1. Spirit Fanfics >
  2. Life and choices >
  3. Prólogo

História Life and choices - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Não e plágio!

Porfavor LEIAM

Fui banida, sim! Qual o motivo, acabei de descobrir que uma amiga, me denunciou, para provar que à forma de denúncias do App é falho, ela não esperava que eu teria minha conta banida, ela está muito arrependida, ela denunciou a história "Uma mudança na vida de Castiel", segundo o Spirit infligir as regras, segundo ele mostrei pedofilia e preconceito de forma positiva, sendo que eu sempre coloco de forma negativa, então de fato o sistema de denúncias do Spirit e falho, nos comentários das pessoas na página de download, elas colocar sua indignação sobre o App

Sim vou postar tudo de novo, numa nova conta, eu perdi favoritos! E Leitores!

Capítulo 1 - Prólogo


Fanfic / Fanfiction Life and choices - Capítulo 1 - Prólogo

Vida, você já parou pra pensar nela, já parou para pensar como ela não será pra sempre, já parou para pensar como ela é curta, nós não somos eternos, ate o sol está com seus anos contados, da 5 bilhões de anos ele irá morrer, mas vai levar com ele todos os seres vivos. A vida é que nem uma linha, ela tem seu fim, pra uns e uma corda em seu pescoço, só um passo e acabou ninguém pôde impedir de tirar sua vida, uns é a idade, viver por muito tempo e deixa o mundo, pra outro a vida acaba no nascimento, outro perdem o direito de viver, para mim, a vida é uma porcentagem, vive com uma doença é assim.

Meu nome é Castiel tenho 17 anos, eu falei de vida, mas ela tem vários sentidos, a minha vida me fez ser sofrer e ser feliz ao mesmo tempo. Pai, e estranho me referir a ele assim, já que ele sempre foi um vagabundo, não trabalhava, coitada da minha mãe, trabalhava 12 horas por dia, chegava em casa tinha que limpa lá, só conseguia tomar café e jantar, meu "pai" não fazia o almoço, então ficava com fome, ele sempre foi violento batia muito na minha mãe e eu entrava na frente, uma criança de 4 anos enfrentando o próprio pai, não era só com minha mãe, quando eu chegava da escola ele me batia até eu não aguentar, aí eu era trancado no porão, com 6 anos eu tive a pior experiência da minha vida, o meu pai, o homem que deveria me proteger, cuidar e criar, abusou de mim, eu aguentei tudo durante um ano e meio, um ano e meio apanhando e sendo abusado, até que chegar num limite, contei pra minha mãe, ela pediu desculpas, eu não entendo do porque ela pediu desculpas, ela não tinha feito nada de errado, naquele mesmo dia fomos embora de casa, minha mãe pegou as poucas roupas que tínhamos e o dinheiro que ela guardava, ela queria ir embora, fomos pra outra ilha de ônibus, 12 horas de viagem, parecia que ela já tinha tudo pronto, ficamos num apartamento muito pequeno, eu comecei a ajudá-la em tudo, limpar a casa pra ela.

Alguns meses depois ela conhece um homem, ele se chama Leigh,dono de uma loja de roupas tem um filho chamado Lysandre,logo viramos grandes amigos, com 8 anos minha mãe se casou ,tudo parecia perfeito até que meu "pai" apareceu,eu e minha mãe estávamos sozinhos em casa, ele a matou na minha frente, quando ele tentou me matar a polícia chegou, nunca chorei tanto na minha vida, minha guarda ficou pro meu padrasto que eu chamo de pai, ele era o pai dos meus sonhos, ele me protegeu, cuidou e criou

Quando eu tinha 15anos comecei a namorar, seu nome era Debrah e tinha um melhor amigo que sou obrigado a ver sua cara, e o presidente do grêmio Nathaniel, sabe aquele ditado" quem avisar amigo é?, Então todos me avisaram que ela me trair com vários mas eu não acreditei, pra mim ela era um anjo, mas o mundo deu um tapa na minha cara, eles se pegaram na saída, hoje Nathaniel faz de Santo

Durante alguns meses eu comecei a reparar em alguma coisa, sempre estava com uma dor de cabeça muito forte, tinha perdido muito  peso, vomitava com frequência, além  de cansaço e febre, eu pesei que era uma virose, até que decidi ir ao médico, depois de alguns exames e um dia internado, o resultado veio como um balde de água fria, só aquela palavra, aquele resultado, entrei em desespero e tive uma crise, estou com Câncer 'linfoma não Hodgkin'

...

Acordei as 5h, E já digo deveria ser crime acordar cedo, vou me arrastando até o banheiro, tiro meu pijama e vou tomar banho, é coisa relaxante do meu dia, E tão ruim quando acabar, me seco, E enrolo a toalha na minha cintura e escovo os dentes saio do banheiro e vou me vestir, após tomo meus remédios e vou pra cozinha, onde a mesa de café está pronto

-Bom Dia Castiel - meu pai me comprimento com um sorriso

-Bom Dia pai, Bom dia Lysandre- comprimento os dois

-Bom Dia meu irmão - diz Lysandre

Comecei a tomar meu café da manhã, como sinto falta das minhas antigas refeições, comer o que eu não gosto e horrível, olho pro meu pai e pro Lys, os dois estão conversando, logo termino meu café volto pro quarto escovo os dentes de novo, arrumo minha mochila coloco os remédios e denso.

-Vamos? - perguntou pro Lys

-Sim, tchau pai até mais tarde - ele diz pegando a chave do carro

-Tchau- digo, Fomos pro carro,Lys vai dirigir - vc lembra o caminho? - brinco já que a memória do outro e péssima, mas tem motivo

-e Claro - ele deu a partida tempo vai passando e não chegamos na escola, e sim num bar

-aqui não é a escola-digo tentando não rir

-mais é claro que. ... - ele começou a reparar no lugar

-você precisa tratar este problema de memória -

- não tenho problema de memória - ele se defende

- você tem, sabe muito bem, e foi por conta daquele acidente-digo, quando estávamos trocando de lugar indo agora pra escola, não demorou muito, deixo o carro no estacionamento pego minha mochila e vou pro dentro

-as pessoas esquecem-se das coisas - ele passou o braço pelo meu pescoço

-menos você, quando eu esqueço algo sempre lembro já você apaga da tu cabeça, e outra Você tá esquece tudo, esquece ate de coisa simples do seu dia a dia -

Depois de colocar a coisa no armário, fomos direto pra cala de aula, que por conta da falta de professor estava uma bagunça, adolescência e uma fase tão linda, nem parece que estão no ultimo ano da escola, e sim lá no primário, vou ate o meu lugar, e que infelizmente fica do lado do Nathaniel, como ele além de ser o presidente do grêmio, ele e o representante de turma, e como eu sou doente acharam melhor que eu ficasse junto com ele, logo o professor chegou e todos foram pro seus lugares, ele começa a fazer a chamada.

- Castiel! - olho pra pessoa que esta me chamando - lembra se de ir na enfermaria pra dar detalhes de como você esta - ele acha que e minha mãe

- eu sei Nathaniel, não sou criança- digo

Volto apresenta a atenção no professor de matemática que já tinha começado sua aula, depois de um tempo ele para por conta umas batidas na porta, o professor se levanta e foi abri-la, como alunos novos não são do meu interesse, continuo a copiar a matéria

- Pessoal temos um aluno novo, espero que todos o respeitão e que você respeite todos -

-meu nome é Dakota, mais pode me chamar de Dake, eu vi da Austrália e sou sobrinho do Boris -

-pode se sentar - percebo que se sentou atrás de mim

- Olá eu sou Dake qual é o. .. -

-Você acabou de se apresentar, eu sei o seu nome -

- Calma eu só estava sendo simpático, posso saber seu nome ainda?- ele pergunta

- Castiel - respondo

- tá maior calor e você de toca - ele tentar tirar mas eu dou um tapa na mão dele - Você tá louco, não te fiz nada -

- não fez, mais logo logo eu vou fazer -

- tá, falou otário -Respiro fundo, não vai arrumar briga, deixa ele falar à-vontade

(...)

A aula acabou e comecei a me sentir um pouco mal, vou ate a quadra e encontro o garoto novo treinado sozinho, quando ele finalmente percebeu minha presença ele veio ate mim, ai reparo nele, seu olhos são verdes, ele loiro dos cabelos longos e pele bronzeada, estava de a regata e vi suas tatuagens e usa um colar com um pingente de praças, além de esta suado

- hey vê jogar comigo - ele diz

-não - digo mesmo querendo muito

-já entendi - o olho confuso

-entendo o que? - pergunto

-você não se garante, sabe que vai perder ou não sabe jogar - ele diz deboche

-você tá me desafiando? - perguntou mesmo sabendo a resposta

-sim-disse com naturalidade

Começamos a jogar, e vou admitir duas coisas pra vocês, a primeira e que estou gostado de jogar com ele, e a segunda, o cara e bom, o jogo estava literalmente disputado, ate que as dores que eu estava sentido se tornaram mais fortes,falta de ar e comecei a sentir tonturas, foi ai que eu comecei a perder.

- vamos, olha que eu tô ganhado - ele falou com deboche

- me ajudar aqui, não tô me sentindo bem - peço ajuda

- você acha que caio nesta - ele faz outra seta

As dores ficaram mais tenças, doía tão que eu soltava gemidos, e ele continuava a jogar, minha visa começou a ficar turva, não aguento e desmaio no chão mas escutei meu irmão gritar meu nome

LYSANDRE ON

Faz tempo que estou procurando o Castiel tínhamos combinado que era pra estar no porão no final das aulas, bom na enfermaria ele não esta, mais tinha passado por lá, mas era só para dar informações e tinha sido depois do almoço, vou na biblioteca, no jardim, no refeitório, no porão de novo, ate no grêmio eu fui, mas nada ai vou pra quadra e vejo ele "jogando" por que logo seu corpo caio no chão

- CASTIEEEEEEL - Corro até ele tentei acorda ló mas não adiantou - Castiel acorda, calma vou chamar uma ambulância - falo como se ele pudesse me ouvir -

- calma você, isto foi só um mal estar - ele diz

- "foi só um mal estar", quem dera fosse só isto, seria ótimo, ele tem câncer, quando isto acontece temos que nos preocupar, e leva-lo pro hospital, você não percebeu nada - digo e o garoto muda sua expressão de deboche para a apavorado - droga não estou com meu celular - tento procurar a chave do carro mas não acho, estava com o Castiel

- não precisa, eu tenho carro, e a chave esta na minha bolsa que esta ali- ele correu ata a ela e veio ate mim - vamos!-

Ele me ajuda a pegar o Castiel, e fomos ate a garagem, colocamos meu irmão no banco de trás, falei o hospital que o outro e atendido, quando chegamos ele já foi levado, vou ate um dos telefones para avisar o meu pai, depois de um tempo o médico disse que ele está estável mas teram que ficar uns dias no hospital, O garoto parecia bem preocupado, quando meu pai chegou ele foi conversar com o médico do Cassy, E voltou com uma cara

- Oi- o garoto veio até mim - ele vai ficar bem não? Desculpa eu não sabia que ele estava doente- ele diz

- tudo bem, ninguém gosta de comentar sobre o assunto, não precisa se desculpar, E ele vai ficar bem - digo

- que bom- ele diz

Depois de um tempo o garoto que eu lembrei do nome dele, Dake não foi o nome é sim o apelido, foi embora, ainda ficamos um tempo aqui, mas quando o horário de vista acabou fomos embora 

Continua


Notas Finais


Na antiga conta eu tinha feito uma votação, se o casal principal seria Nathaniel×Castiel ou Dake×Castiel, é o NathyCast ganhou, porém o Castiel vai ter um relacionamento com o Dake, a capa da História foi editada por mim, porém as imagens foram tiradas do Google e do Pinterest


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...