História Letal Wish 2 - Capítulo 14


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber, Madison Beer
Personagens Justin Bieber, Madison Beer
Tags Criminal, Justin Bieber, Madison Beer, Romance
Visualizações 178
Palavras 1.421
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Aí está!Como prometido.
Espero que gostem.👇
Aaaah,e muito obrigada pelos comentários anteriores 💜❤💜❤💜❤

Capítulo 14 - My son!


Fanfic / Fanfiction Letal Wish 2 - Capítulo 14 - My son!

-Nada-sorri -Bobagem.

-Maddie,sei que não é bobagem.O que foi? Você quer ter filhos?-suspirou.

-Não que eu queira-suspirei-É que...

-Que?-arqueou uma sombrancelha olhando profundamente em meus olhos.

-Eu estou grávida-falei fechando meus olhos,com medo de sua reação.Senti suas mãos se afastando de mim.Abri meus olhos e encarei seu par de olhos caramelados,que agora estavam arregalados e indecifráveis.

Nesse momento eu me sentia mais fraca do que nunca.Meu coração estava apertado e algumas lágrimas rolavam pelo meu rosto.

As enxuguei rapidamente,sentindo o olhar de Justin pesar sobre mim.

-Você está grávida?-me lançou seu famoso olhar frio e rude.

-Eu pensei em tirar,assim que fiquei sabendo,mas a Sky me fez refletir um pouco-suspirei.Eu não conseguia olhar pra ele-Sei que não quer um filho Justin,assim como eu-enfim consegui o olhar.Ele continuava da mesma forma,maxilar travado,olhar frio,fixado em mim,punhos fechados-Mas...Eu não posso tirar esse filho.Eu já fiz isso uma vez,e sei como dói-enxuguei outra lágrima que escapou-Posso ser fria,cruel e arrogante,mas isso não muda o fato de ser meu filho-me virei de costas para ele.

-Sabe o que isso significa?-sua voz saiu fraca-Que iremos ter um ponto fraco Maddie.Eu sempre quis ser pai...

-Eu sei-o cortei,me virando para ele novamente-Sempre quis ser pai,mas não agora.

-Isso!-respirou fundo.Seu olhar não demonstrava mais raiva,e sim carinho-Mas na vida,nada acontece do jeito que a gente quer-se aproximou devagar.Senti seus dedos gélidos tocarem minhas bochechas,me fazendo abrir os olhos,que até então,estavam fechados-É algo meu e seu,acha mesmo que eu permitiria que tirasse,nosso filho?-abriu um sorriso fraco-Vamos ter esse filho,e vamos cuidar e proteger ele de todas as formas possíveis-desceu as mãos de meu rosto,pelos meus braços,até chegar em minha barriga-Não acredito que vou ser pai -sorriu bobo.

Não pude evitar sorrir também.

Ele alternava o olhar entre mim e minha barriga,sem tirar o sorriso dos lábios.

-Temos que contar pra minha mãe-segurou com firmeza em minha mão-Ela vai ficar super feliz.

-Não!-O impedi,assim que senti sua mão puxar a minha.Sua sombrancelha foi arqueda,desmonstrando toda a confusão que sentia-Eu não quero que ninguém saiba,não agora.

-E por que não?-sua mão soltou a minha.

-Quanto menos gente saber melhor-suspirei-Não quero que chegue aos ouvidos de quem não deve saber-sua expressão de preocupação foi ocupada pela a de alívio.

-Você tem razão-engoliu seco-Temos que esconder,até quando for possível.

-Mas,mudando de assunto-me aproximei dele novamente,entrelaçando meus braços em volta do seu pescoço-Nossa viagem ainda está de pé?

-Claro!- envolveu minha cintura com seus braços,me puxando para mais perto-Já escolheu o lugar?

-O que acha de Miami?-propuz,vendo um sorriso malicioso se formar em seus lábios.

-Ótimo lugar para termos vários orgamos-desceu uma de suas mãos até minha bunda,a apertando.

Senti minha intimidade latejar.

-Não é preciso Miami para isso -mordi meu lábio inferior.

Ele me deu impulso,comigo entrelaçando minhas pernas em sua cintura.Senti minhas costas se chocarem contra algo sólido.A parede.Justin forçou sua intimidade contra a minha,me fazendo sentir o volume por baixo de sua calça.

Arfei baixinho.

-Justin querido-Pattie entrou no escritório,nos assustando-Aaai,me desculpem,vocês estavam indo transar.

-Ah qual é mãe?-Justin disse desapontado,soltando minhas pernas,fazendo as mesmas deslizarem pelas suas.

-Eu só queria avisar que tem uma mulher lá fora querendo entrar,ela disse ser sua amiga-Pattie disse.

Justin me olhou completamente confuso por alguns segundos e se afastou de mim,saindo do escritório rapidamente.Olhei para Pattie que sorria sem graça e fui atrás dele.

Seus passos eram largos e rápidos,quase que eu não conseguia acompanhar.E pra piorar tudo,eu ainda estava excitada.

Justin cruzou o jardim,comigo logo atrás.Ele parou no portão para que os seguranças abrissem,e assim que isso foi feito,vi seu corpo passar pelo mesmo.

Assim que meus pés tocaram a calçada,senti algo bater com certa força em minha cabeça.Minhas vistas ficaram turvas e meu corpo foi de encontro ao chão.Apaguei em questão de segundos.

Abri meus olhos sentindo uma dor de cabeça horrível,tentei me mexer,mas percebi que estava amarrada à uma cadeira.

-Seja lá quem for o covarde,apareça-berrei.Eu não conseguia ver nada,estava escura e eu não fazia idéia de onde estava.

-Ai fofa,que bom que acordou-ouvi uma voz feminina e enjoada pra caralho dizer.

-JENNIFER-gritei tentando me soltar.Foi em vão.

-A própria-a luz foi acesa,fazendo eu fechar meus olhos rápidamente,devido a claridade.

-O que você quer agora?Seu milho não está sendo o suficiente?-debochei.

-CALA A BOCA-senti uma ardência do lado esquerdo do meu rosto,após ouvir um som de tapa sendo dado-Eu estava quase soltando fogos de artifício,pensando que você estava bem longe daqui-puder ver suas veias saltando e seu rosto todo ficar vermelho.

-Aaah,já entendi!-ri-Está nervosinha assim porque o Justin está comigo,e não com você?

-ELE É MEU!MEEEEEU-berrou fervendo de raiva.

-Uuii,desculpa.Esqueci que iludida é o seu principal adjetivo-sorri falso.

Ela estava com raiva,muita raiva.Seu corpo todo tremia,assim como seus lábios,seu maxilar estava travado e seus olhos transmitiam puro ódio.

-Vocês nunca vão ser felizes-abriu um sorriso doentio-NUNCAA!-berrou-Antes disso,eu mato os dois.E por fim,eu atiro na minha própria cabeça para que eu vá com o Justin para o paraíso.

Cara,essa mulher era completamente maluca.

-Você quis dizer pro inferno né -ri.

-QUE SEJA!-deu um grito extremamente agudo.-Ele sempre foi meu,desde que foi enviado para esse mundo,já me pertencia-enquanto ela cacarejava,eu tentava soltar minhas mãos daquelas cordas idiotas, que estavam amarradas atrás da cadeira-Você-apontou pra mim-Não tem o direito de rouba-lo de mim.

-Querida,que roubar o que.Ele está comigo porque quer,eu não estou o prendendo-sorri.

-Isso é o que vamos ver -passou a língua nos lábios enquanto caminhava até a porta.

Olhei para todos os cantos alí,em busca de algo que me ajudasse.

-Quando ele te ver aqui,completamente morta de fome e sede,ele vai correr para os meus braços-passou pela porta de madeira,a trancando em seguida.

-Vadia mau comida -resmunguei enquanto tentava arrastar a cadeira até uma pequena mesa-Vamos lá-eu repetia diversas vezes-Só mais um pouquinho-consegui.Por sorte a mesa ficava na altura da minha cabeça,seria perfil para que eu conseguisse pegar algum objeto cortante. Não encontrei.Porém consegui localizar um esqueiro.Coloquei minha cabeça de lado e peguei o pequeno objeto com a boca,o soltando no chão em seguida.

-Droga!Isso vai doer.-resmunguei forçando a cadeira para o lado,fazendo a mesma cambalear e cair de lado.Gemi,assim que meu corpo caiu com força no chão.Girei alguns centímetros no chão até minhas mãos encontrarem o esqueiro-Perfeito-o peguei em minhas mãos,o acendendo e fazendo com que o fogo pegasse nas cordas.

Em alguns minutos a corda foi cortada pelo fogo,fazendo minhas mãos ficarem livres.Meus punhos sangravam um pouco,mas eu nem dei bola,desamarrei minhas pernas e me lavantei.Procurei por algum objeto que eu pudesse usar como arma,e encontrei uma barra de ferro.Dá pro gasto.

Derrubei todos os objetos da mesinha e da prateleira,com a intenção de vir alguém.Ouvi passos se aproximando,então me escondi do lado da porta.Assim que a pessoa cruzou a mesma segurei firme a barra de ferro e acertei na nuca da loira.Ela caiu ensanguentada no chão,então aproveitei para sair daquele lugar.

Era uma espécie de casa,e eu estava no segundo andar.Será que o Justin está aqui?

Olhei para os dois lados do corredor enorme,tentando me decidir se eu ia embora,ou procurava por ele.

-Droga!-suspirei caminhando para o lado contrário da escada.

Abri todas as portas,mas não encontrei nada.

-Maddie,filha querida-ouvi alguém dizer.

Olhei por cima do ombro,tendo a vista da Lucy do outro lado do corredor.

-Vadia-falei me virando por completo.

-Não vai me dar um abraço?-abriu os braços,com um sorriso falso nos lábios.

-Não seja sínica -comecei a dar pequenos passos em sua direção.

-Está procurando alguém?-abriu um sorriso maior ainda.

-Aonde ele está?-perguntei firme.

-Em casa-fez biquinho-Nem deu a mínima que você sumiu.

-Mentira!-apertei a barra de ferro na minha mão.

-Pensei que fosse mais esperta filha.Acha mesmo que alguém é capaz de gostar de você?-riu pelo nariz-Um aborto mal sucedido como você-me olhou de cima a baixo com cara de nojo.

-Você...

-É,eu tentei tirar você de mim -disse como se fosse a coisa mais linda do mundo-Tentei me livrar dessa coisa-apontou para mim-Ninguém.Te.Ama.

-CALA A BOCA-uma lágrima escorreu pelo meu rosto.

-O que foi? Não aguenta ouvir a verdade?-gargalhou-Foda-se Madison-deu de ombros-Você não é nada pra ele,além de um objeto sexual.Assim que ele enjoar de você,vai te descartar,assim como eu fiz-cuspiu as palavras.

E pior disso tudo.Era que isso estava me magoando.Algo que nunca senti na minha vida.Mágoa.

-Acorda garota,tá parecendo aquelas adolescentes apaixonadas-estralou os dedos-Você não é nada.NADA!

Eu não consegui dizer e nem fazer nada,pois senti uma pontada terrível na minha barriga.Me apoiei no início do corrimão da escada e mordi o lábio,tentando conter a dor,que era insuportável.

Coloquei uma mão na barriga,tentando não chorar na frente dela.

-Aaah para de drama garota-Lucy disse irritada.

-Meu filho-minha voz saiu como um sussurro.

-MADDIE!-ouvi aquela voz rouca gritar-MADDIE-olhei para baixo,vendo Justin na porta de entrada da "casa"-O que foi?

-Morre desgraçada -senti alguém me empurrar,(que eu deduzi ser a Jennifer).E o meu corpo ser arremessado contra as escadas.Senti meu corpo bater diversas vezes contra os degraus e a dor em minha barriga aumentar.

Eu só ouvi a voz distante de Justin gritar, então apaguei.

A única coisa que eu pensei quando estava caindo,foi na vida do meu filho.


Notas Finais


E aí?O que acharam? Eu até que gostei do capítulo,mesmo ele sendo pequeno.
Mas agora,essa Jennifer,o puta desgraçada kkkk.
Então é isso amores,beijoos,até o próximo ❤❤❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...