1. Spirit Fanfics >
  2. Lightning >
  3. Capítulo 11

História Lightning - Capítulo 12


Escrita por:


Notas do Autor


Apenas algumas explicações sobre os machos Espécies

Capítulo 12 - Capítulo 11


Ouviram batidas na porta. Na verdade só Daiana ouviu. Lightning estava dormindo em seu colo, completamente “dopado” com seus cafunés. Não queria que acordasse, então cobriu seus ouvidos com algodão que estava no criado mudo. Estalou os dedos perto, vendo que não se moveu, então não ouvia.

-Pode entrar – Era June.

-Até que enfim ele dormiu, não é?!

-Sim. Depois de 3 horas de insistência.

-Nada melhor para derrubar um Nova Espécie que uma boa dose de cafuné. Mas eles também acordam bem fácil.

-Coloquei algodão nos ouvidos dele, mas acho que não é muito seguro.

-Com fome?

-Sim.

-Vamos conversar ali no refeitório, assim ele irá dormir.

-Tudo bem – Se levantou com cuidado, deixando Lightning deitado em sua própria cama, tendo que entregar seu travesseiro para que ele abraçasse, já que estava com o seu cheiro. Saiu de fininho, com medo de acorda-lo.

-Daiana, Snow queria te ver, para te agradecer também – Viu o macho Espécie atrás da porta quando June a fechou.

-Oi.

-Obrigado por ajudar a June. Não sei o que faria sem ela.

-Só fiz o meu trabalho. Fico muito feliz que ambos estejam bem. E o filho de vocês também. Onde ele está?

-Brincando com um amiguinho do tamanho dele na casa de uma amiga.

-Espero que Hate não jogue os 2 no lago, dizendo que vai ensinar a nadar.

-Ele é doido, mas a Luci nem tanto. Ela fica de olho.

-Se não fosse a Luci...

-Mas enfim... Vamos ali no refeitório para conversamos. Precisamos te dar uma pequena palestra sobre relacionamentos com machos Espécie.

-Palestra? Palestra mesmo?

-Bem, temos algumas funcionárias novas, e, cá entre nós, resistir ao charme desses delícias – Snow esfregou o rosto em June, soltando um rugido curioso.

-...Ele ronrona?

-Sim. A maioria dos machos felinos ronrona.

-Que gracinha! O Lightning da uns choramingos fofos, as vezes.

-Uma amiga que tem um companheiro canino também vai estar lá. Vamos tirar todas as dúvidas.

-Isso vai ser interessante...

No refeitório tinham mais umas 6 mulheres. Uma delas era Espécie. Ainda não tinha visto uma fêmea Nova Espécie. Ela era linda, mesmo sendo tão alta e tão forte. Lhe parecia canina, pois não tinha pupilas ovais como a maioria dos felinos. Scream estava ali também, com uma expressão clara de descontentamento. Se sentou em uma cadeira próxima a ele.

-Tudo bem, Scream?

-Tudo péssimo! – Não quis falar mais. Claramente não estava de bom humor.

-Posso fazer anotações, senhor rabugento?

-Já disse que meu nome é Scream. E deve perguntar isso as mulheres.

-Com licença... – A loira de cabelo liso que estava ao lado dele ergueu a mão, chamando a atenção das mulheres que estavam a frente – Posso fazer algumas anotações?

-É... Claro – Viu June cochichar algo com a fêmea Espécie, que deu de ombros balançando negativamente a cabeça – Bem meninas, como muitas já devem ter percebido, nossos garotos são muito lindos, e creio que algumas de vocês estejam interessadas neles – Ouviu risadinhas das mulheres. Era meio óbvio. Novas Espécies são realmente lindos – Bem, a primeira coisa que devem saber, é que nossos meninos se apegam fácil. Por isso, deixem bem claro se pretendem apenas passar uma noite com eles, ou se buscam um companheiro.

-E sejam bem claras. Com todos os pingos nos i's. Novas Espécies em geral trabalham bem com palavras diretas e sinceridade. Inclusive, acredite fielmente em todos os elogios que eles direcionarem a vocês, porque eles são realmente sinceros.

-As vezes brutalmente sinceros. Quantas vezes eu já não ouvi deles “te vi de longe, pensei que fosse homem, por causa do cabelo curto” – Riram de June tentando imitar a voz dos machos, e também do que ela disse – Eu sei que eu não sou um exemplo de mulher “bem dotada”, mas não precisa jogar na cara também – Riram ainda mais.

-Você é maravilhosa assim mesmo, baby – Snow lhe deu uma piscadela. Vários “own” foram ouvidos na sala.

-E eles também são donos de dizer essas coisas fofinhas. São muito amorzinhos, eles.

-Mas enfim, prosseguindo. Como Trisha disse sobre deixar claro o que pretendem com eles, se alguma de vocês for querer se aventurar num relacionamento com eles, saiba que estará selando um compromisso para a vida toda. Eles irão se virar do avesso para lhes fazer felizes, mas você também deve estar comprometidas a isso. Eles preferem morrer a perder sua companheira, e estou sendo bem literal. E eles são extremamente ciumentos, e extremamente possessivos. Tipo... Eu sou a fêmea de Snow, e nenhum macho tem o direito de chegar nem perto. E isso também vale para eles, porque eles nunca deixarão nenhuma outra fêmea tocar neles. Snow sabe que é meu, e sabe como eu me sentiria horrível se outra mulher o tocasse, então ele vai rosnar e rugir para outra mulher que tentar tocar nele.

-Mas a maioria dos nossos machos se nega a machucar uma fêmea. A maioria. Alguns deles, principalmente dentro da floresta, são muito agressivos e muito territoriais. Não se arrisquem a entrar na floresta.

-Até porque tem milhares de grandes predadores dentro da floresta que podem machucar vocês, desde lobos a ursos, tigres e leões, então... Só não entrem na floresta – Snow explica.

-E fiquem de olho no calendário mensal de vocês. 7 dias antes da menstruação, vocês terão que evitar contato com eles. Alguns deles podem reagir... Animadinhos demais pelo cheiro de vocês, porque tecnicamente, é o período em que ficamos “no cio”. Durante a menstruação não tem tanto problema, mas antes disso, evitem. E só para saber, Novas Espécies nunca irão transar com vocês a força, mas eles irão seduzir vocês.

-Já diz o ditado: não farei nada que você não queira, mas irei te provocar até você querer – Riram com as palavras de June – E esses meninos sabem provocar viu?! Oh se sabem...

-Mas falando das “curiosidades” anatômicas deles. Machos caninos, quando estão perto de ejacular, acontece com eles o mesmo que acontece com os cães. Sabem?! Sobre eles ficarem “inchados” lá em baixo.

-Quer dizer que eles podem ficar “presos” dentro da gente? – Uma das mulheres pergunta.

-Exatamente isso. Vocês terão que lhe dar uns minutinhos para esperar o inchaço diminuir.

-Credo, que delícia – Todas riram do comentário de uma delas.

-Isso dói?

-Não. Não dói. Eu garanto. Mas você pode machuca-lo se tentar se insistir em tentar se mexer. Então... Só esperem. Também eles podem fazer alguns sons quando estão excitados, que parecerão rosnados, mas não é isso. Eles não conseguem evitar esses sons, mas não se assustem se eles os fizerem. É algo bom se ouvirem isso, na verdade. E as vezes eles uivam no final, quando realmente foi muito bom para eles.

-Quanto aos felinos, eles também fazem muitos sons quando estão excitados. E sim, eles ronronam. É muito fofo... – Mais um “own” – Mas não, o pau deles não parece com o de um gato, grassas a Deus – Riram bastante com isso – Mas, quando eles ronronam eles vibram, e é muito gostoso...

-Hum... Um vibrador completíssimo. Gostei – Mais uma vez riram de uma das mulheres – Credo, eu falando uma coisa dessas e tem dois meninos aqui.

-Fica tranquila. Quer ver é quando alguém vem perguntar se podem pegar parviovirose se ficarem perto de nós... – Reviram o olhos junto a Snow – Eu tenho cara de cachorro, por acaso?! Não respondam – Caíram na gargalhada com as palavras dele. Estava aprendendo a fazer piadas grassas a June. Ela fazia muitas.

-Tem cara de gatão – Lançou um olhar interpretativo para June.

-Hoje tem – Riram novamente do comentário de uma delas.

-Amada, se deixar, todo dia tem. E o dia inteiro.

-Eeeita! – Ficaram surpresas com isso.

-Tentar acalmar o fogo desses meninos é jogar gasolina em uma fogueira. Mas enfim... Podem tirar suas duvidas agora.

-Só um minuto meninas... – A fêmea Espécie foi mais para o meio – Devem saber também que, quando um macho estiver irritado, evitem olhar nos olhos deles. Isso os deixaria ainda mais irritados, pois entendem como se estivessem os desafiando. Se no meio de um ato sexual quiserem desistir, digam um “não” em alto e bom som. Eles irão parar. E se não pararem, é só dar um bom tapa dos dois lados nos ouvidos deles.

-Isso não irá irrita-los?

-Sim, mas eles nunca as machucariam. Isso só irá afasta-los. É para “atordoar”, como vocês dizem. Assim que o macho que estiver com vocês se acalmar, podem conversar.

-Tudo bem.

-Ah, sim. Algumas de vocês humanas gostam de montar e cavalgar seus machos. Não façam isso com os machos Espécies. Eles se sentiriam humilhados.

-Por que?

-Coisa deles. Para eles, sempre que tem que ser dominantes – Algumas reviraram os olhos. Daiana agora entendeu porque Lightning não gostou da ideia de Josh.

-Mas garanto a vocês que eles sempre farão o possível para dar o máximo de prazer a vocês. Não é como a maioria dos homens humanos que transam, gozam e vão dormir. Na verdade eles sempre garantem de nós termos orgasmo antes deles. E se recuperam bem rápido também. Podem fazer festa a noite toda.

-Da pra trocar todos os homens humanos em Novas Espécies? – Mais uma vez dão risadas.

-Seria uma maravilha!

-Sintam-se sortudas, meninas.

-Sortudas são vocês, casadas com eles.

-E a vida em casa? Eles ajudam vocês nos afazeres domésticos? – A loira que sentava ao lado de Scream pergunta.

-Sim. Eles ajudam demais. As vezes até nos acostumam mal, nos querendo fazer ficar quietas o dia todo.

-Não é?! Quando estou de TPM, Snow até faz brigadeiro pra mim. E ele odeia chocolate. Não gosta nem do cheiro.

-Mas você sente dor nesse período. Tem que ficar mais quietinha. Posso cuidar da casa... E de você.

-Viram que amorzinho...

-Espera... E os primatas? – Acabaram direcionando os olhares para Scream.

-Eu o que?

-Falaram dos caninos e dos felinos, mas e os primatas?

-Nós não temos muitas diferenças. Não ronronamos nem ficamos inchados. E nossos sentidos não são tão apurados quanto os outros. Mas, pode ser que tenhamos mais “apetite” pra sexo – As mulheres trocam olhares interpretativos.

-Ouvi dizer que eles podem morder. É verdade?

-Normalmente eles fazem isso com nós que somos fêmeas Espécie, mas porque nós gostamos disso. Não farão isso com vocês humanas. Eles sabem que são mais sensíveis. Talvez eles “segurem” vocês com os dentes. Não machuca, é apenas um modo de “pedir” para ficarem quietas. Pode arranhar se insistirem em se mexer.

-Mas não é nada demais. E quem não gosta de uma mordidinha de amor?! E normalmente eles se sentem muito culpados quando nos arranham com os dentes. Se sentem horríveis mesmo, tadinhos.

-A pele de vocês é frágil...

-Mas é só um arranhãozinho, Snow. Seu bobo.

-E quanto a serem mais possessivos... Nós humanas temos homens que são amigos, irmãos e primos. Eles lidam bem com a nossa demonstração de carinho com outros machos?

-Não muito, mas é só conversar. Novas Espécies nunca tiveram família, então eles não entendem muito bem sobre isso.

-Está perguntando pelo caso aqui da Reserva de um deles ter perseguido o pai de uma de nós?!

-Sim. Vocês disseram que eles se apegam fácil e que seve der bem claros com eles... Ele pode ter confundido as coisas e quis defende-la como se fosse sua fêmea.

-Veja bem, aquele caso foi bem específico. Acontece que aquele homem que deu aquela entrevista falando merda, era sim pai de uma das moças que trabalham conosco. Alguns dias antes daquele incidente, o senhor Omarley tinha ligado para Luci, a filha dele, dizendo que viria busca-la. Hate ficou apavorado com isso, porque Luci foi a primeira pessoa com quem ele teve algum vínculo, então é claro que ele não iria deixar que ela fosse embora. Ele realmente precisava dela. Além disso, naquele momento ele estava bastante atordoado com analgésicos e antibióticos. Então ele ouviu de Luci que era o pai dela, e quis afasta-lo para que ele não a levasse embora. Então foi um susto para todos, e principalmente para Hate. Mas depois Omarley veio falar com Hate, e eles são amigos agora. Na verdade, ele é amigo de todos os Novas Espécies. Até salvou a vida de Snow.

-Isso é verdade. Se não fosse pelo velho, não estaria aqui hoje.

-E nem eu. Foi grassas a ele que nos encontraram – Scream diz. Também conhecia Omarley. Era um bom homem, mas protegia sua família a qualquer custo. Isso incluía fazer algumas pessoas sumirem do mapa, por isso tinha um pouco de medo dele.

-Isso é verdade.

-Onde está esse homem? Preciso agradecer a ele por libertar esses amorzinhos que vocês são – Fez os 2 machos sorrirem.

-Ele vem aqui na Reserva a cada 2 meses. Pode falar com ele.

-E como estão essa Luci e Hate?

-Pergunte a eles – Aponta para trás de todas. Daiana se perguntou como não tinha visto um cara de mais de 2 metros passar por ela e não te-lo visto. Ao seu lado tinha uma mulher de cabelos pretos e olhos verdes, bem menor que ele. O Espécie estava concentrado em uma caneca de leite, e demorou uns 3 segundos para perceber que olhavam para ele.

-Eu o que? – Achou engraçadinho seu “bigode de leite”.

-Como você e a Luci estão?

-Pequena, você esta bem?

-Estou ótima. E você grandão?

-Estou bem também – Fizeram um sinal positivo com a mão esquerda, que não segurava uma caneca, e puderam ver suas alianças.

-São casados?

-Yep.

-Luci, Hate, cadê o Flake?

-Com a Equality e o Freedom. Sabem como é...

-Vamos conseguir! Eles vão conseguir – Trisha diz esperançosa.

-Conseguir o que?

-Não é da sua conta, repórter – Todos os Espécies e suas companheiras ficaram tensos.

-Ela é repórter? Que merda faz aqui?

-Pergunte ao Justice.

-Só pode ter ficado louco! – Scream teve que se levantar e se colocar o caminho de Hate.

-Tenho ordens para protege-la, Hate.

-Deveria joga-la por cima do muro. Melhor ficarmos em casa enquanto ela estiver aqui – Se virou para falar com Luci, mas logo voltou a encarar a loura por cima do ombro de Scream - Não sou nenhum animal de exposição pra ser tratado assim.

-Tenho certeza que a intenção de Justice não é nada disso, Hate.

-Meu objetivo é mostrar como os funcionários humanos se dão bem com vocês Novas Espécies, como amigos e colegas de trabalho. E como namorados/maridos, se me permitirem.

-Não permito! Não irá fotografar ou filmar a mim ou a minha fêmea.

-Tudo bem. Não o farei. Mas, como eu lhe explicava, quero apenas mostrar a interação entre humanos e Novas Espécies, a fim de mostrar que podemos muito bem conviver uns com os outros.

-É tolice! Humanos fazem muito mal uns aos outros, e fariam pior conosco.

-Pode ser possível. Falta de informação é a chave para a ignorância. Saber das diferenças uns dos outros e aceita-las é o que forma uma sociedade. E vocês podem fazer parte delas, se pudermos fazer os outros entenderem as diferenças – Hate pareceu pensar sem suas palavras, mas depois chamou a atenção de Luci com um grunhido que pareceu muito com o som de um urso.

-Só a mantenha longe deles, Scream.

-Terei cuidado. Eu prometo.

-Confio em você – Hate deu um toque em seu ombro, saindo segurando a mão de Luci.

-Deles...?

-Como eu disse, não é as sua conta, por isso vai ficar longe deles. Venha comigo que você ainda tem que falar com outros funcionários, e eu vou te deixar longe do Hate. Ele é arredio.

-Está bem, rabugento – Recebeu um rosnado por te-lo chamado de rabugento de novo.

-Espero que não tenha desistido de mim – Daiana se assustou com a voz de Lightning tão perto dela.

-Filho da mãe! Pare de me assustar! – O fez rir – Não. Não desisti. Você me deixou com fogo demais pra isso.

-Pretendo jogar gasolina dessa fogueira, linda. Não se preocupe – Apertou os lábios e desviou o olhar, tentando não demonstrar como tinha se excitado com a insinuação dele.


Notas Finais


Quaisquer dúvidas adicionais, podem perguntar nos comentários que eu explico


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...