História Let Me Love You Until The End? (Em revisão) - Capítulo 39


Escrita por:

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton, Personagens Originais
Tags Allybrooke, Camilacabello, Camren, Dinahjane, Laurenjauregui, Lmlyute?, Normanihamilton, Norminah
Visualizações 255
Palavras 2.951
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia)
Avisos: Álcool, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Sorry um mês de demora ❤

Capítulo 39 - 39.


23 de Julho 

- Acorda, Lolo. Eu preciso ir embora com a Sofia. - Lauren estava deitada de costas para Camila, que passava suas unhas naquela parte nua do corpo de Lauren.

- Ainda é cedo, Camz. - Respondeu toda manhosa, fazendo Camila revirar os olhos divertida.

- Já são vinte para dez. Preciso arrumar o apartamento que não vê uma limpeza desde quinta. Também tenho que terminar alguns esboços que você me pediu.

- Por que vai terminar? - Lauren se virou, revelando mais partes de seu corpo nu. Camila sorriu um pouco envergonhada por ver algumas marcas na região dos seios de Lauren.  - Você não vai trabalhar amanhã.

- Claro que vou, ficou doida? - Camila não teve sua resposta, duas batidas na porta e só deu tempo de Lauren puxar o lençol que estava sobre ela, Camila se sentou corretamente e a porta foi aberta.

- Espero que estejam vestidas porque eu já entrei e não vou sair. - Cerrou os olhos. - Uma dorme de roupa e a outra sem? - Lauren revirou os olhos e olhou para Camila, que estava devidamente vestida. - É brincadeira, eu já tinha visto a Camila mais cedo.

- Eu fui acordar a Sofia e não tranquei a porta. - Se desculpou com o olhar.

- O que foi, Dinah? - Perguntou sem paciência.

- Vamos almoçar fora. Então já podem irem tomar banho e sem demora. Pode ser em banheiros diferentes porque eu não quero mais demora... Você só se vestiu, não foi, Camila?

- Eu já tomei meu banho, Dinah. - Se deitou onde horas atrás estava dormindo.

- Não vai perguntar se queremos ir? Se a Sofia quer ir? - Lauren cruzou os braços.

- Não! Nada de perguntas, Lauren. E a Sofia já está pronta. - Deus de ombros.

- Então vai vocês três. - Camila se levantou. - Ou vocês quatro, a Sofia já se acostumou com vocês, é simples.

- Camila? Sério? - Dinah cruzou os braços indignada.

- Super sério, Dinah. Eu tenho que terminar algumas coisas pra amanhã. Não posso enrolar mais.

- Amanhã é amanhã, sei lá o que você vai fazer, pode esperar. Estou esperando vocês lá na sala. Esse quarto não cheira a sexo, estão fazendo isso direito?

- Ridícula! - Lauren ameaçou jogar um travesseiro, mas Camila não deixou.

- Dez minutos. Ou eu volto aqui com baldes de água com gelo. - Dinah saiu do mesmo jeito que entrou, causando.

- Eu não sabia que ela iria entrar aqui assim, desculpa, Laur.

- Não se desculpe, Camz. Você já sabe como a Dinah é entrona. E ainda falando dela, você quer ir?

- Sabia que você sem roupa é a maior tentação desse mundo? - Lauren assentiu sorrindo. - Que essa cama é maravilhosa e com você nela eu poderia passar o resto da semana?

- Então vamos deixar elas irem almoçar sem a gente? É isso que quer dizer?

- Não mesmo, eu estou faminta e você me deixa com mais fome ainda. Levanta daí e vai tomar banho, te espero na sala com elas.

Camila deixou um beijo rápido nos lábios de Lauren e saiu. Uma criança birrenta perderia para Lauren e toda a sua falta de paciência que havia acordado naquele dia. A mesma se levantou resmungando coisas aleatórias, se caminhou até seu banheiro e por lá passaria os dez minutos que Dinah lhe deu, ou talvez mais que dez.

Sofia jogava seu jogo sentada no chão, Dinah sorria enquanto Normani conversava com sua barriga e Camila observava tudo. Tirou uma foto daquele momento sem ninguém ver e voltou para sua conversa com Verônica, que queria marcar um jantar. Depois de assegurar que terminaria seus esboços em paz, o jantar com Verônica e Sofia havia sido marcado para o mesmo dia.

- Já podemos ir ou vou ter o direito de voltar para o meu quarto? - Dinah revirou os olhos e se levantou, junto com Normani. - Então?

- Já podemos ir. - Normani respondeu.

- Desliga o vídeo game, Sofia. - Camila ordenou calmamente.

- Já desliguei, Kaki. - Deu os ombros.

- Qual lugar vamos primeiro? - Lauren perguntou, enquanto pegava seu celular e sua carteira.

- Como assim qual lugar vamos primeiro? - Dinah se fez de desentendida

- São dez e cinco. Quem almoça esse horário, Dinah?

- Qualquer pessoa pode almoçar antes das onze, sem nenhum problema.

- Fala logo, Dinah.

- Acordou de mau humor, Laur? - Normani.

- Na verdade não, mas aí sua mulher invadiu meu quarto me mandando ir tomar banho para um almoço que ainda nem deu a hora.

- Mudanças de humor do nada é da gravidez, está grávida, Lauren?

- Nem vou te responder, Dinah. Tenho palavras que Sofia nunca ouviu e nem vai.

- Vamos logo. - Dinah puxou sua bolsa até seu ombro e saiu na frente.

Camila se apressou em chegar em Lauren antes de saírem porta a fora e segurou sua mão, recebendo um sorriso tranquilo de volta e um beijo na bochecha. Sofia olhava diferente para Lauren, mas nem a própria Lauren havia notado.

Normani destravou o carro e todas assumiram seus lugares de sempre. Normani no volante, Dinah ao seu lado, Camila e Lauren cada uma em uma porta e Sofia entre as duas. Dinah e Normani mantinham uma conversa animada sobre a cor do quarto da filha ou do filho. Sofia jogava no celular de Camila, que mesmo do outro lado do carro recebia cafuné de Lauren, que estava distraída com a rua.

- Lolo? - Sofia soltou o celular, recebendo atenção de todas, até mesmo de Normani e Dinah. - Você nunca quiser sem mãe?

- Que pergunta é essa, Sofia? - Camila chamou atenção da irmã, que não ligou.

- Tudo bem, Camz. Eu sempre pensei que formar família não era para mim, nunca pensei em ser mãe. - Camila prestava atenção na conversa, se sentiu afetada mesmo não querendo ou pensando que um dia iria formar família com Lauren, ela nem mesmo sabia se um dia Lauren iria querer namorar com ela de verdade. 

- Eu sempre quis ser tia. - Sofia deu os ombros e Camila se engasgou com a afirmação da irmã. - Porque a mulher do tio Gregg sempre fazia as coisas que eu queria e gostava, eu queria fazer o mesmo.

- Mas a sua irmã pode ter filhos, Sofi. - Normani aproveitou um sinal vermelho e se virou para trás. - Ela pode fazer o mesmo que a Dinah.

- Mas aí não vai ser filho da Lolo.

- E tinha que ser? - Dinah também se virou, encontrando Camila e Lauren de bocas abertas.

- Claro, quem mais poderia ter os olhos de esmeraldas? Ou é de oceano?

- Deixa de conversa afiada, Sofia. - Camila deu um leve puxão na blusa que a irmã usava.

- Mas eu estou falando sério, Kaki. Os olhos dela não são lindos?

- São sim, mas nem por isso ela tem que ter filhos. Chega com essa conversa, Sofia.

- O que mais você pensa, Sofia? - Lauren ignorou o que Camila tinha falando, afinal ela tinha mandado Sofia parar e não ela.

- Em muitas coisas. - Deu os ombros, pegando o celular de Camila outra vez.

Lauren sentiu Camila um pouco distante depois daquela breve conversa, ela sabia que Camila era família, mas o que ela poderia fazer? Ela tinha somente um mês e não um ano.

O restante do caminho foi um completo silêncio, nem o jogo que Sofia tanto jogava fazia algum tipo de barulho. Normani seguiu pelo caminho já conhecido por todas, o destino delas era o shopping.

- Ótima escolha, Dinah. - Bateu a porta do carro quando todas já tinham saído.

- Sem ironia, Lauren.

- Mas não estou de ironia, eu precisava mesmo de algumas coisas daqui. - Dinah ficou olhando ela por um tempo e concluiu que Lauren não estava de ironia no final das contas.

- Você tem até as onze e meia para comprar o que precisa, depois vamos nos encontrar aqui mesmo no carro. - Lauren assentiu, caminhando para dentro do shopping.

- O que você veio comprar? - A pergunta veio de Sofia, que olhava para Dinah.

- Estou ansiosa para comprar as coisas do quarto do nosso bebê.

- Mas já? Ainda falta muitos meses. - Lauren sorriu com a resposta de Sofia.

- Dinah não dormiu essa noite enquanto eu não falei que passaríamos aqui hoje. E Aqui estamos. - Normani também estava ansiosa, mas não deixaria Dinah saber.

- Vai comprar suas coisas, Lauren. Eu vou demorar para escolher tudo. - Dinah apontou para a primeira loja de bebê que avistou.

- Já estou indo, vem comigo, Camz?

- Não... Eu quero ver as coisas de bebê com elas.

- Tudo bem, eu vou sozinha. - Falou chateada, caminhando para o lado ao contrário da loja que Dinah iria.

- Eu vou com você, Lolo.

- Sério? - Sofia assentiu. - Então vamos.

Lauren pegou na mão de Sofia e se foi. Sofia segurava firme na mão de Lauren, ela dizia para si mesma que era só para não se perder, que ela estava bem.

O primeiro lugar que Lauren parou foi em uma loja de sapatos. Mandou Sofia pegar todos o que estivesse gostado. De princípio a menina negou, Lauren insistiu e Sofia escolheu dois tênis. Lauren não satisfeita, foi pegando tudo o que era do tamanho do pé de Sofia, e quando dizia tudo, era tudo mesmo.

- Você tem uma mãe legal. - Sofia somente assentiu. Com certeza sua mãe ficaria brava aos ouvir aquilo. - A minha mãe também é bem legal.

- Vamos, Sofi? - Lauren estendeu sua mão, Sofia a segurou firme outra vez.

- Sim! Mas não vai levar as sacolas? - Olhou em volta.

- Não, eles vão mandar entregar lá em casa. Vamos comprar roupas?

- Posso escolher uma blusa de frio?

- Pode escolher o que quiser. - Lauren já estava de saída quando sentiu uma mão em seu ombro. Se virou e deu de cara com a atendente. - Ana, muito obrigada pelo tempo que nos ajudou. Deixei sua comissão com a Janaina.

- Obrigada, Lauren. Foi bom te ver outra vez, vê se não some de novo.

Lauren sorriu sem jeito e saiu puxando Sofia para fora da loja, entrando em outra. E outras. Quando faltava mais alguns minutos para irem de encontro ao ponto marcado, Lauren parou para comprar sorvete para Sofia.

- Quando a Kaki ver o tanto de coisas que você comprou, ela vai mandar devolver. Você vai ter que devolver todos os sapatos, blusas, calças, shorts, camisetas e tudo tudo tudo.

- Eu não vou deixar ela devolver nada, porque ela não vai ver nada hoje. - Lauren suspirou. - Eu acho que ela ficou chateada comigo.

- Ela ficaria mais ainda se tivesse visto a mulher da loja pedindo para você voltar mais vezes.

- Que? Por que?

- Eu não sou boba, Lolo. Eu sei quando alguém fica de olho em outra pessoa. E ela estava de olho em você. - Deu os ombros.

- Eu não percebi isso. - Pegou um pouco de sorvete de Sofia. - Você está bem? - Tentou mudar de assunto. Sofia era muito esperta para ela ficar tentando enganá-la.

- Eu me tremi toda quando chegamos aqui, ainda tenho medo de algumas coisas que podem acontecer, mas a Dra. Meryl me disse que nada pode me acontecer quando estou com vocês.

- Meryl é uma grande amiga, eu sabia que ela poderia te ajudar.

- Eu ainda vou ver a Dra. Meryl mais duas vezes, estou com medo do que pode acontecer depois.

- Não fique, tudo continuará igual, ou até melhor. Você tem que se lembrar que a sua irmã sempre irá cuidar muito bem de você.

- Posso te fazer uma pergunta? Outra na verdade.

- Quantas quiser. - Lauren sorriu, só não saberia dizer se era pelo fato de Sofia querer prolongar sua conversa ou pelo sorvete que estava agora de um lado de seu rosto.

- Se você tivesse uma semana... Não, duas semanas... Não, não. Se você tivesse só dois meses de vida, o que gostaria de fazer? - Um nó se formou na garganta de Lauren, uma vontade súbita de chorar apareceu. Sofia sabia? Era um dos pensamento de Lauren.

- Por que da pergunta? - Perguntou receosa.

- Eu assisti um filme, as férias da minha vida, e nele ela descobre que vai morrer e faz o que tem vontade antes de morrer. Então, se fosse com você, o que gostaria de fazer?

- Eu... - A mais velha segurava as lágrimas com todo custo. Era só um filme que ela assistiu. Era só um filme que ela assistiu. Era só um filme que ela assistiu. Lauren repetia isso em sua cabeça. - Eu faria o mesmo que ela. Viajaria e faria tudo o que eu queria. E se fosse você, o que gostaria de fazer?

- Eu iria viajar também, queria acordar cada dia em um lugar... E o mais importante, eu queria quem eu amo comigo.

- Você só tem oito anos mesmo? - Uma lágrima deu abertura para as outras caírem pelo rosto de Lauren, que ainda sim sorria para Sofia.

- Não chora, Lolo. Por favor não chora. - Sofia soltou seu sorvete e foi abraçar Lauren, que a segurou com força e chorou mais ainda. - Vamos pedir pra Kaki levar a gente para uma viagem? Eu só tenho mais uma semana aqui.

- Que tal a gente fazer uma surpresa para ela? - Sofia a soltou, puxou a manga da blusa e secou o rosto de Lauren. - Vamos chegar atrasadas, mas vamos lá na loja de viagens.

Sofia assentiu sorrindo, Lauren limpou os resíduos de sorvete de seu rosto e foram até a loja de viagens, menos de vinte minutos Lauren já tinha fechado o pacote de viagem para três pessoas. Sofia havia prestado atenção em tudo o que era dia, nem se importou quando ouviu que teria que dormir no avião mesmo para descansar de uma viagem para outra.

Dinah já tinha se cansado de esperar por Lauren e Sofia, seu celular já estava até sem bateria de tanto que ela ligava e Lauren não atendia.

- Olha a Lauren vindo com a Sofia ali. - Camila avisou, Dinah se virou furiosa, batendo o pé e cruzando os braços.

- Ela vai me ouvir...

- Não vai não, Dinah. A gente só ficou esperando porque você que quis entrar na última loja. Até a Camila ficou sem entender.

- Eu não quis entrar mesmo, a mulher estava de olho em você. Eu vi.

- Viu o que? - Normani sorriu do ciúmes da esposa. - Eu nem tinha visto ela na porta.

- Eu acho bom mesmo.

- Já podemos ir almoçar? - Lauren perguntou ao parar perto das amigas.

- Já era para estarmos todas almoçando, sabia que estou grávida?

- Sabia que tem vários restaurantes dentro do shopping?

- Podem ir parando vocês duas. Vamos embora. Cadê suas coisas, Lauren? Camila e eu colocamos algumas coisas no porta mala, mas cabe mais coisas.

- Imaginei que o carro ficaria cheio de coisas de bebê, mandei entregar. - Sorriu cúmplice para Sofia, não passando despercebido por Camila.

- Vamos então? - Camila falou depois de um tempo calada.

Ninguém mais disse nada, cada uma assumiu seu lugar no carro e foram em direção ao restaurante. Não era o mesmo da outra vez, nunca mais ela tinham voltado lá. Era um menos conhecido e menor também, Sofia agradecia mentalmente toda vez por isso.

Linda já estava esperando por elas na recepção, cumprimentou todas sem excessão, levou elas a mesa de sempre e se retirou, mandando o garçom ir anotar os pedidos.

O almoço não se prolongou por mais de uma hora, não tinha muito clima para ficarem ali por muito tempo, não quando só Dinah e Normani conversavam e as outras duas concordavam e Sofia comia.

Meia hora depois Camila já estava arrumando as coisas de Sofia no outro quarto, enquanto a menina arruma o vídeo game na sala.

- Camz? - Camila só a olhou. - Podemos conversar?

- Podemos sim. O que aconteceu? - Voltou a pegar as coisas da irmã.

- Eu não sei, você ficou estranha depois das perguntas da Sofia.

- Não fiquei não, coisa da sua cabeça.

- Fala sério, Camila. Eu vi a decepção pintada na sua testa. Ninguém me deixou continuar o que eu tinha para falar.

- Não precisa se explicar. - Sim, ela precisava e Camila queria aquilo.

- Eu falei que nunca me vi formar família, nunca me vi ser mãe, mas isso tudo foi antes de conhecer as irmãs Cabello. - Lauren se aproximou de Camila, levando suas mãos até seu rosto. - Com você eu teria no mínimo dois filhos, no mínimo.

- Para de falar besteira. - Tentou segurar o riso.

- Não estou! Camila, por você eu teria um time de futebol...

- Você iria parir todos? Não esqueça que são onze jogadores titulares e mais os reservas.

- Quantos reservas existe? - Sussurrou contra os lábios de Camila.

- Não faço ideia. - Sussurrou de volta.

- Não fica triste por isso. - Lauren encostou suas testas sorrindo. - Por você eu faria tudo o que fosse possível e impossível pelo resto da minha vida.

Camila sorriu, não quis perder tempo e a beijou. Um beijo calmo que não durou muito tempo.

- Agora, bravinha, vamos ter outro tipo de conversa. 


Notas Finais


Não desistem de mim ❤❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...