História Ligados pelo universo - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jeongguk (Jungkook), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Bts, Imagine, Jeongguk, Jin, Jungkook, Medieval, Romance, Sobrenatural, Taehyung
Visualizações 32
Palavras 1.463
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Fantasia, Fluffy, Hentai, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Universo Alternativo
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá, estou repostando essa história
Talvez algum antigo leitor meu apareça por aqui então. Quem quiser alguma informação sobre o que ocorreu com a minha conta e as minhas histórias pode me chamar no privado.

Capítulo 1 - Chapter 1


Uma pequena garota, com longos cabelos negros caindo em ondas pelas costas, os lábios pequenos e avermelhados e as feições tão delicadas, não a deixavam parecer ser uma serva forte, essa era Kang-mi, serva de Jeon Jeongguk, o filho mais novo dos reis de zena, um reino próspero e harmonioso, que a décadas seguia a tradição, todos os monarcas recebiam um servo, que deveria lhes servir e morrer por si, até o fim de suas vidas.

Kang-mi morava com os pais, longe do castelo, tinha uma vida pacata como qualquer camponesa, mas todos sabiam que os servos eram uma raça com poderes sobrenaturais, alguns até acreditavam serem crias de bruxas, enquanto outros pensavam ser seres abençoados como fadas, kang-mi sabia de suas obrigações desde pequena, mais cedo ou mais tarde seria designada a algum dos príncipes, reis ou rainhas, ela temia apenas se afastar da família, mas isso não era algo que estivesse ao seu poder de evitar.

Por isso, sua mãe a ajudou a se banhar, colocando-lhe um vestido branco que guardara todo esse tempo para essa ocasião, penteou os cabelos da filha, e arrumou a velha carruagem para que as levasse até o castelo, a viagem até o castelo durou por volta de quatro horas sem parar para descanso, e assim que chegaram kang-mi ajudou a mãe a descer, pegando em seguida a pouca bagagem que tinha.

Assim que chegaram aos portões, guardas impediram suas passagens, a mãe se curvou e explicou a situação, dizendo que a filha era a serva do Jovem príncipe, mas para confirmar a veracidade de suas palavras, abriu lentamente o feixo do vestido da filha, mostrando as costas marcadas pelo selo real, essa era a prova de que kang-mi pertencia a Jeon Jeongguk. Depois de permitidas a entrar, mãe e filha caminharam lentamente maravilhadas com a grandiosidade e beleza do castelo, foram então conduzidas por algumas serviçais, até a sala do trono.

Ambas se ajoelharam com as cabeças baixas em sinal de respeito à rainha, desde que o rei falecera, a rainha toma conta do reino sozinha, e também da educação de seus dois filhos, Jeongguk e Taehyung, sendo assim o mais velho enquanto Jeongguk é o mais novo, provavelmente da mesma idade de Kang-mi, por isso foi uma surpresa ao descobrir ser designada a ele quando ainda tinha seus doze anos, ela jurava que seria serva do mais velho dos irmãos.

- Levantem-se e apresentem-se. – a rainha se pronunciou, se sentando ao trono, Taehyung estava ao seu lado.

- Majestade. – ambas fizeram uma nova referência. – Me chamo Yang-mi, e está é minha filha.

- Meu...Meu nome é Kang-mi majestade.

- Você é a escolhida? Pois bem, é uma moça bonita, espero que seja tão forte quanto as lendas da sua família dizem, Jeongguk precisa de um servo forte ao seu lado.

- Sim, majestade. Darei minha vida para proteger e servir o príncipe.

- Ótimo. Este é meu filho mais velho, Taehyung, cumprimente as damas filho.

- Encantado senhoritas. – Taehyung acenou levemente com a cabeça para as duas.

- Agora, acompanhe a moça aos aposentos dela. – a rainha ordenou a uma das serviçais que logo foi de encontro a Kang-mi, pegando as bagagens dela.

- Mamãe. – Kang-mi se virou para a mãe, e segurou as mãos pálidas da senhora que agora tinha os olhos marejados.

- Vai ficar tudo bem, de tudo de si meu anjo, cuide bem do príncipe, afinal é para isso que nascemos.

- Não sei se vou conseguir ser uma serva tão boa quanto a senhora.

- Vai sim, porque eu te ensinei muito bem.

Kang-mi abraçou a mãe, apertado, e com uma dor no coração, e quando senhora se afastou, lágrimas escorreram por seu rosto, aumentando a cada vez que a imagem da mãe ficava mais distante. A moça ao seu lado a tocou no braço com um olhar um tanto reconfortante, e Kang-mi enxugou as lágrimas, pegando uma das bagagens, para aliviar o peso que a moça carregava.

- Me acompanhe senhorita.

Kang-mi seguiu pelos corredores grandes do castelo, com certeza se perderia facilmente ali, as chamas nas lamparinas davam um ar sombrio ao castelo, a jovem moça destrancou um quarto e pediu para que Kang-mi entrasse, o quarto era simples, com uma cama e alguns poucos móveis, mas somente esse quarto era maior que a casa em que Kang-mi morava com os pais.

- Vou deixar suas bagagens aqui, se acomode e descanse.

- Perdão.

- Sim?

- Como é o seu nome?

- Haneul senhorita.

- Obrigada por me ajudar Haneul. – Kang-mi se curvou em agradecimento e Haneul apenas assentiu saindo do quarto e deixando a garota sozinha no quarto desconhecido.

Ela tocou os moveis com as pontas dos dedos, tocou de leve o colchão, era macio, então se deitou para experimentar, e acabou adormecendo nesse processo, afinal estava cansada da viagem. Quando acordou, ouviu pequenas batidas na porta, e a voz de Haneul do outro lado.

- Senhorita, todos estão lhe esperando para a ceia.

- Só um momento. – Kang-mi se levantou rapidamente passando as mãos pelos cabelos, e indo até a porta a abrindo para Haneul entrar.

- Coloque isto e desça. – Haneul entregou um vestido vermelho a Kang-mi que ficou maravilhada com o tecido. – Posso ajuda-la a se vestir, se desejar senhorita.

- Tudo bem, eu já desço.

- Irei esperar fora do quarto então.

Assim que Haneul saiu, Kang-mi colocou o vestido em frente ao corpo, em frente ao espelho redondo na parede, nunca se imaginou usando uma roupa daquelas, mas não se demorou a se despir, e se vestir, o vestido ficou justo em sua cintura, e o busto ficou mais avantajado de que era, as mangas compridas e abertas nos pulsos, era longo e lindo, Kang-mi deu algumas voltas, até parecia alguém importante usando aquilo, ajeitou as madeixas negras com as mãos, e abriu a porta segurando um pouco do vestido para não tropeçar no caminho.

- Está encantadora senhorita. – Haneul elogiou e Kang-mi agradeceu a seguindo novamente pelos corredores largos do castelo.

Chegaram até a sala de jantar, onde uma mesa enorme e farta se fazia presente, a rainha e os filhos já estavam a mesa, então Kang-mi se curvou em respeito, depois foi conduzida por Haneul, a se sentar em um dos assentos, não próxima mas também não longe de Jeongguk, e quando seus olhos cruzaram-se com os dele, Kang-mi se sentiu envergonhada, baixando os olhos para a mesa novamente.

- Está encantadora. – Taehyung a elogiou enquanto bebia uma taça de vinho.

- Obrigada.

- Vamos comer em silêncio, depois vamos fazer as apresentações. – a rainha se pronunciou e logo as serviçais começaram a servir os pratos.

Após o jantar, ambos foram para uma espécie de biblioteca, onde Taehyung observava a lareira, enquanto Kang-mi estava sentada ao sofá, a frente de Jeongguk e da rainha, ela estava um pouco envergonhada, e não conseguia observar por muito tempo o rosto do príncipe, temendo corar, seria esse o poder da ligação entre mestre e servos? Era uma sensação estranha, mas Jeongguk não parecia estar afetado.

- Você não aparenta ser poderosa como dizem. – Foi a primeira vez em que Jeongguk se pronunciou.

- Me atrevo a dizer, que está enganado. – a garota se limitou a dizer.

- kang-mi é uma moça muito bonita, não acha meu filho? Vem de uma família poderosa, os avós e ancestrais dela, servem ao nosso reino a anos.

- Eu não acho necessário ter uma serva, ainda mais uma mulher aparentemente fraca e delicada, um homem não deveria se defender sozinho? – Jeongguk perguntou a mãe, vendo o sorriso do rosto da rainha sumir aos poucos.

- Mas kang-mi não está aqui apenas para sua proteção, ela também irá lhe servir no que precisar, e poderá lhe fazer compahia, enquanto eu e seu irmão não estivermos.

- Não preciso de compahia, e posso me defender sozinho. – Jeongguk se virou para kang-mi e se levantou para dizer. – Dito isso, sua presença neste castelo é totalmente desnecessária senhorita. – ao terminar se curvou para a mãe. – Agora se me derem licença, irei me deitar.

- Perdoe meu filho, ele deve estar cansado, caçou praticamente o dia todo, está na idade de rebeldia.

- Não tem problema majestade.

- Se quiser se retirar, tem minha permissão.

- Obrigada majestade. – Kang-mi então se levantou, e caminhou lentamente de volta para o quarto, decorou o caminho pelos quadros e pinturas na parede. Assim que entrou no aposento, deitou-se na cama suspirando pesadamente.

- Ele não gostou de mim. – falou sozinha, e puxou o medalhão que usava dando um beijo, pois era um presente que a mãe lhe dera para proteção. – Não sei se é posso ser tão boa quanto você mamãe. – sussurrou, fechando os olhos aos poucos, e após alguns minutos assim, adormeceu.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...