História Ligados Acidentalmente - Capítulo 7


Escrita por:

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, D.O, Kris Wu, Personagens Originais, Sehun, Suho
Tags Abo, Baekhyun Church Boy, Chanbaek, Chanyeol Badboy, Lemon, Mpreg, Plot Da Nanda, Shortfic, Yaoi
Visualizações 797
Palavras 1.251
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Famí­lia, Ficção Adolescente, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá, Fadinhas!
Então, eu não apareci na semana passada porque eu fiquei realmente muito doente e ainda estou um pouco.
Se eu estivesse ficado de cama, como era o recomendado, eu já estaria melhor, mas eu não pude, então eu fiquei bem mal, mas enfim... Já estou melhorando.
O problema é que sempre que fico um tempo sem escrever eu fico sem vontade de contar a escrever, parece que tudo que faço é uma merda e seria melhor não fazer, e aconteceu isso aqui, eu postei o cap do jeito que tava porque senão nunca mais ia sair um cap, então espero que gostem mesmo assim.
Sinto que não faço sentido, é a dor kkkkkkkk
Até qualquer hora.
Bjo

Capítulo 7 - VII - Confuso


Baekhyun mordeu os lábios com força sentindo o aperto em suas coxas e as estocadas brutas em seu interior, queria muito gemer alto, aquilo era a coisa mais maravilhosa que já havia sentido, mas sentia vergonha demais de tal ato.

— Você gosta? — Chanyeol perguntou, beijando o peito do Byun e sugando os mamilos com certa força, desacelerando os movimentos no interior do pequeno.

— G-gosto.

— Então geme. — pediu, ficando de joelhos sobre a cama, apenas para olhar as feições de Baekhyun enquanto movia-se lentamente.

— N-não… me p-parece errado.

— Sou seu marido, Baekhyun, geme. — disse acariciando as coxas roliças e dando uma estocada bruta, que foi incontrolável para Baekhyun, que apenas separou os lábios.

O pequeno cobriu a própria face, deixando os lábios partidos e os gemidos saírem livremente.

Chanyeol sorriu com o ato e descobriu o rosto corado, os olhos de Baekhyun chegavam a estar marejados pela vergonha.

O Park tomou os lábios fofinhos e deixou Baekhyun por cima, o ajudando a rebolar.

— Você fica tão lindo assim. — disse mordendo os lábios e apertando as nádegas do garoto com mais força, fazendo Baekhyun gemer.

— D-droga. Eu gosto assim também.

— Gosta, bebê?

— Uhum… mas me sinto tão errado. — disse com um bico nos lábios.

— Não é, não estamos fazendo nada errado. Não precisa se preocupar, bebê, você gosta, então aproveite. Tá bom?

— Tá bom. — concordou e escondeu o rosto no pescoço de Chanyeol, rebolando rápido e de forma intensa, apertando os ombros do marido até não aguentar mais e gozar na barriga do mais velho.

O Park mordeu os lábios, gozando no interior do baixinho, ficando abraçado no corpo do outro, que apenas deitou a cabeça em seu peito, sem sair da posição.

— U-uma vez, quando eu estava na sua casa, você disse que não era só de um. Você vai me trair com outros ômegas? — perguntou envergonhado, sentindo as mãos grandes em suas costas em uma carícia suave.

— Nunca vou trair você com outro ômega, alfa ou beta. Eu prometi que faria tudo que te deixasse feliz e vou fazer, Baekhyun.

— Eu quero ter um bom casamento, mas eu não queria casar com você, não estava preparado para casar com alguém como você. — disse passando os dedos sobre as tatuagens negras.

— Eu queria casar com você, estava preparado e quero muito esse bebê, eu fiquei muito feliz de saber dele.

— Jamais imaginaria isso de você.

— Porque você não me conhece bem, assim como não conhece bem o Kris, acha que conhece, mas não conhece. Meus pais me escolheram como filho rebelde, como a pior cria da família e resolveram tapar os olhos para as merdas que meu irmão faz.

— Não fala assim… — disse manhoso, cada vez mais sonolento.

— Eu sei que você não gosta de ouvir, mas é verdade, eu juro, não estou querendo te por contra meu irmão, ele realmente não presta. — falou mais baixo, vendo o pequeno quase dormindo em seu colo, pegou um cobertor e apenas enrolou o corpo mais baixo, deixando bem grudadinho no seu.


{...}


Chanyeol acordou sozinho na cama, sentindo o corpo dolorido pelo cio recente. Espreguiçou-se e levantou, colocando apenas uma cueca antes de andar pela casa, indo até a cozinha, onde Baekhyun fazia o café da manhã.

Sorriu e abraçou o pequeno por trás, dando beijinhos no pescoço cheiroso.

— O que está fazendo, Chanyeol? — Baekhyun deu um tapa na no marido, fazendo o Park se afastar.

— Estava tentando te dar bom dia.

— Mas seu cio já acabou, não precisa ficar me agarrando. Vai tomar um banho e depois vem tomar café.

Chanyeol suspirou e fez o que o outro disse, indo para o banheiro e batendo a porta com força.

Baekhyun estava muito confuso com toda aquela situação e as coisas que o Park havia dito sobre o irmão mais velho.

Precisava de um tempo para pôr sua cabeça no lugar, o Chanyeol daquelas últimas semanas era realmente diferente do que achou que conhecia.

Terminou de cozinhar e começou a comer, esperando Chanyeol retornar para a cozinha, o que não aconteceu. Assim que terminou foi até o quarto, vendo que o Park já vestia seu uniforme.

— Não vai tomar o café da manhã? Você sabe que não gosto quando não come.

— Eu vou tomar na rua, Baekhyun. Você não tem outra coisa pra fazer? — perguntou um tanto frio.

— Chanyeol olha aqui se…

— Olha aqui você, Baekhyun. Eu canso. Eu achei que você tivesse entendido e as coisas tivessem ficado bem claras na semana que passou, mas se você vai continuar agindo desse mesmo jeito, eu vou agir assim com você também, porque eu não sirvo pra ficar aguentando suas birras.

— Pra mim é muito difícil sabia? Eu nunca gostei de você, você sempre foi um idiota e acabamos fazendo um filho juntos. Tem noção de como isso me virou de cabeça para baixo?

— O que está te incomodando? O fato de estar casado comigo ou de estar gostando de mim? — Chanyeol perguntou baixo e firme, analisando Baekhyun por inteiro.

Não obteve resposta, mas nem precisava, não quando Baekhyun o olhava com aquelas bochechas rubras e o bico nos lábios.

Puxou o garoto pela cintura e beijou os lábios rosados, sendo correspondido no mesmo instante.

Chanyeol abraçou o corpo pequeno, acariciando onde tocava e sentiu os bracinhos em volta do seu pescoço. Baekhyun beijava de forma tímida, deixando claro a pouca experiência e o Park achava aquilo tão fofinho que não conseguia parar o beijo.

Parou o beijo algum tempo depois, beijando as bochechas coradas e o pescoço cheiroso.

— Eu preciso ir trabalhar e não quero te deixar o dia todo aqui, se veste que vou levar você pra casa da sua mãe.

— Vai me buscar quando voltar do trabalho?

— Claro que sim.

O Byun concordou e colocou uma roupa de sair, enquanto Chanyeol o esperava sentado na cama.

— Quando você vai cumprir a sua promessa?

— No fim de semana. Eu não vou deixar pra lá, babê, não menti pra você.

— Tá, eu estou pronto. — disse envergonhado, Chanyeol levantou e deixou um beijo na testa do pequeno, indo com ele para o carro.


{•••}


— Qualquer coisa a sua mãe tem o meu telefone, você pode ligar pra o meu distrito também, eu vou tentar não chegar tarde. — disse dando um beijo na testa de Baekhyun, que logo saiu do carro e viu o marido partir.

O pequeno entrou na casa dos pais quase que correndo.

— Mamãe, mamãe…

— O que foi, Baekhyun? O que está fazendo aqui? — perguntou um tanto surpresa, não esperava ver o filho em casa.

— Chanyeol me deixou aqui antes de ir trabalhar, eu nem sabia que ele era policial, eu não sabia nada sobre o meu marido, mamãe… agora eu estou tão confuso. — disse abraçando o corpo da progenitora, deitando em seu colo para receber carinho.

— Confuso com o quê?

— E-eu acho que estou gostando do Chan, entende, mas eu não sei… é tão estranho, ele é tão carinhoso comigo e o Kris nunca fez aquelas coisas por mim. Ele faz comida, me dá carinho e outras coisas só de marido, mas eu tenho tanto medo de gostar dele e ele voltar a ser aquele Chanyeol ruim… — disse fazendo bico.

— Mas ele pode surpreender você e ser cada dia um homem melhor e você pode acabar perdendo uma grande pessoa por ferir os sentimentos dela, o que você acha que é mais importante?

Baekhyun ponderou em silêncio, sentindo os carinhos da mãe em seus cabelos e pensando no que precisava ser feito quanto ao seu casamento com Chanyeol.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...