1. Spirit Fanfics >
  2. Let The Music Play - CAMREN >
  3. Gravidez?

História Let The Music Play - CAMREN - Capítulo 6


Escrita por:


Notas do Autor


Olá leitores, voltei.
Vamos ao capítulo!🦄

Capítulo 6 - Gravidez?


Lauren Jauregui POV

Acordei sentindo um braço por cima de mim, Camila ainda estava dormindo. Peguei meu celular e vi que tinha acordado mais cedo do que o despertador. Me mexi um pouco, o que acordou Camila.

—Bom dia Lauren.

—Bom dia Camila.

Camila pegou seu celular e ficou mexendo por alguns minutos.

—Se troca, a Marina tá vindo aqui. – falou.

—O que!? Ninguém pode saber que eu passei a noite aqui! – exclamei.

—Eu sei disso, mas ela disse que era algo extremamente importante. – Camila respondeu.

Me levantei e peguei minhas roupas, vestindo. Fui ao banheiro e fiz minhas higienes.

Quando ia sair, ouvi a voz de Marina invadindo o quarto. Voltei para trás e fiquei ouvindo por trás da porta.

—Camila... lembra do dia que a gente transou aqui? – perguntou.

Eca!

—Foram tantas vezes Marina. – respondeu.

Eu não preciso ouvir isso.

—Eu acho que eu estou grávida, Camila.

Puta que pariu!

—Puta que pariu! Você tem certeza?

—Eu ainda não fiz o teste... – respondeu.

—Você não disse que tomava anticocepcional? – perguntou.

—Sim, mas nem sempre funciona Camila!

E se a Marina for mãe cedo? Isso vai destruir a carreira dela, a da Camila também.

—Eu não posso ter um filho cedo.

—Ah e eu posso né? Meu sonho é ser dançarina, você sabe disso Camila. Como terei uma carreira com um filho?

—Eu vou te levar para fazer o teste depois da escola. – Camila falou.

—Okay. Não conte para ninguém. – Marina falou antes de sair do quarto.

—Eu já sei o que você vai dizer.

—Eu não vou dizer nada. – falei enquanto saia do banheiro.

—Eu não posso ter um filho agora. – falou.

—Olha Camila, relaxa. Você ainda não sabe se a Marina está realmente grávida. – falei.

—É... – olhou para o chão. – Vou tomar um banho, me espera que eu te levo para casa.

*Quebra de tempo*

Depois de chegar em casa, tomei um banho e fui para o colégio.
Estou indo para a aula de história, até que ouço alguém me chamar.

—Lauren! – Camila correu atrás de mim, parando em minha frente. – A gente não terminou a canção.

—Droga! A próxima aula é da Carina.

—Pra onde você tá indo agora? – perguntou.

—História, e você?

—Matemática. – revirou os olhos. – A gente precisa fazer algo.

—Eu sei. – mordi minha unha. – O jeito vai ser entregar incompleto mesmo.

—E se ela perceber que tá incompleto?

—E se ela não perceber?

O sinal toca.

—Eu preciso ir. – falei e voltei a ir para a sala.

Passei a aula inteira pensando no que fazer, mas também não parava de pensar na Camila.
Estamos nos dando bem, nos últimos dias não brigamos feio. Ela tem sido boa comigo, mesmo do jeito cafajeste dela.

O sinal tocou e eu não havia prestado a  atenção em nada sobre a aula. Peguei meu caderno e fui guarda-lo em meu armário.

Lauren... – ouço a voz de Marina.

Droga. Pensei no que eu havia feito de errado, mas parece que eu não fiz nada.

—Marina...

—Eu só vim dizer para não estragar a apresentação de hoje... fiquei sabendo que a Camila escreveu pensando em mim. – falou sorrindo.

—Na verdade fomos nós duas que...

—Enfim, eu já vou indo. – se virou mas logo voltou. – Não estrague!

Se virou novamente e saiu.

—Oi. – dei um leve pulo de susto. – Ei, relaxa, sou eu.

—Que susto que você me deu Rye! – falei colocando a mão no peito.

—Foi mal... bom, eu queria me desculpar por ontem.

—Ah, tudo bem. – sorri torto.

—Me desculpa mesmo Lauren. – me entregou uma rosa.

—Obrigada pela rosa Rye. – coloquei a flor dentro do armário e o fechei. – Tenho que ir.

—Eu sei, mesma aula. – sorriu. – Posso te acompanhar?

Lauren. – Camila aparece. – Vamos?

—Eu... – fico indecisa.

—Eu cheguei primeiro. – Rye protesta.

—Eu sou a parceira de trabalho dela. – respondeu.

—Você vai comigo? – Rye me olhou.

—Lauren, você não precisa da companhia de alguém que fez um escândalo por ciúmes. – Camila falou se aproximando.

Fiquei olhando para Camila, hipnotizada pelo castanho de seus olhos. Camila sorriu e desviei o olhar, olhei para Rye que ainda esperava uma resposta.

—Você vem? – ele perguntou.

—E-eu...

—Foi mal cara, não temos tempo para discutirmos quem vai acompanhar ela até a sala. E acho que já sabemos com quem ela prefere ir. – Camila colocou seu braço em volta de meu pescoço. – Ate logo.

Falou e saímos. Não olhei para trás para não ter que ver a reação de Rye.

—Bom dia alunas. – A professora falou até levantar a cabeça. – Ah, são vocês duas... Juntas.

—Não podemos brigar no dia da apresentação do trabalho. – Camila falou.

—Muito bem! – a professora sorriu.

Fomos até a parte de instrumentos que fica atrás de uma porta na sala de música.
Camila pegou o violão e voltou.

Os alunos foram chegando e pela primeira vez em muito tempo, eu estava nervosa para me apresentar.

—Ei, relaxa. – Camila tocou minhas costas e sorriu. Sorri de volta.

—Alunos, fiquem em silêncio! – a professora anunciou. – Camila e Lauren, podem começar.

Camila começou a tocar.

—Olha , essa noite doce e pura. Lembro do teu beijo sempre que olho pra lua. – comecei.

—O sol, me lembra o teu olhar... tão enigmático, eu sei decifrar.

—As estrelas, me lembram o teu sorriso, tão brilhante e real, é tudo o que eu preciso.

—As rosas, me lembram o teu cheiro... aquele que eu senti quando tu me beijou primeiro... – olhei para Camila que estava sorrindo. – O que eu mais quero é poder te beijar, sem me importar com o que os outros vão pensar. – Camila veio se aproximando de mim. – Quero sentir de novo a sensação de te abraçar, sem me importar com o que os outros vão falar... eu quero, você quer, falta você aceitar...

Fiquei sem reação, Camila ainda estava me olhando nos olhos segurando o violão, os alunos nos olhavam confusos sem saber se aquilo era sério ou se era parte da apresentação.

Logo começaram a nos aplaudir, sorri para os alunos e sai da sala.

Preciso refletir sobre o que aconteceu agora.

—Lauren, espera! – Camila correu atrás de mim. – Aquilo... aquilo foi...

—Camila! – Marina veio correndo e se jogou nos braços de Camila.

Marina praticamente atacou os lábios de Camila. Eu não iria ficar ali olhando, então voltei a caminhar. Fui até o auditório e me sentei em uma das cadeiras, olhando para o grande palco vazio.

—Sola, recordando mientras los segundos van pasando... no sé cómo te podré olvidar. Cae la lluvia en la ventana
Dibujando tu mirada
Un instante es una eternidad.

Comecei a cantar sozinha.

Estoy cansada de soñar sin ti
Confundir la realidad
Y no sé si volverás
Para amarme y esperar
Sin pedirme nada más
Si pudiera ser verdad
Ya no habría oscuridad.
Sola recordando mientras los segundos van pasando, no sé cómo te podré olvidar. 


Notas Finais


gente, a música que Camren cantou era diferente pq eu escrevi ano passado e resolvi colocar na fic, aí eu mudei a letra e ficou um cocô, a letra original é sobre um cara que perdeu a mina dele pra depressão.
leitores, me animem com seus comentários, pois minha ex contou que me traia com a ex e o ex dela desde o começo do relacionamento, ela me disse coisas horríveis e eu só fiquei quieta ouvindo... tô triste.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...