História Life Music - Capítulo 8


Escrita por:

Postado
Categorias NOW UNITED
Tags Beauany, Joaley, Noart, Now United
Visualizações 11
Palavras 5.032
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Ficção Adolescente, Lemon, Musical (Songfic), Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Hey bubbles aqui está mais um capítulo para vocês, me perdoem a demora na atualização não tive muito tempo para escrever, por isso peço desculpas caço não tenham gostado de algo na história, e se isso ocorrer podem me dizer nos comentários.
Agradeço a meus 08 leitores que estão acompanhando a fic.
Boa leitura.

Capítulo 8 - Doubtful Feelings


Fanfic / Fanfiction Life Music - Capítulo 8 - Doubtful Feelings

(POV Sina)

O vento daquela manhã teimava em soprar pela única fresta disponível pela janela, balançando as cortinas, a dor de cabeça que eu sentia me dizia para não abrir meus olhos, foi quando eu me aconcheguei mais as cobertas que estranhei a fato de algo caloroso envolver minha cintura e uma respiração leve tocar minha nuca. Me virei semicerrando os olhos até e que encarei a figura do ser de cabelos castanho dormindo plenamente.

-O QUE VOCÊ ESTÁ FAZENDO?! –Meu grito fez com que Noah acordasse assustado.

-Por que você está gritando? –Sua voz saiu sonolenta enquanto ele coçava os olhos.

-Você...eu... a gente transou? –Minha pergunta fez com seus olhos se sobressaíssem.

-O que, não! –Engoliu em seco. –Você não se lembra do que aconteceu ontem? –Perguntou sentando-se na cama comigo a seu lado.

-Só até o momento em que nós decidimos virar aquela garrafa de vodka. –Sorri pendendo a cabeça para trás.

-Então você não lembra nem da discussão que você gerou? –O sorriso que se formou em seu rosto me deixou envergonhada.

-Eu discuti com alguém? –Questionei com medo da resposta.

-Sim e mais um pouco você quebrava a long neck que você estava bebendo na cabeça dela, ainda bem que a Sofya e eu te seguramos. –A resposta fez com que ambos caíssemos em uma risada gostosa. –Agora relação a isso, nós não transamos. –Fiquei mais aliviada. –Você ficou bêbada e eu te coloquei para dormir, mas você queria que eu ficasse com você até que pegasse no sono. –O fitei com uma das sobrancelhas levantadas.

-Está bem, e eu estou com suas roupas porquê? –Perguntei o que o fez coçar a nuca.

-Então antes de eu levar você para dormir, você havia vomitado na sua roupa. –Escondi meu rosto entre as mãos. –E como você havia emprestado suas chaves para a Heyoon eu tive que pegar algumas minhas. -Meu rosto devia estar todo vermelho. –Então eu te dei um banho e troquei suas roupas. –Ouvir aquilo não soou muito bem.

-Você me deu um banho? –Me levante fazendo com que ele se assustasse.

-Calma Sina. –Levantou as mãos.

-Seu tarado, como você fez isso. –Comecei a estapeá-lo, sem usar força, ele cobria seu rosto. –Você é um pervertido!

-Sina espera, para de me bater. –Ele segurou minhas mãos no momento em que eu me impulsionei para frente, isso fez com que eu caísse por cima dele.

-Eu estou interrompendo algo? –Olhamos em direção a porta encontrando Sofya apoiada sobre o batente.

Sai de cima de Noah ajeitando meu cabelo, eu ainda sentia muita vontade enforcar aquele garoto.

-Acho melhor a gente se arrumar para ir até a casa do Josh. –Noah pegou o celular sobre o criado mudo.

-Eu vou poder usar o banheiro ou você vai querer ir comigo? –Fitei o garoto que apenas abaixou a cabeça.

-Eu perdi alguma coisa? –Perguntou a russa.

-Pergunta isso para ela. –Ele deixou o quarto sem dizer mais nada.

Calcei meus tênis e fui até o banheiro para poder fazer todas minhas necessidades matinais, aproveitei para jogar água o mais frio possível em meu rosto, no intuito de aliviar minha dor de cabeça. Finalizando tudo desci até a cozinha encontrando os dois conversando.

Após nos despedirmos de Pepe seguimos até o carro de Noah, durante o percurso até a casa de Josh permanecemos os três em silêncio, o único som que emanava do carro era o do rádio, que fazia com que minha cabeça doesse mais.

Assim que paramos em um sinal vermelho Noah se estendeu até o porta-luvas, retirando de dentro uma garrafa de água e um frasco de analgésico, estendo-os para mim.

-Obrigado! –Agradei recebendo um sorriso pequeno dele.

Tomei um comprimido o entregando em seguida para Sofya, aproveitei o resto do caminho para descansar um pouco. Acredito termos levado um pouco mais de dez minutos para chegarmos, ver aquela enorme mansão me deixou espantada.

Após Noah estacionar o carro fomos recebidos por um empregado que já parecia estar familiarizado com o garoto, o mais velho nos guiou até a cozinha onde nos encontramos com os outros.

-Finalmente vocês chegaram, agora vamos comer. –A piada de Lamar fez com que todos na mesa começassem a rir.

-Como foi a noite de vocês? –Perguntou o anfitrião enquanto se servia da farta mesa.

-Eu acho que a Sina deveria responder isso. –Sofya fez com que todos na mesa me encarassem, minha reação foi mostrar meu dedo do meio para ela. Noah que estava a meu lado colocou a mão sobre o rosto.

-Nós bebemos, eu principalmente, bebi o suficiente para passar mal. –A última parte fez com que todos caíssem em gargalhada.

-Como dizem no Brasil, “você deu um grande PT”. –Any manifestou-se ganhando olhares confusos de nós. –Isso é quando alguém bebe ao ponto de passar mal.

-Acho que só não foi pior porque o Noah cuidou de mim. –Minha frase fez com que a mesa toda nos olhasse e fizessem sons provocadores.

Esse foi o clima do café da manhã, com algumas provocações e risadas.

Logo após a refeição subi até o quarto que Josh havia me indicado, parecia que quanto mais eu andava maior ficava aquela casa. Chegando ao quarto peguei a toalha e me dirigi ao banheiro, tomando um longo e frio banho, devido ao calor que fazia coloquei uma regata lilás junto a um short jeans.

Enquanto dobrava o moletom que Noah havia me emprestado senti o cheiro cítrico do perfume que o mesmo usava sobre o pano, tenho de admitir que tem um ótimo cheiro.

-Toc toc! –Olhei em direção a Noah parado a porta, fiz sinal para que o mesmo entrasse, fazendo isso Noah sentou-se ao meu lado. –Eu só queria me desculpar. –Seu sorriso pequeno mostrou que ele estava sem graça.

-Eu também, acho que acabei sendo um pouco exagerada. –Foi minha vez de ficar sem graça junto a um sorriso nasalado.

-Não você até que estava certa, eu queria te ajudar, mas acabei invadindo sua privacidade. –Levou o olhar para um canto qualquer do quarto.

-E eu só tenho que te agradecer por ter feito isso. –Toquei seu ombro ganhando sua atenção, intercalei meu olhar entre seus olhos e seus lábios semiaberto sentido minhas bochechas corarem.

Mais que merda eu fiquei vermelha de novo perto dele

-Aqui está. –Lhe entreguei o moletom muito obrigada. –Me levantei deixando o cômodo.

(POV Any)

Me encontrava deitada em uma das espreguiçadeiras, busquei aproveitar ao máximo aquele Sol, Noah estava deitado em uma das boias dentro da piscina grande, Diarra e Sabina me faziam companhia, na sala de jogos do outro lado da piscina Josh, Lamar, Krys e Heyoon estavam na sala de jogos e Sina e Sofya nadavam apostando uma contra a outra.

Me levantei para ir até o bar, estava com vontade de tomar alguma coisa, me aproximei do balcão pedindo a um dos empregados um suco gelado, me sentei em um dos bancos até que minha bebida estivesse pronta.

-BOA GANHAMOS MAIS UMA! –Escutei a voz de Lamar e Josh.

Após pegar meu suco segui até a sala de jogos encontrando os quatro próximos a mesa de sinuca.

-Ei Any quer jogar uma. –Lamar sugeriu.

-Não obrigado. –Suguei um pouco do suco pelo canudo.

-Ela não pode ganhar da gente Lamar. –Comentou Josh se apoiando no taco.

-Pois é eu não posso ganhar de vocês eu só posso humilha-los. –Encarei o loiro.

-Se quiser pode entrar no meu lugar. –Krystian me entregou seu taco.

Lamar organizou as bolar para que se iniciasse o novo jogo, no par ou ímpar Josh ganhou iniciando a partida, após algumas tacadas Josh derruba a primeira bola, deixando sua dupla encarregada das bolas ímpares.

-Heyoon saca essa. –Disse me posicionando. –Dez azul na caçapa do canto. –Não deu outra a bola entrou sem sequer tocar nas beiradas.

Continuamos o jogo com tacada atrás de tacada, bolas sendo encaçapadas e provocações vindo das duas duplas. A dupla dos meninos abriu uma vantagem no começo, porém no decorrer do jogo conseguimos empatar e virar.

-Última bola Beauchamp. –Sorri vitoriosa.

Heyoon posicionou-se sobre a mesa e fitou a bola branca, acertando-a com o taco, a bola preta chocou-se em outra bola indo em direção a caçapa, tocando na beirada antes de entrar. Nos abraçamos para comemorar enquanto provocávamos os garotos.

-Bom jogo. –Josh estendeu recebendo um aperto de mão.

-Por que a gente não joga algo com todo mundo? –A asiática sugeriu.

-Já sei! –Josh entrou em um pequeno cômodo que havia conexão com a sala de jogos.

Voltei para a piscina me sentando na beirada, deixando apenas meus pés dentro da água, comecei a conversar com Sofya e Sina que insistiam para que eu entrasse na água, foi então que senti algo em minha costa que me jogou para dentro da piscina.

-Se for jogar polo terá que entrar na água. –Encarei Josh que possuía um largo sorriso, ele carregava uma bola branca e uma rede. –Lamar me ajudar aqui por favor. –Jogou a rede para que ele pudesse a prender do outro lado. Quando tudo estava pronto começamos a dividir os times.

-O meu time será, Josh, Sofya, Sabina, Diarra e eu. –Noah escolheu seus jogadores. –Assim cada time terá dois meninos e três meninas.

Formamos um círculo em nosso lado da piscina para elaborarmos uma estratégia.

-O Noah e o Josh sabem jogar muito bem, então é uma vantagem para eles! –Comentou Heyoon

-Sim, mas a Sofa é pequena e isso pode acabar atrapalhando ela a saltar dentro da piscina. –Ressaltou Sina.

-É nós temos duas armar secretas. –Disse Krys com um sorriso suspeito no rosto. –A Sina pode seduzir o Noah e a Any faz o mesmo com o Josh.

-Vai tomar no cu Krystian! –Exclamamos em uníssono.

-Só estou dizendo. –Levantou os ombros.

-Gente foco. –Heyoon bateu palma na nossa frente. –Vamos explorar a desvantagem da Sofya e ver como a Diarra e Sabina jogam, se elas não tiveram tanta coordenação é mais uma vantagem para nós.

-EI A GENTE VEIO AQUI PARA JOGAR POLO NÃO PARA FICAR FOFOCANDO DE BAIXO DO SOL, VAMOS LOGO! –Gritou a menor do grupo do outro lado da piscina.

-Vinte pontos e o jogo acaba. –Propôs o canadense.

Após o impar par o jogo começou com o saque da equipe adversária, de todos os jogos que eu praticava nas aulas de educação física vôlei era o qual eu me saia pior, ainda bem Lamar e Sina são os melhores do nosso time. No começo nosso objetivo de jogar a bola em Sofya até que Noah começou a cobrir a posição da garota o que deu uma grande vantagem nos pontos da equipe, em certos momentos do jogo ambos os times criavam um grande rally.

As coisas pareceram vir a enlouquecer quando o time de Josh chegou a seu último ponto, em meio a um saque do meu time Diarra recebeu a bola lançando-a para Josh que levantou para Noah, que cortou a bola que veio em minha direção. Eu estaria mentindo se disse que aquela era uma bola indefensável, mas devido a meus reflexos serem iguais ao de uma porta a bola acertou meu rosto em cheio me fazendo cobri-lo com as duas mãos devido ao incomdo que eu sentia principalmente em meu nariz.

Sai da piscina com ajuda de Lamar e Heyoon que me colocaram sentada em uma das espreguiçadeiras.

-Any me desculpa! –Acenei para Noah e mesmo sem olhar para ele pude perceber que o mesmo estava sem graça.

Toquei meu nariz percebendo que o mesmo estava sangrando, levantei um pouco o rosto para evitar que o sangue pingasse.

-Heyoon ela a Any para dentro para ela poder colocar gelo no nariz. –Josh pediu, me fazendo ser guiada pela coreana.

Heyoon deixou encarregada de limpar meu nariz para retirar o excesso de sangue, enquanto ela pegava uma pequena bolsa azul de gelo, me entregando em seguida, apliquei o gelo sobre o local sentindo um pequeno incômodo.

-Como você está? –A voz canadense soou de repente.

-Não dói apenas incomoda. –Respondi retirando a bolsa do nariz. –Está ruim? –Perguntei os encarando.

-Parece uma bole basquete. –Respondeu o loiro colocando a mão sobre a boca.

-Mentira só inchou um pouco! –Heyoon bateu no braço do amigo que ria sem impedimento.

Coloquei novamente a bolsa sobre o nariz.

-Depois subam para tomar banho, a gente vai sair para almoçar. –Foi seu último comentário antes de deixar o cômodo

Devolvi a bolsa de gelo para subindo para meu quarto, olhei no espelho encarando o leve inchado que se formou na curvatura do meu nariz, peguei uma peça de roupa e me dirigi ao banheiro tomando um banho quente para tirar todo cloro da piscina.

Terminei o longo banho deixando apenas meus cachos úmidos, na sala encontrei alguns deles já prontos, matamos aquele tempo com conversas aleatórias até que todos estivéssemos prontos, nos dividimos nos carros de Josh e Sina, a alemã seguia o carro de Josh, afinal é ele quem sabe o caminho.

Chegamos a um belo restaurante praiano, na entrada havia a placa com o nome do restaurante ele possuía dois acessos, um em escada e outra em rampa, ele possuía grande janelas com cortinas salmão, as paredes possuía um tom claro de azul e o chão uma madeira um pouco mais escura, os lençóis de mesa possuíam a mesma cor das cortinas, havia uma parte que ficava descoberta do lado de fora, estas mesas possuíam guarda-sóis e os postes de iluminação simulavam clavas com tochas havaianas.

Fomos guiados até a mesa pela bela recepcionista, ela nos levou até a mesa onde havia uma pequena placa com o nome do Josh, no momento em que nos sentamos dois garçons colocaram os pratos, os talheres e um cardápio para cada um.

Discutimos entre nós qual preto pedir, por termos gerado um dilema entre pedir peixe ou camarão acabamos pedindo uma fritada de merluza com camarões, pedimos em seguida cada um a sua bebida. Para que eu não me sentisse desconfortável em estar gastando o dinheiro de outra pessoa, convenci que ele me deixasse pagar minha parte.

Aquele momento estava sendo incrível, arrancávamos risadas uns dos outros, Josh e Krystian faziam palhaçadas a todo o momento, aproveitamos também o bom ambiente que o local proporcionava para tirarmos fotos nossas.

 

Esperamos em torno de quarenta minutos até que nosso prato finalmente ficou pronto, é confesso que só de sentir aquele cheiro delicioso minha boca se encheu de água e o resultado foi o esperado, um sabor incrível.

-Como está o nariz? –Noah perguntou trocando de lugar com Diarra.

-Está melhor. –Respondi com um sincero sorriso, percebendo que o mesmo olhou por cima do ombro. –Você gosta dela, não é? –Perguntei em um sussurro quando percebi que ele havia olhado para Sina.

-Eu não gosto dela, a gente nem se conhece direito para isso. –Respondeu alternando o olhar entre nós duas.

-Qual é Noah! –Cruzo os braços.

-Eu estou falando sério, até porque eu sei que ela não gosta de mim. –Abaixou a cabeça para evitar que qualquer um ali escutasse.

-Você só vai saber quando arriscar Noah. –Coloquei a mão sobre seu ombro. –Quando você quer saber se alguém gosta de você o não é garantido, o que vier depois é lucro.

Encerramos a conversa e voltamos a nos enturmar com os outros, pedimos as sobremesas, mas não fomos embora em seguida.

Após pagarmos a conta ficamos andando um pouco pela praia, ficamos próximo a beirada sentindo as ondas batendo em nossos pés, andei entre Sabina e Sofya com nossos braços entrelaçados, a nossa frente estavam Josh e Noah, eles sussurravam o tempo todo como se estivessem tramando algo.

-O que eles tanto sussurram? –Pergunto de modo que apenas as duas a meu lado escutem.

-O Josh te instiga Gabrielly? –Sabina brinca.

-Claro Hidalgo. –Uso minha voz irônica fazendo nós três cairmos na gargalhada, contudo paramos assim que os dois a nossa frente olham por cima de seus ombros nos encarando.

Quando mais uma onde se quebrou chutei um pouco de água na direção dos garotos a nossa frente, minha ideia não poderia ter dado mais errado quando todos começamos a espirrar água uns nos outros, mas com cuidado, afina estávamos com nossos celulares.

Naquele fim de tarde voltamos até os carros para irmos para casa, diferente da ida, a qual fomos mais animados, na volta todos pareciam estar sem energia, os únicos sons que siam do carro eram o do rádio e de alguns de nós que acompanhávamos a música.

Na casa do Beauchamp todos se reuniram na sala, eu fui até a cozinha para pegar algo para beber, e Sabina como um buraco negro me acompanhou, a mexicana pegou um dos bolinhos que haviam sobrado do café da manhã, voltamos para a sala em seguida.

(POV Noah)

Já era 18:30 e ninguém saia da frente do celular ou da televisão, parece o tédio apareceu com força total naquele momento, naquele momento paro para pensar em o que Any havia me dito na hora do almoço, não acredito que Sina venha a sentir algo por mim.

-O que suas múmias tecnológicas. –Josh se levanta da poltrona em que estava. –Vamos fazer alguma coisa antes que eu morra de tédio.

-Então senhor o que sugere senhor diversão? –Brincou Sabina.

-Vão para a mesa redonda do quintal. –Pediu e foi o que fizemos.

Ajeitamos as cadeiras em volta da mesa para que todos tivessem acesso a ela, em pouco minutos vimos Josh voltar, ele trazia consigo um carrinho o qual eu conhecia bem.

-Vamos jogar eu nunca, verdade ou desafio. –Disse enquanto entregava um copo de shot para cada um e duas garrafas de vodca no centro da mesa.

-Sina é um jogo. –Brinco com a alemã que está a duas pessoas de distância.

-Vai a merda Urrea. –Ela me mostra seu dedo do meio.

-O jogo é simples começamos com pergunta de eu nunca, quem já tiver feito bebe e responde a pergunta que lhe foi feita, caso a ou as pessoas não queiram falar a verdade terão de cumprir um desafio escolhido pela pessoa que fez a pergunta. –Termina de explicar sentando-se entre Krystian e Sofya.

Estávamos Josh, Sofya, Sina, Heyoon, Sabina, eu, Lamar, Diarra, Any e Krystian sentado nessa ordem e após o par ímpar americano o jogo foi iniciado com Diarra.

-Eu nunca roubei algo! –Vimos Josh, Sabina e Krystian beberem.

-O meu caso foi um roubo necessitado. –Josh começa e eu acredito já saber qual é a história. –Eu estava em uma festa com um casaco branco lindo até que um babaca derrubou vinho nele, ele era o dono da festa então eu subi até o quarto dele, sem a permissão dele e troquei o meu casaco manchado pelo dele.

-Eu prefiro o desafio. –Sabina e Krystian dizem juntos.

-Sabina você vai ter que entrar na cozinha de uma das outras casas e vai ter que preparar. –Ela coçou o queixo de forma pensativa até que Any sussurrou algo em seu ouvido. –Um brigadeiro? O que é isso? –Todos olharam confusos para Any.

-É um doce brasileiro, você mistura leite condensado, manteiga e chocolate em pó, esquenta no fogo ou micro-ondas e mistura até ele desgrudar do fundo. –Explicou e Sabina parece ter feito uma anotação mental de tudo

-Ok, Krys vai ter de filmar tudo. –Fico supresso com o desafio proposto por Diarra.

Caminhamos todos até a primeira casa da rua, que foi escolhida pelos dois, nos sentamos na calçada, Sofya e Any direcionavam as câmeras de seus celulares na direção da entrada da casa.

Vimos a dupla o muro da casa enquanto caminhavam agachados até a porta de trás, foi quando sumiram de nosso campo de visão, em seguida o celular de Diarra anunciou que a mesma estava recebendo uma chamada de vídeo de Krys. Ele estava gravando Sabina entrando na casa pela porta dos fundos.

“-Faz silêncio Krys. ” –Foi possível escutar a garota pedindo.

Ela girou lentamente a maçaneta, abrindo a porta, o que era estranho afinal a casa aparentava não ter ninguém dentro. A porta dava acesso a sala de jantar e um pouco mais a frente a cozinha, no cômodo Sabina começou a procurar pelos ingredientes enquanto Krystian narrava tudo.

“-Krystian ou você me ajuda ou eu vou colocar esse celular no seu cu. ” –Todos rimos com a ameaça de Sabina.

“-Querida eles pediram para você fazer e eu gravar, mas eu vou fazer para ajudar uma necessitada. ” –Sabina deu dedo para câmera o que gerou mais risadas.

Já havia se passado bastante tempo Sabina estava retirando o doce do micro-ondas e colocando em um recipiente de plástico, quando de repente as luzes do cômodo de cima se acenderam.

-Josh você não falou que a casa estava vazia? –Pergunto encarando meu amigo.

-Era para estar. –Vejo ele estático.

Me levanto junto a aqueles que estão sentados na calçada quando escuto gritos vindos da residência a nossa frente, logo vimos duas silhuetas correndo e pulando o muro e atrás deles o latido de um cachorro. Quando ambos pularam o muro um dos guardas da casa saiu pelo portão fazendo com que todos corrêssemos, a única coisa que vi foi Josh puxando Sofya pelo braço e Sina bem a nossa frente.

Chegamos a casa de Josh e tivemos a chance de provar o doce que era delicioso.

-Ok é minha vez. –Any levantou a mão. –Eu nunca usei maconha. –Desta vez apenas Krystian bebeu.

-Qual é gente foi apenas para experimentar. –Ele virou mais um shot. –Não fumem crianças. –Apontou para Sofya. –Agora como é minha vez, eu nunca fiquei com alguém por interesse. Me surpreendi quando vi que apenas Any e Sofya não beberam. De todos os que beberam apenas Josh não quis dizer a verdade. –Joshzinho você vai até a praça e beijará a primeira garota que vir.

E lá fomos nós de novo, andamos até a praça próxima a casa do canadense, analisamos algumas pessoas que estavam por ali até que vi ele ir em direção a um trio de duas garotas e um garoto, eu torcia para evitar o pior, Josh não levou tempo, já puxou uma das garotas pela cintura e lhe beijou, e logo foi puxado pelo rapaz que mostrava ser mais forte que o loiro, contudo antes que ele pudesse socar meu amigo a garota a qual Josh beijou puxou o garoto e os três saíram andando.

-Desafio cumprido Kristianzinho. –Pronunciou o nome do asiático imitando sua voz.

Mais uma vez na casa do Beauchamp era a vez do anfitrião.

-Eu nunca provoquei alguém para ter algo em troca. –Assim que o mesmo me olhou eu notei que era mentira, ele queria apenas saber se Any viraria ou não o shot, e foi o que aconteceu. –Bom Any pretende nos contar essa história? –A morena negou com a cabeça. –Então seu desafio vai ser ir até a rua e no primeiro carro que aparecer você tem que parar o motorista você terá que beijar o motorista, independente se for homem ou mulher.

Ficamos todos sentado na calça em frente a casa, o fluxo de carro não era grande então demorou um pouco para que o primeiro veículo aparecesse e Any se enfiar no meio da rua, haviam dois homens no carro, a brasileira fez sinal para que o motorista abaixasse o vidro e foi o que ele fez, logo a garota se inclinou pela janela e lhe beijou. O homem no banco do passageiro olhou aquela cena chocado, por fim o carro deu partida deixando uma Any sem reação a nossa frente.

-O que foi? –Sabina perguntou.

-Ele era...GAY. –Todos começamos a rir quando vemos a reação dela.

-Vamos voltar porque agora é minha vez. –Sofya disse com um sorriso ladino no rosto. Sentamos novamente em nossos lugares esperando a deixa da menor. –Eu nunca beijaria ninguém desse grupo. –Todos soltamos um uhh. Desta vez apenas Sina e Any não beberam. Todos falaram quem seriam e obviamente Josh mentiu.

-Eu prefiro um desafio. –Digo me levantando.

-Isso é simples meu amorzinho, Josh qual é o tamanho dessa rua? –Perguntou.

-São seis casas então eu diria que bem grande porquê? –Questionou curioso.

-O Noah vai ter que correr até o início da rua e volta sem roupa. –Todos começam a rir da minha cara. Andamos até o portão da casa de Josh. –Você terá que gravar para provar que foi até o final da rua.

-Você me paga. –Digo enquanto começo a tirar minhas roupas, fico de costas para eles assim que retiro a última peça de roupa.

-Nossa que lindo. –Sabina faz com que eles comecem a rir.

-Gostoso. –Sina entra na brincadeira.

-Eu pegava ein. –Foi a vez de Sofya.

Comecei a correr o mais rápido que pude, infelizmente não pude cobrir meu pênis com a mão afinal isso dificultaria a corrida, cheguei ao final da rua e não parei para recuperar o fôlego corri toda aquela rua de volta, quando estava próximo a casa de Josh voltei a cobrir meu pênis com minha mão.

Peguei minhas roupas no chão e comecei a vesti-las de imediato.

-Sua vez Sina. –Digo quando voltamos para mesa.

-Eu nunca transei com mais de uma pessoa. –Apenas Josh e Lamar beberam. Contando cada um, suas histórias em seguida.

-Vocês são muito sem graça. –Comentou o loiro.

-Ok crianças é minha vez, eu nunca apostei algo idiota. –Josh e eu sabíamos que ela estava se referindo a nós. Porém bebemos juntos Sabina, Krystian e Sina que contaram suas histórias, tanto eu como ele contamos uma história real de outra aposta que fizemos.

-Muito bem, eu nunca entrei em uma briga. –Sabina fez com que Josh, Krystian e até mesmo Sofya bebessem.

-Então a anã já entrou em uma briga? –Krys olhava duvidoso para a menor.

-Sim, mas eu prefiro não contar essa história. –Sorriu sem graça.

-Então seu desafio será cortar seu cabelo. –Sofya ficou boquiaberta com o desafio proposto por Sabina. Josh entrou na residência enquanto preparávamos tudo para que Sofya tivesse seu cabelo cortado, em poucos minutos vimos o canadense voltar com uma tesoura na mão. –Não se preocupe.

-Sabi por favor escolhe outro desafio. –Pediu fazendo um bico manhoso.

-Desculpa Sofy. –Disse ao que Sofya já parecia rendida.

Sabina pegou um punhado de cabelo e o cortou tomando cuidado para que não ficasse desnivelado, ela cortou o cabelo até a altura dos ombros de Sofya que a todo momento dizia que Sabina não tinha coração e que ela deixaria Sabina careca quando ela fosse dormir.

-Bem depois de todo esse drama vamos voltar para o jogo. –Pedi fazendo com que todos voltassem a seus lugares. –Eu nunca fiz algo sem ter consciência dos meus atos. –Apenas Sofya ficou sem beber. Logo cada um contou suas histórias, uma mais engraçada que a outra.

Ficamos mais algumas horas jogando, não para que ficássemos bêbados, apenas curtíamos a companhia uns dos outros e deixamos o jogo quando alguns voltaram para o lado de dentro dizendo estar com sono.

Diferente deles eu não me sentia cansado, então me dirigi até a sala de jogos me sentando naquele confortável sofá, liguei o PS4 e escolhi um jogo de estilo luta. Ainda bem que havia um frigobar ali então eu não precise me levantar para pegar um refrigerante.

-Posso fazer companhia. –Escutei uma voz conhecida soar pelo cômodo. Olhei por cima do meu ombro.

-Claro. –Me ajeitei no sofá para que ela pudesse sentar a meu lado. –Pensei que estaria dormindo.

-Eu subi, mas não consegui dormir então eu desci para beber algo e escutei você aqui. –Respondeu puxando uma das almofadas.

-Toma. –Lhe estendi um dos controles.

-Quer que eu jogue com você? –Perguntou confusa.

-Claro se você souber e conseguir me derrotar. –Provoquei ao que ela pegava o controle.

-Mortal Kombat, prepare-se para perder. –Ajeitou-se no sofá.

Troquei o modo de jogo para que pudéssemos jogar um contra o outro, Sina sabia jogar bem o que gerou um bom desafio entre nós dois. Um provocava o outro quando a partida terminava.

-Empatou em três a três, a próxima eu ganho. –Brinquei fazendo com que ela desse uma risada nasalada.

Escolhemos nossos personagens e quando o primeiro round começou os botões foram apertados de forma frenética, Sina fitava a tela seriamente por estar perdendo, e o resultado foi esse, ganhei o primeiro round. No segundo a mesma coisa, meu personagem acertava a os golpes sobre o de Sina que para não perder puxou meu controle de minhas mãos os deixando fora de meu alcance, com a outra mão ela apertava os botões.

-Isso foi trapaça! –Reclamei ao ver que havia perdido aquele round. –Round final.

No meio da partida tentei fazer a mesma coisa que Sina, entretanto ela havia percebido virou o corpo, me inclinava para atrapalha-la enquanto ela me empurrava com o cotovelo, joguei meu peso sobre seu corpo no momento em que ela levantou seus braços, isto fez com que nós nos dirigíssemos ao chão.

Cai de costas com a de madeixas loira em cima de mim, riamos intensamente, paramos de rir assim que nossas visões se encontraram, fitei aqueles olhos azuis me sentindo perdido neles. Embora não estivéssemos com os rostos colados era possível ver nossas respirações ofegantes se misturarem.

-Gostou do que viu hoje a noite? –Perguntei com um pequeno sorriso nos lábios.

-Do seu corpo magrelo, não. –Respondeu.

-Sério eu juro que escutei você me chamando de gostoso. –Observei quando ela passou a língua por entre seus lábios.

Antes que Sina pudesse dizer qualquer coisa escutamos passos se aproximando, isso fez com que a alemã saísse de cima de mim e voltasse para o sofá.

-Ainda estão acordados? –Encaramos a figura de Josh parado na porta.

-Sim estávamos jogando algumas partidas, mas já estávamos subindo. –Digo fingindo um bocejo.

Deligo o aparelho e subo acompanhado do dois, chegando em meu quarto fico fitando o teto, pensei em o que Sina iria dizer para mim, tal pensamento me leva de volta a aquele imagem, a loira por cima sem segunda intenções, um encarando o outro, eu teria que investir para saber se teria alguma chance com ela e buscaria mil modos de fazer isso.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...