História Life with Derek - Capítulo 3


Escrita por:


Notas do Autor


Olá!

Capítulo 3 - Insuportável


Sexta-feira, 12:30, 7 de Setembro de 2018.

   Quando o sinal do intervalo soou, Kasey soltou um suspiro aliviado, massageando suas têmporas suavemente em uma tentativa de amenizar a dor de cabeça que as aulas de filosofia sempre a causavam. Era incrível como matemática e física, as matérias normalmente consideradas as mais difíceis, eram tão simples para ela, enquanto filosofia parecia algo de outro planeta.

   Kasey soltou um suspiro cansado e levantou da cadeira, arrumando a bolsa no ombro ao mesmo tempo que se dirigia para fora da sala, a caminho do refeitório. 

   Ao atravessar as portas duplas da cantina, uma careta involuntariamente se formou em seu rosto. O ambiente era uma mistura bizarra de cores, cheiros e barulhos que parecia ficar pior a cada dia e fariam qualquer um querer sair correndo, um impulso contra o qual Kasey lutou enquanto andava até um lugar vazio.

   Ela espalmou as mãos na mesa ao se sentar e colocou sua bolsa ao seu lado, tirando de lá seu livro e caderno de matemática, com a intenção de adiantar alguns exercícios enquanto comia seu almoço. Mas, assim que posicionou seu lápis no papel, o barulho de alguém sentando no banco à sua frente acabou chamando a sua atenção. E Kasey não pode evitar arquear as sobrancelhas quando avistou a estranha do seu primeiro dia colocando sua bandeja sobre a mesa para almoçar com ela.

   “E aí, como foi sua primeira semana, novata?”, perguntou antes de dar uma mordida exagerada em seu hambúrguer.

   As sobrancelhas de Kasey se franziram automaticamente. “Tão bom quanto eu poderia ter esperado, acho”.

   “Compreensível. Honestamente, eu também não gosto muito daqui”, Rosalie pausou para dar um longo e barulhento gole em seu refrigerante. “Então, onde você estudava antes?”

   O esboço de um sorriso se formou lentamente nos lábios de Kasey ao se lembrar da velha escola. “Na Schuyler Sœur em Nova York, é uma escola particular só para meninas.”

   Os olhos da menina se arregalaram. “Como você aguentava estudar em uma escola sem garotos?!” Perguntou com incredulidade. Kasey franziu as sobrancelhas e inclinou um pouco a cabeça enquanto pensava sobre o assunto. 

   Era bem fácil, na verdade, estudar em uma escola só para meninas. Principalmente porque, desse jeito, não tinha que aturar todas as gracinhas e brincadeiras infantis que pareciam ser comuns a todos os meninos do ensino médio. Mas, ainda assim, seria mentira falar que não haviam garotos por perto, considerando que a Escola St. Clair para meninos era exatamente ao lado. Porém, Rosalie voltou a falar antes que Kasey conseguisse formular seus pensamentos em uma frase.

   “Especialmente garotos gostosos como ele." Kasey olhou para ela e viu que seus olhos castanhos estavam voltados para algo na direção das portas do refeitório, e brilhavam com um fascínio estranho. “Não é possível, ele deve ter ficado ainda mais lindo durante o verão”, completou com um suspiro.

   Não conseguindo evitar sua curiosidade, Kasey virou para trás, procurando o garoto sobre quem ela estava falando. Não enxergou ninguém a princípio, mas quando seus olhos deslizaram com mais atenção pelo ambiente, eles rapidamente se focaram em Derek, que entrava no refeitório como se estivesse desfilando na Semana da Moda em Milão, enquanto todos pareciam parar para olhá-lo. 

   Seus olhos esverdeados se arregalaram em incredulidade. “Você está falando do Derek?!”

   “Você conhece ele?”, Rosalie ficou animada de repente. “Bom, acho que todos conhecem. Ele é o cara mais legal da escola.”

   “O Derek é considerado legal?! Por quem?!”

   “Todo mundo! Eu estudo com ele desde o primário... Mas acho que ele nem sabe que eu existo.”

   Kasey não pode evitar uma careta ao olhar para seu suposto meio-irmão. “Acredite, você não está perdendo nada.”

   Foi, então, a vez de Rosalie franzir as sobrancelhas, olhando para Kasey com suspeita. “Como, exatamente, você conhece ele?”

   Um suspiro demorado escapou de seus lábios e ela voltou o olhar para a garota. “Eu moro com ele, infelizmente. Minha mãe casou com seu pai nas férias.”

   “Você é a nova meia-irmã do Derek?!” Seus olhos se arregalaram com a surpresa. E, por um momento, Kasey ficou com um medo genuíno de que eles saltassem para fora. “Você é tão sortuda!”

   “Meia-irmã é uma palavra muito forte e eu definitivamente não chamaria de sorte”, falou Kasey, revirando os olhos quando Derek passou pelas duas e deu uma rápida piscada provocativa em sua direção. “Ele é insuportável.”

   “Um insuportável muito gostoso”, comentou a morena, dando risada ao acompanhar o garoto com os olhos até ele sumir de seu ponto de visão. Lentamente, Kasey deixou um sorriso se formar em seus lábios e, em poucos segundos, as duas estavam gargalhando juntas. Sem motivo nenhum além de sua própria bobeira. “A propósito", falou a morena, quando ambas tentavam se controlar e suas barrigas já doíam de tanta risada, “Meu nome é Rosalie, mas pode me chamar de Rosa.”

   Levou alguns segundos até cessar o riso, mas quando conseguiu, Kasey respirou fundo e esboçou um sorriso estranhamente verdadeiro. “Prazer em te conhecer, Rosa. Meu nome é Kasey.”

 


 

Sexta-feira, 17:20, 7 de Setembro de 2018.

   Acima de todos os outros barulhos ecoando pelo campo, o apito do treinador soou, indicando o final do treino.

   Derek respirou fundo e limpou o suor que escorria por sua testa. Girou seu bastão de lacrosse da sorte entre os dedos e sorriu, recebendo um olhar de aprovação do treinador antes de entrar no vestiário. 

   “Bom jogo, Venturi”, falou um dos alunos do último ano.

   Alguns outros elogios voaram até ele enquanto andava até seu armário. Era um cenário comum depois dos treinos desde que Derek entrou no time. No início dos testes, ninguém havia dado muita atenção para o menino magrela do primeiro ano, até ele lançar a primeira bola.

   E a segunda. E a terceira. E mais as outras treze que o fizeram arremessar para que todos se convencessem de que não era apenas sorte de principiante.

   “E aí, Venturi”, Sam se encostou no armário ao lado de Derek. “Vai aparecer no píer mais tarde?”

   O rosto de Derek se contorceu em uma careta. “Não posso”, falou ele, tirando sua mochila do armário e fechando a porta com um estrondo. “Tenho um jantar obrigatório de família para ir.”

   Sam franziu as sobrancelhas em descrença. "Jantar obrigatório de família? Até parece. Você só está tentando evitar a Nadine e isso está ficando cansativo. Nós somos um grupo, Derek. Você vai ter que resolver isso um dia."

   Os pulsos de Derek se fecharam quase imediatamente. Era incrível como Sam conseguia irritá-lo com tanta facilidade. E ele simplesmente tinha que se meter nos assuntos dos outros, chegava a um ponto que Derek já não sabia mais se era porque ele queria ajudar ou era apenas um grande fofoqueiro mesmo.

   "Para sua informação, eu já resolvi as coisas com a Nadine..." mais ou menos "... e tenho mesmo um jantar de família hoje."

   “Espera, desde quando os Venturi tem jantares obrigatórios de família?”

   “Desde que minha nova madrasta passou a morar com a gente”, Derek balançou a cabeça. “É... diferente agora.”

   "Ela é tão ruim assim?" Perguntou o garoto, enquanto os dois saíam do vestiário.

   Derek hesitou. Seu primeiro instinto foi dizer que sim, que Nora era uma megera horrível. Mas isso não seria verdade. Nora sempre o tratou bem e sempre foi muito amigável com Agnes e Connor, e ele estaria sendo completamente injusto e mesquinho ao falar qualquer coisa negativa sobre ela. "Não. Ela é... legal, até."

   Sam olhou para o amigo com surpresa, pensando ter ouvido errado ou procurando qualquer sinal de brincadeira em seu rosto, mas Derek parecia estar falando sério. "Espere, mas não era ela que você estava xingando no começo da semana?"

   Ele franziu a testa, tentando lembrar de si mesmo xingando Nora em algum momento, mas não conseguiu. Só tinha uma Moone que dava motivos para ele xinga-la, e definitivamente não era Nora. "Eu provavelmente estava falando da filha dela. Kasey."

   "Kasey?" Murmurou Sam, parecendo pensativo. "Não é aquela loira que tem aula de biologia com a gente?"

   "Essa mesma", Derek assentiu, tentando se lembrar em que momento o assunto da conversa passou a ser as Moone enquanto seguia o amigo pelo estacionamento até seu carro.

   "Cara, honestamente, eu não sei porque você está reclamando." Sam resmungou enquanto procurava pela chave em sua mochila.

   "Como assim?" Derek franziu as sobrancelhas e se encostou no carro. olhando para o amigo em espera de uma resposta.

   Com uma pequena risada, Sam finalmente achou a chave e abriu o carro. "Quer dizer, você já deu uma olhada nela?" Disse ele, por fim. Se virando para o banco do passageiro apenas para encontrar Derek ainda com um semblante confuso no rosto. "Ah, meu Deus", Sam revirou os olhos. "Era de se esperar que uma pessoa com uma reputação como a sua tivesse um melhor radar para gostosas." 

   "Eu realmente espero que eu tenha ouvido errado e você não esteja insinuando que minha meia-irmã é… atraente." murmurou Derek, praticamente cuspindo a última palavra e revirando os olhos em desgosto.

   Sam deu de ombros, com um largo sorriso nos lábios. "Aceite os fatos, Venturi. E, aliás, eu tenho certeza de que não fui o único que reparei nela. Afinal, com aquelas pernas e aquela bunda e..."

   "Desculpe, mas você gostaria que eu saísse por um instante para que você possa se masturbar pensando na minha meia-irmã em paz?" Interrompeu Derek, já se sentindo enjoado ao ouvir Sam falando de Kasey desse jeito.

   A gargalhada alta do garoto imediatamente ecoou pelo carro. "Só estou dizendo, não sei como você consegue estar chateado com uma garota daquelas morando sob o mesmo teto que você."

   "Se você tivesse ao menos uma conversa com ela, você entenderia." Resmungou Derek.

    "Olha que eu estou extremamente tentado a ter essa conversa", Sam esboçou um sorriso malicioso enquanto estacionava em frente a casa dos Venturi. "Será que eu devo entrar por um instante e me apresentar?"

   "Definitivamente não!" Derek praticamente gritou. Olhando com agressividade para a mão de Sam que se encontrava próxima de tirar o cinto. "A última coisa de que eu preciso é a irritante da Kasey namorando o meu melhor amigo."

   "Bem, eu não lembro de ter falado nada sobre namorar, se isso te faz sentir melhor."

   "Não faz", falou Derek, pegando sua mochila e abrindo a porta do carro. "Até amanhã."

   "Até mais, cunhado", brincou Sam assim que Derek fechou a porta, pisando no acelerador antes que ele pudesse responder alguma coisa.

   Derek soltou uma bufada de frustração e atravessou rapidamente o jardim até a porta.

   "Até que enfim!" George já o esperava no corredor quando entrou em casa. "Afinal, onde é que você estava?"

   "No treino", respondeu ele, olhando para o pai com as sobrancelhas franzidas e uma expressão que dizia que isso era algo que ele já devia saber. "Era o primeiro do semestre."

   "Ah, certo. Desculpe." George chacoalhou a cabeça, como se estivesse desapontado consigo mesmo por ter esquecido. "Só tome um banho rápido e desça para o jantar, ok?"

   "Pode deixar", resmungou Derek enquanto subia as escadas até seu quarto.

   Assim que chegou ao segundo andar, não conseguiu evitar olhar para a porta fechada do quarto de Kasey, com as palavras de Sam ainda atormentando sua cabeça. Mas ele rapidamente tratou de expulsá-las. A última coisa que queria era ficar se preocupando com as alucinações de seu amigo. Então apenas entrou em seu quarto e fechou a porta, com o desejo de um banho demorado e relaxante. Entretanto, com os berros de George o atormentando, acabou mal tendo tempo de se ensaboar direito. 

   "Derek!" Ele ouviu seu pai gritando ao sair do banheiro com a toalha enrolada na cintura e a água ainda escorrendo de seu cabelo.

   O garoto revirou os olhos enquanto tentava se secar com rapidez. Mas, no fim, acabou pegando uma calça de moletom e uma blusa qualquer e as vestiu ainda meio molhado mesmo, saindo do quarto com desânimo. 

   Afinal, um jantar de família era realmente a última coisa de que ele precisava. Normalmente, ele não se importava de ouvir Agnes tagarelando sobre qual cachorro do canil havia sido adotado naquele dia ou Connor falando sobre os novos acordes que havia aprendido a tocar no violão enquanto jantava. Mas ficar na mesa e ouvir sobre as conquistas acadêmicas de Kasey, sobre o dia de Lilah desenhando e comendo areia na creche ou o quanto George e Nora estavam felizes era muito além de entediante; era tortura.

   Ele soltou um suspiro impaciente quando terminou de descer as escadas e avistou todos ali, apenas esperando por ele.

   "Finalmente!" Exclamou George, assim que avistou o filho." Já estávamos começando a achar que você havia morrido lá em cima."

   "Desculpe decepcioná-los", falou Derek enquanto sentava em seu lugar, olhando diretamente para Kasey, que abriu um sorriso provocativo em resposta.

   "Podemos comer agora?" Perguntou Connor, com a cabeça apoiada nas mãos e uma expressão cansada no rosto, após ter ficado tanto tempo esperando pela chegada do irmão mais velho.

   "Claro", falou Nora rapidamente. "Quem quer um pedaço de lasanha?"

   Connor, sem expressar palavra alguma, apenas estendeu o prato rapidamente, quase acertando Agnes no processo, e acabou recebendo o primeiro pedaço da noite.

   "Então", começou George. "Como foi o dia de vocês?"

   O barulho dos olhos de Derek se revirando foram quase audíveis na sala. E ele rapidamente se desligou das conversas ao seu redor, apenas focado em terminar seu jantar o mais rápido possível. 

   De qualquer forma, a refeição seguiu com as duas famílias comentando fatos aleatórios sobre seus dias e, quando todos já haviam terminado, sobrou apenas Kasey e Derek na cozinha, lavando e secando a louça, respectivamente.

   Esse era o pior cenário que ele podia imaginar após a conversa com Sam. Mas quando George e Nora os intimaram para cuidar da louça e concordaram que essa seria a nova função dos dois, enquanto Connor ficaria encarregado de arrumar a mesa e Agnes levaria o lixo para fora, não havia nada que podia ser feito para escaparem da situação.

   E o pior era que, mesmo tentando evitar, seu olhar sempre acabava voltando para Kasey. Suas coxas torneadas e sua bunda empinada… Sam tinha razão; ela era mesmo gostosa. Mas Derek acabou também percebendo que, além de ter um bom corpo, Kasey era linda. Sem safadeza, nem nada; ela era simplesmente bonita. Com os traços delicados do rosto, seus olhos azuis intensos e o cabelo dourado que, mesmo de uma distância razoável, ainda emanava um cheiro de morango viciante. Ele ficou surpreso de não ter notado isso antes.

   "Você devia estar mais concentrado em secar a louça, Derek, não a mim." A voz de Kasey o pegou de surpresa, quase o fazendo derrubar o prato que estava em suas mãos.

   "Eu não estou te secando." Derek mentiu deslavadamente, voltando sua atenção para a louça, sentindo-se um tanto envergonhado por ter sido pego.

   "Sei..."

   "Seu ego é tão grande assim para você achar que eu gastaria meu tempo sequer olhando para você?" Provocou Derek, tentando consertar a situação.

   Kasey soltou uma pequena risada e olhou de canto para o meio-irmão. "Você quase fica fofo quando está sem jeito."

   Ele cerrou os dentes, claramente incomodado. Afinal, não estava acostumado com Kasey tirando sarro dele. Normalmente, acontecia ao contrário. "Eu não estou sem jeito."

   "Que seja, Derek." Falou Kasey, terminando de lavar a última louça e a colocando no escorredor. Então se virou para ele e abriu um sorriso ladino, usando o pano que Derek estava segurando para secar as mãos e imitando aquela mesma piscada irritante que ele sempre dirigia a ela antes de sair da cozinha.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...