História Life is life. It's that. (Jikook) - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias (G)I-DLE, Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jeongguk (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais, Shuhua, Yuqi
Tags Jikook, Jikook!flex, Jimin, Jimin!bottom, Jimin!top, Jungkook, Jungkook!top, Jungkookbottom!, Namjin, Yoonseok
Visualizações 51
Palavras 1.291
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi, gente
Eu sou louca, eu tenho que parar de criar fanfics em época de prova ._.
Mas já que eu tô postando, espero que vocês gostem
E antes que perguntem, não, eu não canso de fazer fics de Jikook
Vou investir bastante nela, então a opinião de vocês é muito importante

Espero que gostem :3

Capítulo 1 - Okay, isso aqui já começou mal


Fanfic / Fanfiction Life is life. It's that. (Jikook) - Capítulo 1 - Okay, isso aqui já começou mal

Segunda-feira, 01/08, Park's house

07:00 a.m

Park Jimin.

O despertador tocou fazendo eu acordar pulando de leve na cama. Ainda não me acostumei com esse troço barulhento, e menos ainda com o fato de ter que ir pra escola. Mas pelo menos vou terminar o ensino médio esse ano e ir pra faculdade que eu tanto quero, vou cursar Necropsia. Muitas pessoas ficam fazendo piadinhas sem graça contra isso, do tipo: "Vai mexer com gente morta porquê também é um morto", "Oh, Jimin é um fantasma. Ou melhor, um zumbi!". Tenho vontade de matar essas pessoas e fazer uns experimentos perigosos nelas!

Bem, mudando um pouco de assunto, meu dia já começou uma maravilha pra não dizer outra coisa. Minha mãe, muito gentil, jogou -literalmente- algumas roupas em cima de mim pra eu pendurar no varal que havia no quintal. Entretanto eu disse que estava praticamente nu, o que era verdade. No entranto ela disse que eu tenho um corpo bonito e que eu não teria problema de ir assim mesmo. Okay, primeiro: fazia um frio do caramba, segundo: meu corpo é maravilhoso, mas só eu quem posso vê-lo, terceiro: eu nem me levantei direito. Eu ia rebater sua opinião, mas não deu tempo, ela já tinha ido embora. Minha única opção era ir lá e pendurar tudo bem rápido antes que eu seja congelado, e foi o que eu fiz. Dei uma de Flash e fui correndo até o quintal, pendurei tudo -sempre olhando ao meu redor, é claro- e consegui entrar antes que o frio piorasse.

Depois do que eu passei, já serve de lição pra eu pendurar tudo o que tivesse de pendurar, no dia anterior. Como recompensa á mim mesmo, tomei um banho bem morninho e relaxado. Quase dormi durante o banho, bem, eu dormi na banheira. Já deviam ser umas 07:30 e eu ainda estava lá, pensando no quanto a minha vida é uma merda mas pode melhorar. Perdido no meu sono, senti algo bater contra o meu braço de uma tal maneira que eu achei que não teria mais braço. Abri meus olhos e vi o despertador na água, depois olhei pra porta e vi uma mulher enfurecida, cujo minha mãe. Tá, no começo eu não entendi direito mas vi as horas no meu celular e eram 07:45. Eu tava bem atrasado, muito atrasado, atrasado pra caralho.

" Faz idéia do horário, garoto?! " perguntou, enfurecida.

" Bom, eu acabei de ver no celular, então eu faço isso. " respondi com a chance de 'perder' o outro braço. Eu realmente não era aquele tipo de garoto boazinho com a minha familia, eu era atrevido, respondia mesmo. Porque tem aquele tal ditado, né? 'Não diga o que não quer ouvir'.

" 'Tá esperando o que pra tirar a bunda daí e ir se arrumar? "

" 'Tô esperando o ônibus vir me buscar, sabe? " falei. Cinco segundos depois eu me arrependi bastante, então resolvi ir me arrumar antes que eu leve uma vassourada ou coisa pior. Nem me sequei direito e taquei o dane-se pra isso, só coloquei uma roupa bem quente e fui correndo pro ponto. Eram 08:00 e a aula provavelmente já começou. Mas tudo bem, eu entro na segunda aula.

Segunda-feira, 01/08, Strong Team High School

08:15 a.m

Finalmente havia chegado. Tive que ir à pé mesmo, o ônibus não pararia mais naquele ponto e não tinha outro por perto. Ou seja, não tenho mais despertador, vou ter que usar o celular, e não tem mais ponto, vou ter que ir à pé. Olha minha vida que legal, estou muito feliz. Só que não, dez mil vezes não.

Entrei na classe com uma leve cara de morto-vivo. Todos costumam dar bom dia uns aos outros, mas eu não ia com a cara de ninguém naquela sala então eu passava reto de todo mundo, tirando hoje que eu fiz um esforço pra dizer 'Bom dia' pra professora, por ter chegado atrasado. Passando por todos, pude ouvir alguém gritar 'Bom dia, morto!'. Era legal o modo como eu revidava as pessoas que faziam isso. Eu apenas dizia 'Bom dia' e todo mundo parava, sem jeito e sem graça. Provem fazer isso, é muito legal praticamente ignorar a zoação das pessoas.

Segunda-feira, 01/08, Strong Team High School/pátio

10:15 a.m

Lá estava eu sentado no pátio, comendo alguns biscoitos de água e sal, tomando um bom copo de chá e assistindo alguns caras jogarem futebol. Era legal vê-los sairem suados da quadra, tirarem as camisas e jogar pra algumas meninas iludidas que faziam questão de lavá-las pra eles. Mal sabia elas que metade deles são gays.

Além de comer e assistir a esse show de comédia cujo as meninas se alto iludindo, eu também estava escutando música. Quem me vê acha que eu ouço algo como Babymetal, mas a verdade é que eu ouço TWICE, Oh My Girl e outros grupos de K-Pop com conceito fofo. E uma coisa que me irrita é quando me chamam na hora em que estou ouvindo música, dá uma certa raiva do ser humano que faz isso. Não sou a única pessoa que sente isso, sou?

" Olá. " senti uma mão no meu ombro e logo depois alguém se sentar ao meu lado. Tirei um de meus fones e olhei o serzinho.

" Hm, oi. " respondi dando um breve sorriso. Aish, eu realmente não presto de manhã.

" Eu sou novo aqui, sabe? Estou procurando novos amigos e bem, eu falei com alguns dos nossos colegas de classe e eles são um pouco agressivos, entende? " um pouco? Aquilos que eles fazem passa de todos os limites da agressividade, sem exagerar.

" Saquei." concordei com a cabeça " Você disse que é da minha classe, não é? "

" Sou sim. Vi que você se isolava e vim falar contigo. Acho que você não é um aluno novo, né? Não tem cara de ser. " olha só, temos um vidente aqui.

" Não sou aluno novo, e sim, eu me isolo. "

" Por que? " me olhou no fundo dos olhos, se aproximando mais. Tá né.

" Err... " me afastei, desconfortável." Não gosto de ninguém lá, e você  também não gostará. "

" Ah é? Mas deve ter algum motivo pra você não gostar deles... " revirei os olhos. Acho que esse cara não sabe o que significa odiar todos menos sua mãe e K-Idols. " Por exemplo, eles te zoam por algo? "

" Sim, porquê eu quero cursar necropsia. "

" Você também?! Não acredito! " o cara quer cursar Necropsia também. Pelo menos não sou o único.

" É...eu acho extremamente legal a forma como mexem nos corpos. "

" Eu também! É muito legal, e eu até já fiz uma experiência dessas. Tipo, eu havia visto um monte de matérias sobre o assunto e aprendi a fazer esse tipo de experiência. "

" Você fez isso sozinho? " perguntei, um pouco surpreso.

" Sim, mas eu preparei tudo antes. Sabe, higiene em primeiro lugar. " ele riu, me dando uma leve cotovelada. Revirei os olhos, sorrindo fraco.

" Ah, claro. Sei sim. " o sinal tocou.

" Temos que ir, né? " assenti. " Talvez nós possamos conversar na sala, que tal? "

" Melhor não, se não você vai ficar conhecido como o 'colega do morto' " a verdade é que eu não quero conversar com ninguém mesmo.

" Ah, okay...Então me passa teu número. " eu ia negar mas ele já foi 'sacando' o celular. Dei meu número. " Como eu salvo? "

" Jimin. "

" O que? "

" Jimin. Esse é meu nome. "

" Ah sim. " riu. " O meu é Jungkook. Bem, foi um prazer te conhecer, espero que possamos ser amigos da Necropsia. " eu sorri fraco, assentindo por fora e negando por dentro. Fui andando rápido pro meu lugar e relaxei ao me sentar, estralando todo o corpo. 


Notas Finais


Ficou bom? Devo continuar? Alguma opinião sobre a fic?
Eu realmente quero investir nessa fanfic e espero que o investimento nela valha a pena.
Espero que vocês tenham gostado, é só o começo mas vai ficar muito melhor, prometo ^^

Até o próximo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...