1. Spirit Fanfics >
  2. Let me save you >
  3. Você está aqui

História Let me save you - Capítulo 4


Escrita por:


Notas do Autor


Oiiii genteeee! "Mds vc não para de postar não?" Kakakakak NÃO! Mintira gente, não sou tão grossa assim, é pq eu tô amando escrever essa história, além de que a criatividade tá mil e eu tô sem nada pra fazer kakakakak isso se chama tempo livre, quero tentar terminar antes das aulas voltarem fraga? Mais aqui está mais um capítulo!!! ❤️❤️

Capítulo 4 - Você está aqui


Uma semana já havia se passado desde que Eren se encontrou com Levi, e esses dias foram um real inferno para Eren. Todos os dias, todos os santos dias, seu pai fazia o "teste de regeneração", assim como estava fazendo agora.

O barulho dos gritos nem era escutado mais, o pequeno já não tinha mais forças para gritar, apenas algumas lágrimas caiam de seus olhos opacos e sem expressão. Estava cansado, regenerar levava tempo e energia, além que a dor ainda era inevitável. O barulho das ferramentas cirúrgicas batendo na mesa de metal era como o hino do inferno, significava que era outro tipo de lâmina. Porém Eren não tinha mais forças nem para reagir. 

— Isso realmente é incrível, Eren, suas capacidades regenerativas só diminuíram um pouco desde que começamos por hoje. - Disse, terminando o corte feito no braço direito do garoto com orgulho. Deu um sorriso e olhou para ele, porém fechou a cara ao perceber que ele havia desmaiado. - Desmaiou de novo? Mas que droga Eren, eu já lhe disse um milhão de vezes para não desmaiar enquanto eu estiver fazendo minha pesquisa. Desse jeito irei precisar comprar mais modafinil em breve. - Disse já preparando a agulha com uma boa quantidade do medicamento para mantê-lo acordado. Levantou a cabeça dele pelos cabelos (Já que ele estava sentado em uma cadeira especial, amarrado pelas mãos e os pés), encarou a criança adormecida com ódio. - Você não tem direito de tentar fugir. - E injetou a agulha na jugular dele. 

Eren acordou de repente, confuso e assustado, logo depois entendendo oque estava acontecendo. Havia desmaiado novamente.

— M-me desculpe, eu... - Foi cortado quando sentiu uma mordaça ser posta em sua boca.

— Cale a boca! Ainda temos testes a fazer. - Falou por fim em seguida cortou um dos dedos de Eren. 

Lágrimas grossas escorriam e o grito era abafado pela mordaça. Queria morrer, queria muito, muito, muito morrer...

* * * 

— Achei! - Gritou Hange animada, apontando para o mapa da cidade em cima da mesa.

— Não precisa gritar. - Levi falou calmo se aproximando.

— Você deveria estar mais animado que eu, afinal, foi você que começou com isso. - Levi ia responder, porém na hora Kenny chegou.

— Isso é bom. Pelo que o Levi falou a uma semana atrás, podemos está lidando com um caso de abuso infantil. - Disse Kenny sério se aproximando da mesa, junto a Levi.

— Onde estão o Armin e a Mikasa? - Perguntou Levi a Kenny. - Não quero que eles se envolvam nisso. 

— Tarde de mais moleque, eles não são burros, sabem que estamos fazendo algo, logo logo vão descobrir. - Disse simplista.

Levi revirou os olhos irritado. Realmente não queria que os dois se envolvessem em assuntos assim, afinal,  ambos eram os mais novos dali. Mikasa era sua prima e Armin era irmão caçula de Hange, mas mesmo assim, considerava todos irmãos, afinal, cresceram praticamente juntos. Mikasa foi morar consigo quanto tinha cerca de 5 anos e ela 1 ano, pois seus pais morreram num incêndio acidental, porém, quando ele completou 8 anos e Mikasa 4, sua mãe pegou uma doença grave e não resistiu, então passaram a morar com seu tio Kenny, que até agora estava vivo. Dois anos depois conheceram Hange e Armin, ela tinha 9 anos e Armin 6, eles estavam fugindo do seu padastro que tentou abusar de ambos várias vezes, e é claro que o Titio Kenny iria abriga-lós, uma vez que adorava resgatar criancinhas da rua. Bem na verdade, ele apenas não suportava ver essas injustiças, afinal, ele era um dos ex detetives mais famosos, por isso já pegou muitos casos em que crianças eram mortas por pessoas próximas, e odiava isso mais que tudo. Então agora estava aí, praticamente uma creche, a creche do titio Kenny. Saiu de seus pensamentos ao ouvir a voz de Hange.

— Eles podem até saber sobre, mas não deixaremos que eles se intrometam, além do mais. - Virou para Levi. - Precisamos de um plano.

— Sim, e eu tenho. - Kenny se pronunciou, chamando a atenção dos dois. - Temos uma ideia de onde ele está, graças a Hange, mas não temos certeza, precisamos conferir antes e, se estiver correto, devemos investigar o local e conseguir provas, nossa palavra não adiantará de nada no tribunal sem provas. - Disse de forma que ambos pudesse enteder facilmente. 

— Eu vou lá. - Levi disse simplista.

— Você está louco? É muito perigoso você ir sozinho! - Ela chamou sua atenção, realmente preocupada. - Eu vou com você.

— Se formos mais de um, ele pode suspeitar rápido demais. - Ele rebateu.

Ela ia repreender novamente, porém Kenny se pronunciou.

— Eu vou então. E fim, Hange tem razão, é perigoso. 

Levi revirou os olhos, incrédulo. É sério que Kenny não ia deixá-lo ir por causa de perigo? Nem parecia o Kenny que conhecia. Mas ele precisava ir, ou melhor, queria ir, precisava ver aqueles olhos mais uma vez.

— Mas ele não conhece você. Ele pode está assustado, não acho que vá confiar em um velhote com cara de pedófilo. - Falou, elevando um pouco a voz. Hange segurou um pouco o riso, logo voltando a pose séria.

Kenny suspirou, de um lado ele tinha razão, pelo que Levi havia descrito antes, ele parecia ser a primeira pessoa que Eren conversou, então era bem capaz que confiasse mais nele. Droga, odiava quando o pirralho tinha razão.

— Tudo bem então... - Hange ia se pronunciar, porém Kenny a interrompeu. - tome cuidado, Levi, eu sei bem do que esse tipo de pessoa é capaz, e eu sei que você também sabe, Hange. - Olhou para ela, compreensivo, ela concordou levemente, Levi ouvia atentamente, afinal, eles eram sua família, querendo ou não. - Você deve conversar com ele, fazer com que ele te conte tudo, e se possível, consiga as provas, qualquer coisa ajuda, acima de tudo a palavra da vítima. Infelizmente não terá como você trazer ele pra cá de uma vez, pois o jogo poderia virar contra nós como sequestradores, então até que consigamos tudo que precisamos, fale para ele aguentar.

— Certo. - Levi assentiu, sabia se cuidar muito bem, mas mesmo assim seguiria as ordens do seu pai, praticamente. Kenny realmente não era só um pai pra ele, mas para todas as crianças daquela casa. O admirava, sim, salvar as pessoas, também queria fazer isso.

* * * 

Eren se encarava no espelho do banheiro em seu quarto, agora era cerca de 23:56, seus testes haviam acabado a uns 20 minutos atrás, porém um corte profundo que ia de seu pulso a perto do cotovelo não havia cicatrizado, não sabia o motivo, talvez porque estava cansado. Provavelmente. Só sabia que doía muito, estava trocando as bandagens agora, e só havia fechado um pouco, quase nada. Droga! Se encarou no espelho, vendo seus olhos sem cor e sem vida. Abriu a gaveta devagar e tirando o fundo falso, pegou o seu tesouro mais precioso. Uma foto de sua mãe. Se seu pai soubesse que tinha aquilo, não sabia nem do que ele era capaz. Apreciou a foto, de fato sua mãe era muito, mas muito bonita. Era uma foto dela sorrindo no parque com ele ainda pequeno em seu colo. Sentia tanta saudade. Sentiu as lágrimas caírem.

— Eu sinto a sua falta, mamãe... - Abraçou fortemente a foto. - Eu sinto tanta saudade de você, tanta saudade do seu abraço. - Sussurrava enquanto encarava a foto com um sorriso triste. - Eu queria tanto ir para onde a senhora está, mas eu sei que não posso. Porque sou um demônio e demônios não podem ir para o céu, não é mesmo? - Beijou de leve a fotografia, logo a guardando de volta no seu esconderijo. 

Saiu do banheiro e foi deitar, agradecendo a Deus por sua cama não ser de pedra, era até confortável. Abraçou o travesseiro fortemente, não fez muito esforço e adormeceu. 

* * *

Acordou devagar ao ouvir um barulho baixinho de batidas, como em uma porta ou janela. Olhou o relógio, 2:50 da manhã, levantou e andou devagar atrás do barulho, e quando achou ficou mais que surpreso, coçou os olhos para ver se não estava delirando devido aos medicamentos pesados, se permitiu sorrir, abriu um dos sorrisos mais bonitos do mundo, pelo menos foi oque a pessoa pendurada do lado de fora da janela achou. Eren foi correndo abri-lá.

— L-Levi! - Assim que o mais velho entrou completamente no pequeno cômodo, foi abraçado fortemente pelo mais novo. Levi ficou surpreso pela reação, mas não reclamou, ao contrário, puxou o pequeno pra mais perto, afagando seus cabelos carinhosamente, deu um pequeno sorriso, mas desfez ao perceber que ele estava chorando e com uma atadura em seu braço, estava suja de sangue, parecia ser um corte profundo. Levi ouviu Eren se pronunciar novamente. - Eu, eu sabia que você viria! 

Levi deixou que ele se acalmasse um pouco, desfez o abraço apenas para encarar aqueles olhos maravilhosos.

— Nós vamos te ajudar, ok. - Disse encarando o mais novo com um pequeno sorriso de lado gentil. Viu Eren o encarar a janela e depois o olhar confuso. - Que foi?

— Como chegou aqui? - Perguntou baixo, não estava muito acostumado a fazer perguntas sem apanhar depois, mas confiava em Levi. Viu o mais velho dar um risinho pela sua confusão.

— Eu escalei. - Disse simplista.

— Mas estamos no terceiro andar.

— Eu sei, por isso foi muito fácil. - Disse com um sorriso pequeno e debochado. Mas depois mudou para uma cara mais séria. - Certo, agora precisamos conversar, Eren.

Viu o mais novo assentir levemente. No fim, ambos se encontraram novamente. Lá estava Eren de novo, encarando aquele olhar tão lindo que enchia seu coração de esperança, que fazia seu coração bater rápido e o ar faltar. E lá estava Levi novamente, encarando aquele olhar tão inocente e sofrido, tão lindo, brilhantes assim como uma cristalina ao sol. Seria uma longa noite.


Notas Finais


Oiii novamente! Então, gostaram? Em em em? Eu quase chorei escrevendo esse capítulo, sério. Espero mesmo que vcs tenham gostado! Até o próximo capítulo!!! ❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...