História Liberty - Always Is Forever ( Clace ) - Capítulo 12


Escrita por: ~

Postado
Categorias Shadowhunters
Personagens Alexander "Alec" Lightwood, Clary Fairchild (Clary Fray), Isabelle Lightwood, Jace Herondale (Jace Wayland), Magnus Bane, Simon Lewis, Valentim Morgenstern
Tags Alec Lightwood, Clace, Clary Fray, Isabelle Lightwood, Jace Herondale, Magnus Bane, Prostituição, Simon Lewis, Violencia
Visualizações 324
Palavras 1.491
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Aqui está mais um e sim está quase acabando, mas terá mais uma, que eu espero que vocês gostem, mas preciso de uma opinião, nessa nova fic, vocês querem eles Shadowhunters ou Mundanos?

Capítulo 12 - Happy... Or Not


Fanfic / Fanfiction Liberty - Always Is Forever ( Clace ) - Capítulo 12 - Happy... Or Not

- Você primeiro. – Disseram ambos, mais uma vez, eles sorriram nervosamente.

- Que tal você entrar? – Pediu ela, ele aceitou, Clary deu espaço para ele passar e respirou o cheiro de perfume e coro que ele deixou no ar ao passar. Ela fez um gesto para que se sentasse e assim que sentou, ela lembrou do que Jennifer disse está manhã, deveria ser isso que ele falaria, Clary fez uma careta.

- Bem, o assunto é sobre Jen... – Ela não o deixou terminar, pois sabia o que falaria.

- Eu já sei que você está casando com ela. – Suspirou a ruiva, olhando tristemente para as mãos, então não viu a careta de confusão que Jace fez.

- Casar? De onde você ouviu isso? – Perguntou ele, a mesma expressão confusa em seu rosto, Clary levantou os olhos das mãos e olhou para ele por baixo dos cílios.

- Jennifer, ela veio aqui e... – Desta vez, foi ele quem a interrompeu.

- Eu não vou me casar com ela. – Anunciou ele, olhando para ela incrédulo, mas esse olhar não se dirigia exatamente para Clary e sem para o cinismo de Jennififer. Clary olhou para ele com mais atenção e depois soltou um suspiro, ela falou as palavras com uma voz inaudível, pois não era para ele ouvi-la.

- Isso é muito bom, já que estou grávida. –

Mas ele ouviu, ele ouviu e pulou do sofá. Não podia ter entendido direito.

- Como? – Ele perguntou, mais para si do que para ela, Clary saltou ao perceber que ele a tinha ouvido, os olhos verdes se encontrarão com as íris azuis, o mais leve toque de dourado nelas.

- Nada, não é nada. – Ela negou, rezando para que ele não tivesse ouvido tao bem assim e pensasse que foi um engano, mas ela lamentou quando o viu caminhar em sua direção, preocupação estava vidente em seus olhos e tinha outra emoção que ela não sabia distinguir.

- Clary, você... você está... está... – Ele não conseguiu terminar as palavras, Clary pensou que era por que ele nem conseguia falar ela, pois nunca foi algo que conversaram e cada vez que tocavam no assunto ele mudava, lágrimas estavam se formando nos olhos esmeraldas.

- Grávida. – Terminou ela, não conseguindo olhar para ele, mas ele ergueu o queixo dela com dois dedos e a fez olhar em seus olhos, então ela conseguiu distinguir a emoção que estava borbulhando neles, felicidade, e antes que ela pudesse fazer qualquer coisa, ele tinha as mãos em sua cintura e a levantava do chão, girando-a pelo pequeno espaço da sala, ela soltou um grito de surpresa e depois sorriu, colocando as mãos em seus ombros, ele a colocou no caho de volta e sorriu para ela, um sorriso de orelha a orelha, as lagrimas que se formavam em seus olhos haviam caído de seus olhos e escorrido pelas bochechas, ele as limpou com a almofada do polegar e ela se inclinou ao toque.

- Como? – Ele fez a mesma pergunta que tinha feito antes.

- Sabe é... – Ela gaguejou, suas bochechas corando. – Eu não vou falar isso pra você Jace, eu acho que você sabe como faz um filho. – Ela murmurou, corando mais ainda, Jace soltou um riso leve e acariciou a bochecha dela, se inclinando até chegar na orelha e sussurrar:

- Na verdade, acho que minha memória ainda está falhando, será que você poderia me lembrar? –

Clary estremeceu e sentiu os fios de cabelo em sua nuca se arrepiarem, Deus, ela poderia ter virado gelatina agora.

Ela iria der uma boa resposta, mas seu estômago roncou de fome, uma das desvantagens de estar grávida. Jace olhou para ela e depois para o seu estômago e riu.

- Vou tomar isso como um não. – Riu ele, saindo de perto dela e indo até a cozinha, Clary achou que não poderia deixa-lo vencer assim e enquanto ele ficava preparando nescau no balcão, ela o abraçou por trás e se levantou na ponta dos pés para conseguir chegar até seu ouvido.

- Mais tarde. – Sussurrou, sabendo que isso o deixaria louco, ele ia se virar, mas ela saiu de seu alcance, indo até um dos armários e pegando biscoitos.

- Você é uma provocação, Fray. – Murmurou ele, colocando a lata de nescau de volta no lugar.

- Como? – Pediu inocentemente, como se não houvesse ouvido todas as palavras com todas as letras, ele se virou para ela, um sorriso despreocupado e um olhar vingativo no rosto, mas logo mudando para afeto quando viu ela mordendo um pedaço de biscoito e batendo os cílios para ele, o sorriso se tornou maior e ela riu com a boca fechada, mastigando o pedaço.

- Sabe, nós temos que... – Ele estava tenso em falar as palavras, podia até ter ficado Feliz com tudo, mas sabia que teriam que conversar uma hora, não seria tão simples assim.

- Sei que temos que falar sobre isso e também sobre... -  Ela não iria pronunciar o nome daquela vadia.

- Jennifer. – Terminou Jace, com um suspiro.

- Exato, ela vai querer me matar. – Anunciou Clary, Jace suspirou mais uma vez e foi para o lado dela, colocando um braço em volta de seus ombros.

- Acho que podíamos deixar ela de lado. – Sussurrou ele, rastreando o pescoço com a respiração e um leve toque dos lábios, Clary estremeceu e o choque a fez largar o biscoito no prato.

- Que tal eu recordar sua memória agora? – Pediu ela, no mesmo tom que ele, sentindo os lábios de Jace deixarem Beijos de boca aberta em seu pescoço, ela fechou os olhos e inclinou a cabeça, mordendo o lábio quando o sentiu sorrir.

- Ótima ideia. - Murmurou contra sua pele.

[]

Ela tinha certeza que quando foi pra cama era dia e agora já estava quase anoitecendo, como foi possível, ela é Jace ficaram na cama desde as 9 horas da manhã até as - Ela olhou para o relógio - 6 da tarde? Ela devia concordar que a maior parte disso foi gasta em... Bem, você sabe o que é o seu estômago estava roncando de fome, esse não era o problema, o problema é que ele roncava de fome por um Bagel do Starbucks e café, duas das coisas que não tinham em casa. Clary virou para o lado e viu que Jace dormia profundamente, um braço estava envolta dela e o outro estava segurando sua cabeça, ela quase esqueceu da fome e pensou em deixar Jace assim, mas seu estômago traiu seus pensamentos e roncou mais uma vez,  Clary suspirou e sacudiu Jace, ele murmurou um “ Hmm “, mas não abriu os olhos, um sorriso puxou o rosto de Clary.

- Jace. – Ela o chamou, ele não deu ouvidos de novo, dessa vez a puxando mais para ele. – Temos um problema. – Declarou ela, rindo quando seus olhos se abriram imediatamente e a escancaram.

- Qual seria? – Perguntou, a voz rouca pelo sono que tinha segundos antes desvanecendo e uma de preocupação enchendo seu tom.

- Não seria tão grande, mas estou gravida e eu quero comer um Bagel do Starbucks e café. – Murmurou ela, deitando de costas e suspirando, seu estômago pedindo por comida de novo.

- Tudo bem, podemos ir, só vou me vestir. – Ele disse, Clary estranhou isso, geralmente as pessoas ficam bravas por as acordarem dessa maneira, ele a olhou novamente. – Não vai se vestir? – Pediu ele, que já estava colocando a camisa, Clary começou a procurar pelas roupas intimas e não achou.

- Atrás da cômoda. – Murmurou Jace, vendo sua confusão, ela o olhou e corou, então achou a calcinha bem ali e o sutiã alguns passos à frente, ela vestiu e quando estava procurando por seus jeans, sentiu duas mãos agarrarem sua cintura e a puxarem para cama, ela soltou um grito surpreso e se virou para ver Jace, ele sorria, estava se inclinando para beija-lo quando seu estômago a traiu e roncou de fome e Deus, estava aumentando. – Acho melhor irmos. – Jace riu e Clary lhe deu um soco de brincadeira no ombro.

[]

Ela estava caminhando pelo Central Park de Nova York, Jace havia ido comprar café no Starbucks e a deixou ali, ela estava sentada agora, parece que mal descobriu sobre a gravidez e está se sentindo mais cansada que o normal, enquanto olhava para as estrelas que estavam vindo no entardecer, ela estava começando a ficar preocupada com a demora de Jace, então se levantou mas no mesmo momento em que fez isso, sentiu uma dor perfurar seu ombro.

- AAAOOHH. – Ela soltou um grito de dor.

- Disse que é iria me vingar. – Uma voz sussurrou em seu ouvido, a faca ainda perfurada o ombro, as lágrimas estavam escorrendo por suas bochechas, até que a dor parou e seus joelhos flexionaram, fazendo-a cair no chão, tudo que ouviu foi um grito por seu nome e o cheiro de café, antes que tudo virasse um enxame de preto.


Notas Finais


Continuo ou paro?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...