História Levado pelo ar - Capítulo 7


Escrita por:

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Yaoi
Visualizações 31
Palavras 2.037
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Famí­lia, Festa, Ficção Adolescente, Hentai, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Saga, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Shounen, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Cross-dresser, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Mas um capítulo, não está tão bom como gostaria pois diz a cagada de apaga o capítulo intero e o rescrevi meio que as presas😅😂

Mas espero que gostem...e boa leitura🙌

Capítulo 7 - Cap. 5 -Desabafo


Fanfic / Fanfiction Levado pelo ar - Capítulo 7 - Cap. 5 -Desabafo


MIKAEL~

Estava voltando para casa de pois da conversa com o Manuel com um sorriso no rosto que poderia ser visto de qualquer lugar.

“É bom saber que ele se importa contigo.”

Percebo que já estava próximo de casa e respiro fundo não estava nem um pouco afim de ouvi os sermões da Minha mãe ou até mesmo de conversa com ela, entro dentro de casa e me deparo com mina irmã assentada no sofá com uma cara nem um pouco boa e eu já até sei o motivo.

-Boa tarde Lucy! - Falo subindo a escada.

-Vai espera eu pergunta ou vai falar de uma vez!

Suspiro

-Espere somente eu me troco e irei te chamar. -Subo as escadas em direção ao meu quarto e visto uma roupa. Qual que é falo para ela subir.

Vejo ela entra no quarto e o trancando atrás de se, ela veio em minha direção e me abraçou.

-Me desculpa Mika não estava aqui para te defender nem para te dá o apoio que você merecia. - falou chorando. - Mas agora estou e saiba que sempre estarei.

-…-Não consegui me segura comeu a chora em seus braços.

Ela me deixou assim e começou a fazer carinho na minha cabeça, ficamos assim por um tempo até ela quebra o silêncio.

-Minha mãe comentou comigo sobre o que aconteceu do que eu quero ouvi da sua boca com as suas palavras a conheço muito bem para saber que ela falou pelo seu ponto de Vista. -Falou séria.

-Gostaria de saber até onde você sabe, não estou afim de ficar remoendo o passado que uma hora ou outra será exposto por ela em algum lugar por aí.- não estava nem um pouco afim de ficar tocando não assunto.

-Você querendo ou não vai me conta tudo quero saber.

Se eu conheço bem minha irmã e eu conheço sei que se eu não falo ela vai na minha antiga escola e descobri por conta própria.

-Tudo bem….

 

Flashback on~

 

 

Tinha de passado exatamente uma semana que eu estava na escola e eu ainda não tinha falado com ninguém não por falta de tentativa deles e sim por que eu não estava afim nunca fui de fazer amizades e não estava afim de fazer ainda.

Estava no intervalo como de curtume fui para os fundos da escola que era o lugar mais silencioso de todo Colégio.

Estava lá pensando na vida quando vejo um garoto se aproximando.

-Oi?! Será que eu posso me assentar com você aqui? - perguntou

-Por mim tudo bem se você não se importa em ser chamado de idiota ou de ouvir dos outros por estar perto do garoto estranho da escola por mim. - Dei os ombros e voltei me pensamento para o nada de novo.

Tinha se passado alguns dias e eu acabo por começar a conversa com ele, mas percebo que as risadinhas que eu recebia dos outros avia piorado.

Começo a percebe que ele começa a se afasta no começo eu não ligo mas de pois que começo a ver os olhares que eram colocados em mim começo a ficar meio incomodando, no outro dia chego na escola um pouco mais tarde e vejo escrito na Louçã várias palavras ofensivas, eu passo e finjo que nem vi , o dia passa normalmente até que eu sou barrado por uns garotos que começaram a me empurra s um lado pro outro se não fosse os professores achava que iriam me bater ali mesmo, foi aparte desde dia que eu comecei e ficar com medo de ir para escola nunca podia saber o que eles poderiam fazer comecei a matar aulas e inventar desculpas pra poder ficar em casa.

Até o dia que você percebeu e me chamou para a conversa na consolando e me dando o maior apoio que eu poderia pedir.

Falando que eu deveria era a enfrenta de prende isso pois a casa queda nos nós levantamos mais fortes foi com essas palavras que eu voltei a ir para a escola e a procura quem eram as pessoas que tinham começado a fazer isso.

Mas num dia um garoto passa por mim e me dá um papel não consegui ver seu rosto pôs estava de capuz, no papel estava escrito: “Pessoas da sua laia deveriam a chat seu lugar e desaparecer das nossas vidas.”

Fiquei com medo, mas não me deixei levar, voltei para a sala como se nada estivesse acontecido e percebo olhares em mim e vejo que o “amigo “que estava me evitando estava bem na minha frente ele não falou nada apenas me entregou um bilhete e voltou para sua sala.

Estranho dia ação vou para o meu lugar e me assento pego o bilhete: “me encontra atrás da escola na saída tenho que conversa com você”.

Suspiro e volto minha atenção para o resto da aula quando o sinal bate junto minhas coisas e vou para trás da escola chegando lá não o encontro penso em ir para casa até senti uma pancada na cabeça e logo de pois só lembro de recebe vários chutes e socos e ouvi várias palavras me chingando por “eu ser quem sou”.

Só pararam por ouvi umas meninas saindo gritando mesmo com dificultada na levanto e vou para casa chego quase caindo, mas chego, chegando lá quem me recebe e minha mãe me perguntando o que tinha acontecido e com medo do fale que tentaram me assalta e eu reagir.

Mas já ouviram falar que mentira tem perna curta?! No outro dia ela foi lá na escola para saber e como o destino dava querendo me fuder a diretora já estava sabendo de tudo e contou pra minha mãe que voltou pra casa e me bateu mais, podiam ouvi meus gritos pela sua roda fiquei com vergonha de sair e quarto por dois dias.

 

 

Flashback off~

 

 

Estava chorando me lembrando de tudo isso, mas a única reação da Minha irmã foi me abraça me abraça bem forte.

 

Se passou um tempo e ela de novo quebrou o silêncio.

-Por que você não contou isso para nossa mãe? É não me venha com essa que ela não poderia ajudar. – Como esperar da Minha irmã ela estava com raiva e decepcionada.

-Porque se eu contasse para ela teria que fala o motivo deles terem feito isso é séria duas vezes pior.

-Por que você acha isso ela pode ser uma desmiolada que está pouco se fudendo para nós mais ainda é nossa mãe, e você poderia ter falado com o nosso pai.

Respiro fundo tentando criar coragem para poder fala com ela o que eu estava guardando a tempos.

-Lucy o motivo deles terem me batido foi por eu ser gay não sei como eles descobriram pois é nunca tive coragem e me assumir para ninguém. - Pronto já estava passando dá hora. - Eu tinha medo de você me desprezarem.

Estava chorando abraçando meus joelhos.

-Nossa pequeno estou surpresa e decepcionada com você. Primeiro em me diz quando eu deixaria alguém fazer algo com você? Eu sempre lhe falei isso quando criança e irei fala de novo, eu estarei aqui para tudo não me importo com quem irei ter que enfrenta para poder lhe proteger e lhe ver feliz eu não me importo com sua orientação sexual e sim com quem você é e quem você quer ser. Saiba que eu poderia lutar contra o mundo para poder ver você feliz.

Só precisava ouvi isso me deitei em seu colo e fiquei por ali por um tempo em quanto ela fazia carinho na minha cabeça.

-Obrigado Lucy você é sempre vai ser a melhor. - Estava tão feliz pó poder falar para ela isso feliz por saber que ela ia me proteger.

-Claro que sou um máximo eu sou eu ora bolas. - Rindo que nem um idiota poderia ser a minha reação a isso. - Mais uma coisa eu não estava aqui antes, mas agora estou não se preocupe eu irei te proteger mesmo que isso signifique ir contra a nossa mãe.

Apenas assentir e me deitei de novo em seu colo.

-Obrigado. - A única coisa que puder falar na quem é momento.

-Antes que eu me esqueça já avia esquecido, mas está de boa, hoje nós vamos janta na casa de uns amigos do nosso pai por isso descanse e vai se arrumar, hoje eu irei dormi aqui em casa mas amanhã já volto pro meu apartamento qualquer coisa vai pra lá

 

Ela saiu e eu fiquei perdido em pensamentos.

 

 

MANUEL~

 

Estava no meu quarto relembrando de como meu dia foi maravilhoso:

1-Conheci a primeira pessoa que gostei de verdade (sim eu gosto dele sô não sei de que forma).

2-Ele falou que me considera um porto Seguro (e claro não com essas palavras).

3-Meu pai vai trazer um amigo para a janta aqui em casa as vezes acho que ele não tem nenhum pois trabalha de mais.

Fui tirado dos meus pensamentos quando meu pai entra no meu quarto sem bater já que ele é o único que eu não me importo por fazer isso.

-Olá meu filho como está? - pergunta se sentando na cadeira perto da Minha cama.

-Estou bem.

-Que bom, sua mãe já te falou que vamos receber uns amigos aqui. - Eu confirmei. -Quando eles chegarem eu virei te chamar.

Saiu do meu quarto e desceu.

Voltei minha atenção para meu celular e deixei o resto pra lá.

 

 

Quebra de tempo

 

Era 18:00 quando meu pai me chamou e falou que eles tinham chegado desço as escadas distraído quando chego lá em baixo quem eu vejo.

Sim meu “amigo/o garoto que não sai dos meus pensamentos.”

Tentem me segura para não corre e abrasa-lo.

-Meu filho esses são os senhor e senhora Rodrigues e seus filhos. - falou me dando passagem.

-É um prazer conhece-los e muito boa noite Mika e Lucy – falei com um sorriso que dava para ver a distância.

Eles apenas assentiram.

-Você os conhece filho? – minha mãe pergunta

-Sim conheci o Mikael hoje é era com ele que é estava hoje à tarde e a Lúcia e a nova professora.

-Entendi, porque você não leva o Mikael lá para cima enquanto a janta ainda não está pronta.

-Claro mãe vamos Mika?!

-Claro, se vocês me dão licença. - falou me acompanhando.

Subimos para o meu quarto e ficamos conversando sobre tudo descobrimos o quanto nos parecemos e outras coisas.

Um tempo depois minha mãe nos chamou para comermos nessa hora eu achei que ia desmaia de tantas perguntas que o pai e Mikael me fazia mas eu percebi que ele estava pior que eu.

Acabamos de janta e fomos para a sala fiquei conversando com a Lucy enquanto o Mika falava com meu pai.

 

 

MIKAEL~

 

Quase botei um ovo quando vi meu pai conversando com o Manoel, mas fiquei mais calmo de pois.

Acabamos de comer e fomos em direção a sala o MANOEL ficou conversando com minha irmã e sinceramente eu sabia que ela ia tenta descobri o máximo possível sobre ele, ela sempre foi assim.

Vê minha mãe indo embora pois foi vê como minha vó estava.

Ficamos conversando até que o Manoel me chama para seu quarto para ficar conversando e jogando.

Já era umas 22:00 quando meu pai me chama para ir em bora me despeço do Manuel com um abraço um pouco demorado e os acompanho.

Já dentro do carro.

-Sua mãe me falou do ocorrido na sua antiga escola. – Vejo seu olhar através do espelho do carro.

-…- não o respondi apenas o olhei.

-Não irei te força a nada meu filho, mas espero que você saiba que querendo ou não uma hora você terá que me conta o que aconteceu. -falou dando partida no carro.

Ficamos em silêncio até chega em casa eu fui em direção ao meu quarto, mas antes de fechar vejo a Lucy me fazendo um sinal com a mão.

 

 

LUCY~

 

Quando chegamos em casa fui atrás do Mika para a conversa com ele é eu sei que ele vai gosta. Como posso dizer e de seu interesse.

Vou até ele é fecho a porta atrás de mim.

-É melhor você se senta.

 

 

 

 

 

 


Notas Finais


Obrigado por le e espero que estejam gostando😀

Até a próxima.....


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...