História Lie to me. - Capítulo 9


Escrita por:

Postado
Categorias 5 Seconds Of Summer
Personagens Ashton Irwin, Calum Hood, Luke Hemmings, Michael Clifford, Personagens Originais
Visualizações 6
Palavras 1.314
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção Adolescente, LGBT, Mistério, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 9 - Moonlights testing me


Fanfic / Fanfiction Lie to me. - Capítulo 9 - Moonlights testing me

Como a minha situação tinha piorado, minha nova psicologa me recomendou ir ao psiquiatra, pois eu precisava de medicação e associar com a psicoterapia era necessario.

Decidir ir sozinho na consulta, o que era um enorme avanço, mas sabe quando você tem algo te dizendo que não deveria fazer isso? Pois é, eu deveria ter ouvido, pois assim que sai do consultorio encontrei com ele.

Calum insistiu tanto que acabei cedendo, eu não o via desde o dia que dormi em sua casa, nunca mais nos falamos, pois eu estava o evitando de todas as maneiras conhecidas por mim.

Eu tinha que enfrentar meus medos em algum momento, ele parecia o Calum que conheci o inicio do nosso relacionamento,mas minha mente sempre trazia as imagens de tudo que ele havia feito justamente para me trazer de volta a realidade, ela sabia que era tudo encenação, mais uma vez.

Como uma pessoa pode querer seu "bem", "cuidar de você" e ao mesmo tempo "fuder" com a sua saúde mental da pior forma possivel? Chega a ser ironico se voce falar isso em voz alta.

Deixei escapar um risinho ao perceber que eu estava viajando no meio daquele "encontro", Calum me olhou questionador, ele poderia ter ficado calado? Sim, poderia e deveria, mas não o fez.

- 'Ta feliz? - ele perguntou arqueando uma sombrancelha antes de beber seu suco de uva.

- Por que estaria infeliz? Por que você foi completo babaca comjgo? - respondi automaticamente com um leve tom de deboche.

- Eu só quero reparar tudo, Ash, não seja grosso comigo, pelo menos dessa vez. - ele disse me olhando desapontado, como eu queria poder acreditar naquelas palavras.

- Talvez eu só esteja me protejendo. - ri nervosamente e senti seu olhos pousarem diretamente nos meus.

Por que esse olhar acaba comigo? 

- Sinto saudade, todos os dias, quero tentar mais uma vez. - sua voz sai mais baixa que o usual e eu tento conter a gargalhada ao maximo que posso.

- Você acabou com todo o tipo de sentimento que pode existir um dia em mim, Calum, minha familia te odeia e advinha só? Eu tambem! - as respostas estavam vindo no modo automatico.

- Eu falo serio, Ashton.

- Acha que estou brincando? Eu tambem falo sério ou voce quer que eu te ame e fique me rastejando aos seus pés a minha vida inteira? -  questionei tentando manter a voz sem alteração.

- Eu não quero falar do passado.

- É serio que voce vai fazer o ofendido? - gargalhei alto, o nervosimo tomava conta de mim de uma forma inexplicavel.

Quando nossos pedidos chegaram, ele falou sobre como a vida dele super interessante de menino rico e mimado, ao terminamos saimos em silencio, ofereci para lhe dar uma carona ate a sua casa e ele aceitou sem fazer muito caso.

Durante o caminho pude sentir seus olhares diversas vezes, ao parar em frente sua enorme casa ele revirou os olhos ao ouvir minha frase cheia de ironia.

- Quer que eu buzine para que os seus pais venham te buscar?

- Você pode me achar infantil, mas estou mudando, meus pais foram passar um tempo longe, quer entrar?

- Não, obrigado pelo almoço. - respondi dando partida no carro.

Ele insistiu mais tres vezes, mas ao notar que eu não iria entrar de fato, acabou por desistir e entrou em sua casa extremamente luxuosa.

Não, eu não estava com muita paciencia aquele dia.

Flashback on.
Era impressionante a capacidade que o Michael tinha de cuidar de mim, ele me fazia sentir paz, coisas que eu achei que não era capaz de sentir novamente.

Quando estavamos juntos, sua atenção era toda voltada pra mim, quando não podia estar comigo meu whatsapp vivia cheio de mensagens e quando eu não respondia, não por querer ficar sozinho ou algo assim, mas pelo simples fato de estar ocupado fazendo arranjos e mixando as musicas de Luke, ele me ligava no mesmo instante.

No inicio, eu achei que ele fazia isso apenas por causa de sua irmandade com meu primo, mas com o tempo vi que não, era assim pelo simples fato de gostar de mim, mas minha depressão/ansiedade me fazia enxerga da primeira forma.

Ele havia me chamado pra jantar, e eu? Muito relutante aceitei, justamente por que ele me fazia esquecer todos os meus problemas, suas piadas, seu risinho fofo quando algo era verdadeiramente engraçado era a coisa mais linda que existia, ele me fazia esquecer do mundo em poucos minutos.

Estavamos conversando sobre tudo e sobre nada, ate que no meio de nosso jantar eis que Calum apareceu com seu sorriso e sua cara de pau toda. Olhei incredulo aquela cena, eu não discuti ou falei algo, apenas me levantei e saí daquele lugar, eu só queria correr o mais rapido que eu pudesse, a verdade era que eu não queria acreditar que o Michael tivera coragem de falar sobre nosso jantar com ele, e se caso não, como Calum havia descoberto?

Chamei um taxi e resolvi parar no primeiro bar que avistei ao chegar no centro, eu só precisava esquecer aquela pessoa doente que acabou me deixando doente igual.

Minha cabeça latejava de uma forma inexplicavel, me sentei na cama e cocei um pouco os olhos, aos poucos pude notar que aquela não era minha cama, aquele não era o meu quarto, mas percebi que ainda estava com roupas.

- Que diabos eu fiz? - pensei depois de alguns segundos analisando o local e me dei conta de onde eu estava.

- Ja estava ficando preocupado. - Calum disse aparecendo na porta do quarto apenas de box preta.

- O que você fez comigo? Por que me trouxe pra ca? - tentei ignorar aquele sorriso, mas ele era perfeito demais.

- Você não lembra? - ele perguntou entrando um pouco mais no quarto. - Eram quatro horas quando vi meu celular tocar e seu nome aparecer no visor, extremamente bebado.

- Hum.. Não venha me dizer que decidiu ser uma boa pessoa - falei me levantando, peguei meu celular do criado mudo. - Eu ja vou embora, obrigado pela sua "solidariedade". - gesticulei fazendo aspas com oa dedos.

- Perai Ashy. - sua voz estava cheia de suplica, ele segurou meu braço e eu estagnei.

- Não me toca, Calum. - falei e ele retirou sua mão, caminhei para a sala.

- Eu nao fiz nada com você, dormi no outro quatro, depois que tu foi embora no restaurante, Mike e eu ficamos preocupados, ele brigou comigo por que apareci la, eu fui embora e ele ficou tentando falar com você.

- Agora estou lembrando, voce é cara de pau ? Eu te quero bem longe de mim! - falei ao me virar.

- Não foi o que pareceu hoje de madrugada, você me ligou chorando, pedindo ajuda e dizendo que iria se matar, por que dói me amar ainda. - ele caminhou ate onde eu estava e parou a minha frente.-  Até que o Barman pegou seu celular e me disse onde você estava, ele falou pra eu te buscar por que ele ja estava cuidando de você. 

- Isso não faz sentido. - neguei.

- Eu sai que nem um louco e quando cheguei la você me abraçou e disse que eu era tudo na sua vida ainda.

- Você esta inventando isso, Calum, eu odeio você, ja não basta tudo o que fez! - disse pegando meu tenis na soleira da porta.

- Eu só voltei por que quero você de volta, eu sei que fui um idiota. - disse se aproximando novamente, me esquivei e abri a porta. 

- Não me procura mais, ok? Me deixa, por favor?

- Vamos conversar?

- Eu não tenho nada pra falar com você.- foi a ultima coisa que falei antes de sair dali.

Pedi um Uber e voltei pra casa, meu unico pensamento era em Michael, como eu pude esquecer dele? Como pude achar que ele chamaria o Calum?

Eu realmente não lembro de nada, que merda que eu fiz, foi só ele aparecer pra minha vida desandar mais uma vez.
Flashback off.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...