uma criatura de tinta, que pelo jeito estava implorando por piedade


-bem o que eu faço agora… eu te mato… arranco seu coração para me tornar mais bela… são tantas escolhas, você olhou em volta vendo todas aquelas aberrações casa coisa imperfeita tem seu propósito de morte, preciso deles para me manter viva… eu estava na beira da morte quando nasci daquele útero de tinta me rastejando como uma lesma perdida em um mar de sal mas eu nasci de novo… e me tornei um anjo… eu não vou deixar o demônio me tocar de novo… não vou deixar ele me arrastar para o abismo novamente… certo eu vou te poupar dessa vez farei até melhor te deixarei sair desse lugar MAS só depois que fizer alguns pequenos favores para mim… vamos lá menino de entregas o elevador te espera - escutei cada coisa que ela falava atentamente e depois disso  voltei para o elevador indo fazer suas tarefas




Eu pensava que anjos eram coisas boas e te ajudariam… como estava enganado Alice é totalmente diferente seu humor é totalmente negro eu quase MORRI ajudando ela e ela faz piada disso… só estou fazendo isso realmente porque quero sair desse lugar infernal


-muito bem garoto de entregas, vamos fazer outro favor… porque não quebramos alguns Bendys pegue uma ótima arma para esse trabalho - um dispositivo foi acionado e apareceu em uma espécie de bancada um machado o peguei e subi para o nível K


-destruir isso… não sei porque são intensivos… - disse olhando para um enfeite do Bendy e logo lembrando que essa coisa ficava me vigiando todo o tempo - pensando bem


Levantei meu machado e acertei em cheio o enfeite que se desfez em vários pedaços, e ao redor das paredes e do teto uma mancha enorme de tinta apareceu, achando isso bem estranho me escondi em um armário que tinha ali perto, fiquei ali para ver se alguma coisa acontecia e o Bendy passou na minha frente


-oh eu esqueci de dizer, ele odeia quando eu faço isso de eu fosse você me escondia… ops acho que eu disse isso em uma hora errada - ela disse rindo logo em seguida


A voz de Alice foi ouvida pela sala toda e lógico a criatura que é idêntica ao Bendy escutou e abriu um armário que estava na minha frente - é o fim vou morrer agora - pensei segurando o machado nas minhas mãos


A criatura de tinta jogou o armário para outro canto da sala o e várias manchas de tinta começaram a aparecer e o esmagaram como se fosse papel… eu estava muito fudido…


Bendy abriu o armário em que eu estava, olhei diretamente para ele seu sorriso doentio estampado em seu rosto sua tinta que ficava escorrendo de sua cabeça, estava me dando calafrios não pensei duas vezes acertei o machado em seu rosto e tentei sair do armário - um puro erro - a criatura nem sentiu meu ataque e fez tinta aparecer em meus pés me prendendo no chão e antes de notar fui acertado pelo seu braço e fui jogado para outro canto da sala


Minhas costas ardiam minha visão estava começando a ficar preta e se aquilo não for sangue eu não sei o que é… ele se aproximou de mim e passou suas mãos no líquido vermelho que começava a se explanado pelo chão seu dedo coberto de tinta manchado agora em vermelho foi em direção a sua boca o provando, usei isso como distração e tentei sair dali me arrastando parecia que minhas pernas foram quebradas eu não estava assentindo direito isso era agonizante e desesperador, pude escutar que a criatura ria da minha patética forma de fuga colocando seu pé em minhas costas e forçando meus grito de dor pareciam que eram apenas músicas para seus ouvidos, seu pé afundou mais em minha costas eu pude escutar um osso meu sendo partido isso se não foram todos os meus ossos que se partiram


Ele me virou e começou a esmagar minha barriga, seu sorriso doentio estava ainda estampado em seu rosto, sadista do caralho, então era isso assim que eu iria morrer… sem ter feito nada de útil nessa inútil e patética vida que eu tenho sou mesmo um idiota se não tivesse vindo até aqui não estaria nessa situação… pelo menos Boris está a salvo no elevador… olhei para o lado vendo Boris entre as grades do elevador seus feição de preocupação e medo era o que mais destacava em seu rosto


A criatura de tinta abriu por completo minha barriga deixando exposto meus órgãos e minhas entranhas, enfiando seu rosto em minha barriga e me mordendo por dentro, se eu tivesse forças ao menos continuava a gritar mas estava já na beira da morte, meus olhos iam se fechando minha visão estava totalmente embaçada, a criatura de tinta estava aproveitamos ao máximo meu órgãos os jogando em todos os cantos da sala como uma brincadeira depois disso eu apaguei por completo





-Joey… Joey… você tem certeza disso é estranho ter tudo isso de tinta


-deixe de besteira Henry, Bendy irá fazer sucesso e lógico precisamos de toda essa tinta para podermos fazer a animação


-a animação com meus desenhos você quer dizer… mas quando você vai resolver me pagar por isso


-... Bem porque não vemos isso de outra forma


-sai seu pervertido…


-você é todo medroso não irei fazer nada com você, claro só basta pedir… hahaha olha sua cara de vergonha


-besta…


-bem de volta ao trabalho temos muito o que fazer e desenhar




Meus olhos se abriram por conta própria eu estava no meio de tinta, com várias vozes em meu ouvido, eu só estava me perguntando como ainda estou vivo bem depois de ver tinta se mexendo e criando vida não duvido mais de nada desse lugar, olhei para frente e uma luz apareceu e parecia que alguém estava me chamando fui me arrastando em direção a voz e fechei meus olhos devido a luz… agora eu morri de vez ? Onde estou estou no céu ? No inferno…


-ei seu idiota acorde… - escutei a voz de Alice nos meus ouvidos - pare de olhar para o além e vá fazer o que eu mandei


-o que… - balancei minha cabeça e olhei para os lados, eu estava no elevador com Boris do meu lado - Boris… o que aconteceu… onde estamos


Boris apontou para frente mostrando a placa escrita “level K” ignorei o que disse já que não ia receber uma resposta já que Boris é mudo


Comecei novamente a quebrar os enfeites de papelão do Bendy tendo que me esconder da criatura que tinha me matado da outra vez, não faço a menor ideia de como voltei mas pelo jeito ninguém lembra que morri, talvez tenha sido coisa da minha cabeça… terminei de quebrar o último enfeite do Bendy e Alice disse que eu podia voltar para o level nove e fazer o último favor que era matar um bando de criaturas de tinta que ela disse que iriam levar ela de volta para o abismo, eu estou achando que isso é conversa furada dela já que ela está trancada lá na sala dela


-muito bem… bem tenho só mais um último favor


-você disse isso a dois favores atrás…


-bem como eu ia dizer você terá que descer bem mais para baixo, mais e mais, irá se encontrar com um velho amigo, bem te darei um poder de fogo para sua ajuda - uma tommy gun apareceu na bancada e lógico que eu fui seco pegar ela, mas assim que a fiquei ela virou tinta - ops cuidado isso é difícil de segurar


-está de brincaria comigo… espero mesmo que isso seja o último favor…


Fui em direção ao elevador e desci até o nível dezenove, Boris ficou no elevador e eu saí do mesmo, dessa vez Alice me pediu para pegar uns corações de algumas criaturas que estavam jogadas no chão


-olhe ele está bem ali, nosso querido amigo projetista se eu fosse você tomaria cuidado se quiser ver a luz do sol de novo tentaria voltar com vida - ela riu de seu próprio comentário


-estou no meio de doentes mentais…


Andei mais para frente e me agachei vendo o projetista era uma criatura que tinha um projetor em sua cabeça, agora sim posso dizer que já vi de tudo… fui com cuidado em meio ao rio de tinta em que eu estava indo pegar os corações e logo dando o fora daquele lugar deixando o projetista lá vagando pela sala em círculos


-você os pegou… eles ainda estão pulsando em sua mão… que maravilha


Entrei no elevador e subi até o nível nove e entreguei os corações para Alice, só não vi a reação dela mas tenho certeza que ela adorou que eles ainda estou pulsando e jogando tinta para aos lados


-muito bem garoto de entregas suas tarefas terminaram, é hora de ir para casa só precisa subir com o elevador para a superfície - achei estranho isso… como assim ir do nada embora… não vou argumentar com isso dei meia volta e entrei no elevador junto do Boris e começamos a subir os andares


-sabe eu tenho um sonho, me vejo em um lindo campo de flores onde estou livre desse maldito lugar você tem tanta sorte… espero que aproveite bastante sua liberdade… - ela começou a rir e cada vez ficava mais histérica - não… você realmente achou que ia sair tão fácil assim - o elevador começou a despencar - pois bem Henry eu sei quem você é e sei o que veio fazer aqui, não vou deixar você partir com meu Boris… ele é o Boris mais perfeito que eu já vi - Boris saiu do canto do elevador e me abraçou com medo - não vou deixar você tirar ele de mim, eu preciso dele… bem se você não vai entregar por bem que seja por mal, eu vou pegar ele de você quando você MORRER - sua risada doentia fazia sincronia com o desespero que eu estava sentindo em meio a um elevador que estava despencando e a qualquer momento ia chegar ao chão





Meus olhos se forçaram a se abrir, alguma coisa estava impedindo de me levantar, Boris estava me sacudindo desesperadamente, eu tentei avisar a ele que Alice estava atrás de si mas minha voz não saia


-olha meu querido Boris - o lobo ficou parado e começou a tremer - você está pronto para ter um momento com um anjo


Boris de levantou e se afastou tentando correr, porém Alice o agarrou e o amarrou em várias cordas o jogando no chão


-você do me causou problemas, mal posso esperar serei perfeita novamente… - ela veio até mim - o que foi Henry parece preso… não se preocupem quando você morrer irei encaminhar sua alma para o paraíso - ela começou a rir e a puxar Boris para fora da sala me deixando lá em meio aos escombros do elevador



Continua........



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...