1. Spirit Fanfics >
  2. Life (Alexa X OC) >
  3. Chapter Three

História Life (Alexa X OC) - Capítulo 3


Escrita por: Xazam_02_Stark

Notas do Autor


Desejo-vos uma ótima leitura, e talvez um pouco de paciência, digamos que este é um daqueles capítulos de introdução.

Mais uma vez, boa leitura <3

Capítulo 3 - Chapter Three


A noite ontem foi intensa, teve a oportunidade de falar com alguns Superstars, revido outros, como Charlotte e Natalya que já havia conhecido devido ao facto da família fazer parte da empresa. Acabou por mudar de ideias em relação ao ambiente também, todos com quem havia conversado haviam sido muito atenciosos. A sua mãe acabou por a roubar dos amigos para lhe fazer uma visita guiada pelo backstage e conversar sobre o seu dia.

Saiu de lá tardíssimo e depois Sasha ainda quis festejar sabe se lá o quê e ficou insistido para que eles fossem beber juntamente com Sheamus. Tinham combinado que era só um copo, mas acabaram por se exceder e quase foram expulsos do bar, especialmente Kalie que nunca havia ficado bêbada e Sheamus.

Os dois basicamente ficaram emotivos e começaram a falar de como a vida era difícil e de repetente ficaram muito felizes e começaram a meter conversas com pessoas no bar, que acabaram por insultar.

- Nunca mais me deixem beber… não sinto o meu cérebro, parece que ele está a abanar… - Kalie disse após tomar o café da manhã ainda na cama.

- Você está dizendo que a sua cabeça é demasiado grande para o seu cérebro? – Sasha perguntou tentando acompanhar os raciocínios da amiga.

- Eu não consigo ver… ah! – Kalie de súbito lembrou-se, as bem ditas das lentes de contacto haviam secado. – Preciso que vá à minha bolsa e pegue nos meus óculos.

Sasha fez o pedido ainda um pouco em choque pela amiga ter problemas de visão, não havia reparado que ela usava lentes em nenhum momento o que era estranho pois ela mesma usava.

- Melhor agora. – Kalie disse depois de colocar os óculos. – O que tem para hoje?

- Treinar, para ver se você saí desse estado meio morto. – Sasha negou com a cabeça e pegou no tabuleiro e colocou na mesinha de cabeceira.

- Ai aí… - Kalie bocejou e levantou-se para ir ao banheiro.

Ainda estava meia sonolenta e cheia de dores de cabeça, não sabia ao certo se o ginásio lhe ia fazer bem no momento. Enquanto ia levando com a água na cara ia se relembrado da noite passada, tinha sido algo tão fora do comum.

Vestiu uma roupa para desporto novamente e amarrou o cabelo num coque. Tinha esperanças de por ser de manhã não achar tanta gente, e as suas preces foram atendidas. Estava bem movimentado, mas não havia tanto zumbido e ruído como esperava.

Foram ao encontro de Kalisto e Sheamus que estavam perto das barras fixas. Eles só estavam conversado, não necessariamente a fazer algo.

- Minha minhoca tonta! – Kalisto disse animado ao ver Kalie.

- Não! – Kalie começou a rir instantaneamente ao lembrar. – Não, não, não…

- Eu estava bêbado, e eu lembro! – Sheamus começou a rir também.

- Em nome dessa moça, eu nunca mais bebo!

- E qual é o nome da moça? – Sasha colocou as mãos na cintura segurando o riso.

- É a moça que parece uma minhoca tonta, não há muito que dizer… - Kalie disse fazendo restantes rirem.

- Vamos começar, antes que chegue à hora de almoço e a gente não tenha feito nada. – Sasha tentou bancar a mãe. – Eu sei que você não faz nada o dia todo, mas…

Antes que Sasha pudesse terminar a frase, Kalie já tinha subido à barra e ficado de cabeça para baixo.

- Eu disse que não fazia nada… quando não estou treinando com o meu pai. – Kalie sorriu.

- Não oculte coisas assim! – Sasha negou com a cabeça. – Até onde você pode ir?

- Eu sei fazer os saltos irados que vocês fazem. – Refletiu.

- Parece que temos aqui uma estrela. – Kalisto cruzou os braços.

- Na… - Kalie voltou a colocar a cabeça para cima ficando sentada em cima da barra e ajeitando os óculos que haviam ficado tortos. – Mas, então? Qual é o plano de treinos?

- Acho que podemos começar por aqui. – Sheamus sugeriu segurando uma das barras.

Aceitaram de bom grado a sugestão de Sheamus. De facto, Kalie sabia o que fazia mesmo que não acompanhasse o ritmo deles, e os óculos mais atrapalhavam do que julgava.

Entre as pessoas que Kalie normalmente chamava à atenção devido ao seu albinismo, agora também tinham as pessoas que queriam ver a filha de Triple H e claro, Alexa.

Não esperava a reencontrar novamente, mas visto que tal coisa havia acontecido não deixou de a observar. Não a tinha julgado uma pessoa desportiva, embora isso não fosse impedimento para que não a apreciasse o que via no momento.

- Se está tão curiosa, devia falar com ela. – Nia sugeriu. – Ela não vai morder, até parece bem inofensiva.

- Pare. – Alexa negou com a cabeça. – Vai ser muito estranho.

- Só não vai ser mais estranho do que você ter revisto os story’s da Sasha no meu celular mais que uma vez e não parado de olhar as fotos dos papparazzis. Vai me contar o que está acontecendo com você e ela?

- Nada, não tem nada acontecendo.

Não era mentira, realmente não havia nada entre elas, mesmo que houvesse um sentimento estranho da parte dela. Havia refletido sobre ele durante a noite, e até chegou a cogitar que fosse algo a ver com curiosidade do que algo amoroso. Afinal, com que frequência se via uma pessoa albina? Alexa nunca tinha visto uma pessoalmente.

Tentou não se focar muito nela no resto dos treinos, mas era inevitável. Conseguia ouvir a voz deles de onde estava, mesmo que não entendesse nada do que diziam.

Até à hora em que planeava almoçar Murphy juntou-se a elas, fazendo com que acabasse por se distrair da moça albina. Durante o almoço ainda que ouvisse a voz dos amigos dela, especialmente de Sheamus que tinha o hábito de falar alto, não se ficou nela, tanto Nia quanto Murphy já tinham percebido que algo se passava e faziam de tudo para a distrair.

No início funcionou e até aproveitou bem, mas depois acabou por se tornar algo extremamente forçado que acabou por enjoa-la.

Decidiu então sair da beira deles, a desculpa que deu é que a comida lhe tinha caído mal e precisava de apanhar ar. Não mentiu nesse aspecto, foi até à parte externa do ginásio e ficou à sombra do teto.

Ficou lá por um tempo, estava tudo sossegado e isso ajudava-a a organizar os seus pensamentos. Ajudava, até alguém esbarrar nela.

- Me desculpe, eu não estou vendo muito bem, peço imensa desculpa. – Não precisava de olhar para perceber quem era, conhecia a voz. Só achou estranho ela agir daquela maneira, como se fosse algo muito grave, não tinha passado de um raspão.

- Tudo bem, não foi nada. – Respondeu olhando para ela. Desta vez estava a usar óculos, e estranhamente ficavam melhor que as lentes de contacto, com o calor que estava ela tinha vestido um moletom preto de lã juntamente com leggins pretas e calções azuis por cima. – Esta tudo bem?

- Sim, sim. – Respondeu atrapalhada. – É só o sol, eu não me dou muito bem com ele. – Riu de nervoso.

- Ah sim. – Alexa respondeu olhando a moça com preocupação, aquilo não lhe parecia só do sol, ou se calhar ela não queria que fosse só o sol. -  Você é nova? – Tentou introduzir outro assunto, agora que tivera oportunidade, não quis desperdiça-la.

- Não, não. Quer dizer, nisto de viajar até sou, mas não me vou juntar às lutas. – Kalie sorriu completamente embaraçada.

- E o que está a achar? Muito e estressante, não?

- Diria que a pior parte é estar longe do Tarzan, o meu cachorro.

- Você tem um cachorro? – Agora Alexa estava ainda mais empolgada, amava animais. – É de que raça?

- Shiba Inu, tenho uma foto se quiser ver. – Oferceu.

- Sim, por favor. – Quando viu a foto dele ficou encantada, ele parecia uma raposa. – Ele é muito fofo, tem ar que gosta de uma briga.

- Ele é bem ciumento, não me pode ver com outro cachorro. – Revelou. – E você? Tem algum cachorro?

- Três na verdade. – Disse já esperando a reação da mulher à sua frente.

- Você está bem protegida. – Brincou. – Eles ficam com o seu companheiro?

- Companheiro? Não, ficam com os meus pais. Eles moram logo abaixo de mim, e adoram animais então é melhor. Eu não tenho ninguém no campo amoroso. – Riu de nervoso logo na hora em que percebeu o que disse, agora só queria sumir. – O seu? – Perguntou tentando quebrar o clima.

- Fica com as minhas irmãs, e com os meus pais quando eles estão em casa. – Afastou-se um pouco devido à sombra estar a diminuir. – Kalie. – Apresentou-se.

- Alexis, pode me chamar de Lexi ou Lexa. Você escolhe como quer me chamar. – Disse totalmente atrapalhada.

- Lexi, então. – Sorriu. – Eu acho que vou ter de entrar, o sol está cada vez mais forte e seria bem ruim se eu pegasse uma queimadura.

- Claro, a gente se vê por aí.

Aquilo intrigou Alexa mais ainda, a primeira coisa que fez ao entrar foi pesquisar sobre o albinismo. O primeiro problema que lhe apareceu logo no começo foi não saber qual era o tipo de albinismo de Kalie, no entanto excluiu o OCA2 e o OCA3, por ela não ser ruiva ou loira e nem possuir um tom avermelhado na pele. O OCA1 era o mais provável, se tivessem continuado a conversar talvez tivesse descoberto.

Kalie tinha voltado para o quarto, a cabeça ainda doía e estava a arder por dentro daquele moletom. A primeira coisa que fez foi tirá-lo e em seguida atirou-se para a cama.

Estava entusiasmada, na noite passada já tinha tido curiosidade para falar com Alexa. Parecia-lhe uma pessoa muito simpática e tinha um leve queda por ela, quando ela lhe deu de bandeja que não estava com ninguém até ficou esperançosa.

Era tudo uma ilusão, lógico.

Não sabia como chegar em ninguém, como beijar ou transar. E Alexa era obviamente heterossexual.

Os amigos tinham ido fazer compras, e por mais que tivessem insistido para que ela os acompanhasse não queria correr riscos. Não imaginava que com o temporal de ontem o tempo ficasse tão quente. No entanto, ainda que lá fora os amigos não deixavam de lhe dar notícias, mandavam vídeos, áudios e imagens.

Era legal e engraçado, mas não era a mesma coisa.

Para passar o tempo leu o webtoon de Tower Of God e quando acabou o primeiro capítulo já se tinha arrependido de não trazer o PC, assim poderia ficar nas partidas online. Por essa altura já sentia falta de casa, lá nunca estava sem fazer nada ou à espera de alguém. A melhor solução foi dormir.

- OLHA ESSE TANQUINHO! – Sasha gritou para a acordar quando chegou.

- Meu Deus… - Acordou quase num pulo. – Já é de manhã?

- De manhã? – Atirou-lhe uma lata de coca-cola. – São oito da noite, mas você estava a dormir tão bem que resolvemos não te acordar. Quer dizer… na verdade o sol ainda estava forte e nós temos planos para agora.

- O que você anda a aprontar? – Perguntou abrindo a lata.

- Piscina!

- Você fez uma piscina? – Perguntou ainda sonolenta.

- O quê? – Começou a rir. – Não, nós vamos para a piscina, depois do jantar. Vamos deixar que as pessoas vão dormir e aí boom!

- Uma bomba?

- Prefiro acreditar que essa lerdeza é um sintoma do sono.

- Realmente é. – Respondeu passando a lata pelo rosto. – Não trouxe de roupa de banho de qualquer modo.

- Que não seja por isso! Posso te emprestar.

- Não é boa ideia usar algo seu… o problema não é ser seu, é que eu sou diferente. É melhor pedir ao meninos.

- Certo, vou pedir algo ao Kalisto. – Respondeu ainda um pouco confusa.

Pouco tempo depois Sasha retornou com os calções de banho do Kalisto, no caso uns azuis com várias caras de macaco.

- Era o único que ele tinha. – Deu uma risadinha. – Acho que vai combinar. – Zombou.

- Pelo menos não poderão dizer que eu não sou uma gracinha.

Os outros já estavam à espera delas na piscina, então quando se juntaram a eles já foram se atirando, fazendo a água se espalhar para todo o lado.

- A sua bunda ficou muito bonita nesses calções. – Kalisto disse ao olhar para Kalie.

- Sério? Então você devia me ver sem eles.

- Você consegue tirar a sua bunda?

Aí todos caíram na risada.

Depois disso relaxaram na piscina enquanto bebiam e se chapinavam uns aos outros, sem levar em consideração que podiam atrair pessoas. Não necessariamente atraíram, mas acabaram por se encontrar com Alexa e Nia que também tinham intenções de ir para as piscinas.

- Olha ela! – Sasha anunciou assim que viu Alexa.

Kalie estava no meio da piscina, pois estava a fugir deles que queriam jogar água nela. Alexa e Nia entraram e ela ficou totalmente sem reação, se fosse para a beira dos amigos iria ser atacada e seria muito estranho ir para o delas. Então ficou quieta.

- O quê que vocês estão apontando? – Nia perguntou.

- E o que é que vocês estão a aprontar? – Kalisto devolveu a pergunta.

- Estávamos com insónia e ouvimos vocês cá embaixo. – Alexa respondeu antes que eles entrassem em alguma brincadeira. – Vocês?

- Estamos a treinar. – Sasha respondeu começando a bater as pernas com muita força a ponto de jogar água em Kalie outra vez. A albina não teve outra opção se não mergulhar.

- Gente pelo amor de Deus, eu sem óculos não vejo quase nada. – Disse ao voltar à superfície com os óculos na mão. – Não dá para optar por outra coisa menos agressiva? – Estava tudo muito denso, então teve de esticar os braços para tatear as coisas à sua volta.

Sentiu alguém a guia-la até a uma das bordas, tendo em conta que a única loira ali era Alexa sabia que era ela a ajuda-la.

- Não sabia que era assim tão avançado, quer que eu vá com você até lá em cima? – Sasha perguntou preocupada.

- Não, não. – Kalie respondeu pousando os óculos na borda.

- Você precisa de ajuda, deixa que eu vou com você.

Não protestou, um deles teria de ir com ela de qualquer jeito. Alexa ajudou-a a sair da piscina e colocou uma toalha nas suas costas.

- Você está uma gracinha. – Alexa brincou quando chegaram à zona interior do hotel.

- Estes calções favorecem-me, não? – Entrou na brincadeira.

- Com certeza. – Sorriu. – Vamos começar a subir, cuidado.

Quando entraram no quarto de Kalie, Alexa sentou-a na cama e limpou-lhe os óculos. Quando os colocou na cara da albina foi como uma cena de filme quando os seus olhos se focaram no rosto de Alexa.

- Obrigada, não precisava. – Sorriu de um jeito completamente bobo.

- Não precisa de me agradecer. – Sentou-se em cima da cama. – O aconteceu com as suas lentes?

- Secaram, mas de qualquer modo amanhã já volto para casa. – Encolheu os ombros.

- Já? – Expressou de imediato uma reação sem pensar. – Achei que fosse participar mais.

- Talvez volte, mas não gosto de estar longe por muito tempo, não é confortável.

- Sim, entendo. – Aquilo deixava-a desiludida, mas realmente entendia. – Sendo assim, poderia me adicionar no WhatsApp?

- Ah sim, claro.

- Espero que não seja repentino ou estranho.

- De modo algum, gosto de fazer novos amigos.

Amigos. Ainda era estranho aos ouvidos das duas.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...