História Licantropo - Ela é minha! - Capítulo 7


Escrita por:

Visualizações 70
Palavras 1.298
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Hentai, Literatura Feminina, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 7 - Capítulo 6


Fanfic / Fanfiction Licantropo - Ela é minha! - Capítulo 7 - Capítulo 6

Intimação 

 No momento que o vi senti meu coração bater forte, seja lá o que esse cara tem - além do óbvio - me despertou coisas que eu nunca tive interesse em sentir antes. E isso, é uma droga. Ele me olhou e sentou sorrindo de canto na carteira ao meu lado, eu tinha contado pra ele que escolheria medicina, e ele me disse que estava fazendo especialização nesse curso, já havia se formado mas estava se especializando em cirurgia geral e pegaria algumas matérias comigo. Eu Esperava isso, mas não no primeiro dia de aula. 

Sua boca mexeu quando olhava pra mim, dizia bem baixo, íntimo e só pra mim "Rosa". 

A aula foi bastante desconcertante e as outras que seguiram também, fizemos todas as aulas juntos hoje e eu já o dia vai ser o centro das atenções, além de ser o primeiro dia, Henri passou o tempo todo me olhando, e notei que ele não tinha muitos amigos, melhor dizendo, praticamente nenhum, e estava me dando atenção demais, algo que não fazia para mais ninguém alí.

Eu olhava de canto de olho pra ele e, todas as vezes que fazia, percebia agradavelmente que ele não tirava os olhos de mim. Mas por que eu? Esse Instituto era um depósito de modelos loiras. Provavelmente nunca vi tanta loiras junta, talvez ele se sinta atraído por morenas, se bem que eu era uma mistura doida de morena com ruiva. Eu gosto de praticar esportes e isso me deu um ótimo físico, eu não sou sedentária, sou hiperativa até demais, só que não socializo. Ainda assim, é digno de desconfiança, ele pode simplesmente estar de olho na carne nova, assim como os outros caras com quem topei nos corredores e olhavam com cara de idiota pra mim. 

Tocou o sino. Peguei minhas coisas e saí o mais apressadamente que pude da última aula, não fui tão rápida, ele me alcançou e pegou em meu braço de leve. O olhei tentando não ser pêga surpresa demais com seu toque. 

 __ Henri... Oi - E toda vez era aquilo, aquela cela de prisão que eram aqueles olhos... 

__ Rosa, como é bom vê-la aqui - Ele estava sorrindo docemente. 

__ É bom te ver também, Henri - Seu sorriso se tornou maior, comecei a andar pelo corredor e ele começou a me seguir. Eu pensava em cada palavra que dizia quando estava com ele, como se respirar nunca fosse tão complicado. 

__ Por que não almoçamos juntos? - Sua pergunta me tomou de surpresa. 

__ Almoçar juntos? Tipo agora? - Indaguei. Não, amanhã, respondi pra mim mesma em pensamento. É meio-dia e eu sou muito idiota. 

__ É, agora. - Ele não esperou minha resposta e me puxou pela minha mão, delicado, mas bastante mandão. Em todo o corredor e por onde passamos estavam olhos curiosos e olhares fulminantes da maioria das garotas para mim, ou ele é a porra de uma celebridade ou eu estou suja, ou os dois. Optei pela primeira opção. 

 Encontramos o local da refeição, eram muitas mesas e muitas pessoas já estavam ocupando seus lugares, havia panelinhas para todo o lado. Em uma mesa sentado sozinho, sentava um garoto que garantia muitos olhares apaixonados de outras mesas, ele tinha uma pele bronzeada, cheio de musculos, cabelos quase louros e belos pares de olhos verde-escuro. Lucas. 

 Ocupamos os outros dois acentos que nos fazia ficar na seguinte ordem: Lucas em minha frente e Henri a minha direita, mais próximo de mim. Os olhares apaixonados se tornaram curiosos e aumentaram gradativamente na medida que fofocavam nos ouvidos uns dos outros, parecia aquela brincadeira Telefone-Sem-Fio

Pronto, pra quem não queria chamar atenção nenhuma... que droga. Acabei vendo que não tinha jeito e ignorei. 

__ Rose, veio almoçar conosco! - Ele disse em tom brincalhão tocando minha mão depois continuou. __ Eu te procurei depois e não te encontrei, vejo que não precisou mais de meus serviços, meu caro irmão já lhe deu as honras - Lucas desmanchou seu belo rosto em uma careta quando disse isso. 

__ Não foi isso, fizemos as mesmas aulas hoje - Pareceu que minha intenção de amenizar (não sei porquê) fez Lucas ficar ainda mais carrancudo por um momento, mas logo retomou seu estado sorridente. 

 __ Então já se viram aqui... - Henri falou olhando para a mão de Lucas que ainda pousava sobre a minha como se pudesse queimá-la, eu nem percebi sua mão ainda ali e retirei, tossindo sem graça.

 __ Sim, eu estava perdida, Lucas acabou me encontrando e me mostrou o caminho até a diretoria... - Não sei por qual motivo eu estava me explicando para esses rapazes, parecia não ter controle. 

 __ Rose era uma gata perdida pronta para ser abatida por cães maiores, precisava ajudá-la...- Luccas falou. Algo incomodou Henri, vi de canto que ele serrou os punhos em sua perna. Não estou entendendo nada. 

__ Okay! - suspirei teatralmente, tentando aliviar o clima estranho. __ Vou buscar meu almoço, deveriam fazer o mesmo, sentar aí e se encarar não mata a fome - Saí mas não antes de ouvir Lucas rindo baixinho e ver o sorriso-de-canto-de-boca-perfeito de Henri. 

 Peguei meu almoço e estava voltando para a mesa, quando notei que o irmão mais novo não estava mais lá, Henri estava bebendo um refrigerante e dando uma dentada em um hambúrguer bem grande. Me sentei na sua frente dessa vez. 

__ Onde ele foi? - Perguntei, antes de dar uma garfada em meu bife. 

__ Ele foi dar uma volta...- Henri me olhava de uma forma que me fez imaginar várias coisas indecentes. Em pleno almoço! "Algo errado não está certo." __ Rosa, não quero você com ele. - Disse

__ Por que? - Perguntei, curiosa. __ Ele é seu irmão.

__ Só me escute. - Falou por fim. 

__ Henri... - Tentei falar mas perdi a coragem, eu tinha uma pergunta difícil de se fazer que era quase filosófica. O tipo de pergunta que não se sai fazendo por aí, a não ser pra si mesmo.  __ Deixa pra lá - Desisti. 

A pergunta "Quem é você?" Vagava em minha cabeça e não sei por qual motivo. Era estranho querer conhecer uma pessoa totalmente tão cedo, o normal era sempre conhecer aos poucos, mas eu não conseguia tirar essa curiosidade. Eu precisava perguntar, eu estava confusa sobre ele e meus sentimentos e não sabia o que fazer, meu corpo a todo momento fazia coisas que eu não entendia, a maneira como comecei a agir depois que o conheci me faz querer fazer essa pergunta sem sentido. 

__ Rosa, preciso te contar uma coisa. - Ele me leu? 

__ O quê? 

__ Vamos pra outro lugar conversar...amanhã? 

__ Pra onde? O que é tão importante que não pode ser dito agora? 

__ Por que o que vou te contar, não é uma coisa natural, mas eu preciso te contar, sei que você acabou de chegar e isso vai te assustar muito, você precisa saber, mas por enquanto... - Henri suspirou pesadamente, passou a mão nos cabelos negros e eu comecei a bater as unhas na mesa, impaciente. __ Rose você só precisa saber que pertence a mim, e é por isso que não pode se aproximar de mais ninguém, só de mim. - Engasguei com meu suco

__ Como assim? Que história é essa? - Falei, em choque. Se isso for uma brincadeira, melhor que ele pare, não tô gostando nada. Ele demorou de responder e comecei a rir. __ Para de brincadeira! - Parei de rir, seu rosto continuava sério. 

__ Rosa, você é minha desde que apareceu na frente de minha casa, desde bem antes disso... - O jeito com que ele disse essas palavras, a intensidade delas colocou certeza, me fez acreditar nessa idéia absurda. Absurda e tentadora.                                                                                       



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...