História Life of a teenager - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Adolescente, Drama, Romance
Visualizações 5
Palavras 1.257
Terminada Não
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Sem nada pra dizer. Espero que gostem. ^^

Espero que gostem.

Capítulo 1 - Não perca o horário



Fevereiro de 2015 - Rio de Janeiro
       E cá estamos nós novamente, na escola mais entediante do mundo, com as pessoas mais chatas do mundo; vivendo a pior vida do mundo. É, as coisas não estão nada fáceis pra mim. 
       Acordei às seis em ponto. Tomei um banho de vinte minutos, vesti meu uniforme ( uma calça jeans, e a camisa da escola ) um All Star branco, prendi o cabelo em um coque alto, e saí do quarto, direto pra cozinha tomar o café da manhã.
       Eu adoro ir a pé pra escola, o frio, e o vento gostoso me faziam pensar em milhões de coisas e ao mesmo tempo em nada. Gostava de observar os outros alunos passando por mim, um mais apressado que o outro. Qual é o motivo da pressa ? A escola ( infelizmente ) ainda vai estar lá. 
        Pensei em como eu havia chegado ali, que, a um ano atrás, talvez eu fosse a garota mais feliz do mundo por ter as melhores amigas, e que agora foram embora, me deixando para trás, em um lugar onde ninguém gosta de mim. Eu daria tudo pra ir embora, ir para a mesma escola que elas, ser feliz igual antes. Mas talvez as coisas nunca voltem a se como antes, e vou ser obrigada a passar três anos no mesmo lugar. 
      Conferi o horário no relógio de pulso, e indicava 7:03, acelerei o passo, eu precisava estar naquela hora as 7:05 em ponto. Era o primeiro dia de aula, preciso vê-lo. 
      Ao dobrar a esquina, e diminuindo o passo, lá estava ele, caminhando lentamente de cabeça baixa, com os inseparáveis fones de ouvido. Andando como se o mundo estivesse ao seu favor.  Eu adoro como ele anda, é tão peculiar, e fofinho. Adoro sua voz, mesmo ela nunca sendo falada para mim, adoro suas sobrancelhas grossas, adoro como sua boquinha pequena e rosada se move. Adoro sua pele branca e macia - mesmo eu nunca tendo tocado-a - ele é tão... Perfeito, queria guardar ele só pra mim, queria proteger ele de todo mundo. 
Se ele ao menos me notasse. 
       Saio do meu devaneio ao tropeçar em uma pedra - maldita pedra. Olho para trás, e não vejo ninguém - graças a Deus - olho para a frente de novo, e ele já havia dobrada a rua onde já dava pra escola. Ouvi o sinal tocar, acelerei o passo mais um pouco, e ao dobrar a rua, a multidão de alunos entrando na escola cobriu minha visão. Todos muito animados, felicíssimos por começar mais um ano. 
       Minha escola tem três andares, é estadual, e digamos que é bem conservada, e tem uma educação de qualidade. Muitos dizem que é uma das escolas públicas mais concorridas do Rio, eu não sei bem, mas tanto faz também. 
       Entro e já vejo logo quem eu espero ver nunca mais; Martina, Valentina é Vanessa o trio das A. Fala sério, que garotas ridículas. Passaram a tirar gracinha com a minha cara desde o dia em que a Martina ( líder do bando, pois sempre a loirinha mais bonita é a líder ) jogou "sem querer" suco de caju no meu uniforme. É óbvio que eu fiquei furiosa, minha vontade era de pular no pescoço dela é arrancar aqueles malditos olhos azuis. Mas a única coisa que eu disse foi "Na-não. Tá t-tudo bem. Pode deixar". 
      Inspiro aquele ar de perfume feminino misturado com perfume masculino barato, e sigo até às escadas, subo cada degrau cuidadosamente, afinal, não quero sofrer um acidente. Minha sala fica no terceiro andar. Ao chegar lá, sento na terceira cadeira da primeira fila, e espero com os fones no ouvido até o professor entrar na sala. 
      A sala aos poucos foi se enchendo, e percebi que eu sentia saudade de alguns dali, por exemplo o Douglas, o cara que todo mundo gosta porque é engraçado, e levemente bonitinho. E também da Geovana, a garota tímida que tem medo de falar com as pessoas, mas que na verdade é alguém muito legal. 
        Estávamos tendo aula de matemática ( por sinal, uma das minhas matérias favoritas até descobrir física, a qual tivemos aula no primeiro tempo ) quando a professora Ângela Maria ( professora de Matemática do ano passado ) entrou na sala, exibindo um sorriso e olhando diretamente pra mim... Puta merda. 
       A sala toda gritou ( sim, a professora Ângela é muito querida pelos alunos ) e fez sinal para que os alunos se calassem e começou a falar :
      - Bom dia crianças, estou muito feliz em ver essas carinhas lindas novamente e triste por saber que não vou dá aula pra minha turma preferidas - ouve vaias dos alunos, eu apenas fiquei calada observando - mas não é disso que vim tratar aqui, vim exatamente pra falar com alguém em especial, ela rodou o olhar por toda a turma até parar em mim - Morgana, você pode me acompanhar, por favor ? 
      Senti todos os olhares em mim, e pude ler a mente de todo mundo, se perguntando o que a professora queria comigo, mesmo todos sabendo que ela tinha muita intimidade comigo. Me levantei, e saí da sala, logo atrás dela. Assim que saímos por completo, ela se virou para mim. 
       - Morgana, eu vim falar com você sobre algo muito sério - senti meu coração pulsar cada vez mais rápido, será que ela tinha descobrido que eu não gostava que ela me tratasse com inferioridade, e detestava nossa intimidade ? - bom, você sabe que é uma das melhores alunas da escola, e quem sabe não é a melhor, e você sabe também que esse ano haverá a reeleição do presidente do conselho estudantil do colégio, não é ? - assenti com a cabeça - o fato é que, o diretor da escola pediu para cada professor indicar um aluno, e eu pensei em você.
     Engoli em seco. E tive vontade de gritar "É CLARO QUE NÃO PROFESSORA" .
      - Hã... E-Eu não sei professora. Isso não é pra mim - me justifiquei quase tendo um troço 
      - Morgana, é claro que é. Você já mostrou que tem espírito de liderança quando foi eleita presidente de classe no oitavo ano - meu Deus, ela lembra disso - por favor Morgana, eu não posso pensar em alguém melhor que você para me representar, você tem tudo para ganhar. 
      Eu queria muito dizer que não. Que de forma alguma eu iria aceitar aquela palhaçada. Mas sabe quando você é incapaz de dizer "não" ? Pois é, e principalmente quando é pra algum professor. 
      - Será que eu posso pensar, professora ? É um responsabilidade e tanto, eu não queria tomar essa decisão assim, sabe ?! - falei
      - É claro querida, mas será que poderia me dá a resposta amanhã? As coisas estão bem corridas - ela sorriu carinhosamente 
      - Está bem. 
      - Obrigada. 
 
O sinal tocou. Joguei tudo na mochila o mais rápido que consegui, saí quase correndo da sala, olhei para trás, e vi que o segundo ano também já estava saindo. Puxei minha agenda do bolso, e anotei  : 
    
                     HORÁRIO T.M
         SEG   /   TETQUA  /  QUI    / SEX
        12:00|            |              |             |             
     

Quardei novamente a agenda na mochila, segui para o térreo. Fiquei parada perto do portão, fingindo estar mexendo no celular, e quando ele passou, observei, observei, observei, suspirei, e esperei mais alguns segundos até ter certeza que ela já não estava mais naquela rua. E então fui atrás, e como havia previsto, ele não estava. 
 


Notas Finais


Espero que tenham gostadoooooo.

P.S.: eu sei que esse capítulo não foi muito interessante, mas sempre é assim né. Vamos guardar a melhor parte mais para frente.

Bjsssss


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...