História Liar Squirrel - Minsung ABO (Stray Kids) - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias Stray Kids
Personagens Bang Chan, Han Ji-sung, Hwang Hyun-jin, Kim Seung-min, Kim Woo-jin, Lee Felix, Lee Min-ho, Personagens Originais, Seo Chang-bin, Yang Jeong-in
Tags 3in, Abo, Abo Minsung, Bang Chan, Changlix, Christopher Bang, Han Jisung, Hwang Hyunjin, Hyunin, Kim Seungmin, Kim Woojin, Lee Felix, Lee Know, Lee Minho, Minsung, Seo Changbin, Seungin, Seungjin, Stray Kids, Woochan, Yang Jeongin
Visualizações 285
Palavras 1.217
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Fluffy, LGBT, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Mandem mensagens positivas para seus idols, nós nunca sabemos o que se passa na mente deles. Digam o quanto os amam, eles precisam saber disso. 💗

Boa leitura 😽😽

Capítulo 5 - Doente, mas nem tanto


- Então você não está se sentindo bem? - Perguntou Seungmin e o esquilinho mentiroso assentiu, enrolado nas cobertas. - O que você tem?

- Dor de cabeça, no estômago...tonturas... - Jisung coloca a mão na cabeça e faz uma expressão de dor. Seungmin só ficou mais preocupado com o garoto.

- Está bem, eu aviso meu pai. Melhoras, Hannie! - Sorriu gentil e se levantou, já que antes estava sentado na cama de Jisung, que havia lhe chamado por telefone alegando não estar bem.

- Obrigado! - Han sorriu para o garoto em sua frente, que já abria a porta para sair. Na verdade, Jisung não estava doente ou algo do tipo, era apenas uma desculpa para não correr o risco de se encontrar com Minho pelos corredores. Desde a conversa na noite anterior, Jisung entrou em estado de alerta e pânico. Aquele alfa, por mais que despertasse em Han sentimentos estranhos, como o de fazê-lo querer estar cada vez mais perto dele, se tornou uma ameaça para seu plano. Então, decidiu que quanto menos visse o lúpus, melhor seria.

Mas não poderia ficar trancado em seu dormitório até o fim do mundo chegar. Ainda mais hoje que seria seu primeiro dia de trabalho na joalheria. Mas para não ter que conversar com o diretor e nem se encontrar com Minho por aí, iria apenas fugir sem que ninguém o visse. 

[...]

Assim que as aulas se encerraram por um certo tempo, Han aproveitou que todos estariam na cantina e pulou pela janela de seu quarto, que dava para o gramado do colégio. Caiu e se sujou bastante, mas nada que algumas idas à lavanderia não resolvesse. Andou com cuidado e olhando para todos os lados, onde viu que aparentemente não havia ninguém. Mas o esquilinho esqueceu de olhar atrás de si, e era exatamente ali que se encontrava quem menos queria ver no momento. Ou talvez quisesse, mas ninguém precisava saber, nem mesmo ele.

- Está fugindo de alguém? - O corpo de Jisung logo correspondeu aquela voz, se arrepiando por completo. Virou-se e viu Minho encostado na parede, de braços cruzados e um olhar um tanto quanto irônico. "E lindo", completou sua mente, e Han repreendia a si mesmo por pensar assim em uma hora daquelas. - Ou seria de mim?

-E-eu? Por que eu fugiria de você? - Han soltou um sorriso forçado e nervoso, mas o que não sabia era que quanto mais negava e fingia não escondia nada, mais o Lee se sentia seguro de que estava certo ao suspeitar. Afinal, era nítido o nervosismo do garoto.

- Isso quem tem que me dizer é você, não acha? - Minho se aproximou de Jisung. Observou o Han, totalmente encantado com aquele garoto tão bonito que lhe despertava tanto interesse, algo difícil de arrancar do Lee, mas que o mais novo conseguiu sem ao menos tentar. - A professora disse que você não estava bem, e eu vim ver como ajudar. Mas aparentemente já está melhor...

- Eu estou indo para um posto de saúde ver se me recomendam algo... - Falou a primeira desculpa que vinha em sua mente, que na sua opnião não teria sido tão ruim, se não fosse pelo o que o alfa lhe disse a seguir.

- Por que? Aqui tem enfermaria, se quiser eu te levo, Hannie! - Pegou no braço de Han, que contra sua vontade se estremeceu pelo simples toque. Não sentia tanta vulnerabilidade se não estivesse no cio, e sabia que não era isso. Minho tinha alguma coisa que o fazia ficar dessa maneira. Mas não podia chegar atrasado no seu primeiro dia de trabalho, então teria que, de alguma maneira, despistar aquele alfa insistente. O universo conspirou a seu favor quando um outro alfa de cabelo platinado se aproximou dos dois.

- Minho, vamos para a aula de música! - Bang chegou segurando o braço do Lee, que bufou irritado por estar perdendo uma boa oportunidade. O plano, no momento, seria seguir o Han para aonde quer que fosse, e assim descobrir algo, mas certamente teria que deixar isto para depois.

- Tá', vamos indo. Tchau Han, até logo! - Piscou para o esquilinho e saiu junto de Chan. Com o ato de Minho, Jisung teve que respirar fundo várias vezes para se recompor. Como que uma simples piscada de olho o deixou sem fôlego? Será que Minho contaria para alguém que o viu saindo do internato? Já não era mais hora de pensar, e sim de agir. 

Correu até o muro e o escalou, pulando para o outro lado logo em seguida. Retirou a flor colocando em sua bolsa, e correu até a joalheria, sendo recebido por Jeongin antes mesmo de entrar por completo no local.

- Chegou na hora certinha, que pontual, parabéns! - O garoto falou surpreso enquanto olhava para seu relógio e Han riu. Mal sabe ele que quase foi levado para a enfermaria sem ter nada de errado consigo. - Jisung hyung, você ainda está na escola? - Perguntou enquanto o esquilinho colocava seu uniforme de trabalho, ouvindo um "sim" do mesmo. - É que por aqui só há uma escola para ômegas e betas. Eu nunca te vi por lá... - Falou pensativo e Han pensava rápido para lhe dar uma resposta convincente. Mas nunca foi muito bom nisso, então teria apenas que desconversar.

- Que estranho, né? Mas bem, tem alguma dica pra' me dar nesse meu primeiro dia de trabalho? - Torceu para que tivesse dado certo. Han também não é um dos melhores para desconversar.

- Ah, aqui você além de vender as jóias, tem que dar opniões, e responder perguntas como "será que ela vai gostar?" - Respondeu e Jisung suspirou aliviado pelo mais novo ter esquecido do assunto anterior. - Diria eu que é bem fácil. Você vai se sair bem, hyung! 

- Eu espero que sim! - Falava enquanto observava chegar o primeiro cliente que atenderia. Uma mulher, aparentemente Alfa, de cabelos pretos e aparência semelhante à de um coelho. Jisung se sentiu nervoso ao ver a mulher indo em sua direção, mas Jeongin sussurrou um "fighting!" enquanto fechava o punho e Han decidiu não decepcionar seu mais novo amigo.

[...]

Em frente ao muro do colégio, Han colocou a flor marrom em seu bolso e seu cheiro de maçãs rapidamente sumira, dando lugar à um comum de alfas. O problema era que o garoto já estava exausto pelo dia cansativo no trabalho, e ainda teria que pular o muro, sem saber se teria forças para isso.

- Quer ajuda para subir? - Han se assustou ao ver Minho sentado em cima do muro, com medo do mesmo ter sentido seu cheiro natural ou ter visto a flor. O lúpus riu com o susto que deu no ômega disfarçado. - Eu não vou contar à ninguém que saiu sem permissão, fique tranquilo. - Sorriu e Jisung se viu perdido naquele sorriso. Assentiu e Minho lhe estendeu a mão.

Han se apoiou nos ombros de Minho após dar um pulo e estar dentro do internato novamente.

- Obrigado... - Disse e Minho apenas sorriu mais uma vez em resposta, saindo do local. Com isso, Jisung teve certeza de que Minho ainda não havia descoberto nada.

Só não sabia por quanto tempo.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...