1. Spirit Fanfics >
  2. Lie to Me >
  3. Selena sempre irá ser minha

História Lie to Me - Capítulo 43


Escrita por:


Capítulo 43 - Selena sempre irá ser minha


Selena Gomez Point View

5 dias depois:

Desfrutava dos carinhos que o loiro fazia em meus fios de cabelo enquanto assistíamos a um filme de romance que eu meio que o obriguei a assistir comigo. Eu já tinha visto esse filme mais vezes do que eu posso contar em meus dedos, mas isso não me incomoda de forma alguma, continuo com a mesma animação de quando assisti-o pela primeira vez. Já o loiro não parecia se agradar com o filme mesmo sendo a primeira vez que o verá, mas ele ainda permanecia ali me fazendo companhia e me fazendo carinhos.

— Eu te amo. — Não me importo em dizer isso a ele de forma repentina. Ele sabe disso, não é nenhuma novidade. — Com todo o meu coração. — Antes que eu prolongue minhas falas sinto seus lábios de encontro com os meus e me sinto aconchegada.

— Eu te amo demais, garota. — Ele diz de forma exaltada assim que finaliza um beijo calmo e eu não deixo de rir.

Depois de uma extensa trocas de beijos e carícias volto a minha atenção à televisão onde o filme já estava no final. Ouço batidas na porta de meu quarto e sei que é a minha mãe, e então todo o meu corpo estremece em pensar que ela poderia descobrir sobre eu e o loiro, a mesma não iria se agradar de forma alguma com isso. O loiro ao meu lado se levanta na tentativa resolver a situação em que nos encontrarmos, faço o mesmo. Vou até a porta e a abro vendo a expressão do loiro se tornar confusão, rapidamente minha mãe adentra o ambiente com um olhar indescritível.

— O que esta acontencendo aqui? — Seu tom não aumenta mas sinto a raiva crescer ali. Ela me olha de cima a baixo analisando o short de pano e um topp que eu usava e o loiro que estava apenas de bermuda. — Selena você não está ficando com Justin né?

— Mãe. — Não consigo pronunciar a tão deseja palavra ‘não’ por que não sei mentir a ela. Então antes que eu termine minhas falas ela já me olha de forma dura.

— Amanda. — O loiro se pronuncia mas as coisas não melhoram minha mãe parece apenas ficar mais irritada com a fala do loiro.

— Não fale nada. — Ela se dirige a Justin. — Eu quero ouvir essas palavras da boca de Selena. — Não posso deixar de engolir a seco após ela dizer isso.

— Eu e o Justin estamos ficando. — O corpo do loiro se move na minha direção e sinto sua mão apertar a minha.

— Você está ficando louca mesmo. — Não entendo suas falas. — Bem que Abel tem me falado que Justin iria te convencer a voltar com ele. — Arregalo meus olhos junto ao loiro.

— O Justin não me convenceu de nada. — Digo em disparada. — Você não pode acreditar nas coisas que Abel te diz, ele é louco.

— Ele não está louco. — Ela grita agora e isso me assusta. — Eu até pensei que ele era louco de pensar que você poderia o trair mas agora vendo com meus próprios olhos, eu acredito, você está traindo o pobre do Abel. — Meus olhos marejam. Eu não poderia acreditar que estava sendo acusada desse jeito enquanto Abel estava sendo colocado como um santo nessa situação, sendo que o mesmo sempre me fez coisas horríveis e isso estar vindo de minha mãe me machuca ainda mais.

— Você não pode falar essas coisas a ela. — Justin me defende. — Sinto-lhe dizer mas você não sabe de tudo o que acontece aqui.

— Ele fez e faz te tudo por você. — Ela cospe isso em mim. — Quando você estava chorando e sofrendo por causa dele. — Aponta para Justin que me olha suplicando para não me importar com as falas dela. — Quem ficou do seu lado? Abel que te ajudou nesse momento, te acolheu e cuidou de você como uma princesa. Agora você decide recompensar ele dessa forma, traindo ele com o cara que te machucou da pior forma? — Agora eu chorava de soluçar. — Eu realmente não esperava isso de você, minha filha, quando ele me disse que tinha medo de você fazer isso eu te defendi e disse que você nunca seria assim. Ele está trabalhando nesse momento torcendo para que você esteja bem e confiando em você para manter a lealdade a ele e espero que você faça isso daqui a diante. — Com isso minha mãe se retira do quarto e eu me jogo no chão me entregando totalmente ao meu choro compulsivo.

Me alinho no chão abraçando meu próprio corpo enquanto os braços do loiro me envolvem em um abraço forte e reconfortante. Não consigo parar de chorar de forma alguma, as palavras de minha mãe rondavam a minha mente como um som irritante que se repete em um loop infinito, daqueles que você tem vontade de quebrar de tão irritante. O loiro não fala nada e isso não me incomoda, ele apenas me abraçava e acariciava o meu coro cabeludo esperando que o tempo cure essa pequena ferida que eu acabei de abrir dentro do meu coração. Assim que o meu choro cessa eu limpo todo o resquício de lágrimas secas grudadas em meu rosto e levanto o mesmo na direção do loiro me que encarava com grande atenção, com medo que eu possa desabar a qualquer momento.

— Ela tem razão. — Suspiro e o loiro me olha piedoso e nega rapidamente.

— Não. — Não consigo olhar em seus olhos. — Ela não tem, Selena. — Sinto vontade de chorar novamente. — Você sabe como ninguém que Abel não é um santo, ele tem faz mal meu amor. — Suas palavras doíam em mim.

— Mas ele fez de tudo por mim, cuidou de mim quando você não podia. — Sei que minhas palavras afetaram ele. — Mesmo que ele seja ruim, trair ele não é o correto. — O loiro estava de cabeça baixa mas sua mão ainda estava entrelaçada a minha.

— Selena...— Justin é interrompido pelo som de meu celular, pego-o e vejo que era uma ligação de Abel. A expressão tranquila do loiro se transforma em irá. Deslizo meu dedo para o lado aceitando a ligação do mesmo.

— Oi. — Tento parecer o mais normal possível. O loiro ao meu lado não parecia feliz com a situação.

— Oi meu amor. — Doi. — Eu queria saber como você está. — Tento não gritar para ele tudo o que estava engasgado.

— Eu estou bem. — Sorrio falsamente. — Estou com saudades. — O loiro levanta seu olhar em minha direção assim que eu minto na cara dura. — Como você está?

— Eu estou bem, sentindo muito a sua falta. — Engulo a seco.  Quando você estará livre para que eu possa te visitar? — Penso.

— Eu não sei. — Sou sincera. — A faculdade está corrida de certa forma, mas precisamos nos ver. — Vejo o loiro se levantar irritado e então meu coração dói ao ver a tristeza dele, puxo seu braço na tentativa de fazê-lo ficar porém não consigo e ele se solta e segue para fora de meu quarto.

— Eu vou te visitar em breve. — Concordo. — Eu preciso desligar meu amor. Te amo. — Mando um beijo e finalizo a ligação.

Largo o meu celular em qualquer canto de meu quarto e sigo em passos ágeis para o andar de baixo a tempo de ver minha mãe sair com uma sacola de mercado em mãos, suspiro aliviada em saber que a mesma saiu já que eu não estava muito a fim de brigar com a mesma, dou uma grande analisada para ver se o loiro se encontrava no andar de baixo mas chego à conclusão de que ele não estava, volto para o andar de cima e não demoro a entrar em seu quarto que estava com a porta encostada, o loiro estava deitado olhando para o teto apenas com uma bermuda deixando seu peitoral todo a mostra, vou calmamente até o loiro e me coloco por cima de seu corpo, em movimentos ágeis selo nossos lábios em um selinho demorado.

— Eu te amo. — Ele diz entre o beijo. — E eu sei que você também me ama. — Meu coração se enche de amor. — Mas eu realmente não aguento estar nessa situação com você, não poder te expor para o mundo, não poder te ter por completo para mim. Você sabe que isso não pode durar mais, e eu espero que você esteja comigo para sempre por que eu te amo com todo o meu coração e não sei como seria a minha vida sem você. Por que você Selena Gomez é o grande amor da minha vida. — Nao consigo dizê-lo nada além de o encher de beijos.

— Eu te amo. — Digo. — Você é a única pessoa que eu sinto vontade de passar o resto da minha vida junto, eu nunca mais quero me afastar de você, eu sei que a situação está complicada mas eu prometo que a próxima vez que ele vier me visitar eu irei acabar tudo com ele, só preciso que você tenha mais um pouco de paciência e não duvide do meu amor por você. — Ele concorda e eu sorrio.

Suas mãos pressionam a minha cintura fazendo pressão sobre seu membro, não contenho a vontade enorme de o beijar e junto meus lábios com o dele de forma desesperada o que faz o beijo se tornar quente e excitante. Meu corpo parecia se mexer conforme nossas línguas dançavam, as mãos do loiro inciativavam os movimentos em cima de seu membro e eu arfo quando seus beijos descem até meu pescoço fazendo o clima ficar ainda mais quente, a bermuda que o loiro usava é rapidamente tirava por mim e meu short também deixando-nos apenas com roupas íntimas. Ele volta a me beijar enquanto minhas mãos passavam por todo o seu corpo, inclusive o seu membro que latejava em baixo da cueca.

— SELENA. — Ouço aquela voz que eu reconheceria em qualquer momento e sinto medo antes mesmo de virar e olhar para o dono daquela irá toda. Pulo da cama e coloco a short que estava caído no chão enquanto Bieber não se incomodava em usar apenas uma cueca. Eu estava ofegante enquanto o homem a minha frente estava prestes a me matar. — Sua vagabunda. — Ele vem rapidamente em minha direção e me lança um tapa na cara e me puxa pelo pulso.

— Solta ela! — O loiro vem na nossa direção com uma expressão nada boa e acerta um soco na cara de Abel. — Eu sempre quis fazer isso. Seu filha da puta. — Olho para o loiro que  estava vermelho de raiva. — Você é um idiota, Selena sempre irá ser minha. — Abel se levanta e tenta acertar o loiro que recua.

— Parem. — Suplico. Mas não adianta de nada eu pedir os dois continuam se batendo. O loiro acerta outro soco no rosto de Abel.

— Que isso. — Vejo minha mãe entrar no quarto gritando e isso faz a atenção dos garotos se virar a ela. Aproveito e me coloco na frente do loiro que estava ofegante pela pequena briga.

— Essa vagabunda está me traindo com esse filha da puta. — Ele grita na minha direção e minha mãe parece estar sem reação para sua atitude.

— Por que você não sai da minha casa? — O loiro grita. — Não vê que ela tá bem comigo. — Vejo Abel ameaçar vir até o loiro mas assim que minha mãe coloca em sua frente ele para.

— Abel. — Agora minha mãe fala. — Eu acho melhor você ir, outro dia vocês dois conversam civilizadamente mas hoje essa conversa só irá resultar em briga. — Minha mãe parece convencer o homem que me encara com raiva.

— Tudo bem. — Ele suspira. — Mas eu não vou embora dessa cidade até você falar comigo, Selena. — Ele beija a bochecha de minha mãe e sai pisando forte.

— Amanhã você irá pegar suas coisas e irá embora dessa casa comigo. — Arregalo meus olhos com a fala de minha mãe. Ela não parecia brincar com isso. — Você não se da conta de que esse homem te faz mal. — Ela fala de Justin com desdém e isso me machuca.

— Amanda. — Sei que Justin está com raiva mas tenta manter a calma. — Selena já tem idade o suficiente para saber o que quer da vida, não é mais um criança que depende de você, contudo se ela quiser ficar comigo nessa casa ela irá ficar! — Minha mãe engole a seco e se retira do cômodo.

 — Eu não sei mais o que fazer. — Me jogo na cama e antes que eu controle as lágrimas já caiam freneticamente, o loiro vem até mim e me abraça. Não deixo de sorrir com seu ato, eu me sentia extremamente protegida com ele e tem ele do meu lado me tranquiliza de certa forma. Enquanto eu tiver ele eu estarei bem não importa a situação. Eu amo ele.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...