História Liebe. - Capítulo 3


Escrita por:

Visualizações 250
Palavras 1.183
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Esporte, Famí­lia, Festa, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Genteee, na história o Manuel e o Mats são solteiros viu?!

Espero que gostem, Favoritem e comentem, é mt importante p mim q façam isso. Um bj ❤

Capítulo 3 - Mats nahm das groe Glück.


Depois de me apresentar todos os jogadores, Thomas Müller disse que eles tinham treino, me abraçou de lado e se juntou a eles. Eu dei um sorriso geral e logo me afastei.

Voltei a minha sala e peguei a papelada para ler o histórico dos jogadores. Notei que Mats Hummels havia sofrido uma lesão recentemente em um amistoso, e precisava da minha atenção como médica. Quando acabei de ler, notei que além de Hummels, Manuel Neuer e Thomas também precisavam da minha contribuição médica. 

Decidi que comecaria por Thomas, e então mandei Desmond, meu assistente o chamar logo após o treino.

      **

-E aí, o que acharam da nova médica?  -Mats pergunta aos demais jogadores, que estavam sentados no campo.

-Gata. -Reus diz e faz uma cara de aprovação, arrancando risadas do pessoal.

-Concordo, mas tem cara de ser séria. Será que tenho chance?  -Mats diz e recebe uma bolada de Thomas.

-Mas já Hummels? Vai assustar a doutora e ela vai querer ir embora. -Thomas diz e os outros riem.

-Verdade Hummels, vai com calma aí.  -Foi a vez de Manuel se pronunciar.

-Ihh, que foi ôo goleirão? Eu e você somos os únicos solteiros daqui, precismos nos mexer.  -Hummels diz dando um leve soco no braço de Neuer, e eles riem.

-Só sei que eu vou tentar chamar ela pra sair - Mats continua, e antes que alguém pudesse se pronunciar, Desmond chega, dizendo que Isabella está chamando Müller para sua sala.

Müller se levanta pra ir, quando ouve um grito de Hummels.

-Aô Thomas, fala de mim pra ela.  -Thomas ri e faz um gesto para o amigo.

Manuel que estava em silêncio, pensa em como Mats era apressado, e em como isso o irritava as vezes. Mas o entendia. Ele tinha pressa em encontrar um amor, Manuel também tinha essa pressa, mas sabia lidar com isso, diferentemente de Hummels.

   **

Isabella ouve duas batidinhas na porta e logo vê Müller entre a porta.

-Doutora? Me chamou. -O loiro pergunta. Isabella acena e o manda entrar.

Ele se senta na cadeira.

-Algum problema, doutora?  -O jogador pergunta com um semblante preocupado.

-Me chame de Isa, doutora soa muito velha. -Ela diz e eles riem.


-Eu estava olhando a sua ficha e vi que você, Hummels e Neuer, possuem histórico de lesões recentes. Decidi começar por você. E então, você pode se deitar na maca para eu poder examinar? -A doutora diz e solta um leve sorriso, o loiro faz o mesmo e vai em direção a maca.

-Então, Isa. -Ele diz enquanto ela examina sua perna. -Sinto que devo te alertar sobre Mats Hummels.

Ela o olha assim que aquilo sai de sua boca.

-E por que? 

-Digamos que ele ficou a fim de uma certa doutora aí.  -Ele diz e ri, eu o acompanho, balançando a cabeça, como se estivesse negando.

-Obrigada pelo aviso Müller, pode deixar que sei bem como cuidar dessa situação.  -eu digo e nós rimos.

-Tenho a sensação de que seremos bons amigos, doutora... digo, Isa.  -ele diz e sorri.

Eu sorrio também.

-Tenho essa mesma sensação, Müller.

-Bom, sua perna ta boa, mas eu ainda quero manter em observação, então amanhã aqui, no mesmo horário.  -Eu digo a ele.

-pode deixar doutora Isa.  -ele diz e pisca.


Eu sorrio.

-me deseje sorte agora, é a vez do Hummels.  -Eu digo e ele faz uma careta.

-Xiii, vai precisar de sorte mesmo. Mas qualquer coisa me chama, que eu resolvo.  -ele diz e nós rimos.


*****

Ele entra sorrindo na minha sala, e eu não pude deixar de notar o quanto ele era bonito. Seu sorriso era de malícia. Bem que Thomas alertou. Eu soltei um leve riso e mandei Hummels se sentar.

-E então, Mats, como vai? 

-Melhor agora, doutora.  -Ele diz e sorri, eu faço o mesmo.

-Me chame de Isa. -Eu digo e ele assente sorrindo. 


   


Esse homem é uma delícia, senhor, me ajude a manter o foco.

Eu peço para ele se deitar na maca e assim ele faz.

Eu o examino, e depois de 13 minutos já havia acabado. Ele se levanta e me olha.

-Seria muito se eu pedisse o seu número, Isa?  -Ele diz e eu o olho. Eu penso um pouco, mas logo passo meu número pra ele.

-Obrigado.  -Ele diz e sorri, eu faço o mesmo. 

Antes dele fechar a porta para sair, ele se vira pra mim.

-Isa, amanhã eu vou dar um churrasco na minha casa. Gostaria que você fosse.

-Ahh, eu não sei... Eu.. -ele me interrompe.

-Vamos, vai ser bom pra você conhecer o pessoal melhor. -ele diz e sorri esperançoso.

-bom, pode contar comigo, eu vou sim. -Eu digo e nós sorrimos e então ele sai da sala.


Ok, vez de Manuel Neuer.


***

Ele entra em minha sala com um semblante sério, mas solta um leve riso assim que me vê, eu faço o mesmo.

-Thomas me disse pra eu te chamar de Isa. -ele diz antes que eu pudesse falae qualquer coisa.

-Isso mesmo. Thomas esperto.  -Eu digo e ele ri.

-Sendo assim, me chame de Manu.  -Ele diz e eu concordo, sorrindo.

-Então, Manu, pode se deitar na maca? -eu digo e ele assente, indo em direção a ela.

Eu o examino, e não fico contente. Pelo que eu estou vendo, a lesão parecia ser mais séria do que o esperado.

Após examina-lo, ele percebe meu semblante de preocupação.

-Algum problema comigo?  -ele me pergunta, se levantando da maca, com o olhar já preocupado.

-Então, Manu... Pelo que me parece a lesão é mais séria do que aparenta ser. Eu vou pedir um raio x e você terá que vir aqui com frequência para tratarmos isso.  -Eu digo e sua expressão é de medo.

-Mas eu vou poder jogar a copa, né? 

-Vamos fazer o possível para que jogue. -Eu digo e forço um sorriso. -Mas, olha, não fique preocupado, farei de tudo para que isso não se torne cirúrgico. 

-Obrigado Isa.  -ele sorri pra mim.

Eu sorrio de volta.

Eu o libero, e ele sai da sala.


***

Manuel saiu da sala da doutora preocupado com a situação de sua perna, com medo de que não jogasse a copa. Por um momento pensou no sorriso da doutora, e em como era bonito,  mas logo tirou essa ideia de sua cabeça.

***

Já era de noite, quando eu saio da minha sala para poder ir embora. Acho que não havia mais nenhum jogador lá. Melhor assim. Eu vou até a saída. E quando já estou na rua, indo em direção a minha casa, eu vejo de longe, Manuel, com uma mulher. Pelo jeito que ela estava vestida, e a essa hora na rua, devia ser aquelas Marias chuteiras.


Não sabia que Manuel era desse tipo.

Eu o vejo se livrar dela e ir em direção a seu carro para ir embora.

É, acho que ele realmente não era desse tipo.

Involuntariamente solto um sorriso, e volto a caminhar em direção a minha casa.

Manuel que viu a doutora pelo retrovisor, assim que estava dirigindo em direção a sua casa, só conseguiu pensar em como Hummels tinha sorte.




Notas Finais


até o próximo meus amores


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...