História Let me love you - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias VIXX
Personagens Leo, Ravi
Tags Leo, Ravi, Taekwoon, Vixx, Wonsik, Wontaek
Visualizações 160
Palavras 1.875
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drabble, Droubble, Fluffy, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Faaaaala, pessoal! Quem é vivo sempre aparece, né? Pois então...
Esta história é uma sequência da minha história favorita, a "Mimesis", que pelo jeito é a favorita de vocês também, certo? Já que é a minha história com mais favoritos, suponho que sim.
Enfim, esta história tem cenas de sexo e por isso se você não se sente confortável, evite lê-la.
Espero que gostem e boa leitura!

Capítulo 1 - Capítulo Único


Taekwoon era diferente, ele era livre e profundo. O jovem alto de cabelos escuros e feições bonitas gostava de viver seus dias de maneira despretensiosa. Ele dizia que criar expectativas era tolo e não entendia o motivo pelo qual as pessoas ao seu redor acreditavam na vã idéia de que o caminho deveria ser mais excitante do que o destino. Gasto de energia, ele pensava.

Na sua contramão estava Wonsik. Para o rapaz alto de sorriso fácil todos os dias eram uma nova oportunidade de começar de novo. Wonsik era idealista, ele era vibrante e seus sonhos não pareciam caber dentro do peito. Taekwoon sentia como se o outro fosse o próprio Sol e todos à sua volta fossem meros corpos menores que o orbitavam.

Alguns meses após o pedido ousado para que fosse seu modelo vivo, Wonsik percebeu-se envolvido pela personalidade mais atraente que já havia conhecido. O mais novo gostava da presença de Taekwoon em sua vida, o silêncio entre eles nunca fora constrangedor e o rosto que inspirava suas obras mais recentes dava paz ao seu espírito inquieto.

Mas por serem tão diferentes nem sempre era fácil manter a harmonia entre eles. Às vezes Wonsik sentia-se uma onda de rádio completamente diferente da do outro que se sobrepunham e causavam interferências na transmissão.

“Wonsik” Taekwoon chamou batendo na porta do apartamento do mais novo.

Nenhuma resposta.

Com as duas mãos espalmadas na grossa porta de madeira, Taekwoon encostou sua cabeça nela e pediu pela décima vez naquele dia “Abre essa porta, Wonsik. Eu sei que você está aí.”

Alguns minutos parado ali em frente à porta de Wonsik, Taekwoon estava prestes a desistir e ir embora quando ouviu o som dos trincos sendo abertos. A porta foi aberta e em pé com as roupas sujas de tinta, como o habitual, Wonsik o encarava sem dizer nada apenas dando a entender que ele poderia entrar.

Fechando a porta às suas costas, antes que Taekwoon pudesse dizer qualquer coisa, Wonsik o interrompeu em seus pensamentos dizendo:

“Olha... Foi mal, ok? Eu não devia ter perguntado nada. É óbvio que essa coisa de namorados não faz o seu estilo. Podemos fingir que eu nunca banquei o adolescente que quis passear de mãos dadas e aquilo nunca aconteceu.” Ele sorriu, mas não parecia feliz.

Taekwoon automaticamente sentiu seu olhar pesar e encarou o chão, não queria ter magoado o outro. Não era assim que as coisas deveriam ser.

A verdade era que Wonsik sentia-se envergonhado por ter se deixado levar pelos seus sentimentos um tanto quanto juvenis.

                Era mais uma das tardes nas quais passavam juntos no apartamento e ateliê do estudante de artes, Taekwoon estava deitado sobre o colchão da cama do mais novo completamente nu e tinha a expressão serena que fazia o coração do outro bater fora do compasso. Ele não se segurou e diante da cena deixou escapar a pergunta que estava na ponta da língua há algumas semanas:

“Taekwoon, você quer namorar comigo?”

               

“Não” Taekwoon respondeu segurando o rosto de Wonsik dando beijos carinhosos por toda sua face “Eu gosto quando você banca o adolescente que quer passear de mãos dadas.” E o mais novo sorriu involuntariamente.

“É que... nunca ninguém tinha me pedido em namoro antes. Não sei como isso funciona.” Taekwoon disse rindo baixo.

“Mas eu pedi.” Wonsik respondeu olhando no fundo dos olhos de Taekwoon.

“É... pra tudo tem uma primeira vez, certo?” respondeu ele sorrindo.

“Você quer?”

“Sim...”

Wonsik inclinou-se para beijar Taekwoon nos lábios finalmente sentindo as mãos do outro subir para sua nuca e embrenhar os dedos em seus cabelos.  Taekwoon sentiu as mãos quentes de Wonsik passear pelas suas costas e afastou-se para olhá-lo nos olhos.

“O que a gente faz agora? Sai para jantar, vai ao cinema e na volta transamos?” Taekwoon perguntou rindo levemente do clichê que imaginou.

“Acho que a gente já pode pular pra parte que a gente transa.” Wonsik disse fingindo uma expressão de pensativo.

Taekwoon puxou Wonsik pelo braço em direção ao quarto. Antes de sentar-se na beirada do colchão, o mais novo deixou Taekwoon despi-lo: primeiro a camiseta e em seguida as calças.

Wonsik abaixou-se para beijar Taekwoon de joelhos entre suas pernas, uma mão do lado do pescoço do outro e a outra segurando o colarinho da camiseta dele. As mãos de Taekwoon subiram até os ombros de Wonsik afastando-o para quebrar o beijo e o mais novo olhou profundamente nos olhos negros do amado enquanto este apontava para o seu colo com uma pequena curva nos lábios.

Os dedos de Taekwoon rapidamente trabalharam para abaixar a cueca de Wonsik revelando o pênis ereto dele implorando para ser tocado. Sem perder tempo, Taekwoon segurou o pênis do mais novo que pulsou contra a palma de sua mão. Gentilmente, a mão de Wonsik se direcionou para a nuca do outro e o guiou para perto de sua virilha até sentir a respiração quente dele contra sua pele.

Com a língua molhada contra sua glande, Wonsik assistiu seu pênis deslizar para dentro da boca de Taekwoon centímetro por centímetro. Wonsik apoiou-se em seus cotovelos e gemeu baixo conforme sentia ir cada vez mais fundo em direção à garganta do mais velho. Foi preciso concentrar-se para resistir o impulso de estocar dentro da boca dele.

Taekwoon gostava muito de fazer sexo oral em Wonsik e gemia enquanto o chupava causando vibrações muito prazerosas por todo corpo do mais novo. Como se estivesse lambendo um doce, Taekwoon percorria as veias do pênis de Wonsik com a língua e sugava a glande deliciosamente sentindo sua própria ereção pulsar dentro de sua cueca ao mesmo tempo em que sentia a mão do outro puxando seus fios de cabelo com mais força.

Wonsik queria gozar e, para evitar que isso acontecesse antes do momento certo, puxou a cabeça de Taekwoon para trás que gemeu em protesto. Então precisou pressionar a base de seu pênis para que não estragasse tudo diante daquela cena tão sexy.

“Minha vez.” Sussurrou no ouvido de Taekwoon ajudando-o a levantar-se para despi-lo finalmente.

Deitado, Taekwoon afastou suas longas pernas para acomodar Wonsik entre elas. O mais novo tirou proveito da posição na qual estavam para traçar uma trilha de beijos do pescoço de Taekwoon até seu torso, a pela macia dele era um dos pontos fracos de Wonsik que amava beijá-la.

Taekwoon esticou dolorosamente o braço direito para alcançar o lubrificante e um pacote de preservativos que ficava no criado-mudo de Wonsik. Satisfeito com a urgência do mais velho, Wonsik levantou-se para espalhar um pouco do líquido frio em seus dedos. Taekwoon tomou aquilo como um sinal para afastar ainda mais suas pernas obscenamente antes de sentir a intrusão do dedo médio de Wonsik em sua entrada.

A sensação de desconforto inicial já era conhecida, mas o cenho franzido do mais velho preocupou Wonsik “Tá bom assim?” perguntou movimentando seu dedo dentro dele.

“Não” Taekwoon reclamou “Mais um...” pediu fazendo Wonsik sorrir de lado ao introduzir dentro dele seu dedo indicador também.

Taekwoon gemia com o vai e vem dos dedos de Wonsik, mas recusava a se tocar antes de realmente tê-lo dentro de si e forçou a parada daquele ritmo torturante. Com as pernas trêmulas e os músculos de sua entrada se contraindo, Taekwoon virou-se se posicionado de quatro para o mais novo que imediatamente o recado.

”Tão impaciente...” disse Wonsik enquanto abria a embalagem do preservativo.

Aplicando um pouco mais de lubrificante, Wonsik posicionou-se diante das nádegas expostas de Taekwoon e pressionou seu pênis em sua entrada. Até que encontrasse a velocidade perfeita para fazer o mais velho atingir seu ápice, Wonsik estocava em diferentes ângulos estimulando todos os seus pontos de prazer.

“Gostoso” Wonsik sussurrava no ouvido de Taekwoon que começou a se masturbar sentindo seu orgasmo se aproximar.

“Para!” Taekwoon demandou com autoridade de repente.

Wonsik parou de se movimentar sem entender o que estava acontecendo e se retirou de dentro de Taekwoon naquele exato momento.

“Encosta aqui...” O mais velho indicou a cabeceira da cama “Eu quero sentar no seu colo.”

Wonsik gemeu. Aquela era a posição favorita de Taekwoon e era muito difícil se controlar diante da visão que era aquele homem lindo descendo e subindo em seu colo.

Para a surpresa de Wonsik, Taekwoon alcançou sua ereção latejante retirando o preservativo antes de posicionar-se em seu colo. Envolvendo o pescoço do outro com os braços fortes, Taekwoon gemeu alto fazendo Wonsik gemer também.

A posição atual permitia que eles se beijassem, beijos afobados e lascivos enquanto Wonsik masturbava Taekwoon no mesmo ritmo que este subia e descia contra seu seu pênis. Wonsik já não agüentava mais e podia dizer o mesmo de Taekwoon cujas pernas tremiam levemente e estavam perdendo a força.

“Dentro?” foi a única coisa que Wonsik perguntou antes que Taekwoon respondesse positivamente com a cabeça e gemesse enquanto seu próprio pênis pulsava contra a palma de Wonsik atingindo seu ápice.

O mais novo segurou firmemente Taekwoon pelo quadril e estocou forte algumas vezes antes de atingir seu orgasmo dentro dele. A sensação de gozar dentro de Taekwoon pela primeira vez foi fenomenal.

Taekwoon levantou-se do colo de Wonsik para deitar ao seu lado suado e com a respiração ofegante. Ele apenas riu da expressão abobada do mais novo que parecia em êxtase e fechou os olhos sentindo suas pálpebras pesarem.

Neste meio tempo, Wonsik recuperou o fôlego e se levantou em busca de alguma toalha para se limparem. Taekwoon virou-se para o lado e observou alguns quadros nos quais Wonsik estava trabalhando nas últimas semanas.

Mais ou menos um mês atrás, o aspirante a artista havia recebido uma proposta de exibir algumas de suas obras em uma galeria de arte de Seul. Não era grande coisa, três ou quatro peças no máximo. Taekwoon havia se tornado a inspiração de Wonsik desde o dia em que posara para ele pela primeira vez, por isso os quadros que exporia seriam uma pequena sequência de quadros inspirados no rapaz de cabelos negros e pele alva que fazia o coração de Wonsik perder o ritmo. O carro-chefe da exposição seria um retrato do mais velho, abstrato obviamente, em tons de azul.

“Vermelho.” Afirmou virando-se para fitar o rosto sorridente de Wonsik ao seu lado.

“O quê?” questionou o outro sem entender do que Taekwoon estava falando.

“Você disse que se eu fosse uma cor eu seria azul.” Respondeu apontando para o seu retrato. “Porque assim como eu, o azul é calmo e profundo. O azul te inspira e te tranqüiliza.”

Wonsik apenas afirmou com a cabeça e sorriu largamente achando bonita a forma como o outro recitava suas palavras.

“Então você é vermelho. Você é vibrante, apaixonado. Me dá vontade de viver.”

E o mais novo teve a certeza que Taekwoon era a pessoa mais incrível que já conhecera e sentiu-se muito sortudo por finalmente poder chamá-lo de namorado sempre que sentisse vontade.

“Que bom!” respondeu triunfante. “Porque azul e vermelho dão roxo. E roxo sempre foi a minha cor favorita.”

De repente a expressão séria de Taekwoon se quebrou em uma risada clara e alta:

“Nossa! Você é tão brega...” disse debochando de Wonsik antes de se inclinar para beijá-lo carinhosamente nos lábios.

“Eu sei que você gosta.” Wonsik afirmou sendo convencido. 


Notas Finais


Ééééééé... Tenho me esforçado para escrever smuts melhores, não sei se meu esforço tem dado muitos resultados, mas espero que sim! Está bem tarde agora, ou cedo, depende da sua perspectiva (exatamente 2:58 da manhã) haha, portanto, não revisei muito bem o que escrevi peço perdão adiantado caso haja algum erro de português ou digitação.

Fiquem à vontade para criticarem o que vocês acham que deveria melhorar, esse feedback é muito importante para mim.
Obrigada por terem lido e até a próxima. Beijos <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...