História Let Me Take Care of You - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias EXO, F(x), Girls' Generation, SHINee, Super Junior
Personagens Amber Liu, Jessica, Krystal Jung, Taeyeon, Tiffany, Yuri
Tags Kryber, Taeny, Yulsic
Visualizações 47
Palavras 1.349
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Ficção Adolescente, Ficção Científica, Hentai, Luta, Romance e Novela, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Suicídio
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi, demorei, eu sei.
Não vou atrapalhar vocês.
Até la embaixo <3

Capítulo 4 - Capitulo 4 - New Start


Fanfic / Fanfiction Let Me Take Care of You - Capítulo 4 - Capitulo 4 - New Start

 

Amber Liu - P.O.V

                Me estico de maneira preguiçosa e por um momento me arrependo amargamente. Por que diabos eu estava toda dolorida? Abro meus olhos devagar, levando minhas mãos aos meus olhos enquanto aproveitava para me sentar direito no banco do carro. Espera, banco do carro? Arregalo meus olhos e olho para a Taeyeon no banco da frente, logo encontrando Kwon ao meu lado no banco de trás. A morena parecia dormir, devíamos estar voltando da festa. Me encosto novamente na janela e volto a fechar meus olhos, o cansaço realmente me vencia.

                Sinto devagar meu corpo ser levantado e abro meus olhos devagar fitando a loira que me carregava em seus braços.

                - Até que enfim, achei que tinha hibernado.

                Reviro meus olhos com o comentário da loira e afago meus olhos sendo colocada no chão.

                - Eu dormi do carro está noite?

                Minha voz era tomada pelo sono tal como minha visão aos poucos ia obtendo definição e me fazendo crer que não estávamos em casa.

                Balanço levemente a cabeça para me certificar de que era real e imediatamente procuro Yuri, ela estava a frente, conversando com algum porteiro.

                - Senhorita Kim, suas malas já estão em seus aposentos, irei resolver as outras questões para a pequena Liu e assim que tiver tudo completo eu converso com vocês.

                A voz da Senhorita Lee logo atrás me fez entender que realmente não estávamos em casa.

                - Onde estamos Taeyeon?

                Passo a mão por minha nuca me virando para a mais velha e posso observar ela voltar sua atenção para mim ao mesmo que terminava alguma ligação.

                - Estamos em Nova York, fechamos um contrato muito importante aqui e tivemos que nos mudar.

                Pisco meus olhos várias vezes e nego com a cabeça levemente.

                - Mas...

                Por um momento o desespero se instala em mim, fecho meus olhos fortemente e tento buscar meu porto seguro, precisava vê-la, nem que fosse a última vez porém... nada... Abro meus olhos para Taeyeon, a qual já esperava que eu fugiria e me envolve de forma carinhosa em seus braços. Sua mão sobe a meu rosto enquanto ela se abaixava para ficar em minha altura.

                - Eu preciso que entenda, que tudo que fazemos é para te manter segura. Tudo bem?

                Nego com a cabeça, podendo sentir meus olhos marejados, e volto a procurar a mais nova,

                - Pare de se esforçar Amber, você está apenas queimando energia. Estamos longe o suficiente para não termos influência delas. Não adianta... Não vai conseguir...

                Ela se levanta devagar e passa a caminhar até Kwon, ela sussurra alguma coisa para a mais velha e some ao adentrar o prédio.

                Posso ver Kwon se aproximar a passos rápidos e logo sinto seus braços arredor de meu corpo.

                Meus pensamentos corriam, buscavam, vasculhavam cada pedaço de espaço que pudesse tentar encontrar a mais nova. Mas nada.

                Posso sentir os braços de Kwon se apertarem ao meu redor, porém confesso que neste momento minha cabeça estava uma bagunça, meu choro misturado com uma falta de ar e um sentimento de traição gigantesco.

 

Kwon Yuri P.O.V –

 

                Estava apoiada no parapeito da sacada, meus olhos fechados, extremamente exausta, mas minha mente não me permitia descansar. Eu sabia que Amber ficaria mal, só não tinha ideia do quão mal ela ficaria. Deste momento em diante eu soube que a confiança da pequena em nós havia dado um passeio, tirado algumas férias, e seria extremamente difícil a conquistar de volta.

                Se eu confiava em Taeyeon? Com todas as minhas forças. Se eu havia ficado brava? Nós quase saímos no soco. Entretanto, eu sabia que aquilo seria melhor. Nós já atingimos a idade adulta, mesmo que nossas escolhidas estejam a onze mil quilômetros de distância e não ser possível sentir sua presença. Elas ainda existem e por conta deste fator, nosso relógio biológico volta a funcionar. Como humanas normais.

                Em um dos retiros que Taeyeon havia feito com algumas pessoas de nossa espécie, ela descobriu que podemos viver uma vida normal estando longe de nossas escolhidas e tal como normalmente, morreríamos como elas, quando se chega a hora.

                Seria extremamente difícil, mas eu sabia que seguiríamos em frente. Amber conheceria novas pessoas, se apaixonaria por outras pessoas e teria o que supomos ser a vida normal de um humano.

                Agora, com relação a Taeyeon, eu tenho mais do que absoluta certeza que ela irá se isolar em seu mundo, tentando prover de tudo possível para nós. Irá se dedicar quase cem porcento do tempo para a empresa com o intuito de esquecer o mundo. A grande questão é: É possível esquecê-las?

                Escuto a porta atrás de mim se abrir e me viro devagar podendo fitar a loira com duas taças de vinho. Sorrio levemente, buscando uma delas e brindando logo após com a mais velha.

                - Você não sente nada?

                Minha voz estava tensa, mas eu estava curiosa demais para não perguntar. Eu sempre soube que a ligação com Tiffany era um pouco mais forte que a minha com a Jessica. Kim havia me explicado que por conta da mais nova ter se afastado o máximo possível da ruiva, a ligação se intensificou para que Taeyeon continuasse a proteger a mais nova.

                Ela faz um movimento negativo com a cabeça e volto minha atenção a cidade. Gostávamos de ficar nas alturas, então sempre buscamos os maiores prédios para morarmos. A sensação de isolamento, mesmo que seja com relação a altura, nos auxiliava a pensar e nos acalmar.

                - Você acha que Amber vai sentir?

                Eu podia sentir a preocupação em sua voz, volto meus olhos a loira e suspiro de maneira pesada. Já havíamos percebido que a mais nova possuía uma ligação extremamente forte com sua escolhida. Só não conseguíamos compreender o motivo de ser tão forte.

                - Por que você diz isso?

                Tombo a cabeça levemente e logo estou seguindo a mesma para algum quarto do apartamento, que após a loira abrir a porta, posso perceber que se tratava do escritório. Ela caminha até o notebook e joga algumas imagens no projetor que iluminava uma das paredes.

                Eram gravações de câmeras, acontecimentos da pequena Liu.

                - Lembra a primeira vez que você se transformou pela própria vontade, quantos machucados você ficou Kwon?

                - Não sei se conseguiria contar Taeyeon, mas aonde você

                - Amber se quer teve um arranhão.

                Ela aponta para uma das imagens e posso visualizar o que a mais nova falava.

                - Quando a escolhida dela teve um pequeno acidente, você se lembra do quão doente Amber ficou por não termos deixado ela ajudar? Ou até mesmo, se lembra quando ela atravessou aquelas paredes de aço com uma extrema facilidade, tudo para ver sua escolhida se formando na oitava série?

                As imagens faziam meu cérebro processar e juntar todos os pontos possíveis. Taeyeon abre o mapa mundi e coloca dois pontos. Seul e Nova York.

                - Tem um oceano entre nós, mas eu duvido que isso vai impedir com que Liu volte a ter contato com sua escolhida.

                Me sento no sofá absorvendo toda aquela informação que Taeyeon me entregava. Céus, tudo fazia sentido agora.

                - Quanto tempo temos Taeyeon?

                Meus olhos sobem aos da mais nova que agora, deletava todas as informações e fechava seu computador.

                - Menos de dois anos... Preciso que treine Liu, mesmo que longe, ela precisa entender todos os riscos e perigos, tal como aprimorar suas habilidades. Ela precisa aprender a usar seu corpo a seu favor. Você pode fazer isso por mim Kwon?

                Eu sabia que Taeyeon apenas estava me pedindo aquilo por conta de que na cabeça da pequena Liu, a loira havia se tornado um monstro horrendo.

                Assenti levemente com a cabeça e pude perceber que a mais velha estava com mil coisas na cabeça, gostaria de tentar entrar em seus pensamentos, ou ao menos saber como ajudar. Me levanto devagar e caminho em direção a saída do escritório.

                - Estamos seguras aqui Kwon...

                Ouço a voz da mais velha, mas posso afirmar, que esta frase não era nenhum pouco para mim, e sim para si mesma.


Notas Finais


Eai,
Demorei neh?
Peço desculpas, tive um imenso bloqueio tal como muita coisa aconteceu. Tempo é algo complicado de se obter hoje. Não desisti da fic, longe disso, vivo pensando em atualizar, mas nunca consigo sentar e escrever algo descente.
Vou tentar voltar com mais frequência, tal como fazer capitulos maiores.
Agradeço por cada coraçãozinho e espero que gostem da estoria <3
Até.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...