1. Spirit Fanfics >
  2. Letters - Jikook (ABO) reescrevendo >
  3. Primeira carta.

História Letters - Jikook (ABO) reescrevendo - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Oioi, bom, eu estou reescrevendo a história, já havia escrito ela antes mas não gostei muito do trabalho; e também perdi minha antiga conta.

Afins, espero que gostem deste novo trabalho, bjo, bjo 🥀💕

Capítulo 1 - Primeira carta.



Park Jimin


O ômega corria em direção a escola mal conseguindo deixar o guarda- chuva cubrir seu corpo devido ao fato dele ter que proteger o carta destinada a um certo Alfa lúpus; Jeon JungKook. Ele se via exausto devido a uma discussão que tera com seu pai antes de sair de casa – isso deixava o ômega exausto.

 O velho que por sua vez havia passado a noite fora com sua amante havia chegado em casa bêbado e visto que sua mulher não o havia deixado nada para a janta começou e gritar e como sempre fez; descontou sua ira no ômega.


Jimin sempre fez seu melhor para ser um filho exemplar mas seu pai o via como um tremendo erro, pelo garoto além de ser um ômega era deficiente da fala – o que ao ver de seu pai; dava mais do que motivos para o espancar. O enorme casaco cobria boa parte dos roxos em seu corpo e algumas marcas em seu pescoço, porém isso não importava muito agora.


Assim que ouviu o sinal tocar correu mais rápido que uma flecha em direção a entrada principal deixando seu guarda- chuva com o homem que zelava pela segurança de todos no local – não Deus. Mas sim o zelador da escola. Voltou sua atenção para o corredor e o vira vazio sem nenhum resquício de gente; a esta hora todos estava em sala – E era lá que eu deveria estar – pensou o ômega caminhando em passos rápidos até o armário do alfa enfiando a carta pela pequena fresta que havia no armário e saiu às pressas em direção a sua sala.


Andou em passos rápidos até sua mesa se sentando recebendo um olhar de repreensão por sua professora que não lhe dirigiu uma palavra dês de que entrará na sala, apenas sibilou ”espero que tenha uma boa explicação". Lógico que ele poderia dizer que foi agredido pelo pai mas não iria denunciar o homem; ainda não.


Por mais que ele traía sua mãe, bata em si, ele ainda é a única renda de sua família com sua empresa, claro que se ele fosse preso os negócios passariam para o seu sucessor que lógico era o Park. Porém o ômega não podia gerênciar algo tão grande então apenas aguardava pela sua maior idade para tirar sua mãe daquela casa e cuidar direitinho dela, consegui um emprego decente que pudesse sustentar os dois, mas devido a sua deficiência tudo ficava ainda mais complicado por ter que arrumar um trabalho que seja adaptado para isso e que ainda sim o de uma boa quantia de dinheiro.


O bico pensativo que estava em seus lábios se desfez ao perceber uma mão fazendo uma carícia em seus fios castos, sabia bem de quem se tratava; Kim Taehyung.


O beta de sorriso quadrado sabia que quando seu amigo estava com o olhar perdido era porque sua mente estava uma bagunça, sempre foram amigos e Jimin deixou isso bem claro na primeira vez que fora pego pensando em JungKook todo bobo. O ômega se virou para trás com seu sorriso tímido e o amigo percebeu seu casaco. Ao perceber o olhar triste sobre si o ômega negou e mecheu suas mãos gordinhas em um "está tudo bem" para que seu amigo parace de vez que com aquele olhar repreensivo; coisa que foi em vão.


– Ele fez isso de novo Jimin? – questionou vendo o ômega abaixar seu olhar e asssntir o beta cerrou os punhos o travou seu maxilar; mataria qualquer um que fizesse mal ao ômega.


Muitos achavam aquela proteção um tanto estranha para quem dizia ser apenas amigos, mas era apenas isso aquela relação; amizade. Uma amizade platónica onde ambos moveriam céus e terras um pelo outro, a prova disso foi quando Jimin conheceu Taehyung, de primeira eles se comunicavam apenas por papéis ou meras mensagens de texto, mas quando Jimin soube que o garoto estava se empenhando em língua de sinais somente para comunicar-se melhor consigo foi onde seu coração palpitou em alegria, e daquele dia em diante nenhum dos dois deixariam um ao outro por nada.


– "vamos mudar de assunto. Deixei a carta no armário dele" – "disse" mexendo suas pequenas mãos meio trémulas; era sempre assim quando falava de JungKook. O brilho nos olhos do beta e a extensão de seu sorriso foi o suficiente para fazer o ômega tampar seus ouvidos já imaginando o grito que o rapaz iria dar – "sempre tão sutil né Taehyung?"


– ah para! O que você escreveu? – o ômega corou em negou em um sinal que não iria contar agora ao ouvir o sinal bater. Suspirou aliviado virand-se para frente; a verdade era que não queria contar para o amigo, era algo que ao seu ver era totalmente constrangedor, por Isso manteu em segredo.


.

.

.


Jeon JungKook


Eu queria poder lhe dizer isso mas simplesmente não consigo, na verdade eu realmente não tenho tal habilidade.

Não sei quando está admiração começou, não sei se é algo passageiro, nunca me senti tão eufórico por alguém como me sinto por ti; provavelmente várias pessoas já lhe falaram isso. Neste momento me encontro observando as estrelas, embora o céu esteja escuro e seu brilho seja quase imperceptível elas me lembram de seu olhar profundo, não é sempre que nossos olhos se cruzam mas gosto da sensação de quando isso acontece.

Eu irei ser breve pois palavras bonitas nunca serão o suficiente para te descrever, mesmo que sejam os mais delicados ou mesmo que eu diga sobre seus mais lindos detalhes que nunca são citados, isso ainda não seria o suficiente.

Sentimentos postos em palavras; é isso que eu tento. Por mais difícil que seja e talvez você nem note eu tenho que tentar, afinal do que seria um guerreiro sem erguer uma espada? 

Até breve JungKook, asa: P.J


O rapaz de fios longos lia tudo atentamente, se via encantado pela palavras escritas e com motivo. A pessoa que escreveu não falou de seu corpo ou de como imaginava que ele era bom na cama; falou de tudo, menos isso.


Não que ele se sentia encomodado pois amava ser elogiado e desejado por todos, mas as vezes ele também precisava de carinho e um pouco de admiração sem nada malicioso. Apenas carinho. Jeon aproximou seu nariz do papel e pode sentir o cheiro de cereja com aroma de uma flor tão delicada quanto as palavras escritas no papel; se tratava de um ômega. 


Se perdia naquele cheiro quase imperceptível, naquelas palavras que fizeram seu lobo uivar, mas o que o intrigavam era o fato do início da carta o ômega dizer que não podia se comunicar com ele; ele tinha vergonha. Era isso que o garoto pensava, guardou a carta novamente em seu armário e se dirigiu ao refeitório encontrando Yoongi e Namjoon, seus melhores amigos. Yoongi era um ômega, por mais que sua aparência seja delicada o garoto não era nada dócil – pelo menos não consigo. Namjoon um Alfa moreno de fios platinados, vivia escrevendo pelos cantos mas ninguém sabe de onde ele tem essa paixão, acredito que seja amor pela música; por isso compõe.


– Namjoon posso te perguntar uma coisa? – indaguei me sentando na sua frente – o que você acha desta carta? 


Dito entregando o papel as mãos do moreno e vendo seu olhar atento, um sorriso vai se formando a cada palavra lida, me deixando sem reação.


– Jeon JungKook tem um admirador secreto.









Notas Finais


Desculpa pelo capítulo pequeno, espero que tenham gostado da adaptação, bjo, bjo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...