História Library Boys - Capítulo 9


Escrita por:

Postado
Categorias Seventeen
Personagens Boo Seungkwan, Hansol "Vernon" Chwe, Hong Jisoo "Joshua", Jeon Wonwoo, Junghan "Jeonghan", Kim Mingyu, Lee Chan "Dino", Lee Jihun "Woozi", Lee Seokmin "DK", Seungcheol "S.Coups", Soonyoung "Hoshi", Wen Junhui "JUN", Xu Ming Hao "THE8"
Tags Jeongcheol, Junhao, Meanie, Seoksoo, Seventeen, Soonchan, Verkwan, Woozi
Visualizações 380
Palavras 1.974
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Festa, Ficção Adolescente, Fluffy, Romance e Novela, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 9 - A Música


Fanfic / Fanfiction Library Boys - Capítulo 9 - A Música

- O Jihoon é produtor de música. – Soonyoung disse como se fosse a coisa mais simples do mundo.

- Como você sabe disso Soonyoung? – Chan perguntou desconfiado.

- Bem foi meio que uma coincidência. O Jihoon é da minha sala e um dia ele esqueceu um CD e quando eu perguntei para ele o que era ele me disse que era uma das músicas que ele produzia. Ele não parecia estar escondendo isso.

- Acho que todos estavam tão ocupados criando fofocas que ninguém nunca realmente perguntou o que tanto ele fazia no computador. – Junhui se pronunciou.

- Então, ele trabalha não oficialmente para uma produtora e o CD que eu encontrei era um dos trabalhos dele. Ele falou que me devia um favor. Então eu fui cobrar o favor.

- Você pediu uma música?

- Sim. Para o evento do final do ano, pois assim eu poderia fazer a música de acordo com a coreografia que eu imaginava e não o contrário. – Soonyoung disse pegando o CD da mão de Chan. – Gostaram da surpresa?

Chan então se viu com as mãos livres para dar um tapa no braço do outro.

- Porque você não falou logo? – Ele perguntou irritado enquanto Soonyoung resmungava de dor.

- Eu estava esperando o Junhui confirmar que iria fazer parte, pois eu queria que fosse uma surpresa. – Disse sorrindo para Junhui.

- Então a culpa é toda sua Junhui! – Minghao disse deferindo alguns golpes no outro chinês.

- Minha?! – Junhui disse tentando de defender. Chan então começou a rir muito, sua risada preenchendo o ambiente e contagiando os outros.

- Eu não acredito que era isso. Não acredito que fiquei preocupado por nada. – Chan disse entre risos.

- Você ficou preocupado? – Soonyoung disse e quando Chan se deu conta do que havia falado, corou levemente, o que certamente assustou Soonyoung e os outros que nunca o viram daquela maneira.  Soonyoung se aproximou do mais novo achando incrível aquela sua expressão.

- Vamos parar de conversar e ensaiar. – Disse tampando o rosto com a mão e se afastando do outro que sorria encantado.

- Vamos começar então! – Soonyoung disse subitamente empolgado, indo até o som novamente.

- O que acabou de acontecer? – Minghao perguntou para Junhui e esse então voltou a rir.

Naquele dia iniciou-se oficialmente o ensaio para o grande evento do clube de dança, agora com quatro integrantes, música definida e sem clima estranho mais.

Enquanto o primeiro mistério se resolvia, Wonwoo se sentia cada vez mais obcecado com a questão da biblioteca. No dia seguinte acabou acordando cedo, afinal seu cérebro não parava de pensar no assunto, e decidiu ir mais cedo para a escola. Ao chegar lá, passou pela biblioteca mais uma vez, mas dessa vez intencionalmente. Entretanto, ao colocar a mão na maçaneta e tentar abrir a porta, constatou que esta estava devidamente trancada. Wonwoo ficou imaginando quem a coordenadora malvada havia despedido por aquilo, tinha uma impressão muito ruim da moça.

- Você sabe que a porta não vai se abrir magicamente se continuar nessa posição, né? – Ouviu uma voz, aquela voz irritante que tanto conhecia e olhou para trás encarando a figura do garoto para lá de chato. O encarou em descrédito. Percebeu, porém, que sua posição era realmente muito estranha, parado segurando a maçaneta da porta. Soltou-a rapidamente, voltando a encarar Mingyu.

- Você está me seguindo, Kim Mingyu? Você é algum tipo de psicopata?

- Psicopata? Geralmente psicopata está mais para o seu tipo, do que não fala com ninguém.

- Não é o que dizem os livros. – Wonwoo disse revirando os olhos. – Nas histórias de mistério, os assassinos são os que menos parecem.

- Não venha falar de livros comigo, Jeon Wonwoo.

- O seu ódio por livro é de nascença ou é por minha causa?

- Bem, você não ajudou muito. – Ele disse sorrindo, parecia estar de bom humor.

- Porque o bom humor? – Wonwoo estranhou.

- Preciso de motivos para estar de bom humor? – Mingyu perguntou, mas Wonwoo continuou sem falar nada. – Tá, tem motivo sim. A coordenadora disse que esse ano eu não vou ter que fazer as aulas de reforço e, assim, posso ir a todos os treinos de futebol.

- Você gosta de futebol mesmo, huh?

- O tanto que você gosta da biblioteca. – Mingyu riu olhando para a porta. – Não se preocupe, vai tê-la de volta, logo, logo.

- Se a coordenadora colaborar. – Wonwoo disse e Mingyu teve uma crise de riso. O outro ficou sem entender o que era tão engraçado.

- Wonwoo, achei que você fosse mais inteligente. – Disse debochado fazendo Wonwoo perder aos poucos sua paciência. - Não faz sentido a escola querer a biblioteca fechada por muito tempo. E também, uma reforma não é feita assim. A coordenadora é legal, pode acreditar. Apesar de ela implicar com os meus estudos.

- É melhor do que ela insistir em ter novas experiências juvenis.

- Você é definitivamente uma exceção do universo, Jeon Wonwoo.

- Eu só estou dizendo que acho que ela se mete demais na vida dos alunos.

- Esse é o trabalho dela. – Mingyu disse saindo dali e deixando Wonwoo sozinho, como se ele fosse a pessoa mais estúpida do planeta. Porém, apesar de tudo, Mingyu era chato, mas tinha razão. A biblioteca era realmente um assunto delicado para Wonwoo e ele realmente estava fazendo drama no melhor estilo Seungkwan.

Apesar do bom humor de Mingyu, aquele dia foi estressante para a maioria dos alunos, pois era o dia em que o professor entregaria as notas da prova. Joshua estava nervoso, mas mais uma vez não por ele e, sim, por Seokmin.

- Queria ter sido de melhor serventia. – Joshua disse cabisbaixo.

- Não, Joshua. Você fez o que ninguém nunca quis fazer comigo. Estudar. – Ele disse e riu, fazendo o outro rir também.  – Além disso, eu também não pude te ajudar muito por que eu...

Seokmin percebeu que quase havia se entregado sobre o motivo de ter ido embora aquele dia, afinal o americano se sentia culpado, enquanto a culpa era toda dele e de seus sentimentos confusos. Seokmin ruborizou um pouco e riu de nervoso enquanto Joshua o olhava esperando o fim da frase. Seokmin já ia pensar em alguma coisa para falar, mas não teve que faze-lo, pois o professor pediu silêncio para entregar as notas.

- Assim que receberem a prova, podem ir para o intervalo. – O professor pronunciou, começando a chamar os alunos, cujas reações variavam entre sorrisos e caras fechadas. Joshua foi logo chamado, ficando feliz com sua nota e deixando a sala sorrindo como se dissesse “boa sorte” para Seokmin. Seungkwan foi chamado fazendo sua cara de convencido de sempre e saiu da sala. E logo em seguida Seokmin foi chamado. Suas pernas tremeram e ele demorou um pouco para levantar recebendo um olhar do professor que não foi muito revelador sobre sua nota. Andou até ele e recebeu a prova relutante.

- Parabéns, Seokmin, você melhorou muito. Vejo que sentar na frente tem te feito bem. – Seokmin achou que tivesse ouvido mal. Só acreditou quando olhou para a prova e viu um 8,5 de caneta azul. E azul era sua cor favorita!

Seokmin sorriu grande para o professor e saiu correndo da sala pronto para pegar ainda Seugkwan e mostrar a nota que havia recebido, mas se surpreendeu quando não encontrou ninguém mais do lado de fora. O que era estranho já que o amigo sempre esperava ansioso para esfregar sua nota boa na cara de Seokmin. Sem entender muito bem foi andando até o refeitório. Ao chegar lá, se aproximou da mesa e viu todos lá o encararem. Então viu Joshua se levantar e andar até ele, ansioso demais para esperar ele chegar até a mesa.

- Como foi? – Joshua perguntou.

- O que? – Seokmin perguntou, mais avoado impossível.

- Como assim o que? – Jeonghan perguntou. – A prova, criatura! O Joshua já estava para comer os dedos e você todo relaxado.

- Ah, sim. – Seokmin disse sorrindo. – Aqui.

Seokmin entregou a prova para Joshua e a reação dele foi tão preciosa que Seokmin queria ter gravado para assistir quando quisesse. Os olhos brilharam, um sorriso tomou conta de seu rosto fazendo seus olhos se fecharem um pouco e ele emitiu uma espécie de murmúrio de satisfação.  Quando Joshua olhou orgulhoso para Seokmin, esse percebeu que aquilo era mil vezes melhor que receber uma nota boa. Seokmin então se surpreendeu quando Joshua, totalmente inconscientemente, o rodeou com os braços, o abraçando. Seokmin sentiu o rosto pegar fogo com o ato. Joshua alguns segundo depois o soltou com uma cara de espanto, olhando então para o chão. Seokmin queria ver o rosto de Joshua, mas alguém tinha que atrapalhar aquele momento.

- Gente, tenho um comunicado para fazer! – Soonyoung gritou, subindo na cadeira, chamando atenção de todos, inclusive Joshua e Seokmin. – Wen Junhui agora é o novo integrante do clube de dança.

Todos começaram a bater palmas animadamente. Chan, ao perceber que Junhui queria se esconder atrás de Minghao de vergonha, bateu na perna de Soonyoung.

- Senta, por favor, hyung! – Ele chama Soonyoung e esse se senta na mesa a sua frente. – Na cadeira, Soonyoung!

- Ai Chanie, por que você não pode ficar fofo que nem ontem? – Ele resmungou com voz de criança.

- Cala a boca. – Chan disse bravo, mas era perceptível a vergonha que lhe tomava conta, arrancando risadas de alguns.

Nesse momento Hansol, Mingyu e Seungcheol entraram no refeitório, nenhum deles com uma cara muito boa. Jeonghan correu até Seungcheol quando eles já estavam próximos e Seungcheol o abraçou forte, tão forte que quase levantou Jeonghan do chão.

- Não foi bem, Cheolie? – Jeonghan fazendo carinho na cabeça do outro como se ele fosse um cachorrinho. Esse só balançou a cabeça em resposta negativa. Enquanto isso, Mingyu e Hansol pararam em frente a mesa.

- Seu bom humor foi embora, Kim Mingyu? – Wonwoo perguntou provocativo ao que estava perto de si, surpreendendo todos na mesa, já que não era exatamente de seu feitio comprar brigas.

- Ah, Jeon Wonwoo, sua inteligência me irrita.

- Não foi você mesmo que disse que eu não era tão inteligente? – Wonwoo perguntou e o outro o encarou com raiva. Porém antes que pudesse dizer qualquer coisa Hansol se pronunciou.

- Cadê o Seungkwan? – Perguntou e de repente todos pararam e se olharam, até mesmo aqueles que estavam fazendo outra coisa ou não estavam prestando atenção. Como poderiam ter se esquecido daquela presença tão espalhafatosa de Seungkwan.

- É verdade. – Seokmin disse. – Ele saiu quase fugido da sala de aula. Não parecia ter sido por causa da prova.

- Quando eu estava vindo da sala, eu vi Seungkwan andando apressado em direção à secretaria. – Junhui disse. - Com um sorriso muito diabólico.

- Ah, senhor. Quando o Seungkwan inventa alguma coisa, sempre dá errado. – Jeonghan disse e parecia que estava adivinhando.

De repente Seungkwan entra no refeitório chamando a atenção de todos segurando alguma coisa na mão. Mas antes que eles pudessem analisar o que ele carregava, ele falou.

- ATENÇÂO! ATENÇÂO! – Gritou na verdade.

Enquanto todo o refeitório ganhava a sua atenção, Seokmin olhou para Jeonghan com cara de desespero, rezando para que ele não estivesse envolvido, mas era tarde demais. Seugkwan então andou pelo meio do refeitório enquanto jogava o que pareciam ser um monte de panfletos azuis no o ar.

Um deles caiu perto da mesa. Joshua então que estava perto foi até ele e pegou o panfleto. Ele fez uma cara de incompreensão e ainda com ela se voltou para a mesa cheia de pessoas curiosas sobre o que estava acontecendo e mostrou o panfleto. Seokmin engasgou com a própria saliva. Ele só podia estar sonhando. Depois daquele dia, certamente azul não seria mais sua cor favorita. O panfleto tinha escrito: “FESTA SÁBADO NA CASA DO SEOKMIN”.


Notas Finais


Então a partir do próximo capítulo é que as coisas ficam mais interessantes kkkk


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...