1. Spirit Fanfics >
  2. Lights >
  3. Trè

História Lights - Capítulo 3


Escrita por:


Capítulo 3 - Trè


Jongdae acordou feliz, tinha finalmente uma trégua com seu marido e tudo parece caminhar para uma boa relação, mesmo que ele ainda seja muito frio e distante, tem dado mais atenção e importância aos seus assuntos. As cobranças em relação aos jantares também diminuiu e tornou o casamento mais leve.

— Jongdae? — Foi tirado dos seus pensamentos por Minseok. O ômega corou drasticamente ao reparar que seu marido estava sem camisa. O corpo do alfa sempre foi bonito, mas desde o casamento a alguns meses, nunca dormiram juntos. Utilizam o mesmo quarto para evitar falatório das pessoas, mas o alfa costuma dormir no sofá confortável do escritório.

— S-sim? — Faz poucos dias que o alfa tem entrado no quarto na presença do marido, se esforça para estar confortável com ele.

— Preciso que você vá ao escritório resolver uma papelada hoje, sei que não gosta, mas eu realmente precisarei da sua presença nesses assuntos. — Jongdae não viu alternativas, o alfa foi muito incisivo e também precisa tentar, mesmo não gostando, Jongdae entende que é um rei.

— Tudo bem. — Minseok notou a vergonha do marido em olhar seu corpo, mas, no fundo, o alfa gostou de vê-lo de tal maneira. — Qual é o assunto? Você pode adiantar? Preciso de preparação para isso.

— Não vai ter nenhuma outra pessoa, não é uma reunião. Sei que é do seu interesse e também que entende mais que eu no assunto. — O ômega ficou confuso, nunca estava presente, que assunto ele poderia saber mais que o próprio rei? — Quero abrir uma nova escola na parte mais afastada, sei o quanto você se importa com a educação das crianças, e vi que tenho sido negligente com eles, aumentando a injustiça.

— Minseok... — O ômega não sabia bem o que falar. Se sentiu tocado pela mudança e também por ter de importado com isso. — Obrigado.

O alfa deitou na cama e Jongdae ficou estático, nunca esteve assim sem que fosse obrigado, só dormiu no mesmo quarto após o casamento, porque toda a sua família ainda estava no palácio e poderiam falar muito, mesmo que ele não tivesse que responder mais nada, quis evitar brigas, foi um dos dias mais complicados.

Minseok não sabia explicar, apenas queria contato. Nos últimos dias tem sentido desejos aflorando dentro de si. Acabou repousando a cabeça no colo do ômega, que se assustou, mas sorriu docemente colocando os dedos em seu cabelo. O alfa ficou encarando seu marido, o clima mudou drasticamente entre os dois que se envolveram em uma nuvem de vontades.

— Você é lindo. — Minseok não se aguentou, esticou a mão para tocar o rosto alheio, se perguntava como tinha negligenciado tanto do marido ao deixar de notar a beleza do mesmo. Jongdae suspirou, seu cio próximo o torna mais manhoso e carente, o cheiro forte do alfa também não ajuda muito.

— Você também. — Minseok sentou na cama e aproximou o rosto do ômega, que fechou os olhos para sentir melhor, estava ansiando por isso, mesmo sem imaginar que queria isso. O alfa não demorou para juntar os lábios, fazendo Jongdae suspirar e se agarrar ao corpo do marido. Era intenso, mas, ao mesmo tempo doce, com cautela, estavam se conhecendo.

— Jongdae. Eu não sei se isso é muito apressado, mas quero você. — O ômega nada pôde dizer, sentia o mesmo, em um estado de torpor.

— Eu também quero. — Não demorou para Minseok o beijar novamente, as roupas começarem a sair do corpo. Jongdae nunca esteve com outro alfa, sequer beijava, mas não havia motivos para vergonha quando tudo o que desejava era pertencer ao marido. Se amaram, esqueceram até mesmo dos compromissos do dia e nem sequer pensaram em sair do quarto, mas quem ousaria reclamar? Minseok acabou marcando o ômega, que mesmo sem uma palavra, consentiu com aquilo, seu lobo sabe a quem pertence e jamais negaria isso. O laço se formou, sendo motivo de festejos pelo povo que tanto temeu a falha do casamento.

10 MESES DEPOIS

Quem avistasse os reis, jamais poderia dizer o quanto eles brigavam no passado. Jongdae e Minseok viviam em um constante sonho, se apaixonam cada dia mais e o rei já não é mais aquele homem frio e distante do povo. A proximidade com os mais pobres causou certa irritação nos nobres, ainda mais o tanto de mudanças, por isso, começaram a detestar o fato dele ter se casado com Jongdae, mas já estava feito, e o ômega nem mesmo se importava, se ocupou em cuidar do casamento e de sua gravidez. O anúncio ocorreu no primeiro mês, onde felizmente o ômega descobriu bem cedo, Minseok sentia um cheiro diferente no marido e tamanha surpresa quando notou o elemento extra ali, um ômega, um bebê que apareceu para iluminar ainda mais o casamento.

A gravidez passou tranquila, com o alfa sendo um cão de guarda atrás do marido, mas sempre foi normal que os alfas se tornem protetores com seus bebês. Jongdae não teve grandes problemas, nem enjoos ou desejos, passou por tudo com calma, conhecendo cada coisa em seu corpo e lendo muitos livros, se sentia pronto para tudo. Em janeiro, no dia 12, no meio da madrugada nasceu Kyungsoo, nome escolhido pelo alfa e foi a maior alegria. Minseok não largava seu marido, que obviamente passou aquela semana no quarto, em forma de lobo. A tradição dos lobos ômegas sempre foi essa, proteger o herdeiro em seu estado mais forte e nunca deixar outros que não sejam o pai se aproximarem, depois disso, ele foi apresentado a todos diante de uma cerimônia comum.

No primeiro mês, surgiram as maiores dúvidas e dificuldades, pois diferente de outros reis, eles queriam passar pela experiência sem a interferência de babás ou ajudantes que cuidariam do filho. Jongdae jamais deixou de fazer tudo por si só, talvez pelo fato de não ter tido esse contato com sua mãe.

— Dae, amor. — Encontrou seu marido amamentando o filho e sorriu.

— O que foi?

— Sei que é recente, mas sabe que sou bem ansioso. — O ômega riu, realmente seu marido tem se tornado assim, ele não consegue guardar os pensamentos por muito tempo, talvez seja a marca.

— Diz.

— Quero outro filhote, não agora, mas quando Kyungsoo tiver um ou dois anos, não queria que a diferença de idade seja muita. Cresci tão sozinho nesse palácio e sei o quanto foi ruim, embora nosso filho tenha Luhan e Jongin aqui, um irmão faz falta.

— Você tem razão e eu já tinha pensado sobre isso seu bobo, apenas não falei porque Kyungsoo tem um mês, mas devemos aprender o máximo e organizar tudo.

— Eu te amo muito. — Minseok disse e Jongdae sorriu apaixonado.

— Mudamos muito, aprendemos o amor, eu me sinto completo agora, com a nossa família.

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...