História Lieblingsmensch - Capítulo 19


Escrita por: e rollxrcoster

Visualizações 420
Palavras 1.899
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Esporte, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


OLAAA, um pouco tarde para os padrões, mas ai esta o capitulo de hoje ♥

Capítulo 19 - Respeite minha decisão.


Fanfic / Fanfiction Lieblingsmensch - Capítulo 19 - Respeite minha decisão.

- Eloá -

 

- Espera, VOCÊS O QUE? - Miha gritava pela milésima vez.

- Nós nada Miha, não chegou a acontecer nada.

- Por culpa de Müller, mas iria! Você tem certeza disso?

- Disso o que? Por céus Miha, me lembre de não te contar mais nada se toda vez for esse drama todo.

- Desculpa se eu estou preocupada com a minha amiga e não quero que ela saia magoada no fim dessa história toda. Quer saber? Tudo bem, não me conte, irei estudar lá embaixo. - Não tive tempo de resposta pois logo foi possível ouvir o estrondo da porta batendo. Era tudo o que eu não precisava Deus, por que complicar tanto? Já não bastava a situação complicada que se criou entre nós dois. Depois da cena embaraçosa que Thomas nos fez protagonizar, eu não sabia nem onde botar minha cara. E como eu sou uma pessoa adulta super responsável e que sabe lidar com seus problemas, eu simplesmente sai, sim, virei de costas pra ele o deixando sozinho no banheiro e fui embora da festa sem me despedir de ninguém. Eu estava envergonhada demais para qualquer coisa então terminei minha noite em um mc donalds enchendo o buxo fantasiada de líder de torcida do diabo. Não preciso nem contar o quanto Miha me encheu o saco no dia seguinte perguntando do meu paradeiro, e durante uma semana eu consegui enrolar ela mas infelizmente minha boca grande cedeu hoje e agora eu tinha uma melhor amiga muito pistola comigo. E James? Bom, como eu ja tinha feito a cagada de deixá-lo sozinho, o mínimo que eu poderia era mandar uma mensagem pedindo desculpas, o problema era que não tinha noção alguma do que mandar. ‘Oi foi mal por ter saído sem ter dito nada naquele dia no Vidal mas não sabia onde enfiar a cara depois de a gente quase transar e seu amigo de time ter visto.’ não me parecia ser algo decente para mandar, na verdade nada me vinha cabeça, afinal, eu não sabia o que tínhamos, se é que tínhamos algo. As palavras me fugiram, e no dia seguinte a festa, eu acabei mandando apenas um ‘desculpa’ que logo foi respondido.

"Por ter fugido ou por termos ficado?"

"Hum, por ter fugido."

"Tudo bem, confesso que também apenas fui embora."

"Então me sinto menos pior agora."

"Está tudo bem Lo, só que ainda quero matar o Thomas."

"Eu também, mas fazer o que."

"Não deveria ter saído daquela forma, já era tarde, fiquei preocupado."

"Eu estou viva, senhor chato, isso que importa."

"Ainda bem, na próxima a senhorita me deixe ciente em como vai embora."

"Pode deixar, e na próxima melhor evitarmos muito contato."

"Qual o problema com isso, Eloá?"

"Eu não tenho a resposta certa para isso, mas, preciso que respeite minha decisão."

E foi assim que eu estraguei qualquer oportunidade que eu tinha de viver algo com um homão da porra que tem uma pegada do caralho, enfim, agora além de não ter mais a amizade do colombiano, já que o próprio não fala mais comigo depois da troca de mensagens, agora minha melhor amiga não quer mais falar comigo, e como eu sou uma pessoa que não perde a oportunidade de desgraçar ainda mais a sua própria vida, eu acabei esquecendo de entregar um trabalho de ateliê e  tinha pego exame na matéria e precisava recuperar essa maldita nota com uma prova no sábado.

No momento eu me encontrava com meu notebook no colo procurando a vontade de ler a apostila gigante que meu professor tinha encaminhado. As trevas haviam chego pra mim.

 

- James -

- Cara, no meu banheiro? Sério?! - Vidal perguntava indignado depois de Müller ter aberto sua grande boca.

- Agradeça por não ter quase sido em seu quarto. - Respondi com graça.

- Vocês dois não são nem loucos, seu próximo salário seria para uma reforma caso isso acontecesse.

- Deixe de bobeira Chile. Mas então, já sabem por onde vão passar o natal e ano novo?

- Natal com a minha família, ano novo em alguma festa. - Dei risada de seu último comentário, Arturo sendo Arturo.

- No meu caso, tudo com a família. - Müller respondeu sendo acompanhado da confirmação de Lewa, Rafinha e Thiago. - E você papá?

- Minha única certeza é que estarei no natal com a minha filha.

- E ano novo em festa com o papi aqui. - Vidal disse animado

- Não cansa nunca dessa vida? - O mesmo fez sinal negativo com a cabeça enquanto ria.  

Estávamos todos na casa de Vidal reunidos para jogar fifa e claro que, depois de Thomas ficar a semana toda me importunando com a cena sobre Eloá, hora ou outra ele abriria a boca para os outros. Não me importava com isso mas me preocupava o fato de Eloá ficar chateada por ser exposta assim, mesmo depois de ela ter me dado mais um fora. Mesmo não conseguindo entender direito, eu fiz o que ela pediu e lhe dei todo o espaço, mas é difícil, porque antes o que era uma incógnita agora virou uma certeza. Um não. Porém quando restava apenas eu e o chileno bebendo whisky em sua sala, me deixei levar e coloquei para fora o que estava engasgado a muito tempo.

- Eu não entendo. - Falo alto concentrado o olhar no copo a minha frente.

- O que você não entende hermano?

- Eloá. - A sua feição clareia e eu continuo. - Nós nos beijamos algumas vezes, e eu achei que aquele dia iria acontecer, não o sexo, mas nós dois.

- E por que não aconteceu? Foi só pelo Thomas ou tem mais coisa?

- Eu não sei Arturo. Realmente não sei. - Digo em meio ao um suspiro. - Não acredito que estou desabafando com você. - Ele ri e eu o acompanho. - Mas Eloá é diferente, eu sei, clichê, mas o que posso fazer. - Dou de ombros e beberico o liquido que ainda havia no copo. - Ela me deixa confuso.

- Eloá é confusa, James. - Nós dois rimos novamente. - Mas é muito especial, e entendo quando diz que é diferente, também sinto isso em relação a ela, só que não da mesma maneira que você. - Ele para por uns instantes e continua. - Eu antes não conseguia definir ela, até que Alaba usou um termo que encaixou certinho. Eloá é encantadora, ela tem sua própria essência e cativa todos que estão ao seu redor. Porém eu a conheço e sei o quão confusa ela é e o quanto isso a deixa insegura. E é isso James, ela não consegue entender porque um cara como você se interessaria por ela. Eloá não consegue enxergar o brilho que a destaca na multidão. - O chileno diz antes de beber o whisky. - Então se quer realmente isso, precisa deixar claro para ela, porém não pode despejar muitas informações porque isso vai deixá-la ainda mais confusa. Vá com calma, mostre-a que você está disposto a fazer isso.

 

25 de Dezembro de 2017 - Munique

- Papá, posso abrir agora? - Salomé perguntava impaciente.

- Ainda não meu amor, temos que esperar seus primos terminarem de comer.

- Oras, então andem rápido.

- Salomé! - Dani a corrigiu indignada enquanto arrancava risos de todos os presentes.

Minha casa se encontrava cheia, de um lado estavam meu pai e minha mãe, do outro Dani, Salomé, David e sua família. Foi um pouco estranho reencontrar Dani, mas nada que algumas taças de vinho não nos fizessem nos sentir à vontade de novo e fingir que não faziam apenas 5 meses desde nossa separação.

Aproveitei esse pequeno momento de foco apenas na pequena dos cachos castanhos e me levantei indo até a varanda de casa, pegando meu celular em seguida e indo para as mensagens.

“Feliz Navidad chica, que Deus renasça em teu coração junto de muita esperança, fé e paz. Não ache que esqueci de ti, seu presente só vai chegar um pouco atrasado.”

- Então essa deve ser a amiga que Salomé mencionou. - Daniela falou me assustando.

- Ei, dona Lucia não te ensinou que é feio ler conversa alheia mocinha? - Respondi enquanto tocava a ponta de seu nariz.

- Não mude o foco da conversa, é ela ou não é?

- Sim Dani, é ela. Mas fique tranquila, não apresentei ela a Salomé para não confundir a cabecinha da mesma, afinal, nem temos nada.

- Mas ela te faz bem, vejo pelos teus olhos. O que impede?

- Ela se impede.

- Compreensível, viver nesse mundo de vocês é completamente louco. - Ela responde rindo - Bom, eu só quero ser informada quando não existirem mais nenhum empecilho no meio de vocês dois. -Então ela pisca e se vira voltando para dentro da sala, me deixando parado perdido em pensamentos.

Volto para realidade quando o aparelho em minhas mãos vibra, ao contrário de quem pensei que era, Helga estava me mandando mensagem.

“Boa noite James, espero que seu natal esteja sendo maravilhoso. Está curtindo com os amigos? Bom, desejo-lhe um excelente natal, muita esperança e paz, já que amor sei que está tendo.

Ah, inclusive mande felicitações à Eloá por mim, realmente entendi o por que de estar apaixonado por ela, ainda não esqueci o beijo da mesma.”

“Quando esteve com Eloá?”

“Então acertei huh?”

“Acho que mesmo se eu estivesse, isso não lhe respeitaria. Apenas quero saber se estiveram juntas.”

“Não precisa ficar nervosinho meu anjo. Bom, estivemos na mesma festa juntas, sabe, ela é realmente uma graça.”

Eloá já havia comentado que tivera um lance rápido com uma menina no passado, mas não sabia que isso continuara nos dias atuais. Sai de meus devaneios quando Salomé veio correndo me gritar que já estava na hora de abrir os presentes, sorri e peguei a mão da mesma enquanto a seguia até a árvore de natal que havíamos montado.

 

- Eloá -

Natal. Enfim uma das, se não a data comemorativa que eu mais gostava. Era incrível ver como a magia do natal realmente contagiava a todos em nossas voltas, no Brasil eu já me sentia realizada em ver as pequenas casas enfeitadas, agora poder vê-las junto a neve não tinha preço, minha vontade era de sair e passar o mesmo na rua, apenas para encarar as decorações, que cá entre nós, uma mais linda que a outra.

Minha mãe e a mãe de Miha tinham chego há algumas horas, por sorte eu já tinha enfeitado tudo e Miha com seus dotes culinários havia feito nossa ceia.

Estávamos todas sentadas assistindo algum filme na tv e meu coração se animou quando a notificação que havia chego no celular era aviso de mensagem do James. Suas palavras fofas aqueceram meu coração e ainda bem que ninguém notou meus suspiros bobos que deixei escapar.

“Oi sumido. Muito obrigada! Desejo tudo em dobro pra você e que principalmente faça muitos gols pelo meu time ♥ e que presente? Não me deixes confusa, colombiano.”

A mensagem dele me surpreendeu pois haviam sido poucas as que trocamos desde o ocorrido no halloween. Seus compromissos com o clube haviam se intensificado mais ainda e eu estava na forca com os estudos então foram poucas as vezes que nos vimos, acredito que duas ou três, e foram pouquíssimas palavras trocadas.

 


Notas Finais


Cá está, tão confuso quanto Eloá. Esperamos que gostem ♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...