1. Spirit Fanfics >
  2. Life Music (Now United) >
  3. Invitations Made

História Life Music (Now United) - Capítulo 6


Escrita por:


Notas do Autor


Hi bubbles desculpem a demora, eu tirei essa última semana de féria então não pude escrever.
Tive de escrever esse capítulo nesses três últimos dias, pois não queria deixar vocês esperando por mais tempo então por favor desconsiderem erros ortográficos.
Quero agradecer ao 11 leitores, que tenham uma boa leitura.

Capítulo 6 - Invitations Made


(POV Sina)

Como de costume no nosso quarto eu era a primeira a acordar, contudo não cheguei a dormir muito naquela manhã ainda eram cinco da manhã e eu havia colocado a banheira para encher com água quente junto a alguns sais de banho. Comecei a me despir, desliguei a torneira e entrei na banheira, a água vinha até a altura dos meus seios eu mantinha meus olhos fechados para tentar relaxar um pouco, contudo assim como naquela noite meus pensamentos insistiam em se focar na mesma cena, Noah e eu no parque ontem a noite.

Lembrar daqueles olhos verdes me fitando e do toque delicado sobre a minha pele fazia com que eu me sentisse arrepiada por toda extensão do meu corpo.

Mergulhei um pouco para poder clarear as ideias, como aquilo poderia estar acontecendo com alguém que eu conheço a menos de uma semana, embora nós estejamos nos dando muito bem Noah e eu não somos compatíveis, talvez ele só precise ver isso como eu vejo.

Emergi deixando meus pensamentos de lado quando escutei um esmurrar na porta do banheiro.

-SAI LOGO DAI DE DENTRO SINA! –Escutei a voz de Joalin.

Sai da banheira me enrolando em minha toalha e tendo de encarar a cara de Joalin parada na porta, vesti o uniforme junto a uma calça jeans azul clara e meus tênis brancos, amarrei o cabelo em um rabo de cavalo e peguei minhas coisas deixando o quarto indo em direção ao refeitório para tomar o café da manhã.

Por estar cedo o local não se encontrava com uma quantidade numerosa de alunos, peguei uma bandeja me servi em seguida de uma salada de frutas, um misto quente e um café com leite, me sentei em uma das mesas.

Enquanto comia desbloqueei meu celular para verificar se havia alguma notificação importante.

-Nossa você está aqui sozinha. –Escutei a voz conhecida de Sabina soar em tom ambiente. –Posso me sentar? –Pediu por fim.

-Fique à vontade. –Fiz sinal para que ela se sentasse.

-Como está indo o seu projeto? –Perguntou mordendo um pedaço da sua pera.

-Bem, o Yan e eu estamos nos dando bem, e o seu? –Repeti a pergunta.

-Muito bem, você divide o quarto com pessoas incríveis Sina, a Joalin bolou um grande projeto, porém nós prometemos que não contaríamos a ninguém. –Explicou.

-Por falar em colegas de quarto cadê as meninas? –Perguntei tomando um delicado gole do meu café com leite.

-Estão vindo logo ali. –Ela apontou para entrada do refeitório por onde acabaram de passar Diarra e Any.

As duas foram preparar seus cafés da manhã sentando conosco em seguida, começamos a conversar sobre as aulas que teríamos.

-Agora saber que o meu último horário será com o professor Baker. –Any apoiou-se sobre o braço.

-Ele é gato mesmo. –Nós três falamos juntas, o que gerou risadas.

-O que vocês mais gostam nele? –Perguntou a brasileira.

-Os cabelos loiros com a pele amorenada. –Começou Sabina.

-O sorriso que fica destacado na barba bem desenhada que ele tem. –Continuou Diarra.

-Os olhos verdes que simulam um estetoscópio. –Disse ganhando olhares das três, todas com as sobrancelhas arqueadas. Foi então que eu me dei conta do que havia falado. –Castanhos, eu confundi. –Me corrigi de imediato. –Mas fora ele qual outro professor vocês acham bonitos? –Busquei mudar de assunto o mais rápido possível.

-O vice-diretor. –Respondeu Any.

Faltava pouco tempo para o sinal tocar, como de costume fui até uma das maquinas para pegar minhas barrinhas de cereal, em seguida nos dirigimos cada uma a seus respectivos armários nos despedindo assim que seguíamos para nossas salas de aula. Assim que entrei na sala percebi que não havia ninguém então me sentei em uma das cadeiras ao fundo próximo da janela, fiquei desenhando em meu caderno apenas para matar aquele tempo.

-Finalmente você apareceu, estava fugindo da Joalin e de mim? –Perguntou Sofya sentando-se a minha frente.

-Desculpe eu estava com fome. –Responde me deitando sobre a mesa.

-Sabe ou você está muito tensa ou entediada e eu tenho a solução para qualquer uma das duas. –Comentou fazendo com que ele levantasse minha cabeça. –Um amigo meu vai dar uma festa hoje a noite e disse que eu poderia convidar quem eu quisesse, então nós vamos.

-Não sei Sofa esse final de semana eu não estou com clima para festas. –Disse me ajeitando na cadeira. –Fora isso ainda tem o trabalho para fazer.

-Vamos por favor. –Ele juntou as mãos suplicando. –Eu vou convidar a Joalin também.

-Não sei Sofa.

-Oi gente como estão? –Meu corpo tencionou ao escutar a voz de Noah e ver o de madeixas castanhas sentando-se ao meu lado, eu não sabia que ele teria a mesma aula que eu. –Estou atrapalhando a conversa de vocês? –Pensei em responder que sim para ver se ele se afastava, porém Sofya me cortou antes que qualquer som saísse da minha boca.

-Nós estamos bem, eu estava tentando convencer a Sina de ir a uma festa, me ajuda. –Ela fez uma cara de criança chorona.

-Se eu puder ir. –Seu comentário fez a menor esboçar um sorriso de orelha a orelha enquanto ela acenava freneticamente. –Vamos Sina. –Mesmo sem olhar para ele eu sabia que ele estava me encarando.

-Você não vai tentar fazer isso. –Me virei franzindo o cenho.

-É fim de semana vamos nos divertir baby. –Ele ergueu os braços me fazendo soltar um pequeno sorriso.

-Embora eu queira ir eu tenho obrigações a fazer. –Disse, contudo antes que pudesse prosseguir fui interrompida pelo mesmo.

-Então você vai, não precisa se preocupar você vai ter tempo de fazer tudo o que quer. –Ele tocou meu ombro mostrando aquele sorriso largo que somente Noah Urrea possuía.

-Está bem. –Me dei por vencida antes que os dois continuassem a me perturbar durante a aula toda. –Vamos convidar os outros também. –Sugeri pegando meu celular.

Mensagem On

[Grupo: Quebradores de regras]

Festa hoje, mais detalhes com a Sofya

Mensagem Off

Guardei meu celular assim que o professor White apareceu na sala dando início a aula.

(POV Sofya)

Embora Sina tivesse aceitado sair eu venho notando que ela está agindo estranho desde ontem a noite, está distante toda vez que perguntamos algo para ela, olhava de relance por cima do ombro e pude perceber que embora ela estivesse fazendo as anotações da aula sua mente parecia estar em outro lugar.

-Você entendeu o que ele quis dizer? –Perguntei em um sussurro me virando um pouco para trás.

-Não muito. –Respondeu utilizando o mesmo tom de voz que eu.

-Pergunta para o Noah. –Pedi apontando com o queixo para o garoto ao seu lado.

-Espera um pouco, deixa apenas eu terminar de fazer essa anotação. –Pediu.

-Senhorita Plotnikova e senhorita Deinert, caso a aula esteja chata podem compartilhar a conversa de vocês com o resto da turma, ou se quiserem podem ir conversar na direção! –Exclamou o professor White.

-Desculpe professor. –Pedimos em uníssono.

-Muito bem, eu gostaria que vocês formassem duplas. –Ele foi até sua mesa onde retirou uma pilha de folhas. –Eu irei passar um documentário e com base nele eu gostaria que vocês respondessem esse questionário.

Senti cutucarem meu ombro, olhei para trás encarando a alemã.

-Vamos fazer juntas. –Pediu e eu assenti.

O professor passou em cada uma das mesas entregando um par de questionários para cada uma das duplas, logo em seguida ele ligou o projetor para transmitir o documentário. Nós decidimos que Sina leria cada uma das questões do questionário enquanto eu assistia ao documentário, no final ela me emprestaria seu questionário para que eu pudesse copiar as respostas.

-Ei. –Escutamos nos chamar em um sussurro. –Vocês têm a resposta da nove? –Perguntou Urrea buscando não chamar a atenção do professor. Virei minha folha para que ele pudesse dar uma rápida olhada.

-Perdeu alguma coisa senhor Urrea? –A voz do professor tomou contar do ambiente.

-Não professor. –Respondeu o garoto voltando a se virar para frente.

-Senhoritas Plotnikova e Deinert essa já e segunda vez que chamo a atenção de vocês, ou vocês prestam atenção na aula ou irão direto para a diretoria. –Assentimos para o mais velho.

Alguns minutos antes de o sinal tocar o professor se levantou recolhendo os questionários, logo liberando os alunos, fui acompanhada de Sina até o meu armário onde troquei meu material, em seguida me despedi da alemã indo até minha próxima sala.

Por estarmos na aula de moda Joalin pediu algumas dicas para o professor Fournier dicas para o nosso trabalho.

Mais tarde o terceiro sinal tocou indicando o intervalo, hoje eu decidi que me sentaria com Joalin, para aproveitar e lhe contar sobre a festas. Seguimos as duas até a fila do refeitório nos servindo do que havia hoje, não levamos muito tempo procurando os outros e logo nos sentamos.

-Olha só quem lembrou que tem outros amigos. –Comentou Bailey assim que eu me sentei.

-Deixa de ser chato Bailey. –Joalin deu um leve tapa no ombro do amigo.

-Então conseguiu ir para a sala da diretora? –Perguntou Lamar me fazendo lhe dar um dedo do meio.

-O que aconteceu? –Perguntou Hina.

-Eu estava conversando com a Sina e o professor disse que nós estávamos atrapalhando a aula. –Respondi.

-Duas vezes. –Acrescentou o filipino.

-Enfim deixa eu perguntar, um amigo meu vai dar uma festa hoje a noite, vocês estão afins de ir? –Perguntei. –Eu já falei com a Sina e o Noah.

-Aff sério que você convidou o Noah. –Reclamou Bailey tomando um pouco do seu refrigerante.

-Que enjoado você é. –Comentou Joalin revirando os olhos.

-Não sei porquê toda essa implicância com o Noah, vocês até estavam cantando juntos ontem. –Lamar ganhou um olhar assassino do amigo.

-É por que ele com certeza vai querer convidar o Noah. –Respondeu o moreno.

-Se você conhecesse o Josh melhor iria saber que ele não é isso que você pensa, até a Joalin conversa com ele. –Meu último comentário fez com que a de madeixas se engasgasse e me lançasse um olhar de quem dizia cale a boca.

-Nós fazemos aula de dança juntos. –Comentou a finlandesa.

-Então vocês vão ou não? –Perguntei batendo ambas as mãos na mesa.

-Por mim tudo bem. –Respondeu Joalin.

-Por nós também. –Shivani e Hina disseram em uníssono.

-Eu vou. –Lamar respondeu.

Nesse momento todos os olhares da mesa foram dirigidos a Bailey.

-Como todos vão e eu não quero parecer um desmancha prazeres eu vou. –Respondeu me fazendo sorrir terna em sua direção.

(POV Josh)

Já estávamos no último horário eu estava sentando ao lado de Sina e atrás de Diarra, enquanto o professor Baker dava sua aula eu percebia o qual boba as garotas ficavam, elas não chegavam nem a piscar. Olhando por cima de Diarra eu pude ver Any a morena estava apoiada sobre ambas as mãos enquanto assistia a aula.

-O que esse professor tem de tão especial? –Perguntei em um sussurro para a loira ao meu lado.

-Ele é simplesmente lindo. –Respondeu Sina.

Mensagem On

[Grupo: Quebradores de Regras]

Sofa a que horas é essa festa?

{Filha}

Começa às 21:00

{Diva}

Que horas vocês acham bom de a gente se encontrar

{Brother}

Acho melhor não atrasarmos muito para não perder a festa

Que tal 21:20?

Por mim tudo bem

Mensagem Off

-Senhor Beauchamp o conteúdo do celular estar mais legal que minha aula? –Perguntou o professor.

-Eu não sei, deixa eu ver mais um pouco. –Respondi arrancando risadas baixas de alguns alunos, colocando o aparelho de volta no bolso.

Voltei a prestar atenção na aula até eu finalmente o soar do último sinal tomou conta do ambiente, guardei rapidamente meus materiais e me despedi das meninas, andei a passos rápidos até meu quarto. Me dirigi ao banheiro tomando um rápido banho quente, me vesti com uma camiseta em uma estampa quadriculada em azul e branco, minha calça jeans preta e meus tênis.

Sentei na frente do meu computador e comecei a fazer um trabalho que o professor Hart pediu para a próxima semana, coloquei meus head-sets em volta do pescoço deixando o volume da música no máximo, assim eu poderia escutar sem ficar surdo.

Após uma hora e meia senti minha barriga roncar, me surpreendi não por estar com fome, mas por Noah não ter vindo bater na minha porta, me levantei e fui até o quarto a frente do meu, bati três vezes e não recebi resposta, então voltei a bater, porém nada.

Peguei meu celular e disquei o número do mesmo.

-Alô! –Ele atendeu após o terceiro toque.

-Onde você está, estou batendo na sua porta e não tem ninguém. –Disse andando pelo corredor.

-Desculpa mano a Linsey está em casa e meus pais decidiram que seria bom se almoçássemos juntos. –Pediu usando sua voz sem graça.

-De boa mano manda um abraço para ela. –Disse por fim.

-Pode deixar, a gente se vê a noite para festa. –Ele desligou.

Mandei uma mensagem para Heyoon perguntando onde ela estava e ela me disse que havia saído com as meninas para irem ao shopping.

Como não havia ninguém para me fazer companhia decidi que iria comprar algo e comer em meu quarto, entretanto quando cheguei ao salão principal me deparei com Any, ela carregava uma pilha de folhas assim como dois cadernos. Por estar com sua visão prejudicada a mesma não viu que um pedaço do piso estava molhado antes que ela deixasse tudo cair fui rapidamente em sua direção segurando seus ombros.

-Essa foi por pouco. –Disse enquanto pegava algumas das folhas grampeadas.

-Obrigada. –Agradeceu com um sorriso simpático. –Preciso levar isso tudo até a secretaria.

A acompanhei até a secretaria onde Any entregou todas as folhas que havia dito ser sobre as apresentações eu haveria no campus.

-Então Any está com fome? –Perguntei assim que deixamos a secretaria.

-Sim ainda não comi nada. –Ela colocou a mão sobre a barriga.

-Bem as meninas saíram e o Noah foi almoçar com a família, você aceitaria vir comigo? –Sugeri sem segundas intenções.

-Por mim tudo bem. –Any deu de ombros.

-Eu conheço um lugar eu você vai adorar. –Tirei as chaves do bolso enquanto caminhávamos pelo estacionamento até meu carro.

Enquanto dirigia Any ficava sobre o controle do rádio, era incrível ver como ela cantavas as músicas que tocavam e sua voz se encaixava com precisão através de cada uma das notas. Levei Any até um restaurante onde meus pais costumavam me levar bastante quando eu era criança.

-Nossa eu lugar bonito. –Comentou ela assim que entramos no estabelecimento.

-Eu sei, eu costumava vir bastante aqui. –Disse assim que chegamos a recepção.

-Em que poderia ajudar vocês? –Perguntou o atendente.

-Josh Beauchamp mesa para dois. –Respondi.

-Me acompanhe por favor senhor Beauchamp. –Pediu nos guiando até uma mesa próxima a janela. –Gostariam de pedir algo para beber? –Perguntou nos entregando o cardápio.

-Sim duas sodas italianas de morango por favor. –Disse encarando a mesma por cima do cardápio. –Gostaria de fazer o pedido? –Perguntei para ela.

-Sim eu gostaria esse frango basco acompanhado de batatas gratinadas. –Devolveu o cardápio ao garçom.

-Eu gostaria de pedir o cordeiro assado com alcachofras. –Fiz o mesmo devolvendo o cardápio a ele.

Enquanto esperávamos nossos pedidos ficarem prontos Any e eu conversávamos sobre o que poderia vir a ser o nosso projeto, já que não conseguimos discutir sobre ele ontem, no meio do bate papo o garçom chegou nos entregando dois copos de 500ml onde estava as sodas italianas.

-Você sabe que eu amo morangos. –Comentou a brasileira.

-Eu pude perceber quando fomos a cafeteria e você ficou encarando seu bolo de chocolate com morangos. –Respondi fazendo com que suas bochechas corassem levemente.

-O que pretende fazer quando terminar a universidade? –Perguntou dando o primeiro o gole em sua bebida.

-Meus pais querem que eu assuma os negócios da família, mas eu pretendo seguir meus próprios planos, abrir uma escola de dança, viajar pelo mundo, me tornar um empresário bem sucedido e formar uma família futuramente. –Minha resposta pareceu ter deixado ela surpreendida.

-Nossa, eu pretendo trabalha em teatros e quem saber fazer um filme e não apenas dublar. –Disse com um pequeno sorriso entre os lábios.

-Você ainda vai me mostrar esse filme em português para que possa escutar sua voz. –Falei fazendo com que ela ficasse mais vermelha.

Antes que pudéssemos continuar nossa conversa as comidas haviam chegados e como de costume o cheiro estava impecável como quando eu era criança, Any saboreava seu prato como uma criança com seu doce favorito. Comíamos em meio a conversas engraçadas Any aproveitou aquele tempo para me mostrar algumas palavras básicas em português, era engraçado os olhares que recebíamos de algumas outras mesas.

-Gostariam de pedir as sobremesas? –Perguntou o garçom retirando nossos pratos.

-Sim dois cheese cakes de frutas vermelhas. –Respondi. –Tudo bem então se eu fosse me apresentar em português seria mais ou menos assim. Oe meo nome é Josh. –O sotaque em minha voz era bastante presente.

-Está bem melhor que no começo. –Falou em meio a uma risada. –Agora tenta falar. Eu gosto de dançar.

-Eo gosto di dansa.-Ela bateu leves palmas. –Acho que já posso ir para o Brasil.

-Ainda temos que aprender um pouco Beauchamp. –Cruzei os braços fingindo estar indignado.

Logo nossas sobremesas chegaram e não levamos muito para come-la, o garçom voltou até nossa mesa para que eu pudesse pagar a conta, Any ficou boquiaberta ao ver US$ 156,00. Fora a gorjeta de cinquenta dólares que eu daria.

-Não precisava ter pago tudo, nós poderíamos ter dividido a conta. –Proferiu quando deixamos o restaurante.

-Eu te convidei eu pago. –Entramos em meu carro. –Quer fazer algo? –Perguntei e ela deu de ombros. –Já sei então. –Comecei a dirigir.

Não levou muito tempo até chegarmos em Venice Beach.

-A praia o que nós vamos fazer aqui? Nem trouxemos roupas de banho. –Disse me olhando confusa.

-Vamos comprar então. –Deixei o veículo.

Havia uma loja próxima vendendo itens para praia, Any comprou um biquíni, um short jeans azul claro e um top laranja, eu comprei uma bermuda florida verde escura, um boné e óculos escuros, fora os itens como toalha e protetor solar e uma bolsa para deixar tudo dentro.

O movimento na praia era pouco então não haveria problemas deixarmos nossas coisas na areia, fora que deixamos nossos celulares dentro do carro, fomo até os trocadores, eu mantive minha camiseta colocando apenas a bermuda e os óculos escuros, Any vestia ainda sua camisa trocando apenas os shorts.

Estendemos as toalhas e nos deitamos, aproveitar aquele resto de Sol seria bom.

-Eu não sei você mais eu vou entrar na água. –Ela se levantou Any retirou sua camisa e logo após o short, eu fiquei analisando seu corpo, sem deixar evidente que fazia isso.

-Puta que pariu. –Disse assim que ela já estava longe. Observei ela entrar na água e dar o primeiro mergulho. Logo ela se virou e fez sinal para que eu entrasse, retirei a camiseta e os óculos escuros.

A água embora fria não estava insuportável, nadei até onde ela estava a água batendo em nossas cinturas, as ondas quebravam no empurrando enquanto a correnteza nos puxava, meu olhar ficava fixado na garota a minha frente. Devíamos ter ficado por volta de duas horas pois o sol começava a sumir.

-Vem comigo. –Pedi me levantando e colocando o boné e carregando a bolsa. Any vestiu seu short e seu top.

Guiei a mesma até um local rochoso onde havia uma enorme pedra, nela havia espaço suficiente para que nos sentássemos e observássemos o pôr do sol, o céu se mesclando em um azul e um laranja enquanto o Sol descia no horizonte geravam uma cena linda, até que finalmente um azul mais escuro, porém iluminado tomou conta do céu.

-Acho melhor voltarmos. –Disse ela enquanto eu a ajudava descer da pedra, segurava firmemente sua cintura. –Temos que nos arrumar para a festa.

Andamos pela areia deixando a água tocar nossos pés então voltamos para o carro.

-Nossa as meninas vão me matar. –Disse me estendendo o celular onde havia seis chamadas perdidas da Sabina.

(POV Sabina)

Após a aula as garotas e eu combinamos de ir ao shopping para comprarmos algo para vestir na festa de hoje, apenas Any não poder ir pois disse que tinha um compromisso para resolver então passaria dessa vez, quando estávamos deixando o campo acabamos nos esbarrando em Krystian, o chinês ficou revoltado por não termos o convidado para ir junto a nós ao shopping então tivemos que convida-lo. Nós seis nos esprememos no carro de Sina, diversas risadas foram arrancadas do carro durante o percurso até o shopping.

No local começamos a olhar a vitrines enquanto discutíamos qual roupa seria melhor para cada um comprar, devíamos ter entrado em todas as lojas daquele local pois possuíamos muitas sacolas, passamos na praça de alimentação para tomarmos um milk-shake e antes de irmos embora Heyoon ligou para Josh, porém o mesmo não atendeu, logo a asiática ligou para Noah perguntando se o amigo poderia vir nos buscar no shopping para não ter de ficar muita gente no carro de Sina.

Após meia hora vemos o carro do ser de cabelos castanhos se aproximar, Heyoon e eu fomos as únicas que entraram no carro.

-Olá. –Nos cumprimentou. –Como foi o dia de compra? –Perguntou dando partida no carro.

-Cansativa. –Respondeu a asiática por nós duas. –Noah você conseguiu falar com o Josh? –Foi sua vez de perguntar.

-Somente mais cedo, depois eu tentei ligar, mas ele não atendeu. –Respondeu sem tirar a atenção do celular.

Tive a ideia de pegar meu celular e ligar para Any, se ele ainda estivesse no Campus ela poderia me dizer, em minha primeira tentativa não obtive sucesso e a ligação caiu na caixa postal, pensei que a mesma ainda estaria em reunião e não poderia atender. Um pouco antes de chegarmos tentei ligar de novo e como da primeira vez nada.

No campus peguei minhas coisas no porta malas e me despedi de todos seguindo com Diarra até nosso quarto, no caminho liguei mais uma vez e novamente sem respostas da brasileira.

-Gente onde essa garota se meteu? –Perguntei assim que chegamos a nosso quarto.

Após uns dez minutos e mais uma ligação não recebida escutamos alguém bater na porta, pensei ser Any, entretanto era Heyoon.

-Você deixou isso no carro do Noah. –Ela me entregou uma sacola. –Então conseguiram falar com a Any? –Perguntou e nós negamos com a cabeça. –O Noah falou que o Josh também não está no quarto.

-Será que eles saíram juntos? –Deduzi tocando o queixo.

-Provável. –Comentou Diarra.

Tentei ligar mais duas vezes e ambas falharam.

-Quer saber ela deve estar bem, eu vou pedir uma pizza vocês estão afim? –Perguntei recebendo o assentimento das duas.

Fiz o pedido e em quarenta minutos as duas pizzas chegaram, nos sentamos no chão assistindo a televisão enquanto conversávamos, quando o relógio marcou 18:00 Heyoon voltou para seu quarto para poder decidi o que vestiria, eu pedi para que ela voltasse para cá assim que escolhesse as roupas, assim poderíamos nos arrumar juntas.

Enquanto arrumávamos tudo escutamos a porta do quarto ser aberta revelando uma Any do outro lado.

-Garota onde você estava que não atendeu minhas ligações? –Perguntei colocando as mãos na cintura.

-Me desculpem gente. –Ela se jogou em sua cama.

-Quer pizza? –Perguntou a mexicana, porém eu neguei

(POV Any)

Chegando ao Campus me despedi de Josh indo em direção a meu quarto, eu me sentia acabada, ao chegar no quarto fui bem recebida por Sabina.

-Então onde você estava? –Perguntou Diarra.

-O Josh e eu saímos para almoçar. –Respondi me esticando mais na cama.

-O almoço foi a quatro horas atrás. –Disse Sabina batendo com dois dedos no pulso imitando um relógio.

-Sim, acontece que depois do almoço nós fomos a praia, nadamos um pouco e assistimos ao pôr do Sol, não atendi suas ligações porquê havia deixado o celular no carro dele. –Expliquei.

-Nossa você e o Josh. –Sua voz ganhou um tom provocador. –Não rolou nada? –Levantou sua sobrancelha.

-Não Sabina deixa de inventar coisa. –Coloquei o travesseiro sobre meu rosto.

Após uma série de provocações de Sabina e Diarra escutamos baterem em nossa porta revelando Heyoon do outro lado, assim como Sabina ela perguntou aonde eu me enfiei a tarde toda, contudo dessa vez minha adorável Sabina decidiu contar a história fazendo questão de inventar partes as quais eu tive de desmentir.

Fui a primeira a entrar no banheiro, precisava tirar todo aquele sal do corpo, liguei a água em uma temperatura ideal e me despi, logo me enfiei em baixo do chuveiro. Esse dia havia sido incrível em todos os aspectos, a personalidade de Josh estava sendo completamente diferente da que eu havia pensado, o sonho sobre seu futuro era algo incrível e o modo como ele se mostrou diante minha pessoa me deixava levemente corada.

Terminei meu banho dando permissão à Sabina, fui até meu armário vestindo uma cropped preta e um short jeans branco, minhas botas cano curto marrons, me sentei para que Diarra pudesse fazer minha maquiagem, assim que Sabina deixou o banheiro foi a vez de Heyoon, eu comecei a arrumar meu cabelo usando o secador. A maquiagem que minha amiga acabou de fazer ficou simplesmente incrível, nada que fosse espalhafatoso.

Diarra foi a última a usar o banheiro, Sabina ao finalizar sua maquiagem começou a fazer a de Heyoon, ambas estavam lindas nas roupas que escolheram, Sabina usava uma regata vinho com uma jaqueta de preta, uma saia jeans escura e suas botas cano alto, Heyoon estava com uma camisa decotada azul escura, um short branco e seus All Star preto, Diarra saiu do banheiro usando um bore cinza claro que deixava suas costas a mostra, uma calça jeans azul escura e uma bota preta.

O relógio já marcava 21:12 então tivemos que ir até o ponto marcado, no estacionamento encontramos todos os outros já prontos, olhei Josh de cima a baixo e ele estava simplesmente fantástico, ele usava um moletom vermelho que cobria sua camisa branca, suas calças jeans pretas e seus tênis também vermelhos. Seus cabelos eram segurados por uma bandana azul ondem apenas alguns fios rebeldes caiam em sua testa.

-Nós estávamos discutindo como iriamos nos dividir nos carros. –Comentou Krystian.

-Eu vou levar a Sofa se alguém quiser vir. –Comentou Sina, Heyoon levantou a mão em seguida.

-Eu posso levar alguém. –Disse Noah.

-Eu vou então. –Disse Krys parando ao lado do garoto de fios castanhos.

-Eu também. –Diarra se manifestou.

-Então eu levo a Any e a Sabi. –Proferiu Josh finalizando a conversa.

Seguimos até o carro do canadense comigo sentando na frente enquanto Sabina ia atrás, através do espelho do carro eu podia ver o sorriso nos lábios da mexicana, a única coisa que fizemos os três durante todo o percurso foi cantar as músicas que tocavam, éramos guiados pelo carro de Sina afinal Sofya era a única que sabia o caminho.

Chegamos em um bairro de mansões não eram mansões gigantescas, mas eram bem bonitas começamos a ver um aglomerado de carros em uma casa que emanava uma música bastante alta, devido ao número de carro estacionamos um pouco longe da casa, no jardim já era possível ver alguns jovens bebendo e conversando e as luzes que atravessavam as janelas.

-Vamos lá. –Josh passou o braço por cima do meu ombro.

Pode parecer loucura minha, mas essa noite promete muitos acontecimentos.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...