História Liar Squirrel - Minsung ABO (Stray Kids) - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Stray Kids
Personagens Bang Chan, Han Ji-sung, Hwang Hyun-jin, Kim Seung-min, Kim Woo-jin, Lee Felix, Lee Min-ho, Personagens Originais, Seo Chang-bin, Yang Jeong-in
Tags 3in, Abo, Abo Minsung, Bang Chan, Changlix, Christopher Bang, Han Jisung, Hwang Hyunjin, Hyunin, Kim Seungmin, Kim Woojin, Lee Felix, Lee Know, Lee Minho, Minsung, Seo Changbin, Seungin, Seungjin, Stray Kids, Woochan, Yang Jeongin
Visualizações 104
Palavras 1.493
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Fluffy, LGBT, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Quase uma da manhã e eu criando uma nova fanfic. Será que dessa vez eu não vou apagar e fingir que nada aconteceu? Amém que nãokkj

Alguns avisos:

• Sim, não é um imagine. A história, como podem ver, trata sobre Minsung, cujo é um shipper REAL DEMAIS. Parei.

• A fanfic é ABO, mas sei lá, se você não for familiarizado com esse estilo como eu não era, dê uma chance, é até interessante.

• Esse capítulo é apenas o prólogo, contando como Jisung vai disfarçar o fato de não ser um alfa

• A magia das flores eu criei durante um almoço, escutando Young WingsKKKKKKKKKKK não sei por que esse "aviso" mas enfim.

• Provavelmente haverão shippers secundários (Estou me decidindo direitinho por enquanto), mas o principal é Minsung e a fanfic é voltada para eles, claro.

Bom, adoraria que dessem um chance para "Liar Squirrel" (Esquilo mentiroso, mas eu vou pronunciar como "esquilinho mentiroso" porque é preferência mesmo). Boa leitura meus anjinhos! 👉💞👈

Capítulo 1 - Prólogo


- VOCÊ VAI O QUÊ?! - Gritou o ômega (agora loiro), que segurava um papel qualquer e o amassava.

- Não grita tão alto, Félix! Meus pais podem vir aqui! - Exclamou Jisung dando um tapa na testa do garoto de sardas. Félix se calou por um instantes para processar em sua mente a loucura que seu amigo queria fazer. Se ajeitou na cama de Jisung, que mexia no celular e ao mesmo tempo olhava o amigo. - Tá, pode dizer, vai.

- Você é maluco?! Aquela universidade é somente para alfas! Nem betas são aceitos, quem dirá os ômegas! Além do risco que você vai correr se realmente for pra' lá. Isso é loucura, Hannie! - E seguiu-se longos minutos de Félix surtando e falando o quanto era contra aquela idéia. Quando Jisung o chamou para dormir na casa dele, pensou que seria como todas as vezes anteriores, conversando e comendo besteiras. Nunca passou por sua cabeça a idéia absurda que Han queria colocar em prática.

- Você sabe que a universidade dos Alfas é cem mil vezes melhor que a dos betas e ômegas! - Respondeu Jisung respirando fundo. Nunca gostou desse preconceito entre raças. Todos são iguais no final de tudo, mas parece que até na educação, Alfas, principalmente ricos, têm preferência. E aquele lugar é a prova disso. - O colégio que a gente deveria ir mal tem professores pra' todas as turmas.

- Eu sei disso, mas ainda é uma loucura! Você é ômega, Jisung! Como acha que vão te aceitar lá? Como seus pais vão aceitar? - Disse Félix totalmente confuso. Han então soltou um riso travesso e deu alguns pulinhos na cama em animação. Félix logo percebeu que nada iria tirar aquela idéia de sua mente.

- Nem meus pais e nem o internato precisam saber disso... - Disse sorrindo e Félix suspirou como derrota. Seu amigo já era um caso perdido.

- E como pretende fazer isso? - Indagou curioso, já deixando de lado o quão perigoso isso seria. Não é novidade o fato de existirem muitos alfas de mal caráter por aí, apenas por serem alfas. E naquele internato seria ainda mais fácil de achar pessoas assim. Se sentia preocupado em deixar que seu amigo fosse para lá, mas sabia que isso já não estava em seu alcance. Se Jisung colocasse uma coisa na cabeça, tirá-la não seria nada fácil.

- Bom, mentir para meus pais vai ser fácil. Vou fingir que estou naquele colégio com você e pronto! Queria que você viesse comigo também... - Fez um biquinho como forma de tentar convencer seu amigo. Mesmo que estivesse decidido, ainda sentia medo e estava nervoso, e o principal motivo seria por sustentar essa mentira sozinho, sem nenhum amigo por perto. Félix até se interessava pela idéia, mas conseguia ser mais medroso que Han em se aproximar de alfas, por puro nervosismo mesmo. 

- Nem pensar! Sabe que eu não duraria um dia lá sem desmaiar de nervosismo! - Disse o de sardas e até mesmo riu com o que disse, imaginando a cena de cair como uma fruta madura no chão. - Mas e o internato inteiro? Você tem cheiro de ômega como qualquer um! Todos perceberiam isso muito rápido...

- Eu sei disso, e por isso você está aqui hoje! - Respondeu, sorrindo como se quisesse convencer seu amigo com alguma coisa, e realmente essa era sua intenção. - À noite vamos sair rápido para a casa da avó do Woojin, ela tem algumas ervas e coisas estranhas que podem me ajudar à anular o meu cheiro, não sei! Mas nós vamos lá! - Respondeu em tom confiante e animado. 

- Woojin? Aquele ômega que trabalhava no jornal da nossa antiga escolinha? - Félix perguntou e o garoto com aparência de esquilo assentiu. - Ah, certo. Ouvi dizer que a avó dele realmente tem muito conhecimento. Mas precisamos mesmo sair à noite? Podem ter fantasmas nas ruas! - Exclamou em medo. Já eram 18:00 e a noite se aproximava.

- Deixa de ser medroso, Lix! Vamos assim que meus pais dormirem. 

[...]

O Senhor e a Senhora Han já dormiam em sono profundo, descansando suas mentes, mal sabendo que Jisung não estaria fazendo o mesmo. O garoto puxou a mão de Félix e os dois foram na ponta dos pés andando até a porta principal, que ficava na sala. E com muito cuidado, saíram da casa, às 00:40 da noite. 

Caminharam até o rio e passaram por ele andando na ponte de madeira que havia, própria para que as pessoas não se molhassem. Avistaram uma casa pequena e amarela, onde morava a Senhora Wona, avó de Woojin. Félix segurou o sininho na porta e puxou, esperando que alguém os recebesse. Demorou alguns instantes até que Woojin, com seu pijama de ursinho, abrisse a porta um tanto quanto confuso e sonolento.

- Jisung? Félix? - Coçou seus olhos para ver se não havia se enganado, mas realmente eram os próprios. Rapidamente ficou preocupado. - É perigoso andar à essa hora nas ruas, meninos! Vocês estão bem?

- Estamos sim, Woojin, não se preocupe! - Disse Han e Félix assentiu como confirmação à fala do amigo. - Sua avó está acordada?

- Claro, ela dorme bem tarde dando comida pro' gatinho dela. Podem entrar! - Deu espaço e assim os ômegas entraram. - À que devo a honra da visita? - Brincou o mais velho.

- Viemos falar com sua avó. Han está com uma idéia maluca na cabeça e quer que ela o ajude! - Félix disse recebendo uma cotovelada de Jisung. Woojin olhou confuso e desconfiado e chamou pela Dona Wona, esta que apareçeu e abraçou as visitas.

Jisung explicou toda a história para Woojin e sua avó, e pediu para que tudo ficasse em segredo. Woojin no início não concordou e quis fazê-lo mudar de idéia, mas depois acabou aceitando. Já Dona Wona sorriu e encorajou o garoto. A beta de 76 anos não encontrou muitos ômegas corajosos o suficiente durante sua vida até agora. Por isso admirou a atitude de Jisung apenas para ter um bom estudo e principalmente mostrar que merecia estar naquele colégio de boa classe tanto quanto aqueles alfas de famílias ricas.

- Sei bem como ajudar, venham comigo. - A senhora chamou os ômegas com as mãos e caminhou lentamente até uma estante cheia de livros. Han pensava que seria algum feitiço ou poção mágica, como lê nos livros encantados, mas a Dona Wona apenas arrastou a estante para outro lugar, dando a visão de uma porta. Abriu com cuidado e a porta rangeu por seus muitos anos de existência estarem a desgastando. Passando pela porta, se viam muitas estantes enormes e nelas muitos objetos, a maioria desconhecidos, já outro raros. Han se assustou ao ver um olho dentro de um pote de vidro, mas resolveu apenas seguir a Senhora e os outros dois ômegas.

No final daquela espécie de corredor, estava uma flor enorme, da cor marrom, o que era um tanto quanto inusitado, mas resolveu não dar atenção à isto.

- Dessa grande flor, nascem outras pequenininhas, suas miniaturas - Wona dizia pegando uma caixa branca que ficava ao lado da grande flor, e trazia para mais perto de seu neto e suas visitas - Elas inibem o seu verdadeiro cheiro! Se estiverem no bolso da sua roupa. - Abriu a caixa, dando a visão de pequenas flores de coloração marrom. Mesmo sendo iguais, tinham cheiros diferentes que os garotos puderam identificar. Algumas tinham cheiro de alfa, outras de ômegas e outras de betas.

- Isso é perfeito! - Foi só o que saiu da boca de Han. 

- Acho que isso vai ser sua salvação! - Disse Félix enquanto observava as flores - Há quantas com cheiro de alfa?

- No momento apenas três. É um cheiro comum de alfa, nada específico. - A avó de Woojin pegou as três flores com o cheiro que Jisung buscava, e colocou dentro de um potinho cinza. - Aqui, cada um deles tem efeito por um mês a partir do momento que você os coloca no bolso. 

- Por que no bolso? - Woojin pergunta e sua avó parecia pensar na resposta.

- Isso eu não sei bem, acho que tem algo a ver com o contato das flores e o tecido do sua roupa, que leva o seu verdadeiro cheiro. - Wona tirou de letra a explicação. Han segurou firme o potinho cinza e sorriu para a beta. - Se precisar de mais pode me pedir. Novas flores sempre nascem quase toda semana.

- Obrigado, Dona Wona! Até mais! - Se despediu da senhora pois já estava ficando mais tarde de que quando chegaram. Foi junto com Félix para a porta e saiu rumo à sua casa.

- Acha que ele vai conseguir, vovó? - Woojin volta seu olhar para Wona que sorria largamente.

- Eu não sei, mas algo me diz que coisas boas sairão dessa idéia.


Notas Finais


Bom, este foi apenas o prólogo, o qual eu escrevi com muito carinho e espero que tenham gostado. Até breve! ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...