História Let the Snow Fall - Imagine Jungkook - Capítulo 18


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bangtan Boys, Bts, Hoseok, Imagine, Jimin, Jin, Jungkook, Namjoon, Taehyung, Yoongi
Visualizações 527
Palavras 2.505
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Arcade = Fliperama

Capítulo 18 - Arcade


Fanfic / Fanfiction Let the Snow Fall - Imagine Jungkook - Capítulo 18 - Arcade

-Be-beijo? – Não consegui não gaguejar com aquilo. O que ele queria dizer com isso? Não era possível ele querer um beijo, tipo BEIJO mesmo... ou era?

-Sim, beijo. – O olhei embasbacada e ele continuou apenas sorrindo. – Algum problema (s/n)?

 Sim! Todos os problemas existentes! Pensei mentalmente, mas minha resposta por algum motivo foi:

-Não, sem nenhum problema.

-Esse beijo te preocupa? – Ele arqueou as sobrancelhas me provocando. Aish esse garoto!

-Claro que não, sabe por quê?

-Por quê?

-Porque ele nunca vai acontecer. Eu não vou perder essa aposta.

-Se você diz. – Ele deu de ombros e estendeu sua mão para mim. – Aposta feita então?

-Aposta feita! – Segurei sua mão e assim selamos a aposta.

  Por que aceitei essa aposta mesmo? Será que comida valia tudo isso? Isso não importava, agora eu precisava apenas vencer, eu simplesmente não podia me dar o luxo de perder essa aposta. Se Jungkook ganhasse eu teria que o beijar, e, além disso, ele me zoaria para o resto de minha vida.  Não, perder não é uma possibilidade.

 

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

 

-Se você quiser desistir eu vou entender. – Jungkook disse quando entramos no fliperama. – Eu não quero te humilhar.

-Me humilhar? Acho que você tá superestimando as minhas habilidades no fliperama Jeon.

-E você as minhas, mas como eu sou uma pessoa muito legal, eu prometo pegar leve com você.

-Me poupe, eu não preciso disso. – Falei um pouco irritada. Eu odiava quando duvidavam de que eu era capaz de alguma coisa ou ficavam com essa conversinha de “pegar leve”.

-Okay (s/n), só não venha querer chorar no meu ombro depois. – Jungkook percorreu seu olhar pelo ambiente e seus olhos repousaram em um simulador de corrida. – Quer ver quem é mais rápido, princesinha?

-Você vai comer poeira Jeon. – Eu disse já andando em direção ao simulador. Ao fundo, pude ouvir a risada alta de Jungkook e sorri com isso.

 Nós nos acomodamos no simulador, escolhemos nossos carros e pistas, e nos preparamos para o jogo. Olhei de esguelha para Jungkook e notei que havia um sorriso convencido em seus lábios e seus olhos mostravam pura concentração. Isso seria interessante.

 No monitor do jogo apareceu a famosa contagem regressiva. Ajeitei-me melhor no banco e segurei firme no volante. Eu preciso ganhar, Jungkook não pode vencer de modo algum.

 Assim que a partida começou, eu acelerei o mais rápido que pude. Concentrei-me para não derrapar na pista ou bater em algo, e logo, por mais incrível que possa parecer, eu estava em primeiro. Olhei novamente para Jungkook e vi que o sorriso havia sumido de seus lábios. Isso era bom, muito bom.

 Voltei a focar no jogo e depois de poucos minutos o monitor revelou o vencedor.

-GANHEI! – Gritei animada.

-Ganhou por que o jogo roubou! – Ele disse mal humorado e eu comecei a rir.

-Larga de ser um péssimo perdedor! Eu ganhei e eu quero a minha comida.

-Você acha que é tão fácil assim? Você ganhou esse jogo, bobinha, ainda tem dezenas e dezenas de jogos aqui.

-Nós vamos jogar em todos? – Perguntei agora um pouco insegura. Eu sabia que eu era boa, mas Jungkook jogava muito bem e ele era competitivo, uma péssima combinação na minha humilde opinião.

-Você achou que a aposta seria tão fácil assim? – Ele balançou a cabeça fingindo desapontamento e começou a andar em direção a outro jogo. – Vamos (s/n), a não ser é claro, que você esteja com medinho de perder.

-HA! Medo de perder pra você? Só nos seus sonhos mais loucos Jeon.

 Porém essa não era toda a verdade. Jungkook havia ficado em segundo lugar no simulador de corrida e só não ganhou por pouco. O garoto era bom, eu tinha que admitir.

-Qual a gente vai jogar agora? É a sua vez de escolher princesinha. – Jungkook disse sorrindo.

-Vamos jogar algum jogo de luta. – Eu disse quando avistei uma máquina estampada com os personagens de Mortal Kombat. – Eu quero ver você apanhar um pouco.

-Só nos seus sonhos mais loucos, bobinha. Esse jogo é a minha especialidade. – Jungkook se dirigiu até a máquina e quando passou por mim, apertou minha bochecha e bagunçou meu cabelo.

-Isso vai ter volta Jeon!

 Novamente escolhemos nossos personagens e iniciamos a partida. Comecei ganhando, mas Jungkook infelizmente reverteu o jogo. Ele começou a dar golpes seguidos em meu personagem e eu só pude assistir a vida dele se esvaindo.

 Quando o jogo acabou, não fiquei surpresa de ver que Jungkook havia ganhado. Ele tinha razão, esse jogo era a sua especialidade. Fechei os olhos e tapei meus ouvidos com minhas mãos, eu sabia que ele começaria a cantar vitória.

 Porém quando abria um de meus olhos para observar Jungkook, vi que ele me olhava com um sorriso enorme nos lábios, seus olhos chegavam até a brilhar de tanta felicidade.

-O que foi bobinha? – Ele perguntou e percebi que ele fazia força para não rir de mim.

-Estou esperando você acabar de comemorar.

-Mas eu nem tô comemorando. – Ele riu baixo e gentilmente tirou minhas mãos de meus ouvidos. – Eu só vou comemorar quando eu ganhar definitivamente de você.

-E quem disse que isso vai acontecer?

-Ah vamos (s/n) admita, você é boa, mas eu sou melhor.

-Isso é o que veremos. Anda escolhe o próximo jogo. – Novamente ele sorriu e pegou em minha mão, me arrastando para outra máquina.

 Não pude evitar me perguntar mentalmente o porquê de Jungkook estar sorrindo tanto hoje. Porém eu sentia que minhas bochechas doíam, então será que eu também estava com um sorriso bobo em meu rosto?

 Passamos o resto da tarde no fliperama. Jogamos praticamente todos os jogos que havia ali e infelizmente o placar estava empatado. Decidimos jogar um último jogo para saber quem seria o grande vencedor da noite, mas infelizmente esse último jogo era um simulador de basquete.

 Eu não era muito boa nisso, mas Jungkook por outro lado parecia bem confiante com o jogo, e isso me deixava nervosa. Será que eu perderia depois de todos os jogos que havia ganhado? Meu esforço não teria servido de nada no final?

-Jungkook, a gente não pode desempatar isso em outro jogo?

-A gente já jogou quase todos os jogos daqui (s/n) e... espera, você não sabe jogar basquete?

-Lógico que eu sei jogar! – Eu disse emburrada. – Mas você com certeza é mil vezes melhor do que eu.

-Isso eu concordo. – Bati de leve em seu braço o fazendo rir. – Se você quiser, eu posso te dar algumas dicas antes de jogarmos pra valer, que tal?

-Você faria isso por mim? - Perguntei impressionada. Jungkook era tão competitivo que eu nunca imaginei que ele aceitaria me dar algumas dicas.

-Claro, eu quero uma vitória justa! – Revirei meus olhos e fui até o simulador.

-Okay, eu consigo. – Sussurrei para mim mesma quando peguei a bola de basquete que estava ali e mirei a cesta.

 Concentrei-me e respirei fundo, eu precisava acertar essa cesta para provar a Jungkook que eu era boa. Lancei a bola e o inesperável aconteceu: a bola de basquete bateu na circunferência da cesta e voltou com tudo batendo em minha cabeça.

 Instintivamente coloquei minhas mãos no local atingido e soltei um gemido baixo de dor. Era pra acertar a cesta sua burra e não a própria cabeça! Ouvi a risada de Jungkook e fechei rapidamente meus olhos envergonhada. Onde estava o buraco para nos esconder quando mais precisávamos dele?

-Para de rir seu idiota! – Eu disse ainda envergonhada.

-Me.. desculpe (s/n), mas isso.. foi tão engraçado. – Ele disse entre suas risadas escandalosas.

-É muito engraçado! – Eu disse irônica, mas por algum motivo comecei a rir também.

-Me deixa ver se machucou. – Ele se aproximou de mim e colocou sua mão quente sobre minha testa.

-Jungkook eu não estou com febre só pra você saber. – Zoei um pouco ele só para não perder o costume.

-Fica quieta (s/n). – Ele se aproximou mais e eu me calei.

 Por que ele estava tão perto desse jeito? Por que meu estômago insistia em se encher de borboletas quando ele fazia isso?

 Senti o toque suave e delicado de Jungkook apertar minha testa e instintivamente o encarei. Notei que ele me olhava preocupado, agora não havia um único traço sequer de brincadeira em seu olhar.

-Está tão ruim assim? – Sussurrei para não estragar o momento.

-Ah não.. eu só... – Ele se distanciou de mim e coçou a nuca. – Você jogou a bola do jeito errado, eu vou te ensinar como se faz.

 Ele pegou a bola de basquete e a lançou com leveza. Não é surpresa nenhuma se eu disser que ele acertou o alvo em cheio. Jungkook me olhou e cada poro de seu corpo estava gritando “eu não sou incrível?”.

-Não vai dizer nada? – Ele perguntou sorrindo.

-Parabéns você foi maravilhoso, o melhor jogador de basquete que eu já vi em toda minha vida. – A ironia em minha voz era tanta que o fez rir.

-Vem, eu vou te ensinar.

-Mas como você...

 Calei-me imediatamente quando Jungkook se posicionou atrás de mim e me envolveu com seus braços musculosos. Ele estava tão perto que eu podia praticamente ouvir seu coração bater contra minhas costas, tão perto que eu podia sentir seu perfume inebriante, tão perto que eu podia sentir sua respiração batendo em meu pescoço.  Sai de meu transe quando ele pegou em minhas mãos e me fez segurar junto com ele a bola de basquete.

-Primeiro você tem que manter os pés um pouco afastados. –Ele começou a passar as instruções e eu as segui. – Depois você posiciona o cotovelo fazendo com que ele fique em uma altura mais baixa que a bola. Agora é só empurrar a bola pra cima com a mão que fará o lançamento e pronto.

 Ele levantou minha mão e juntos, arremessamos a bola. Por incrível que pareça, conseguimos fazer a cesta.

-Consegui! – Pulei animada e abracei Jungkook por impulso. – Obrigada Jungkook, eu consegui fazer uma cesta!

-Por nada princesinha. – Ele disse tímido e eu me toquei o que eu estava fazendo.

-Me-me desculpe. – Murmurei tímida me soltando dele. – Vamos voltar à aposta?

-C-claro.

 Ficamos nos encarando mais um pouco, mas logo começamos a jogar. Graças a Jungkook agora eu conseguia fazer cestas, era apenas eu me concentrar em suas dicas e a usa-las da melhor maneira possível. Claro que a parte que ele praticamente me abraçou por trás para me ensinar essas dicas eu tentava a todo custo não lembrar. Isso apenas me desconcentraria e me faria perder.

 Olhei para o placar da máquina de Jungkook e sorri feliz quando vi que eu estava ganhando por alguns pontos de diferença. Isso me deu esperanças de ganhar, então comecei a jogar as bolas mais rapidamente, uma seguida da outra.

 Jungkook me olhou incrédulo, como se não acreditasse no que seus olhos viam. Não pude evitar sorrir convencida com isso. Eu iria ganhar essa aposta, eu tinha certeza disso agora.

 Porém conhecendo um pouco da personalidade de Jungkook, eu deveria saber o que ele ia aprontar quando parou de arremessar as bolas e me encarou com um sorriso perverso.

-Você está indo bem (s/n). Não seria uma pena se as suas bolas de basquete magicamente sumissem?

-O-o que? – Perguntei com um olho no jogo e outro em Jungkook.

 O filho da mãe nem se deu o trabalho de responder. Jungkook simplesmente envolveu seus braços em volta de minha cintura e me levantou do chão, consequentemente me afastando do simulador.

-Jungkook! Me solta, o meu tempo está quase acabando.

-Okay. – Ele disse me colocando no chão.

 O olhei confusa e ele sorriu. Isso foi mais fácil do que eu esperava. Porém, quando eu estava prestes a voltar ao jogo, Jungkook me puxou para trás e correu até o meu simulador, pegou todas as bolas que estavam lá e as levou para o seu próprio simulador.

-JUNGKOOK! – Gritei indignada, porém ele não me deu ouvidos. Agora ele estava muito ocupado arremessando as minhas e as bolas dele em seu próprio simulador. O placar deixava claro que ele havia me ultrapassado. – Jungkook me devolve isso agora!

-(s/n) fica quieta eu tô jogando agora, não me desconcentra.

-Aish seu... – Eu disse enquanto tentava pegar alguma bola de volta, mas Jungkook sempre me impedia. – Você tá roubando! Isso não vale!

 Porém, antes que eu pudesse fazer alguma coisa, o cronometro chegou a zero e o jogo acabou. Jungkook havia ganhado e isso era injusto.

-Acho que eu ganhei a aposta. – Jungkook disse cantarolando com um sorriso alegre no rosto.

-Você trapaceou isso sim! – Rebati zangada. – Isso não valeu.

-Claro que valeu. Vale tudo em uma aposta (s/n).

-Você roubou Jungkook! Você não ganhou aposta nenhuma.

-Larga de ser uma péssima perdedora e admita que eu ganhei. – Ele se aproximou de mim e novamente grudou nossos corpos. – Agora eu quero o meu beijo.

-E-eu não vou te beijar. – Eu gaguejei nervosa. – Escolhe outra coisa.

-Não. A gente apostou que se eu ganhasse você me daria um beijo. E adivinha? Eu ganhei. – Ele levantou meu queixo e me fez encarar seus olhos. – Por que você tá tão vermelha (s/n)?

-Nós somos amigos, não seria certo se a gente se beijasse.

-Acho que um beijo na bochecha é totalmente aceitável em uma amizade. – Arregalei meus olhos e o olhei espantada.

-Como assim beijo na bochecha?

-Essa é a aposta (s/n), você tem que me dar um beijo... na bochecha. – Ele disse sério, mas um sorriso maligno estava presente em seu rosto. – Pera... você pensou que eu queria um beijo na boca?

-N-não, não, eu não pensei isso.

 Eu não sabia nem o que responder direito. Então esse tempo todo ele apenas queria um beijo na bochecha? Só isso? Claro que eu estava aliviada por não ter que o beijar na boca, mas... por que isso doía tanto em mim? Será que esse tempo todo eu estava esperando por esse beijo e não sabia?

 Ele deve estar pensando que eu sou uma idiota agora por ter pensado que ele queria um beijo, tipo BEIJO mesmo. Eu sabia que eu não devia estar me sentindo assim, Jungkook já havia deixado bem claro que eu era apenas a sua primeira melhor amiga e blá, blá, blá.

 O encarei envergonhada e fiquei na ponta dos pés. Dei um pequeno beijo em sua bochecha e senti meu estômago se revirar. Porém dessa vez não havia borboletas nele, havia apenas vergonha e decepção.

-Pronto, feliz agora Jeon? – Perguntei tentando não deixar transparecer a minha tristeza.

-Bom... não. Que beijo foi esse (s/n)? Foi muito ruim. –Senti meu sangue começar a ferver e não consegui segurar mais meus sentimentos.

-Que pena Jungkook. Eu sinto muito se você não gostou do beijo, mas foi você que pediu, então lide com isso.

-Acho que eu consigo fazer melhor.

-Ah! Mais é lógico que consegue, não é? Você é Jeon Jungkook o garoto que é bom em tudo que faz e...

-Você fala demais (s/n). Deixa eu te mostrar como é um beijo de verdade.

 Eu estava prestes a reclamar novamente, mas fui interrompida pelos lábios de Jungkook pressionando os meus.


Notas Finais


Espero que gostem!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...