1. Spirit Fanfics >
  2. Lightning >
  3. Capítulo 13

História Lightning - Capítulo 14


Escrita por:


Notas do Autor


Na capa do cap é só um modelinho do presentinho que a Anastácia vai dar pros tios favoritos dela.

Capítulo 14 - Capítulo 13


Fanfic / Fanfiction Lightning - Capítulo 14 - Capítulo 13

-Anastácia, minha filha, já pedi para não sair correndo desse jeito! Isso é um hospital menina! E você não conhece todos os Nova Espécie!

-Eles são legais papai! Não precisa ter medo.

-Não é isso que... Anastácia! – A pequena se espreitou pelos enormes corpos que estavam ali em um dos corredores do hospital, mas o caminho de seu pai foi bloqueado por 3 deles. Não estavam com olhares nada amigáveis. É claro que não estão! Eu sou a porra de um macho humano adulto quase do tamanho deles! Podem mesmo achar que tenho chance em uma briga e querer me desafiar – Só estou tentando alcançar a minha filha, senhores – Recebeu um rosnado alto e baixou a cabeça, evitando os olhar nos olhos como já tinha sido aconselhado a fazer quando isso acontecesse.

Anastácia não pareceu notar a encrenca em que meteu seu pai, ainda correndo por aí. Estava procurando Lightning. Luci, sua tia, tinha contado que ele estava desaparecido, mas que já tinha sido encontrado. Mas não estava muito bem, e por isso ainda estava no hospital. Era um dos “tios Espécies” que mais gostava, e ficou preocupada. Tinha feito um presente para ele. Continuou correndo até encontrar alguns médicos em uma das salas assistindo a vídeos.

-Bu! – Pulou em cima de Josh, que realmente se assustou.

-Anastácia, não faz isso! – Fez a garota e outros que estavam na sala rirem, pois Josh dava um grito bem agudo quando se assustava.

-Benção tias – Apertou a mãos de Luci e June.

-E aí sua pestinha?! Cadê o papai?

-Ficou pra trás. Ele não consegue me acompanhar.

-Malandrinha!

-Ei, teve briga na zona selvagem! Se o Derick achar algum dos feridos...

-Eita, carai! – Luci tirou sua sobrinha de seu colo e saiu apressada pelo hospital.

-Que estão fazendo? – Se sentou no colo de Josh para ver o que estavam vendo – Ei! Esse é o Thunder? Já está desse tamanho?

-Não querida. Esse aqui é o Hate, quando era pequeno.

-Que legal! Onde conseguiram isso?

-Conseguimos quando resgatamos o Lightning e o Scream.

-Olha! O tio Snow também!

O vídeo mostrava a maioria dos machos que estavam nas rinhas, mas ainda muito pequenos.

Não estamos tendo sucesso em despertar a competição entre eles. Entregamos comida para apenas um deles, mas em vez de gerar conflito por ela, como normalmente aconteceria, eles acabam dividindo” – Dizia o cientista no vídeo. Na imagem, mostrava cerca de 8 filhotes em uma mesma gaiola. Tinham entregue comida apenas para um filhote de cabelo colorido, que se parecia muito com Lightning, mas em vez dos outros tentarem tomar a comida, apenas se aproximavam, e o garotinho de cabelos coloridos entregou um pedaço generoso de uma carne macia e fácil de desfiar para cada um dos outros. Mas os garotos rosnavam e tentavam morder quando os guardas tentavam pegar a comida deles, o que resultava em algum tapa forte demais para se dar em uma criança, os fazendo ficar acuados.

-Ei! Seu malvado! Não bate neles! – Anastácia disse irritada.

O mesmo guarda tentou pegar a comida do pequeno Snow, mas ele já sabia que receberia um tapa, então em vez de tentar afasta-lo de sua comida, deixou que chegasse o braço perto o bastante e enfiou os dentinhos no pulso do homem. A câmera caiu no momento, mas sangue voou, deixando claro que ele causou uma hemorragia no guarda.

-Caramba Snow... Espertinho desde pequeno!

-Agora você sabe quem seus filhotes puxaram.

-Com certeza – Abriu outro vídeo – Anastácia, querida, não sei se isso é vídeo para você ver...

-Mas eu quero ver os tios filhotinhos. Eram tão fofos...

“Parece que estamos conseguindo agora. Quando provocados o bastante, eles brigam entre si. Não dura muito... Parece ser só para mostrar dominação. Mas já é um começo. Se tornam mais agressivos a cada dia, e é o que buscamos”

“Doutor, olha esse aqui...” – Era mostrado o filhote de cabelo colorido. Ele estava bem entretido com um pedaço de carne, e não parecia nota-los ali – “Ele não responde a estímulos auditivos. Quando eu estalo os dedos...” – Fazia enquanto falava – “Os outros olham para mim e rosnam. Mas esse aqui... Nem vira a cabeça. Mas quando eu bato o pé... Aí sim ele me nota. Rosna e esconde a comida como todos os outros”.

“Ele é surdo. Não vai servir. Deem um jeito nele” – Um dos guardas encaixou sua arma entre as grades, até bem perto da cabeça do de cabelos coloridos, e puxou o gatilho.

Anastácia gritou e escondeu o rosto no peito de Josh, começando a chorar. O homem também ficou chocado com a imagem, e June fechou a pasta de vídeos. Não querendo mais ver aquilo. Também chorou.

-Por que fizeram isso? Ele era tão pequeno...

-Esse pessoal da Mercile eram verdadeiros monstros, querida. Eles fizeram muito maus pros tios Espécie. Mas agora eles estão bem. Estamos cuidando deles. E você pode dar um grande abraço neles e dizer como está feliz por eles estarem aqui. Está bem?! – A afastou para limpar seu rosto – Vamos, lindinha... Não chore. Eles estão bem agora.

-Pessoal, o que aconteceu? – Lightning apareceu ali. Anastácia logo correu até ele e lhe abraçou. Ele a pegou no colo, para que pudesse o abraçar de verdade – Por que está chorando, guerreirinha?!

-Eu vi o que aqueles monstros fizeram com o seu irmão, tio Lightning.

-Meu irmão?

-Ele também tinha cabelo colorido.

-Ah. Já passou, pequena. Pelo menos ele não sofreu mais – Saiu da sala com ela, para a afastar dali.

-Mas ele também podia tá solto...

-É. Mas muitos de nós estão soltos agora. E muitos ainda vão ser livres. Você vai ver...

-Eu fico feliz que você esteja livre tio Lightning. E fico feliz que você seja meu tio. Eu te amo – A abraçou um pouquinho mais apertado.

-Titio também te ama, guerreirinha. Também fico feliz por ter você de sobrinha – O apertou mais no abraço, mas depois se afastou para poder olhar em seu rosto.

-Você promete que nenhum cara mau vai te pegar de novo?! Eu não quero que se machuque mais, tio Lightning.

-Oh pequenininha... Tio Lightning tem que salvar os outros que ainda estão presos. Mas eu te prometo que vou ter muito, muito cuidado.

-Promete? – Lhe mostrou o dedo mindinho, e ele fez o mesmo, entrelaçando os dedinhos.

-Prometo. Além disso, eu não vou sozinho. Tem gente pra cuidar de mim.

-Tem?

-Tem sim. Essa aqui é a Daiana – Lhe mostrou a ela – Ela cuida de mim se eu me machucar. Que nem a tia Luci cuida do Hate.

-Ela é tão bonita... – Daiana sorriu com o que ela disse.

-Ela é, não é?!

-Você que é lindinha, mocinha.

-Você também ficou machucada. Vocês vão ficar bem?

-Vamos sim. Já já vamos sarar. Estão cuidando de nós.

-E vocês conseguiram salvar mais alguém? – Se virou de novo para Lightning.

-Salvamos sim. Ele deve estar em algum lugar aqui no hospital.

-Eu posso ver ele?

-Depois que o psicólogo falar com ele. Alguns de nós precisam ser apresentados para uma pessoa de cada vez.

-Mas eu sou uma fêmea pequenininha. Não vou assustar ele.

-Mas e se ele quiser pegar você pra ele e te adotar como filhotinha? Seu papai ia ficar triste sem você.

-Mas o papai já tem outro filhote – Fez os dois rirem.

-Não é assim. Um filhote não substitui outro. Depois você vai poder falar com o tio novo. Está bem?!

-Está bem. Fiz isso para você – Lhe mostrou uma almofada que ela mesma tinha bordado. Tinha um desenho dele em Pixel Art, que ela transformou em ponto cruz. Estava escrito “melhor tio de todos” com um coração no começo e no final da frase.

-Eu adorei! Ficou linda! Obrigado – Lhe abraçou de novo.

-De nada. Também fiz uma pro tio Smiley e pro tio Tiger. Tenho que entregar pra eles – A colocou no chão, recebendo um beijinho na bochecha – Tchau moça bonita.

-Tchauzinho – Sumiu pelo corredor – Será que ela fez todas com a mesma frase?

-É bem provável – Ambos riram.

-Ela tem talento. Ficou ótimo.

-Anastácia, me espera menina! – Derick veio apressado pelo corredor, tentando não correr – Lightning, viu para onde a minha filha... – Se interrompeu olhando para Daiana – Eu conheço você de algum lugar – Se encararam, tentando lembrar de onde já se viram.

-Você fez faculdade de enfermagem comigo?! Turma de 2010?

-Não. Não fiz faculdade. Entrei direto na marinha.

-Da marinha... Qual o seu nome?

-Derick Walrayder – Acendeu uma luz em sua memória.

-Derick? Derick, o big D.?

-Era meu apelido no colégio, porque eu era gordo que nem um Snorlax.

-E perdeu uns 30 kg em 3 anos. No final do Ensino Médio era mais popular que os jogadores de futebol.

-Nem tanto. A diferença entre mim e eles, é que eu tinha cérebro o bastante pra não sair pegando qualquer garota. E fui um dos poucos “populares” que não virou papai aos 16. Pelo menos eu assumiria um filho meu. Mas você com certeza não era uma daquelas vadias. Eu teria me lembrado de odiar a sua cara. Não... Você era uma das inteligentes que eu defendia.

-Mais que isso Big D. Você me ensinou a ter mais confiança. Me disse para andar de cabeça erguida que dali alguns anos, seriam aquelas vadias que iriam trabalhar pra mim – Então ele pareceu se lembrar também.

-Você era a mexicana! Falava meio atrapalhado por causa do aparelho e do sotaque.

-Eu mesma. Aquela descabelada cheia de espinha na cara.

-Na verdade você tentava alisar o cabelo e ficava uma porcaria. Ficou bem melhor com os cachos, que nem eu te disse naquela época. E veja aí... Fez faculdade e agora trabalha com Novas Espécies. Sabe como é difícil conseguir um emprego com eles menina?! Senhor North escolhe a dedo! Eu disse que ser uma boa pessoa um dia te compensaria!

-É você estava certo! Nunca te agradeci por ter me dado apoio. Não faz ideia do quanto me motivou... – Na verdade, Derick também tinha sido sua primeira paixão, e também com quem tinha perdido o BV.

Eles nunca chegaram a namorar, mas isso tinha sido um impulso e tanto para sua autoestima, pois ele era um garoto realmente lindo (estava muito mais lindo) e muito cobiçado em sua época de colégio, depois que perdeu peso. E mesmo com tantas garotas bonitas na escola, ele quis beijar foi ela, por ser uma garota legal e inteligente. Foi quando realmente acreditou que aparência não era tudo, apesar de que ela podia sim ser melhor se ela se dedicasse um pouco mais a isso.

-Deixa disso. Está aqui por mérito próprio! Da um abraço... – Lightning se enfiou entre os dois, pegando Derick pela camisa e rosnando de um jeito que fez Daiana se arrepiar de medo – Lightning, calma cara... Sou eu! Derick!

-Não toca nela!

-Lightning, solta ele! – Tentou afasta-lo, e também recebeu um rosnado por isso, mas tentou ignorar seu medo de cachorros – Solta agora!

-Ele não vai encostar em você! É minha fêmea!

-Não Lightning! Que merda! Eu já te disse que não sou sua fêmea! Solta o Derick agora! – Grunhiu uma mistura de latido com choro, jogando Derick para o outro lado do corredor.

-Caramba... Eu tenho que reavaliar minhas amizades aqui – Daiana foi até ele, o ajudar a se levantar. Aquilo quebrou o coração de Lightning. Nunca em todos aqueles anos dentro das grades, vendo tantos de seus iguais morrerem com tanta crueldade teve vontade de chorar, mas agora não conseguia conte-las. Saiu correndo dali, pois não daria a Derick o gosto de vê-las.

-Eu estou bem Daiana. Valeu.

-Desculpa. Nunca vi Lightning agindo daquele jeito...

-Ai... Coitado... – Viu que ele tinha ido embora – Agora que ele vai ficar emburrado comigo pra sempre.

-Mas que ciúme besta! Eu já tinha dito pra ele...

-Daiana, é o jeito deles. Não podem evitar... É o gene animal falando. Não fica chateada não. Olha, eu fiquei puto da cara quando descobri que a minha irmã estava namorando um deles, mas depois que conheci Hate, eu percebi que a Luci nunca no mundo teria arranjado um marido melhor. Novas Espécies se dedicam DEMAIS para fazer suas mulheres felizes, então eu te garanto que, se você aceitar o Lightning, você vai ser muito feliz. É complicada essa progressividade, mas é assim que eles são. E até que o Lightning é tranquilo. Se fosse outro cara, até meu cunhado, eu teria sido rasgado em dois tempos.

-Não sei se consigo lidar com isso...

-Pense que você nunca terá que se preocupar com traição ou divórcio. E esses ciúmes, depois que a fêmea passa a demonstrar que “é dele”, eles ficam mais calmos. Eu garanto. Experiência própria.

-...

-Só pensa nisso, vê os prós e contras, e talz. Mas, dedicação é totalmente garantida. E eles são uns amores com as fêmeas deles. Já deve ter tido algumas “amostras”. Só tenha um pouquinho de paciência, porque é certeza que mais tarde ele vai voltar com o rabinho entre as pernas. Fale com ele. Diálogo é importante para qualquer relacionamento. É assim que eu estou casado até hoje, e tenho 2 filhos.

-Fico feliz por você Derick.

-E eu por você. Se tornou uma mulher e tanto...

-Obrigada. E você se tornou um pai e tanto. Sua filha é uma gracinha...

-É uma pestinha. Isso sim. Pra que lado ela foi?

-Por ali – Apontou – Disse que ao dar presentes a Tiger e Slime.

-Smaley.

-Isso!

-Deixa eu alcançar ela. Foi ótimo te ver de novo. E pensa no que eu te falei!

-Vou pensar! – O viu ir atrás da filha.

Derick realmente tinha ficado ainda mais lindo desde a última vez que se viram, e revê-lo lhe fez lembrar de alguns sentimentos. Sentimentos esses que estava brigando consigo mesma para não sentir por Lightning, mas seu estômago sempre se agitava, como se várias borboletas estivessem querendo sair dali. Posso lidar com esses ciúmes?! Pelo menos é melhor demonstrar demais do que não demonstrar nada, que nem o Mike, seu ex-noivo. Abraçou a si mesma, não querendo se lembrar do passado. Mike tinha destruído sua autoestima, que demorou tanto tempo para conseguir ter, quando disse que queria desistir do noivado, revelando que estava com ela por pena, pois ela era “sem graça”, segundo ele. Não era muito bonita, não era tão inteligente quanto “exibia”, e não era nem um pouco interessante. Disse também que a traia constantemente porque ela não servia para lhe dar prazer. E ainda assim ela tentou remontar os cacos de seu coração e entrega-lo de novo a ele. E ele novamente o quebrou e jogou fora como se não fosse nada. Como se ela não fosse nada.

Mas Lightning era alguma coisa. Ele era muita coisa! Era lindo! Era muito fofo! E sabia fazer qualquer mulher subir pelas paredes! Mas e eu? Eu tenho o que para oferecer? Um rosto queimado e um psicológico fragmentado? Chorou ao ver a própria imagem no espelho do banheiro do hospital. Eu não te mereço, Lightning!


Notas Finais


Isso aí que a Daiana passou mostra um pouco do que é um relacionamento abusivo, que é uma coisa que infelizmente MUITAS mulheres vivem e não sabem que vivem. Pesquisem sobre isso pessoal, pq isso é muito sério e é bem maie comum do que parece.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...