História Let Me Love You: The Worst Is Coming - Capítulo 18


Escrita por:

Postado
Categorias Justin Bieber
Personagens Justin Bieber, Personagens Originais
Visualizações 112
Palavras 6.797
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oiie, amorees! Aqui estou eu para postar mais um capítulo pra vocês.

O link da dança que Brianna faz para o Justin está nas notas finais. Atenção... ela dança apenas as duas músicas da Beyconcé. Pulem o vídeo pra 1:53 mais ou menos.

As ações do noivo seriam as do Justin e a coreografia a que a Bri dança para ele. Espero que gostem. Beijos da Camz. ❤❤

PS: Na foto é o anel que Justin usou para pedir ela em casamento e ao lado as alianças dos dois.

Liz, te amo minha flor. 💜💜

Comentem bastante pra me deixar feliz. ❤❤

Capítulo 18 - We can make love


Fanfic / Fanfiction Let Me Love You: The Worst Is Coming - Capítulo 18 - We can make love

Boston, Massachusetts — 2019, 00:12min

Justin Bieber PON

Quando a música finalmente termina, Brianna se afasta de mim e beija minha boca antes de soltar minha mão.

Vejo Scarlett trazendo uma cadeira e colocando no centro da pista. Aleh, Rebecca, Charlotte e Emily reaparecem usando vestidos curtos agora e Brianna vai para o meio delas depois de calçar um par de saltos brancos. Franzo a testa. Brianna de salto?

—Aproveite o show. —Scar diz enquanto me empurra para sentar.

Uma multidão se forma atrás de mim e vejo Ryan, Mason e Chaz sedentos olhando suas mulheres. Scar parece que a qualquer momento vai agarrar Rebecca e a levar para foderem em algum banheiro por aqui. Mas que porra tá acontecendo?

Uma música da Beyoncé e do Jay Z começa a tocar e eu vejo Brianna tomar a frente, fazendo passos coordenados e sincronizados junto com as meninas. É como se tudo ficasse embaçado e eu só pudesse enxergar ela, minha mulher.

Faço um sinal para ela e começo a rir, a vendo começar a dançar para mim. Rebolando e se movendo de forma rápida, ela executa a coreografia perfeitamente e eu me mexo na cadeira, cada vez mais louco.

Nego com a cabeça, sorrindo vidrado em como o corpo dela se move. Fico sentado de pernas abertas e apoio uma mão no queixo, balançando a cabeça no ritmo da música.

Quando uma outra começa a tocar, algumas luzes se apagam e Brianna continua dançando, quicando no chão em alguns momentos. Ah, porra! Isso tudo é pra mim.

Me puxando pelas mãos, ela me coloca de pé e eu agarro sua cintura e a beijo, abraçando seu corpo. Depois de me deixar no centro, ela e as meninas continuam a dançar ao meu redor.

Todos vêm para a pista de dança e vejo Mason agarrando Aleh, Chaz segurando a mão de Emily, Ryan tomando Charlotte nos braços e Scar puxando Rebecca pela cintura.

A música continua rolando e eu puxo Brianna para mim, beijando seu pescoço.

—Se seu objetivo era me deixar louco, ele foi alcançado com sucesso. —seguro a mão dela em cima do meu pau por um segundo ou dois.

—Justin! —Brianna arregala os olhos rindo e se vira para olhar se alguém viu. —Já pensou se um dos fotógrafos flagra isso com as câmeras?

—Ah, eu faria um quadro dessa foto e colocaria na parede da nossa sala. —mordo sua bochecha e ela revira os olhos e se abaixa para tirar os saltos, ficando descalço.

—Vem, meu pai ainda não te cumprimentou. Aproveite todo mundo porque nosso voo sai em algumas horas. —beijo ela na testa e a puxo para a mesa onde Cyrus, minha mãe, Jeremy, Jazz e Jaxon estão sentados.

Eu amo essas pessoas aqui, mas estou louco para estar dentro do meu avião indo para Miami com a minha mulher.

Boston, Massachusetts — 2019, 02:38min

Brianna Bieber PON

—Onde está a Scar? Não posso ir sem me despedir dela. —olho em volta, fazendo biquinho.

—Rebecca foi procurar por ela e ainda não voltou, Bri. Depois que pegou o buquê a Scar meio que surtou. É melhor vocês irem. —Mason fala e eu franzo a testa, sentindo ele estranho. 

Me lembro da icônica cena da Scarlett pegando meu buquê. Seria engraçado se ela fosse pedida em casamento por Rebecca e não o contrário. 

—Digam a ela que mandei um beijo e um abraço. —agarro Alfredo pelos ombros e ele beija minha testa.

—Aproveite a viagem, patroinha. —sorrio para ele e vou até Connor.

Justin está falando com seu pai e os irmãos. Olho para Pattie e Cyrus vindo até mim e estendo os braços para pegar minha Avalanna do colo da avó.

—A mamãe está com o coração apertado por te deixar assim, meu amor. —colo o rostinho dela no meu. Suas mãozinhas se prendem em meus cachos e ela faz uma careta. —A mamãe te ama muito, tá minha princesa? Nos vemos em alguns dias. —distribuo beijos por todo seu rosto e depois a devolvo para Pattie e abraço meu pai.

—Boa viagem, filha. Eu te amo muito. —ele beija minha testa.

—Eu te amo também, papai. Obrigada por tudo. —aceno para ele. Abraço Pattie e beijo seu rosto, vendo o sorriso que ela tem nos lábios porque vai ficar cuidando da neta pelos próximos dias.

—Avalanna ficará bem, minha querida. Quero que você e Justin tirem muitas fotos. —balanço a cabeça.

Lottie, Emily, Ryan, Chaz vem até mim junto do meu irmão e da cunhada mais linda que eu poderia ter.

—Uma semana que vamos ficar sem você. Parece que vai ser um mês inteiro. —Aleh diz com o rosto vermelho por causa das lágrimas.

—Ei, meu anjo. Não tem por que chorar, sim? Em sete dias vou estar de volta. —beijo o rosto dela e nos abraçamos. —Obrigada por existir na minha vida, Aleh. Obrigada por tudo. Eu te amo demais.

—Eu te amo também, Sra. Bieber. —ela diz me fazendo rir. Vejo Justin se despedindo de Pattie e da nossa filha, a jogando no ar duas vezes e depois a segurando no alto.

Justin volta para perto de nós e conversa algo com meu irmão que assente com a cabeça, mantendo um semblante sério. Mason está muito estranho.

—Você mereceu tudo isso, Bri. Nós amamos você. —Chaz, Emily e Lottie me abraçam juntos e eu seguro o choro. Quando me soltam, fazem fila para poderem beijar minhas bochechas e eu abraço Ryan, sorrindo para ele.

Vou até Mason e ele me tira do chão quando nos abraçamos.

—Eu amo você, pivetinha. Aproveita essa lua de mel, tá legal? —ele beija minha testa e eu balanço a cabeça.

—Também amo você, irmão. Muito.

—Podemos ir, preta? —Justin agarra minha mão e eu o beijo antes de acenarmos para a nossa família e entrar no carro dirigido por Logan. Gavin está ao lado, no banco do motorista.

Woods está em um carro atrás, nos escoltando. E quando damos a partida, eu olho para todos do lado de fora. Não consigo abaixar o vidro porque sei que vou desabar outra vez se olhar nos olhos de cada um deles. Dou um sorriso porque não vai demorar para que e volte para a minha família e porque os próximos dias seremos só Justin e eu.

Miami, Flórida — 2019, 05:00min

Justin Bieber PON

Quando o avião está quase pousando, Brianna se mexe em meu colo e começa a rir. Não dormimos durante toda a viagem, o que é estranho. Não para mim, estou acostumado a ficar acordado. Mas ela sempre apaga, dessa vez foi diferente.

—Que foi, amor? —pergunto passando meus dedos por cima do seu rosto.

—Estou me lembrando de como foi quando você voltou para Baltimore. Naquela noite que apareceu na boate e eu estava trabalhando. Quase caí dura no chão quando te vi sentado no bar me pedindo uma bebida. —um sorriso surge nos meus lábios com a lembrança.

—Ah, seu coração deve ter batido tão forte. É uma pena ter feito tanto cú doce nas primeiras semanas. —nego com a cabeça e Brianna me dá um leve tapa no braço.

—Eu ainda sentia ódio de você, mas fico feliz por termos superado isso. —a beijo na testa, pegando sua mão e vendo a aliança dourada junto com o anel de noivado que dei para ela.

—É, Sra. Bieber. Nós conseguimos. —Brianna abre um sorriso para mim e segura meu rosto, se aproximando para me beijar.

Quando finalmente chegamos ao aeroporto, ela se levanta animada e me puxa pela mão.

—Ao invés de irmos direto para o hotel, eu pensei de passarmos em alguma praia antes e ver o sol nascendo. O que acha? —ela pergunta tão radiante quanto uma criança.

—Eu acho que é uma ótima ideia, amor. —a beijo na testa e descemos do avião vendo Woods e Gavin descarregando nossas malas.

—Deixem essas malas aí e venham conosco, queremos ver o mar antes de ir para o hotel. —falo alto, chamando a atenção dos dois.

Logan faz um sinal com a cabeça e os dois assentem, tomando seus lugares nos carros de trás. Há três Audis Q7 pretos e eu abro a porta para que Brianna entre no do meio.

Olhando para o céu limpo, ela aperta minha mão enquanto Gunnar dá a partida, seguindo para a praia de South Beach. Ergo meus dedos e brinco com seus cachos ainda presos pelo enfeite de cabelo.

Ainda nem trocamos de roupa e Brianna está com a maquiagem intacta e o all star branco todo customizado nos pés outra vez.

—Achei extremamente criativo você se casar de tênis. —comento, beijando seu rosto outra vez. —Mas o que me surpreendeu foi quando você colocou os saltos só para dançar para mim.

Eu não consigo manter minha boca ou mãos longe dela. É inevitável que eu a toque ou a beije de minutos em minutos.

—Eu quis impressionar você, J. Eu nunca uso saltos, não ia morrer por ficar com eles por alguns minutos. —ela balança os ombros.

—Você sempre me impressiona, Brianna Bieber. —abaixo o vidro para que possamos olhar melhor a cidade de Miami que parece prestes a acordar.

—Quero aproveitar o dia e fazer um monte de coisas, J. Assim, quando chegar de noite, vamos estar cansados e ter uma ótima noite de sono. —Brianna diz e eu olho para ela.

—É muito bom ver você com essa disposição, amor. —sorrio malicioso e ela começa a rir, negando com a cabeça.

Logan estaciona o carro no acostamento, perto da praia. Assim que descemos, Brianna abre outro sorriso enquanto vê o mar pouco distante de nós.

Caminhando com ela até onde as ondas se quebram, abraço seu corpo por trás e fixamos nossos olhos no horizonte, aonde o sol começa a aparecer.

—É incrível que estejamos aqui, J. Você não acha?

—Só o que importa é que eu estou com você, preta. Nada além disso. —Brianna se vira para mim e fica me olhando feito boba. —Que foi?

—Eu sou louca por você, Justin Drew Bieber. Só isso.

—Sorte a minha. —a beijo outra vez, agora nos seus lábios perfeitamente desenhados.

Um raio de sol começa a nos iluminar, batendo em nossos rostos. Seguro Brianna no colo e giro com ela, fazendo com que ria e me abrace.

—Acho bom que a gente vá até o hotel trocar de roupa e volte para cá.

—Eu apoio essa ideia. —voltamos para o carro e eu faço um sinal para Logan.

Brianna entrelaça nossas mãos e eu beijo os nós dos seus dedos, grato por estarmos juntos.

Miami, Flórida — 2019, 07:10min

Brianna Bieber PON

Enquanto entramos na suíte mais cara do hotel, observo as paredes decoradas com quadros notavelmente muito valiosos e o chão de porcelana polido de forma impecável.

—Meu pai não brincou quando disse que seria um hotel de luxo. —comento com Justin.

Ele anda vagarosamente pelo quarto e depois de acionar as cortinas e deixar o ambiente escuro, começa a desfazer o nó da sua gravata.

Me olhando fixamente enquanto caminha na minha direção, Justin me deita na cama e fica por cima de mim. Suas mãos sobem para as finas cordas de cetim do meu vestido e desfazem os laços.

Fico toda trêmula de expectativa. Ah, ele vai fazer amor comigo cacete! Pensando bem, acho que podemos ultrapassar da regra de fazer só sexo oral.

Esses pontos já estão praticamente cicatrizados e eu não vou aguentar ficar sem sentir Justin atravessando minhas paredes por nem mais um dia.

Depois de tirar seu blazer e desabotoar os primeiros botões da sua camisa, ele pressiona os lábios no meu pescoço e desce até minha clavícula.

—Você é linda, Brianna. Mas conseguiu me deixar ainda mais louco enquanto dançava para mim daquele jeito. —uso um dos meus pés para tirar o tênis.

—Eu não teria dançado se esse não fosse meu objetivo. —consigo dizer, comprimindo os lábios por causa dos gemidos que começam a escapar.

—Acho que é justo que eu te devolva a sensação que eu tive naquele momento. —sua voz rouca diz contra minha pele e eu agarro os lençóis quando uma das suas mãos me invadem por baixo do vestido.

Você me deixa louco, você me faz agir como um maníaco

Eu sou como um lunático, você me deixa doente

Você é honestamente a única que consegue fazer isso comigo

Você simplesmente me faz enlouquecer

Eu fico maluco, eu fico tão insano que simplesmente fico esquizofrênico

Descendo-o até abaixo dos meus seios, Justin começa a distribuir beijos e mordidas suaves ao redor dos meus mamilos e eu me contorço toda embaixo dele, sentindo aquela dificuldade de respirar que eu tanto gosto.

—J... —quando vou mover minhas mãos para tocar seu cabelo, Justin segura meus pulsos acima da minha cabeça, me impedindo de tocá-lo.

Antes que eu possa organizar as palavras e protestar, seus dedos longos começam a brincar com meu clitóris e eu inclino a cabeça para cima, estranhando o fato e estar sentindo tudo mais intensamente do que eu me lembrava.

—Eu estou ansioso para passar os próximos sete dias amando seu corpo durante horas, Brianna. E pela expressão no seu rosto agora eu imagino que você também esteja. —Justin continua me beijando em todas as partes do meu corpo e depois que tira meu vestido completamente, suas mãos deslizam e apertam minhas coxas.

Me mexo embaixo dele, frustrada por seus dedos não estarem mais lá. Ah, ele está brincando comigo!

Quando consigo erguer minha cabeça para olhar para ele, vejo um sorriso surgir em seus lábios antes que Justin afunde o rosto no meio das minhas pernas.

Soltando um gemido alto, agarro os cabelos dele e puxo com força enquanto sua língua quente e habilidosa me acaricia carinhosamente na fonte de calor do meu corpo.

Metendo ela dentro de mim e fazendo movimentos circulares, Justin suga meu botãozinho e minhas pernas tremem conforme eu afasto mais os joelhos querendo que ele continue e não pare.

Pressiono meus olhos com força, abrindo a boca e sorrindo enquanto sinto meu marido se empenhando em me dar prazer. Aí, merda! Ele vai me matar desse jeito.

Você é a minha razão de ser

O sentido para a minha existência

Se não fosse por você eu nunca seria capaz de desabafar isso

Tão intenso como eu faço, e a ironia

Você conta comigo

Como eu conto com você para me inspirar como você faz

Você me dá o fluido para recarregar meu fogo

Você é meu estoque inteiro de gás, o fósforo e o isqueiro

O único jeito de eu ser capaz de me manter tão estável

Quando dois dos seus dedos me atravessam, eu me sinto no meu limite e me concentro em não entregar o jogo para ele. Ainda não. Tirando e os colocando de novo, noto Justin sufocando gemidos e o volume da sua calça cada vez maior. Ah, porra! Eu quero ele dentro de mim. 

—Justin... —digo ofegante, fazendo com que ele me olhe e comece a esfregar seu polegar no meu clitóris pulsante.

—Vamos, Brianna. Goze! —Justin segura o peso do seu corpo e continua esfregando seu dedo em mim, fazendo com que eu sinta lágrinas surgindo nos meus olhos. —Quero sentir você explodindo e depois sugar cada gota que vazar dessa sua bocetinha doce. —ele se abaixa de novo, passando o nariz por cima do meu sexo.

Incapaz de me controlar por mais um segundo, eu libero meu líquido por seus dedos e tombo a cabeça enquanto Justin lambe cada parte. Ah, como eu senti falta disso!

Você é o ar que eu respiro

Eu acredito que se você me abandonasse

Eu provavelmente não teria mais razão pra viver

Você é a palavra que eu estou procurando

Quando eu tento descrever como me sinto por dentro

E a palavra certa simplesmente não vêm à minha mente

Você é como o travesseiro que me sustenta

O feixe que me apoia

A esposa que nunca se divorciou de mim

Você é como a raiz de toda a minha fraqueza

Você deixa meu demônio vir até mim

E não importa o quanto, demais nunca é suficiente

Baby porque nós estamos loucamente apaixonados

Miami, Flórida — 2019, 09:07min

Justin Bieber PON

Quando me afasto um pouco para ir ao banheiro pegar uma toalha e limpar Brianna, suas pernas se entrelaçam ao redor da minha cintura e ela puxa minha camisa, estourando os botões.

—Brianna, nós não...

—Não me deixe assim, Justin. Eu preciso de você dentro de mim agora, por favor. —ela cola a testa na minha depois de me puxar contra seu corpo.

Observo os pontos quase cicatrizados e passo meus dedos pelo corte, suspirando e sentindo meu membro doer de tão duro.

—Tem certeza? —pergunto cuidadoso, tocando seus lábios.

Brianna assente e começa a tirar minha calça junto da cueca, livrando meu pau rígido e me olhando com ânsia.

—Por favor. —seus dedos descem pelo meu pescoço, passando do meu peito até chegarem na minha ereção.

Arfo contra o pescoço dela enquanto sinto sua mão me masturbar suavemente, me provocando o suficiente para que eu comece a gemer contra o seu ouvido.

Brianna tomba a cabeça e geme junto comigo, me acariciando e sentindo minha extensão inchar por entre seus dedos.

Eu falo sério, quero te mostrar

Como é quando o seu coração bate rápido

E o suor escorre pelo seu corpo

Estou rugindo alto (diga comigo)

Estamos rugindo alto

Você perde se chegar lá primeiro

Chegar lá primeiro, deixe estourar

Meu trabalho é fazer você gozar

Não segure, solte tudo

Como se estivéssemos jogando um com o outro, Brianna muda de posição e me empurra contra o colchão, pressionando seus seios em meu peito antes de deslizar com a sua boca pelo meu corpo.

Arranhando suavemente minhas coxas, ela abocanha meu pau e começa a chupar, usando sua língua para me deixar ainda mais louco.

Gemendo alto enquanto ela engole meu membro, agarro seus cabelos e sinto as veias do meu pescoço engrossarem. Massageando minhas bolas, ela continua com as sugadas como sua mais perfeita forma de me torturar.

Brianna mantém um ritmo lento que me deixa à beira de perder completamente a cabeça e antes que ela consiga fazer com que eu exploda na sua boca, a puxo e meto os dedos nela outra vez sentindo seu sexo gotejando, pronto para me receber.

Eu tenho um brinquedo grande, posso colocar em você?

Quero puxar seu cabelo, tenho algumas coisas em mente

Essa boceta me deixa louco

Não estou mentindo garota, eu só quero rugir agora

Diga comigo, amor, nós estamos rugindo alto

Meu trabalho é fazer você gozar

Não segure, solte tudo

Trocando de posição outra vez, me coloco na sua entrada e esfrego a ponta do meu pau ali, fazendo com que ela se contorça embaixo de mim de forma que eu sinta seus mamilos cheios roçando em mim.

Beijo e mordo sua orelha, descendo minha boca para beijar seus lábios enquanto começo a me afundar dentro dela.

—Aaah! —ela geme contra minha boca e eu sugo sua língua, usando minhas mãos livres para afastar e apertar suas coxas.

Com leves movimentos de vai e vem, começo a sair dela e entro de novo, indo ao delírio enquanto me lambuzo ali dentro.

Continuo minhas investidas com cuidado, checando para ver se os pontos de sua barriga continuam fechados.

Nossos corpos suados pressionam-se um contra o outro e minha garota abre a boca, tentando respirar enquanto gemidos deliciosos escapam do fundo da sua garganta.

Sinto sua boceta mastigar meu pau e no segundo seguinte ela goza. Me mexo por mais alguns minutos antes de cair satisfeito ao seu lado na cama e a puxar para os meus braços e admirar o sorriso que Brianna exibe para mim.

Miami, Flórida — 2019, 13:29min

Brianna Bieber PON

—Justin, anda logo. Se nos atrasarmos pro passeio de Jet Ski eu juro que vou afogar você. —termino de colocar meu biquíni e pego um chapéu e meus óculos escuros.

—Nossa, mas a gente mal casou e você já tá querendo ficar viúva? —Justin sai do banheiro com os cabelos molhados, uma bermuda e óculos escuros.

Depois que transamos na cama, fomos tomar banho juntos e isso resultou em mais sexo oral dentro do box. Ah, eu me sinto ótima.

—Não quero ficar viúva, mas também não quero perder o passeio de Jet Ski, amor. —digo a ele enquanto damos as mãos e saímos do quarto.

Logan, Gavin e Woods já estão prontos para ir com a gente até a praia.

—Você poderia ter dispensado eles de vir atrás de nós na nossa lua de mel. —comento com Justin. Feliz pelos três ao menos estarem usando roupas casuais e não aqueles ternos quentes.

—Todo cuidado com a sua segurança ainda é pouco. —ele fala e entramos no elevador. —Deixei dois seguranças para acompanhar Avalanna em qualquer lugar que minha mãe decidisse levá-la também. —Justin explica e eu deito minha cabeça em seu ombro.

Liguei para Pattie e fizemos uma vídeo chamada. Avalanna estava se divertindo com Jazz e Jaxon. Aparentemente Jeremy passou lá para se despedir e as crianças queriam ver Ava. Estou feliz por minha filha estar bem, de fato.

Troquei algumas mensagens com Aleh e ela disse que ia ao shopping com as garotas hoje começar a procurar por alguns possíveis vestidos. Lamentei não estar lá, mas ela me garantiu que não será tão rápida quanto eu na decisão e que há chances de só escolher depois que eu e Justin estivermos de volta.

Ao atravessarmos o saguão e depois a rua, observo a imensidão do mar diante de nós e tiro meus chinelos, sorrindo ao pesar na areia.

Justin beija minha mão e caminhamos para os Jet Skis na beira do mar, esperando pelos turistas que pagaram para dar uma volta.

—Você sabe mesmo pilotar essa coisa? —pergunto desconfiada depois que Justin pega a chave e me passa um dos coletes salva vidas enquanto coloca o outro.

—É a primeira vez que eu subo nessa coisa, mas deve ser que nem pilotar moto. —faço uma careta.

—Estou me perguntando se devo ficar com medo agora.

—Relaxa, preta. Não há nada com o que se preocupar. —Justin sorri que nem criança e depois de beijar minha testa, ele sobe e me olha.

—Você não vem? —observo o sorriso de menino que ele tem nos lábios e me pergunto se é porque vamos andar nessa coisa ou pelo sexo maravilhoso que fizemos nas últimas horas.

Talvez sejam as duas coisas, mas com certeza mais por causa do sexo. Olho para trás e pela primeira vez, vejo Logan, Woods e Gavin com possíveis sorrisos enquanto observam Justin e eu.

Nego com a cabeça rindo e subo em cima dele com cuidado, sentindo o balanço do Jet Ski por conta das ondas.

—Tá, J. Agora você vai devagar porque... —antes que eu termine de falar, Justin dá a partida e sai disparado.

Me agarro a ele, sentindo um frio na barriga. O motor faz um barulho alto e Justin começa a fazer graça, dando voltas e fazendo manobras, ao meu julgar, muito perigosas.

—Justin! —grito rindo quando ele finge que vamos virar.

—Relaxa, preta. Eu já sei pilotar bem isso. Olha. —ele dirige contra uma onda e quase caímos pra fora do Jet Ski. Caralho!

Fico rindo de nervoso e grito com ele, vendo o idiota de divertir com meu desespero. O sol está quente e brilha fortes no céu límpido, e eu me permito aproveitar esse momento com o meu marido.

Acho que eu acabo me distraindo muito porque caio do Jet Ski e quase me afogo por causa de uma onda forte que bate em mim.

Justin fica rindo que nem idiota da minha cara e eu dou o dedo do meio para ele.

—Viu como tudo que você faz um dia volta pra você? Me ameaçou dizendo que ia me afogar e agora tá aí. —ele me zoa.

—Vai se foder, Justin! Me ajuda a subir de volta nessa coisa! —começo a rir.

—Só se você pedir com jeitinho, preta. Aí eu te ajudo. —quando vou abrir a boca para ameaçar ele de morte, sinto algo tocar meu pé e tento subir sozinha, fazendo o Jet Ski virar e Justin cair na água também.

—Justin, eu senti alguma coisa! —abraço ele e subo nas suas costas, apavorada. —Acho que era um tubarão.

—Não viaja, Brianna. Deve ser só um peixe.

—Justin, eu... —sinto de novo e antes que eu tenha um surto, o golfinho sai da água e dá um salto, fazendo com que eu volte a respirar normalmente.

—Um tubarão. —Justin acaricia o bicho que nos olha de um jeito engraçado e eu fico toda derretida, erguendo minha mão e o tocando também.

—Para de debochar de mim, ridículo. Anda, vamos voltar para a praia. —ele desvira o Jet Ski e sobe, me ajudando em seguida.

Dou risada lembrando da minha queda e me agarro mais a ele enquanto pilota de volta para a praia.

Miami, Flórida — 2019, 15:11min

Justin Bieber PON

—Você está todo queimado de sol, J. —Brianna diz enquanto passa protetor solar nos meus ombros e depois no meu peito.

—Eu não passei protetor solar no hotel, preta. Deve ser por isso. —dou de ombros e ela puxa minha orelha. —Aí, amor! —dou uma risada e a puxo para mim.

Estamos deitados embaixo de um guarda sol há quase uma hora. O passeio de Jet ski foi melhor do que eu pensei que seria. Principalmente quando Brianna caiu na água e se assustou porque com o golfinho. Depois eu caí também e não teve tanta graça assim, mas foi divertido.

—Você tem que se cuidar, Justin. Como você saí no sol quente que nem o daqui sem passar protetor?

—Já vai começar a brigar comigo, é? —seguro o riso e beijo seus dedos.

—Não estou brigando, J. Só falando. —ela passa os braços ao redor do meu pescoço e cola nossas testas.

—Já tiramos muitas fotos hoje ou posso bater mais algumas? —pergunto tirando meu celular do bolso e Brianna nega.

—Pode tirar mais algumas, amor. Eu deixo. —ela deita a cabeça em meu peito.

Tiro mais fotos de nós dois e mando para o grupo da nossa família no whatsapp.

Charlotte: Brianna linda como sempre. Já o Justin está parecendo um camarão frito.

Eu: Se fode Charlotte. :)

Panda Africano: Minha irmã está com uma cara ótima, Bieber. Pelo visto você está cuidando dela.

Scar: Isso porque ainda é o primeiro dia da lua de mel e eles ainda não devem ter transado o suficiente pra Brianna ficar com a expressão de quem quase morreu de tanto dar. Kkkkkk

Mãe: Vocês estão lindoooos! Justin, não se esqueça do protetor solar. Aaah, que saudade! Mande um beijo para a Brianna, filho.

Eu: Certo, mãe. Tenho que ir. Amo vocês, pessoal. Menos você, Charlotte.

Charlotte: Você me amando ou não minha eu sigo plena, Bieber. :)

Eu: Um carro bem que podia te atropelar um dia desses. Só acho. 

Desligo o celular e o guardo no bolso outra vez, vendo Brianna bocejar.

—Melhor comermos alguma coisa e voltar para o hotel, preta. Você precisa descansar.

—Você também, J.

—Não, eu não. Enquanto você dorme um pouco eu vou sair para comprar umas coisas. —beijo a testa dela antes de nos levantarmos.

Indo comer frutos do mar em um dos quiosques, penso na noite especial que planejo dar a ela hoje. Tomara que saia tudo como estou planejando.

Miami, Flórida — 2019, 21:39min

Brianna Bieber PON

Quando estou saindo do banho escuto Justin voltando para o quarto. Depois que almoçamos, ele me colocou para dormir.

Acordei por volta das oito da noite e ainda não tinha voltado do tal lugar misterioso que ia.

O encontro diante da cama tirando algumas coisas da sacola. E na mesa ao lado há uma tigela com morangos e chocolate. Aah.

—Você demorou, amor. —dou um beijo em seu rosto antes de ir pegar algo para vestir.

Justin me segura pela mão, impedindo que eu me afaste dele.

—Não, não vista nenhuma roupa. Quero tentar uma coisa. —ele fala e eu o encaro com a testa franzida. —Confia em mim? —assinto com a cabeça.

—Por que está me perguntando isso?

—Deita na cama, vou prender você. —Justin tira dois pares de algemas da sacola e eu fico boquiaberta. Justin Grey agora, meu Deus do céu?!

Faço o que ele manda sem questionar e me deito de toalha, vendo Justin se inclinar por cima de mim e prender meus pulsos nos ferros da cama.

Depois de tirar minha toalha e me deixar completamente nua, Justin diminui a iluminação do quarto.

Ele tira sua roupa e fica só de cueca, ligando o som e subindo em cima de mim. "Ride" começa a tocar na voz do SoMo e eu já me tremo toda no meio das pernas.

Justin tira uma vela vermelha e pega um isqueiro na gaveta da mesinha ao lado da cama, acendendo-a e me encarando.

—Não vai doer, mas você vai se assustar um pouco. —balanço a cabeça, engolindo em seco.

Deslizando uma mão pela minha perna, ele me toca lá embaixo e acaricia meu clitóris por um momento antes de derramar a cera da vela no meio dos meus seios. Fecho meus olhos, aproveitando a música.

Tire esses saltos, deite em minha cama

Sussurre sacanagens enquanto estou puxando seu cabelo

Veneno em nossas veias, mas nós nem ligamos

Velas pingando em seu corpo, amor isso não é verdade ou desafio

Todo mundo se pergunta, para onde nós corremos

Meu corpo no seu corpo, amor, grudados como cola

Safada, vamos ficar safados, garota são só uma ou duas

A febre está correndo, porra, sinta o calor entre nós

A expectativa é tudo que eu tenho agora. Eu não sei de fato o que Justin está planejando, mas estou louca para descobrir.

Pingando mais cera em mim, ele faz uma trilha que passa pela minha barriga antes de chegar no meu umbigo.

Se curvando para beijar meu pescoço, Justin pinga mais um pouco na parte interna da minha coxa.

Não dói, mas o primeiro contato da cera quente com a minha pele me pega de surpresa. Mas a sensação é boa, gostosa eu diria.

Puxo meus pulsos por puro impulso, querendo tocar o homem em cima de mim e me contorcer loucamente.

Justin espalha a cera por todo meu corpo e eu fecho meus olhos, sentindo-me estranhamente excitada.

Quando penso que vai começar a me tocar, ele acende outra vela e volta a fazer o mesmo processo, me testando e mantendo seus olhos fixos nos meus.

Eu vou cavalgar, eu vou cavalgar

Eu vou cavalgar, eu vou, eu vou cavalgar

Em você amor, em você moça, a noite toda, toda, a noite toda

Eu vou cuidar do seu corpo

Serei gentil, não grite

Está ficando mais quente, faça isso mais suave, sentir seu peito sobre o meu

Eu vou cavalgar, eu vou cavalgar

Eu vou cavalgar, eu vou, eu vou cavalgar

Em você amor, em você moça a noite toda, toda, a noite toda

Eu vou fazer você sentir esse amor, fraquejar em seus joelhos

Beijar seu corpo desde sua cabeça

Direto até seus pés

Miami, Flórida — 2019, 23:08min

Justin Bieber PON

Brianna me olha cheia de expectativa enquanto continuo pingando cera sob seu corpo. Pego um morango na tigela com chocolate e o jogo na boca, me abaixando para beijá-la.

Mordendo um pedaço da fruta, ela tenta me tocar outra vez. Mas está completamente presa.

—Justin... —ela choraminga, descendo seus olhos para o volume em minha cueca enquanto mastiga o morango.

Lambendo o canto da sua boca aonde há um pouco de chocolate, desço com meus beijos pela trilha de cera que passa pelo seu corpo até chegar em seu sexo.

Brianna mantém suas pernas arreganhadas para mim e eu dou um sorriso ao sentir o cheiro que exala do meio delas.

Beijando e mordendo a parte interna da sua coxa, eu penso se é hora de acabar com a doce tortura da minha garota.

Ahh, e nós podemos ir devagar

É, podemos ir devagar. Ohhhh

Deite-se de costas, você gosta disso lá

Não precisa dizer duas vezes amor, não tem nada a temer

Tirando isso de volta, de volta para claridade

Rolando e rolando, soando que o amor está no ar

Eu vou cavalgar, eu vou cavalgar

Eu vou cavalgar, eu vou, eu vou cavalgar

Em você amor, em você moça...a noite toda, toda, a noite toda

Eu vou fazer você sentir esse amor, fraquejar em seus joelhos

Beijar seu corpo desde sua cabeça

Direto até seus pés

Beijo seus joelhos e vou descendo até seus pés, mostrando a ela o quanto eu venero seu corpo.

Passando uma das pernas ao redor do meu pescoço, ela tenta me puxar de volta para onde eu estava, me olhando com súplica.

—Minha garota está precisando de atenção, não está? —subo com meus dedos até seu sexo, vendo-o brilhar de tão lubrificado.

—Sim, precisa. Vamos, Justin. Pare de brincar comigo. —ela implora, tentando arrancar seus pulsos para fora das algemas.

Conhecendo Brianna como conheço, imagino como está sendo difícil para ela não me tocar agora.

A chupo vagarosamente, sem pressa ou pudor algum. E ela geme alto, se abrindo ainda mais para mim.

Deslizando minha língua para dentro dela, seguro em sua cintura para tentar mantê-la no lugar e sinto o suor escorrer da minha testa e pingar no pé da sua barriga, resultado do esforço em controlar meu pau duro que pulsa dentro do tecido da cueca.

Fechando os olhos e balançando a cabeça de um lado para o outro, Brianna dá um impulso para cima quando meto minha língua bem fundo dentro dela.

—Você está demorando mais para gozar dessa vez, preta. Aprendeu a brincar?

—Não me provoque, seu cretino. Eu... —meto a língua o mais fundo que posso e ela começa a tremer, me fazendo sorrir vitorioso. —Você não vai conseguir tão fácil assim, Justin. Não dessa vez. —ela garante e eu me afasto um pouco.

—Será que não? —arqueio minhas sobrancelhas e enfio três dedos dentro dela, vendo seu botãozinho quase explodir.

—Ah! —Brianna fica ofegante quando começo a movê-los e eu me excito ainda mais sentindo toda a sua umidade cobrir meus dedos.

Quando ela está prestes a se entregar, abaixo minha cueca e me afundo nela. Deslizando tão facilmente para dentro do seu corpo como uma faca desliza na manteiga quente.

Agarrando minha cintura com suas pernas, ela começa a se mover à medida que entro e saio dali através de investidas lentas e cuidadosas.

Acariciando seus seios e me abaixando para beijar seu pescoço, Brianna morde meu ombro quando sua boceta começa a se apertar ao redor da minha extensão grossa e rígida, gemendo junto comigo.

Quando seu líquido se derrama sobre mim, eu aumento as investidas e dou um rugido ao lançar minha porra toda dentro da minha mulher, e senti-la desfalecer completamente embaixo de mim.

Solto seus braços das algemas e ela rola na cama, deitando sob meu peito e adormecendo completamente. Incapaz de me manter acordado esta noite, eu acabo pegando no sono também sentindo nossos corpos melados se grudarem um ao outro.

O sol está chegando

Você está do meu lado

Eu esfrego sua coxa

Você olha em meus olhos, e eu só vejo o céu

Estou tão alterado, mas eu não fumei nada, apenas estou voltando ao normal

Soltem ela, soltem ela por favor! Berro alto, puxando as correntes enquanto tento alcança-la. Brianna está no chão, ensanguentada e chorando.

Um dos homens me dá outro murro e eu viro a cabeça, cuspindo sangue no chão.

Não! O grito dela faz com que eu fique acordado, me mantém disposto a não entregar o jogo. Merda! Eu só quero que tirem Brianna daqui, não quero que ela veja o que vão fazer comigo!

Sinto um aperto no peito e ouço passos, levantando a cabeça e tentando enxergar com o olho que ainda não está totalmente inchado.

Vejo o homem loiro de terno e seus olhos azuis, a frieza por trás deles. Sorrindo para mim, um dos seus capangas entrega uma arma na sua mão e eu o vejo engatilhar o revólver.

Brianna me encara com lágrimas nos olhos e sussurra que me ama antes que o tiro acerte bem na sua cabeça e eu grite desesperado. Seu corpo cai ao chão e eu sinto dor. Dor e ódio. E tudo que eu faço é gritar.

Miami, Flórida — 2019, 03:16min

Brianna Bieber PON

Acordo assustada com Justin gritando e se mexendo na cama agitado, urrando de dor.

—Justin... hey! —me sento na cama, tocando o rosto dele e tentando acordá-lo.

—Brianna, não! —ele grita por mim e eu fico angustiada.

—Justin, meu amor. Eu estou aqui. —mexo em seu cabelo e ele acorda de repente, xingando e agarrando meu pescoço com as duas mãos.

—Você a matou, Nolan! Matou minha Brianna! —ele diz cheio de ódio, seus olhos me encaram perdidos e frios.

Nego com a cabeça, ficando sem ar. Toco suas mãos e começo a chorar, sentindo que vou desmaiar.

—Justin, sou eu... —como se saísse de um transe, ele me solta no mesmo segundo e eu caio de quatro na cama, tossindo.

—Brianna, eu... me perdoe. Eu juro que eu não quis... —começo a tossir e quando me sinto melhor, ergo meus olhos.

Justin segura meu rosto com cuidado e distribui beijos por ele todo, principalmente na minha testa.

—Tudo bem, J. Eu estou bem, meu amor. Foi só um pesadelo. —ele cola nossas testas e começa a chorar, chorar de verdade.

—Tinham matado você, bem na minha frente. Eu não pude fazer nada para impedir. Eu... —abraço ele e deixo que deite sua cabeça em meu peito, chorando feito uma criança. Merda! O que está acontecendo?

—Estou bem, amor. Vamos ficar bem. —beijo a testa dele e acaricio seu cabelo, preocupada.

Justin me abraça com força e começa a soluçar até que depois de um tempo ele dorme outra vez. O deito sob os travesseiros e depois de cobri-lo, fico segurando sua mão e o vigiando durante toda a noite.

Quando o sol nasce, Justin começa a se mexer na cama e abre seus olhos, erguendo a mão para tocar meu rosto.

—Me desculpe por te assustar, preta.

—Tudo bem, amor. Se sente melhor? —seus olhos estão vermelhos.

—Só um pouco de dor de cabeça. —ele diz rouco, me analisando como se procurasse algum resquício de medo no meu rosto.

—Vamos tomar um banho e descer para tomar café? Podemos voltar para o quarto e ficar aqui o dia todo pra você descansar. —ele se levanta e me pega no colo, indo para o banheiro comigo.

Depois de colocar a banheira para encher, Justin se coloca de joelhos e apoia a cabeça nas minhas pernas.

—Ficou marcado. —ele fala sério, passando os dedos pelo meu pescoço.

—Você não fez por mal. Além disso, nada que um lenço não possa resolver.

—Eu nunca encostaria em você de uma forma agressiva, Brianna. Sabe disso, não sabe? —Justin agarra minhas mãos e me encara no fundo dos olhos.

Balanço a cabeça, sorrindo para ele e acariciando seu rosto.

—É um dos muitos motivos pelos quais eu amo você, J. Vamos esquecer isso, certo? —o beijo suavemente nos lábios.

Ele se levanta e me coloca dentro da água, entrando logo em seguida. A espuma se espalha conforme a água quente da torneira enche a banheira e eu respiro fundo, vendo Justin me olhando em silêncio. É como se ele tivesse medo de tirar os olhos de mim e depois me perder de vista para sempre.

Me aproximo dele e toco suas coxas grossas por baixo da água, subindo em seu colo e começando a morder seu ombro e seu pescoço.

Suas mãos começam a lavar o resto de cera da minha barriga e Justin solta gemidos contidos quando rebolo em cima dele.

—Me deixe fazer amor com você, Sr. Bieber. —peço no ouvido dele e suas mãos agarram minha cintura, apertando com força.

—Sou todo seu, Sra. Bieber. —agarro seus fios loiros enquanto beijo ele e sinto seu pau endurecendo embaixo de mim.

Com uma das mãos eu o posiciono na minha entrada e me levanto um pouco antes de sentar e fazer com que sua ereção me atravesse.

Justin joga a cabeça para trás e ruge quando começo a subir e descer, me movendo com ele dentro de mim.

—Brianna... —ele geme contra a minha orelha e eu continuo, querendo fazê-lo esquecer do pesadelo que tege e livra-lo de qualquer sentimento ruim.

Eu amo esse homem. Mesmo ele sendo tão incrivelmente perturbado, eu o amo. E quero que seja sempre assim. Eu e ele juntos apesar de tudo.


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...