História Let's Make It Forever ∞ Byun Baekhyun | EXO - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Kris Wu, Lay, Personagens Originais, Sehun, Suho, Xiumin
Tags Baekhyun, Chanyeol, Chen, Exo, Kai, Kpop, Kris, Kyungsoo, Lay, Sehun, Suho, Xiumin
Visualizações 955
Palavras 5.159
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Romance e Novela, Suspense
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


🌚 <---- essa carinha me define nesse momento. (Huahuajsisskis)


Boa leitura e desculpe-me se tiver erros 💙🇰🇷
•#---#•

Capítulo 9 - Overdose


Fanfic / Fanfiction Let's Make It Forever ∞ Byun Baekhyun | EXO - Capítulo 9 - Overdose


S/N esperou um pouco pela resposta de Baekhyun que a fitava meio sério e surpreso por sua chegada. Ela começou a ficar nervosa e duvidava que ele aceitaria, talvez fosse esse o seu plano nesse tempo todo, fazê-la ir atrás dele para depois se gabar...

Seus pensamentos foram interrompidos quando sentiu Baekhyun pegar sua mão e a puxar para a saída da boate, assim sem mais nem menos, e ela o seguiu sem relutância. A prostitita com quem ele falava antes ficou parada e visivelmente confusa, os seguranças também estavam sem entender, alguns deles se perguntavam quem era aquela garota e outros decoravam o seu rosto para nunca mais impedi-la de entrar no estabelecimento, naquela área conhecer Baekhyun era como conhecer o presidente ou qualquer outra pessoa muito importante.

Baekhyun— Entre. — falou logo que destravou o carro.

Eles adentraram o veículo e Baekhyun começou a dirigir um pouco apressado até a sua casa. S/N aproveitou aqueles minutos do percurso e mandou uma mensagem para Nina dizendo que dormiria na casa da Yoora, e depois começou a sentir um frio na barriga percebendo que estavam quase chegando.

Em pouco tempo ele estacionou o carro em frente a mansão. Baekhyun foi o primeiro a sair do carro enquanto ela estava hesitando um pouco, seu nervosismo era evidente. Com um leve suspiro ela saiu do carro e logo bate a porta do mesmo.

S/N— Então... — nem pôde falar, a sua boca foi tomada por Baekhyun, era um beijo rápido e intenso que esquentava o clima entre os dois.

Ele agarrou o corpo dela de modo possessivo, a levar para dentro estava sendo uma tarefa difícil. Eles não queriam desgrudar um do outro como se um ímã os impedisse. Baekhyun não se importaria de transar com ela alí mesmo ou dentro do carro mas sabia que ela preferia que fosse algo mais privado.

Eles adentraram a mansão em meio às mãos bobas, puxões no cabelo e gemidos abafados pelo beijo quente e necessitado. Quase tropeçaram com a tentativa de tirar os sapatos sem interromper o beijo. Ambos se encontravam em completo estado de êxtase enquanto exploravam com intensidade a boca um do outro como se quisessem memorizar cada detalhe.

Baekhyun deslizou as suas mãos pelas curvas de S/N enquanto ela puxava com força seus cabelos perto da nuca o fazendo gemer rouco contra os seus lábios. Ele já estava excitado, o seu corpo clamava para tê-la por completa só para si.

Ele a trouxe para perto com tudo o que tinha; Ele a queria; Ele a desejava, e agora que a tinha estava muito ansioso para fodê-la em qualquer canto daquela casa e aproveitar cada segundo daquela longa noite.

Baekhyun— Não sabe o quanto eu estava louco por isso. — ele mordeu o lábio inferior de S/N e em seguida os ataca com luxúria. Droga, como ele consegue ser extremamente sexy?

O clima estava muito quente e excitante, a especialidade de Baekhyun realmente era de se deixar qualquer mulher sem fôlego mas S/N estava longe de ser uma qualquer. Ela resistiu a quase todos os encantos e atiçou o seu desejo e curiosidade como ninguém tinha feito antes.

S/N não cogitava a ideia de voltar atrás, ela queria isso, queria continuar e desfrutar tudo o que ele tinha a lhe oferecer mas precisava admitir que estava um pouco de insegura. Aquela de fato seria sua primeira vez com um homem.

S/N— Espera… — interrompe o beijo e põe suas mãos sobre o peitoral de Baekhyun​. — Podemos ir com calma?

Baekhyun— Lento e sensual é a minha especialidade. — ele dá o seu típico sorriso cafajeste e volta a beijá-la, mas dessa vez com mais calma.

Era difícil para ele se segurar naquela situação, ela estava ali se entregando por completo — Aliás, foi até uma iniciativa dela —, o que era uma grande surpresa. Por ora ele tentaria se controlar, ainda era o começo da noite.

Pela iniciativa das mãos tímidas de S/N, começou a desabotoar a camisa dele com certo receio.

Baekhyun— Você pode descer as mãos mais um pouco… — ele sussurra perto de seu ouvido e logo em seguida morde o lóbulo de sua orelha.

Ela desabotoa todos os botões daquela camisa e timidamente desliza a peça pelos ombros largos de Baekhyun até que caísse no chão. Não resistiu e passou os dedos por seu peitoral desnudo o admirando. Que crueldade! Parece até que ele foi feito em um laboratório por cientistas safadas que tinham como meta criar um homem muito gostoso.

Pensou como seria vê-lo sem nenhuma peça de roupa. Seus pensamentos impuros lhe causaram uma sombra de sorriso safado e um rosado nas bochechas. Estava longe de ser aquela garota agressiva de todos os dias, agora era uma virgem pura e desejada.

Baekhyun— Você fica linda com raiva... mas fica mais linda quando está corada.

S/N— Cala a boca, Baek! — disfarça sua vergonha com irritação o que faz ele dar um meio sorriso. — Só vamos transar.

Baekhyun— Falou a virgem. — Ele ri enquanto ela revira os olhos.

S/N— Apenas me beije, Byun Baekhyun! — ordena e sem mais delongas o puxou para mais um beijo.

Ele desce suas mãos até a parte inferior de sua coxa e lhe dá impulso para enlaçar​ as suas pernas na cintura dele. Baek brincava e mordiscava os lábios dela que ficaram em um tom avermelhado. Em passos cegos ele a levou até o sofá e se sentou com ela em seu colo. Separou-se do beijo e deu mais atenção ao seu pescoço passando o nariz pela área se embriagando com o doce cheiro que ele tanto gostava. Pôde sentir a pele dela se arrepiar o que lhe fez sorrir e iniciar uma sequência de selares pelo local. S/N arfou perto do seu ouvido, era difícil de controlar a respiração ainda mais quando sentiu a ereção dele roçando na sua intimidade coberta, ficou sem graça mas não deixou de se sentir excitada com aquela posição que a levava à perdição.

Ele a deitou no sofá se posicionando em cima dela, a ajudou a tirar sua blusa e calça a deixando apenas com as peças íntimas. Por segundos ficou a admirando como um filme em câmera lenta. S/N virou o rosto sem jeito porém Baekhyun segura seu queixo a fazendo olhar nos seus olhos.

Baekhyun— Essa visão está bem melhor da que tive no provador. — Ele sorri lembrando do acontecimento no shopping.

S/N— Pervertido. — para a sua surpresa, a sua voz saiu falha por causa da respiração ofegante. — Não devia ficar me espionando.

Baekhyun— Mas agora é diferente… — ele morde o lábio. — Porque você quer isso.

Baekhyun afundou o rosto na curva do seu pescoço e passou a distribuir chupões fortes que deixavam marcas. Ela estava louca com aquelas provocações. As suas mãos inquietas subiam e desciam pelos músculos dele na tentativa de encontrar um apoio. Os chupões desceram para a clavícula e depois para o seu busto enquanto ele apertava seus seios ainda cobertos, de certa maneira até um pouco bruta mas aqueles toques eram como um estímulo para ela.

S/N— Baek… — O nome dele saiu como um gemido. Ele sorriu com a satisfação que estava lhe proporcionando. Por um momento ela se condenou por ficar tão manhosa dessa forma na frente dele.

Baekhyun procurou em suas costas o fecho do sutiã, ao encontrá-lo, ansiosamente se livrou da peça a jogando em um canto da sala, logo abocanhou um dos seios enquanto sua mão apertava o outro. S/N tentou segurar os gemidos mas sempre os deixava escapar de sua boca, não podia descrever a sensação que estava sentido. As suas unhas cravaram os ombros de Baekhyun​ descarregando a adrenalina que passava em suas veias. Era impossível ter controle, o seu peito subia e descia ao mesmo tempo em que Baekhyun parava de brincar com seus seios e voltava a descer seus beijos para sua cintura. Passava a língua de forma erótica enquanto olhava S/N se contorcer no sofá pela ansiedade e o prazer.

Baekhyun— Não fique nervosa… — falou ao notar o nervosismo em seu rosto. — Vou satisfazê-la do jeito certo, lógico que cobrarei mais tarde... — sorriu de canto e ela fez uma leve feição confusa. — Apenas sinta...

S/N— Uhum. — foi a única coisa que conseguiu pronunciar.

Baekhyun sorriu como se estivesse apenas esperando a confirmação da parte dela para fazer o que tanto ansiava. Ainda por cima do tecido fino da calcinha, ele distribuiu selinhos por sua intimidade enquanto ela ofegava com a atitude. Ele finalmente poderia saber como era o seu sabor, estava muito ansioso por isso.

Baekhyun— Diga adeus a sua calcinha. — com os dentes ele arrancou a peça deixando S/N completamente exposta.

Ele então para e admirar a intimidade dela que se encontrava tão lubrificada a ponto de fazê-lo imaginar o quanto poderia judiar dela.

Baekhyun— Já está toda molhada? Tudo isso só pelas preliminares? — olhou para ela que estava corada. Ele riu fraco e decidiu aproveitar a situação para provocá-la.

Ele começou a massagear seus clitóris, os movimentos eram circulares e lentos. Ele viu que S/N estava adorando os seus toques e que também estava sofrendo com aquela lentidão, então passou a sua língua devagar explorando toda a sua intimidade. Ela gemeu em frustração apertando os olhos.

S/N— P-pare de me provocar, Baek​! — ele riu com sua irritação.

Baekhyun— Foi você quem pediu.

Antes mesmo dela raciocinar a frase, a língua hábil de Baekhyun começou a explorar seu clitóris com rapidez, chupando e sugando aquele local sensível. Pela surpresa, S/N não conseguiu controlar a maioria dos gemidos. A boca de Baekhyun​ com certeza foi abençoada pelos deuses!

Ele parou de fazer os movimentos com a língua e sem aviso a penetrou com um dos dedos fazendo movimentos intensos de vai e vem. S/N arqueou o corpo e mordeu o próprio lábio. Sentia leves contrações em seu ventre.

Baekhyun— Está gostando? — pergunta malicioso.

S/N— S-sim... É m-muito b-bom...

Ela sentiu o seu corpo fraquejar, sua respiração ofegante e o coração bater forte. Baekhyun percebeu os sinais de que ela estava próxima ao orgasmo então parou de penetra-la com o dedo e voltou a lhe dar prazer com a língua. Ela puxou os cabelos dele com força sentindo como se uma corrente elétrica tivesse passando por seu corpo, o seu ventre se contraiu e suas pernas ficaram bambas, logo ela teve o seu primeiro orgasmo.

Ficou constrangida, ainda mais quando Baekhyun se levantou e admirou o seu corpo com desejo. Ele se deitou sobre ela e roçou ambos os lábios enquanto fechava os olhos. Sentia o coração dela bater forte.

Baekhyun— Nós podemos continuar aqui, mas tenho certeza de que minha cama é mais confortável que esse sofá.

Ela mordeu o próprio lábio e confirmou com a cabeça. Baekhyun a pegou no colo e saiu caminhando pela mansão até chegar em seu quarto. Assim que entraram, ele a deitou em sua cama ficando por cima dela e a beijou ferozmente. A boca dela só podia ser algum tipo de droga porque Baekhyun já estava completamente viciado. Ele preferia ter uma overdose ao deixar de beija-la, não queria parar, era tão bom que não ligava para o seu vício perigoso.

S/N ficava excitada com as mãos dele alisando o seu corpo e apertando suas coxas com vigor. Ela não conseguia mais suportar a distância entre eles, então desceu suas mãos até a barra da calça que Baekhyun usava.

S/N— B-Baek... — o chama no meio do beijo e ele entendeu o que ela queria, então começou a se livrar do resto de suas roupas o mais rápido que conseguia.

Agora estava tudo equilibrado, nenhuma peça de roupa os cobria. Finalmente estariam saciando o desejo tão intenso que sentiam um pelo outro.

Ele pegou um preservativo na cômoda ao lado e o colocou, se posicionou entre as suas pernas e, apesar do grande desejo, ele a penetrou devagar. S/N fechou os olhos com força sentindo um incômodo e agradeceu mentalmente por ele ter ficado parado esperando que ela se acostumasse.

Baekhyun— Ei... — ele sussurra e ela olha nos seus olhos. — Relaxa. Vai passar logo.

Ela ficou vidrada naquelas órbitas que estavam mais escuras que o normal devido a excitação. Ele começou a distribuir beijos por seu pescoço tentando fazê-la esquecer a dor, apenas esperava o comando de que podia se mover.

S/N— Pode continuar. — quebrou o silêncio ao sentir a dor diminuir.

Baekhyun— Uhum. — responde em um gemido e começa a se movimentar devagar dentro dela, percebeu a sua leve careta pelo incômodo. Ele fazia os seus corpos se unirem aos poucos, a invandia e a tornava apenas sua naquela noite.

Ela cravou suas unhas nas costas dele e gemeu em seu ouvido como aviso, Baekhyun entendeu e acelerou os movimentos ficando cada vez mais profundo nela. Seus corpos já estavam suados, o sangue quente, fios de cabelos​ grudados na testa e coração batendo a mil por hora enquanto escutavam o som do rangido da cama.

S/N— Baek… — gemeu ao sentir ele ir fundo nela. Deixou de se importar com os sons constrangedores que emitia e se entregou ao momento.

Baekhyun— S/N... — geme com a voz rouca em seu ouvido enquanto sentia o ventre dela se contrair. — Droga, você é apertada...

Ela revirava os olhos com a sensação incrível do sexo. Para facilitar mais as coisas ela enlaça suas pernas na cintura dele e pôde senti-lo dando estocadas mais fortes o que pra ela era delirante.

Ela gemeu mais alto sentindo que estava chegando ao ápice. Baekhyun​ vendo que ela estava perto, acelerou ainda mais os movimentos se deleitando; se satisfazendo ainda mais.

Baekhyun — Goza pra mim, vai? — e com mais algumas estocadas violentas, ela atingiu o orgasmo e logo em seguida foi a vez dele. — S/N... —  ofegante, ele deita sobre ela exausto. O peito dela subia e descia, estava se sentindo tão vulnerável em seus braços enquanto tentava controlar a respiração. Ele se retirou de dentro dela, jogou a camisinha usada em uma pequena lixeira em um canto e deitou-se ao seu lado com os olhos fechados e os braços atrás da cabeça. — Cinco minutos.

S/N— Cinco minutos? — ela franziu o cenho. — Pra quê?

Baekhyun— Vou te dar cinco minutos de descanso. — ela arregala um pouco os olhos. Como assim descanso?! — Achou que tinha acabado? Isso foi só o primeiro round.

S/N— P-Primeiro round? — ele sorriu.

Baekhyun— S/N, eu me importo apenas com as minhas próprias vontades e os meus próprios prazeres. — ele abriu os olhos fitando o teto. — Agora, nesse exato momento queria estar fazendo sexo com você mais uma vez. Normalmente eu não me importaria em lhe dar um tempo, não que eu me importe com você mas veja isso como uma excessão por ter acabado de perder a virgindade.

S/N— E quem disse que eu preciso de descanso? — fala em um tom provocativo.

Baekhyun virou a cabeça e olhou para S/N. Não disse absolutamente nada, ele é do tipo de pessoa que gosta de agir ao invés de dialogar. Então, ele rapidamente se sentou e a puxou pela cintura a fazendo ficar sentada em seu colo.

Baekhyun— Não me provoque. — ele aperta a sua cintura contra seu corpo roçando ambas intimidades, os seios dela batiam contra o peitoral dele. — Eu sou capaz de te deixar em uma cadeira de rodas. — ela riu duvidosa. — O que foi? Acha que estou blefando?

S/N— Eu duvido que isso seja verdade.

Ele sorriu com segundas, terceiras, quartas intenções... Aquele gesto não foi só para mostrar que teve muitas idéias impuras, também era considerado uma advertência de que ela estava brincando com fogo. 

Baekhyun— Vai se arrepender por ter duvidado de mim.

S/N não tinha entendido que aquilo era um aviso para o que vinha a seguir mas sentiu a estranha sensação da adrenalina em seu corpo. 

Baekhyun a invadiu totalmente com seu membro rígido, S/N fechou os olhos e gemeu de dor e prazer enquanto puxava os cabelos dele com força. Ele sorriu descaradamente enquanto a instigava com suas mãos firmes que estavam nas suas nádegas a fazendo subir e descer rápido em seu membro.

E naquela noite eles tiveram inúmeros rounds, tantos que perderam as contas. Eles não conseguiam parar, simplesmente não queriam, nunca estavam satisfeitos. Uma noite não era o suficiente para os dois.


[...]


Ainda era muito cedo, o dia ainda nem tinha amanhecido. Baekhyun despertou do seu sono profundo. Sentia o corpo pesado, estava exausto pelas incansáveis horas de sexo da noite passada.

Baekhyun— S/N... — a chamou mas não obteve resposta. Só então olhou para o lado e não a viu. Sentou na cama rapidamente e olhou em sua volta, percebeu que estava sozinho naquele quarto.

Normalmente, Baekhyun sempre perdia o interesse por uma garota depois de dormir com ela, mas com a S/N foi diferente. Ele queria vê-la de novo, queria beijá-la, tocá-la e tê-la mais e mais vezes...

Ele achava que depois daquela noite a forte atração que sente por ela desapareceria, mas foi o contrário, só tinha piorado. Pela a primeira vez ele não perdeu o interesse e pela primeira vez ficou chateado por não acordar com uma mulher ao seu lado no dia seguinte. 

É só mais um desejo, logo passa. — ele pensava.

Baekhyun se levantou e sorriu vendo as marcas e arranhados em seu corpo feitos pela garota. Vestiu uma calça moletom com os pensamentos distantes e saiu do quarto. Ia tomar banho primeiro mas deu preferência a sua barriga que não parava de roncar.

Em segundos entrou na cozinha, porém automaticamente parou na porta do cômodo. Piscou algumas vezes para ter certeza de que o que vira não era uma ilusão. Ele sentiu uma esquisita alegria em seu peito quando a viu alí, de costas para ele preparando algo para comer em cima do balcão de madeira.

Ele ficou escorado na batente da porta observando a garota por um tempo.

Baekhyun— O que está fazendo? — sua pergunta acaba assustando S/N que se virou com o coração acelerado.

S/N— Não me assuste assim! Eu quase tive um ataque do coração. — fez uma cara de brava e mordeu o seu sanduíche.

Baekhyun— Não seja dramática. Enfim, o que está fazendo?

S/N— Comendo um sanduíche. Estava com muita fome e pensei que você não iria se importar se eu preparasse alguma coisa. Não se preocupe chifrudo, já estava indo embo...

Baekhyun— Voltou a me chamar assim? — a interrompe com uma sombra de sorriso.

S/n— O que? — arqueia a sobrancelha. — Ah, de "chifrudo"? Eu sempre te chamei assim, não é nenhuma novidade. — deu mais uma mordida no pão.

Baekhyun— Você não me chamou assim ontem. — suas palavras a fizeram engolir o alimento com tudo, quase se engasgou por não ter mastigado direito.

S/N— E-e-eu... — ela não conseguia formular uma frase, ficou envergonhada só de lembrar o quanto foi ousada algumas horas atrás, parecia até que não era ela e sim uma outra pesssoa.

Baekhyun andou em sua direção, quanto mais perto estava mais nervosa ela ficava que nem se mexia.

Baekhyun— Eu me lembro muito bem todas as vezes que você gemeu o meu nome no meu ouvido. — ele coloca os braços em cada lado da cintura dela a encurralando na bancada, roubou uma mordida do sanduíche sob os olhos dela que observaram cada pequeno movimento.

As lembranças do intenso sexo que eles fizeram ameaçaram invandir sua cabeça, mas ela relutou com todas as forças. Não queria cair em tentação.

Ele se aproximou dos seus lábios ao mesmo tempo em que fechava os olhos, mas ela socou o seu braço com força. Ele gemeu de dor com a mão em cima do local atingido.

S/N— Seu tarado! — comeu o resto do sanduíche e passou por Baekhyun para pegar sua bolsa na outra bancada.

Baekhyun— Isso dói! — reclamou. — Aish... Eu sinceramente não te entendo. 

S/N— Não me entende? — ajeita a bolsa no ombro e o olhou. — É o seguinte, você já teve o que queria, ou seja minha virgindade.

Baekhyun— Hm. — cruzou os braços e deu passos cautelosos em sua direção.

S/N— Agora você vai me deixar em paz e vamos seguir nossas vidas. Fim de jogo. — parecia até uma despedida, e de fato era um "Adeus", tinha de ser. — Tchau, Baekhyun.

Ela abaixa a cabeça e começa a andar. Não conseguiu nem dar três passos, tinha sido impedida por ele que agarrou seu pulso. 

Baekhyun— Não vá. — sussurrou. —Ainda nem amanheceu. — ele lentamente envolve seus braços na cintura dela. — Nós ainda temos tempo.

S/N— Tempo?

Baekhyun— Ainda tem muitas coisas que eu quero fazer com você... Com o seu corpo... — com uma mão ele puxava a cintura dela colando seus corpos. — Com a sua boca...  — roçou seus lábios no dela e viu que sua respiração estava descompassada. 

Ela lembrou como era bom ser beijada por ele; Lembrou dos​ beijos​ quentes​ e dos​ toques... Merda! Ela queria ser agarrada por ele ali mesmo, naquele exato momento do jeito que só ele sabia fazer! 

S/N estava odiando o fato de ser mais uma na lista de Baekhyun, ela tinha isso em mente antes de tomar quaisquer atitude mas não sabia que seria tão ruim e ao mesmo tempo tão bom.

No começo ela sentia um pequeno interesse no chifrudo mas agora essa atração estava incontrolável, bastava uma simples provocação da parte dele para que ela ficasse exitada e implorando mentalmente para que lhe agarrasse. Ele estava a enlouquecendo por causa do seu capricho idiota de dormir com a única mulher que lhe rejeitou. Que filho da puta!

Sem esperar por um resposta, Baekhyun a colocou sentada na bancada e puxou sua nuca tomando seus lábios com urgência e desejo, ela retribuiu na mesma intensidade, podia ter sido forte e afasta-lo mas não tinha mais forças para resistir, não depois do que aconteceu, não depois de saber o quão bom era beija-lo e senti-lo dentro dela.

Eles interrompem o beijo apenas para que S/N se livrasse da camisa, logo voltam a se beijar​ enquanto ela passava as mãos por seu abdômen definido. Baekhyun tirou o sutiã dela e começou a massagear os seus seios ao mesmo tempo em que distribuia chupões em sua clavícula deixando mais marcas do que já tinha.

Os beijos, chupões, toques, gemidos roucos, carícias... tudo nele era uma droga, uma doença, uma overdose. Ficava difícil de resistir com o passar do tempo.

Baekhyun a ajudou a tirar o restante das peças de roupas a deixando completamente nua e entregue a ele. Sem perder muito tempo ele abaixou sua calça moletom, se encaixou entre as pernas dela e a penetrou com força a fazendo morder os lábios para não gritar.

Baekhyun— Geme o meu nome. — sussurrou dando estocadas lentas porém intensas.

S/N— B-Baek... — Ela gemia em seu ouvido e ele gostou muito daquilo, tanto que decidiu acelerar as investidas lhe dando mais prazer.

Ambos já estavam suados e sentiam os corpos quentes, ela arranhava as costas dele enquanto o sentia acelerar os movimentos. Suas bocas entravam em conflito novamente o qur abafou os gemidos altos. 

Ela sentiu as pernas ficaram bambas e que chegaria ao ápice. Bastou mais alguns minutos para ela se desfazer em seus braços, ele rapidamente se retirou de dentro dela para enfim gozar, ter um filho não estava nos seus planos.

Enquanto ela tentava amenizar os seus batimentos cardíacos, expirando e inspirando profundamente, ele a olhava com um sorriso no rosto e uma ideia em mente.

Baekhyun— Vamos continuar no banho?

S/N— Nem pensar! Eu posso tomar banho sozinha. — ela tentou dar um basta, até porque ele começara a pensar que podia fazer o que bem entendesse com ela quando estivessem entre quatro paredes e um teto, o que era verdade! 

Baekhyun— Mas comigo vai ser mais divertido e prazeroso.

S/N— Sala, quarto, cozinha e agora no banheiro? — citou os lugares que eles tiveram relações sexuais.

Baekhyun— Ainda não compreendeu que pretendo te foder em todos os cantos dessa casa?

Mais que droga! Ela já estava excitada de novo. Todos aqueles minutos que ficou convencendo a si mesma sobre não ceder para o chifrudo novamente, foi desperdiçado.

S/N— Só por curiosidade, quantos cômodos tem aqui? — ele riu a pegando em seu colo e caminhando pelo grande corredor. 

Baekhyun— Só os quartos são mais de cinco.

S/N— Algum deles é vermelho e tem vários brinquedos sexuais esquisitos? — ele rolou os olhos.

Baekhyun— Por que insiste em dizer que sou masoquista?

S/N— Porque ainda não me convenci do contrário. — responde enquanto Baekhyun adentrava o quarto, logo ele empurrou a porta do banheiro.

Baekhyun— Isso não faz meu estilo mas confesso que gosto de algo mais violento de vez em quando. — piscou um dos olhos e entrou no box.

Ele a pôs no chão e ligou o chuveiro. A água gelada caía sobre o corpo de ambos que ficaram arrepiados. Baekhyun tocou no rosto de S/N logo tomando posse dos seus lábios esquentando ainda mais o clima.

Baekhyun— S/N... Eu quero que você me toque. — mordeu o lábio e ela o olhou um pouco assustada.

S/N— O q-que?! — gaguejou assautada com a proposta. — Você tem as suas próprias mãos, pode fazer isso sozinho!

Baekhyun— Sei que você está nervosa por nunca ter feito esse tipo de coisa antes, mas tente pelo menos. — ele passou o polegar por entre os lábios dela imaginado a sensação de tê-la lhe tocando. — Pensando melhor, quero que você me satisfaça usando a sua boca.

Como ela odiava receber ordens, só não odiava mais que o próprio desejo que sentia por aquele homem. Pensando por um outro lado, aquela experiência podia não ser tão ruim, a insegurança era sua única inimiga.

S/N— Tá bom... Mas se eu não gostar vou parar. 

Baekhyun— Tudo bem. — ele segurou a mão dela a conduzindo até o seu membro rígido. Ela suspirou quando sentiu o membro dele pulsar em sua mão. Com um jeito meio inocente, começou a fazer lentos movimentos de vai e vem enquanto Baekhyun gemia baixo. Sentindo que a qualquer hora o seu coração estaria saindo de sua boca, ela fica ajoelhada em frente a ele que continuou guiando a sua mão lhe ensinando o jeito certo de lhe dar prazer. — Use mais a língua, não os dentes. — avisou e ela assentiu. Lentamente colocou o membro dele em sua boca. Ela seguiu os seus conselhos e começou a passar a língua por toda a sua extensão, explorava cada centímetro enquanto sua mão continuava com os movimentos. — Hm... S-S/N...

Ela olhou para cima e viu Baekhyun com a cabeça jogada para trás pelo prazer que ela lhe proporcionava. Em poucos minutos ela se viu acostumada com a situação e perdeu sua timidez. Até que gostou daquilo, sentia-se com poder sobre ele pela primeira vez, então decidiu lhe dar o troco por ter lhe provocado tantas vezes e sair ileso.

Ela afastou sua boca e rapidamente ele a olhou com reprovação.

Baekhyun— Não faz isso comigo, S/N. — ela riu vitoriosa e voltou a fazer aquilo do jeito certo. Ele sentiu que não ia aguentar por muito tempo então segurou os cabelos dela para controlar os movimentos. Cada gemido que ele dava a incentivava a ser mais ousada o que fez ele chegar ao clímax em questão de poucos minutos. Ela ficou assustada com o líquido em sua boca, seu desespero era tão grande que acabou engolindo tudo de uma vez sem pensar duas vezes.

S/N— Fui bem? — perguntou retórica ficando de pé. 

Baekhyun— Bem? — colou seus corpos e fitou sua boca. — Você foi maravilhosa.

Aquele banho continuou por longos minutos, cheio de beijos e mãos bobas. Depois os dois saíram do banheiro e foram direto caindo sobre a cama onde realizaram o último round.

Baekhyun pensava em como tudo era diferente com S/N. Ela provocava e duvidava do que ele era capaz de fazer. Ele gostava disso, se sentia desafiado a provar todo o seu potencial. Também gostava quando ela ficava mais vulnerável, quando suas defesas eram quebradas​ e ela corava por ser inexperiente... Ele adorava isso nela, tão marreta mas ao mesmo tempo tão inocente, tinha vontade de ensina-la mais e de fazê-la experimentar as várias formas que se pode sentir prazer.

Baekhyun— Durma um pouco, deve estar exausta. — fala ofegante ao lado dela após o fim do último round, mas na verdade era ele quem estava esgotado, tanto que minutos após fechar os olhos havia adormecido.

S/N aproveitou para tomar um banho, desta vez foi sozinha e não demorou muito. Se enxugou com uma toalha e vestiu uma camisa grande do Baekhyun já que as suas roupas estavam sujas e ainda espalhadas na cozinha, teria de ir lá e recolher cada peça, mas antes de fazer isso ela deu uma última olhada em Baekhyun que dormia na cama feito uma pedra.

S/N suspirou e se virou saindo do quarto sem olhar para trás.


[...]


Já no seu apartamento, S/N agradeceu aos céus por Nina estar dormindo. Ela entrou no seu quarto e se jogou na cama cansada. Quando Baekhyun disse que dormir com ele seria inesquecível, ele não estava brincando!

Se ela estava arrependia? Nem um pouco. Não se arrependia nem do sexo e nem de mais nada. Foi tudo maravilhoso, uma de suas melhores experiências e tinha certeza de que nunca se esqueceria daquela noite e madrugada​ com Baekhyun.

Por que ela havia tomado essa atitude imprudente de se entregar mesmo sabendo que ele apenas a usaria? Simples...

Ela era apaixonada por Kai, pensava que juntos​ viveriam um conto de fadas, mas o seu mundo de fantasias​ desmoronou com a chegada de Rose. Foi então que ela percebeu que era considerada como uma amiga para o Kai, apenas isso. Isso a magoou e não queria ser trouxa e ficar esperando por um garoto que talvez nunca fosse dela. Estava cansada de ouvir a mesma história de que sua primeira vez deveria ser com alguém especial, alguém que lhe amasse de verdade, mas se pensar por outro lado é meio raro alguém perder a virgindade com quem vai ficar pelo resto da vida.

E Baekhyun... aquele homem mexia com seus instintos e ansiava os seus desejos. E então ela usou a mesma estratégia que ele : usar e aproveitar do seu corpo e depois descarta-lo.

Os homens não são os únicos que tem o direito de se divertir. Quando eles estão cercados por mulheres são considerados "os caras", mas quando elas estão cercadas de homens são consideradas "vadias"?! Que mundo cruel!

Sexo sem compromisso não te fazia uma piranha ou qualquer outro adjetivo de baixo calão, te faz viva. Demonstra que é uma pessoa independente, que sabe o que quer e quando quer. E o que ela queria naquele exato momento era repetir a noite com Baekhyun, queria passar por cada round novamente sem pular nenhum mas sabia que ele era do tipo de cara que depois que usa se torna inútil, ela queria seguir esse dilema mas estava difícil. Por que Byun Baekhyun não podia se tornar um completo inútil para ela?!

S/N não ia voltar rastejando até ele, não ia se humilhar por alguém que não merece. Como ele mesmo disse, od seus desejos​ e as suas próprias vontades eram tudo o que ele se importava.

Ela não tinha o amor de Kai e já tinha se aproveitado de Baekhyun. Agora estava sem o príncipe e sem o sapo. Duvidava até que teria um "felizes para sempre".







Notas Finais


S/N vai ter um "felizes para sempre"? Ela vai encontrar algum príncipe? <-<
Enquanto ao Baekhyun? Vai voltar a ser o mesmo mulherengo de sempre?
E o Kai? Vai viver feliz pelo resto da vida ao lado da Rose?

Descobriremos nos próximos capítulos.

Gomawo @Onmyx por ter me ajudado com o capítulo! 💙 (Pode deixar que eu vou te recompensar com spoilers dos próximos capítulos ;3)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...