História Lights Out - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Boku no Hero Academia (My Hero Academia)
Tags Fluffy, Oneshot, Tododeku
Visualizações 84
Palavras 3.162
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ficção, Ficção Adolescente, Fluffy, LGBT, Shonen-Ai
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá! É a minha primeira fic desse fandom, então estou um pouco nervosa. Falando um pouco sobre a fic: Acabei optando por escrever essa fic soft, fluffy e tal porque não sou muito boa escrevendo fanfics de ação, e eu queria manter a fidelidade à obra original, então escrevi focando apenas no shipp TodoDeku (meu otp) e o fluffy é só por que sinto falta de escrever coisas fofas mesmo!
Espero que gostem, boa leitura.

Capítulo 1 - Quando as luzes se apagam


Lights out

 

Capítulo 1 – Quando as luzes se apagam

 

¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

 

Narrador POV’s on

 

 Era sábado, por conta disso o dormitório da Classe 1-A estava muito mais quieto que o comum, a maioria dos alunos estavam em suas casas com suas famílias. Normalmente Midoriya seria um deles, mas havia ficado para treinar com All Might e aproveitar o restante do tempo para estudar para as provas. Era o que fazia naquele momento, enchia seus cadernos de anotações e lia muitas vezes o mesmo assunto, só para ter certeza de que entendeu tudo.

 O garoto de sardas bocejou e espreguiçou-se, talvez fosse um bom momento para fazer uma pausa. Já deveria estar estudando há quase três horas, havia começado quando terminou de jantar com os colegas, não planejava parar tão cedo, mas uma pausa não faria mal. Levantou da cadeira para esticar as pernas, alongou-se brevemente, planejava ir beber água e então continuar, mas assustou-se com o súbito breu que tomou seu quarto.

 Não pode ser, vilões vão atacar a U.A. agora?! – Pensou correndo para sua janela, observou os arredores da escola, tudo parecia em silêncio. Notou que o apagão não aconteceu apenas na U.A, aconteceu em toda a cidade... No entanto, a cidade também não parecia diferente do comum, sem gritaria, sem explosões ou prédios caindo. Tateou seu caminho para fora do quarto, queria ter certeza de que seus colegas estavam bem.

— Ai! – Midoriya apoiou-se na parede para não cair.

 Estava pronto para atacar qualquer vilão que entrou ali, mas quando cerrou os olhos conseguiu identificar o cabelo duas cores tão familiar, sentiu o rosto quente de repente. Estava cada dia mais difícil encarar Todoroki, desde que percebeu seus sentimentos por ele, sua vida virou de cabeça para baixo, não tinha a mínima experiência com relacionamentos, nem mesmo sabia se não era problemático nutrir sentimentos assim por outro garoto, parecia mais complicado que o comum.

— Midoriya... Desculpe, não te vi. – A voz grave e calma soou.

— T-tudo bem, está escuro. – Deku sorriu, apesar de saber que estava escuro demais para o garoto perceber.

— Você também está procurando os outros? – Todoroki questionou.

— Sim, pensei que seria melhor checar se estava tudo bem. – Disse Midoriya.

— Certo, vamos. – Disse Todoroki voltando a andar.

 Era seguido pelo colega, até que o ouviu xingar e se virou confuso.

— Bati meu pé em alguma coisa. Desculpa, pode ir na frente. – Deku choramingou.

— Não, vamos. – Todoroki alcançou a mão do colega e a segurou.

 Midoriya agradeceu pelo escuro, não gostaria que ele notasse o quanto estava vermelho. O seguiu pelo resto do caminho, até que ele parou de repente e Deku quase se chocou contra as suas costas.

— Oi, que bom que vocês estão bem. – Jirou disse.

 Deku observou a sala iluminada por seis velas espalhadas, Denki estava largado em uma poltrona os olhando desanimado, Jirou e Yaoyorozu estavam lado a lado no sofá, a morena estava com a cabeça no ombro de Jirou, parecendo tão entediada quanto Denki.

— Sim, viemos ver se estava tudo certo por aqui. – Deku disse.

— Ainda tem velas sobrando? Não quero ter que usar minha individualidade até a luz voltar. – Todoroki disse.

 Deku o observou triste, ele ainda odiava o seu lado esquerdo, apesar de usá-lo algumas vezes.

— Sobraram algumas na cozinha. – Denki disse.

— Ei, o gerador da U.A. já não deveria estar funcionando? – Midoriya perguntou.

— O gerador está quebrado, o professor Aizawa disse que só vão concertar na segunda. – Yaoyorozu disse.

— Como sabe disso? – Denki riu.

— Ouvi sem querer ontem. – Ela deu de ombros.

— Certo, vou voltar para o quarto. – Disse Todoroki seguindo em direção a cozinha.

— Espera, não é muito seguro ficar sozinho, se algo acontecer estaremos em desvantagem. – Midoriya disse preocupado o seguindo.

— Preciso voltar a estudar. – Todoroki disse abrindo as gavetas do armário da cozinha, achando seis velas pequenas.

 Separou metade para ele e a outra para Midoriya.

— Eu também estava estudando, podemos estudar juntos, aí ninguém fica sozinho. – Midoriya sugeriu.

— Certo. – Disse Todoroki pegando parte das velas e Midoriya as outras.

 Voltaram a caminhar, estavam para deixar a sala quando Yaoyorozu quebrou o silêncio.

— Não vão ficar aqui? – Ela perguntou.

Jirou a olhou de canto de olho, tentou ignorar o ciúmes ao ver que ela ainda parecia se importar muito com Todoroki, apesar de dizer que não o via como nada além de um amigo. Ela sempre tentava se aproximar de Todoroki, e mesmo assim, Jirou ainda não gostava disso.

— Não, vou voltar a estudar com o Midoriya. – Disse voltando a andar, seguido pelo outro.

 Seguiram em silêncio, Midoriya segurava a barra da camisa do garoto, evitando chutar móveis no caminho de volta. Pararam em seu dormitório e ele pegou seus livros, voltando a seguir Todoroki até o quarto dele. A porta se abriu e entraram no cômodo escuro, era difícil ver além de um palmo e meio a sua frente, Todoroki espalhou as velas, as acendendo com a individualidade. Midoriya sentou-se no chão, onde a maioria das velas estavam, deixou seu material ali e Todoroki sentou de frente para ele com seu material em mãos.

 Midoriya desviou o olhar os olhos heterocromáticos para as velas próximas e sentiu um arrepio na espinha seguido por um ardor nas bochechas. O que é essa situação? Droga, não pensei direito antes de vir. – Midoriya pensou encarando o chão, nervoso. Estava pensando na possibilidade de serem atacados, mas esqueceu-se completamente de que ficarem sozinhos em um quarto escuro por tempo indeterminado não parecia muito seguro para o seu coração. Seus olhos buscavam as anotações freneticamente, mas não conseguia se concentrar para estudar, seu coração batia muito rápido e sua mente vagava por situações imaginárias envolvendo Todoroki e lábios se tocando. N-no que eu estou pensando?! – Sua mente se censurou. Apertou ou olhos e suspirou buscando se acalmar.

 — Não consegue se concentrar? – Todoroki perguntou o fazendo levantar o olhar.

— Ah, sim... Desde a invasão da U.A que essas situações me deixam nervoso. – Disse.

 Não era mentira, realmente estava com medo de algo como aquilo se repetir, se acontecesse seria muito pior que antes, cinco alunos não era exatamente um número vantajoso, talvez o diretor e um professor estivesse na casa, mas ainda assim não era o melhor dos cenários... E mesmo com isso, seu maior medo naquele momento era falar algo que faria Todoroki se afastar dele.

— É, acho que também não consigo. – Todoroki suspirou fechando um livro e se aproximando, sentando ao lado de Midoriya.

 Midoriya segurou a respiração por reflexo, seus olhos evitavam encará-lo. Não sabia o que fazer, não tinha pensado que precisaria conversar ou algo do tipo, estava travado. Decidiu tentar dizer algo, o silêncio esmagador estava o deixando mais nervoso.

— Estou feliz por você ter usado seu lado esquerdo para acender as velas. – Midoriya disse, sentia o rosto quente.

— Feliz? – Todoroki o olhou surpreso.

— Q-quer dizer... É sua individualidade, não tem por que não usar. – Disse.

— Você disse a mesma coisa no festival esportivo. – Todoroki sorriu.

  Midoriya sorriu com os olhos verdes brilhando ao vê-lo sorrir.

— Disse por que é verdade! – Midoriya riu.

— Um dia vamos nos enfrentar de novo e eu vou conseguir controlar ambos os lados, e dessa vez vou ganhar de verdade. – Todoroki disse.

— Vamos... Assim posso ganhar de você. – Deku riu.

 Ambos se calaram, por um tempo, perderam-se nos olhos um do outro, Midoriya foi o primeiro a desviar o olhar, mais envergonhado do que nunca, pensou ter recebido um olhar carinhoso de Todoroki, concluiu que estava imaginando coisas por causa da pouca luz, só podia ser isso, certo? Novamente o silêncio se fez presente. Todoroki vez ou outra espiava os fios verdes enrolados, contemplando os cachos bagunçados enquanto contava as sardas que podia ver. São como constelações – pensou com um sorriso antes de desviar os olhos ao ver que ele o flagrou.

— Não sei como consegue lidar tão bem com tudo, até quando somos atacados você não perde esse olhar de determinação... Você é realmente forte, sinto como se você já fosse muito mais forte que eu. – Todoroki comentou pensativo.

 O coração de Deku parecia prestes a sair pela boca, ele estava realmente sendo elogiado por Todoroki? Estava surpreso, e ao mesmo tempo feliz.

— Não, você é mais forte, eu senti isso no festival. Acho incrível o controle que você tem sobre as coisas, não perde a calma e pensa rápido... Mesmo sem usar o lado esquerdo você poderia ter me vencido. Espero um dia chegar nesse nível, por enquanto eu não controlo muito bem a minha individualidade, sempre acabo exagerando. – Sorriu.

— É, precisa controlar mais. Não gosto de ver você quebrando seus ossos toda hora, pode acabar se machucando para valer por causa disso. – Todoroki disse tocando a mão do garoto.

  Midoriya congelou, observando-o segurar sua mão, a suspendendo na altura do rosto, analisando e tocando as cicatrizes em seu braço. Sentiu o rosto quente, observava os olhos bicolores brilhando com a luz amarelada e vacilante das velas.

— Por que não foi para casa dessa vez? – Midoriya perguntou quando o outro soltou sua mão.

— Por que eu iria? O Endeavor não é exatamente uma companhia agradável, e quando ele não está lá, a casa fica vazia. Das duas formas eu fico sozinho, então pensei que podia ficar sozinho aqui. – Todoroki sorriu ao ver um olhar culpado pela pergunta.

— Você... Queria estar sozinho agora? – Midoriya perguntou nervoso, por algum motivo ansiava a resposta e temia a possibilidade dele concordar.

— Não, acho que gostei de você ter ficado aqui. – Desviou os olhos para uma vela no chão, sentiu seu rosto aquecer levemente.

 Midoriya parecia prestes a explodir, seu coração parecia a beira de um ataque, o rubor já cobria todas as suas sardas, estava entorpecido por esse clima favorável, parecia dar outro contexto para toda a conversa. Não pensou direito, seu coração assumiu a liderança por um segundo e com isso, levou uma mão à nuca alheia, se inclinando na direção do rosto do garoto, seus olhos se fecharam no instante que seus lábios se juntaram em um toque macio e suave. Todoroki estava em choque, os olhos arregalados e nervosismo não o permitiram raciocinar a tempo de corresponder. Quando Deku se afastou com o rosto vermelho e expressão de desespero sentiu o arrependimento por não tê-lo correspondido na hora. Aparentemente o seu raciocínio rápido nas batalhas não funcionavam muito bem em outras áreas.

— D-d-desculpe... E-eu não deveria ter t-t-te beijado. – Deku levantou com pressa, prestes a correr para o seu quarto.

 Todoroki se levantou rapidamente, segurando o pulso dele antes que abrisse a porta, sem pensar muito o prensou contra a porta, o encarando a centímetros de distância, sentia as respirações se misturando. Seu antebraço apoiado na porta, acima da cabeça de Midoriya enquanto o outro segurava seu pulso contra a porta, aproximou o rosto, fazendo as pontas dos narizes se tocarem, um arrepio percorreu seu corpo.

 Se encaravam em silêncios, cada um preso em seu próprio nervosismo, Todoroki decidiu terminar o que começou, uniu seus lábios com os dele, o toque suave e inocente recomeçou, Midoriya levou a mão livre ao rosto do outro, tateou a pele macia entreabrindo os lábios, permitindo a entrada da língua alheia em sua boca. Os lábios se moviam calmamente um sob o outro enquanto duas línguas se entrelaçavam e exploravam a boca um do outro. Seus corações pareciam em sincronia, ambos acelerados e extremamente confusos, a mão de Todoroki deslizou do pulso do outro até sua mão, entrelaçando os dedos ali enquanto aprofundava o beijo, intensificando seu ritmo antes tímido, para um beijo mais curioso e mais determinado.

 Não havia motivos para hesitar, certo? Quando o ar fez falta ambos se separaram, mantendo a proximidade dos rostos, analisando detalhes da feição do outro, as respirações ofegantes e rostos corados eram compartilhadas. Deku desviou os olhos nervoso com a duração desse contato, mordeu o lábio inferior de frustração, não estava conseguindo pensar em nada para dizer, esse silêncio estava se tornando sufocante.

 Todoroki sorriu vendo o nervosismo dele e o puxando pela mão de volta ao lugar anterior, ambos se sentam um de frente para o outro, ambos se encarando com muitos questionamentos em suas mentes, mas externá-los era mais complicado.

— Então, por que me beijou? – Todoroki perguntou curioso vendo a expressão culpada do outro, havia soado como uma reclamação sem querer.

— E-eu não sei! Não estava pensando direito... Eu gosto de você há um tempo, mas não planejava fazer nada sobre isso. Desculpe, foi impulsivo demais. – Midoriya desviou os olhos.

 Ele estava confuso, Todoroki havia o beijado de volta e agora parecia o repreender por ter feito isso.

— Na verdade, eu também gosto de você. – Todoroki disse atraindo os olhos verdes para si novamente.

— D-desde quando? – Deku perguntou sentindo uma felicidade aquecendo seu coração.

— Que tal respondermos isso ao mesmo tempo? – Todoroki perguntou. Estava ansioso demais, não queria ser o único a dizer.

— Tudo bem... 1...2...3!– Deku contou lentamente.

— No festival esportivo. – Midoriya disse.

— Festival esportivo. – Todoroki disse.

 Ambos se olharam em choque por alguns segundos antes de começarem a rir.

— Isso só pode ser piada... Esse tempo todo?! – Deku sorriu limpando as lágrimas que se formaram por causa da crise de riso.

— Eu também não planejava fazer nada a respeito, pensei que você acharia esquisito se te contasse. – Todoroki falou.

— Tive o mesmo medo. – Midoriya suspirou aliviado.

 Foi como tirar um peso das costas. Agora que sabia que seu sentimento era recíproco, não sabia o que fazer, nunca havia pensado nessa possibilidade. Ambos se encararam em silêncio, dessa vez não era desconfortável, seus olhos percorriam a figura a sua frente, analisando e gravando cada detalhe, não cansavam de admirar um ao outro. Todoroki traçava linhas imaginárias entre as sardas de Deku, pensando se poderia repetir o padrão as tocando com as pontas dos dedos em uma próxima vez, por hora, se contentou em mapear os detalhes e guardar em seu coração. Todoroki não resistiu aos lábios avermelhados que tanto encarava, se aproximou com os olhos verdes o encarando, as bochechas já ficavam vermelhas e os olhos fecharam quando os lábios de Todoroki se juntaram aos seus. Os dedos do bicolor passeavam pelo rosto do outro em um carinho singelo enquanto beijavam-se com uma calma invejável, queriam eternizar esse momento. Afastaram-se pouco depois para respirar, observando os olhos brilhantes um do outro.

 Todoroki sorriu sentando-se de pernas cruzadas, Deku engoliu em seco sentando-se no colo do outro, com as mãos no ombro do garoto que o encarava surpreso, para enfim contornar sua cintura com os braços como um apoio. Midoriya agora tinha seu rosto um pouco mais alto que o de Todoroki. Aproximou os lábios dos dele novamente, deixando beijos breves nos lábios, o observando durante as pausas. Muitos beijos mais tarde, Midoriya acomodou-se entre as pernas do outro, com as costas no peito do outro, Todoroki o abraçava pela cintura, apoiando o rosto em seu ombro, uma das mãos de Midoriya estava entre os fios duas cores, os dedos passeavam entre eles em um cafuné.

 Ambos desejavam que o blackout durasse uma eternidade, nenhum dos dois queria acabar com aquela noite, tudo parecia perfeito, tão perfeito que tinham medo de ser apenas um sonho.

— Ei, Todoroki. – Midoriya chamou, a voz hesitante.

— O que foi? – O outro abriu os olhos inclinando a cabeça para observar o rosto dele de perfil.

— No próximo final de semana... Você vai ficar aqui? – Fechou os olhos sentindo o calor voltar ao seu rosto.

— Sim, eu fico. – disse sem hesitação, observando um sorriso se formar nos lábios corados.

— Não estudamos hoje... Vamos fazer isso amanhã? – Midoriya sugeriu.

 A principio seu plano era realmente estudar, mas tinha a impressão de que não conseguiriam fazer só isso.

— Sim, vamos. Dessa vez eu vou até o seu quarto. – Todoroki disse.

 Deku corou violentamente, pensou ter ouvido um tom sugestivo. Se ele iria para lá... Precisava esconder alguns posters e figures do All Might, tinha muitos, com certeza o assustaria.

— Tudo bem. – Concordou.

 Observava as velas a sua volta, as chamas vacilantes dançavam com a brisa fraca vinda das frestas das janelas, quem imaginaria que coisas tão simples pudessem fazer todo esse efeito em sua vida. Pensava no que teria acontecido caso esse blackout não tivesse acontecido... Provavelmente nunca teria contado a Todoroki como se sentia, nunca teria tido coragem para beijá-lo, viveria sem saber o gosto que a boca dele tinha. A propósito, era hortelã.

 De repente, a luz voltou, os fazendo piscar os olhos muitas vezes até que acostumassem com a claridade. Tão de repente como começou, o blackout teve fim. Nenhum dos dois se moveu, não estavam nem um pouco ansiosos para partirem o abraço mais confortável de suas vidas.

— Acho que tudo voltou ao normal. – Todoroki disse com pesar.

— Sim, acho que sim. – Deku repetiu seu tom.

 E o silêncio voltou. Sabiam que precisavam ir dormir, já devia se passar das onze da noite, mas seus corpos não respondiam. Deku arrepiou-se com um beijo em seu pescoço, afastou-se um pouco, encarando os olhos intensos sob si. Desviou os olhos antes de unir seus lábios e um selinho breve e levantar, cobriu o rosto corado com as mãos buscando se acalmar, não podia sair no corredor nesse estado, era muito suspeito. Todoroki se levantou o seguindo até a porta, ambos hesitantes entre olhar para a maçaneta ou para o rosto alheio.

— Boa noite, Todoroki-kun. – Deku disse girando a maçaneta.

— Espera. – Todoroki falou o fazendo parar no batente da porta.

 Shouto olhou para os dois lados no corredor, confirmando que estava vazio, para então beijá-lo, um beijo intenso, urgente e cheio de amor. Os lábios moviam-se rapidamente em sincronia, os dedos de Midoriya apertavam o tecido da camisa do outro, o puxando para mais perto enquanto Shouto segurava no batente da porta e sua outra mão passeava pela nuca do outro em um carinho muito calmo, diferente do beijo. Suas línguas se enroscavam, os lábios seguiam o ritmo intenso, rostos corados se afastaram minimamente, enquanto o lábio inferior de Deku foi preso brevemente pelos dentes de Todoroki. Se encararam respirando fundo, se mantiveram ali até voltarem ao seu estado normal.

— Boa noite, Midoriya. – Todoroki sorriu.

 Ambos acenaram brevemente antes de Deku se virar para o corredor, a porta foi fechada devagar, uma hesitação de quem não queria fazer isso. Eles tocaram seus lábios ao mesmo tempo, ainda podiam sentir a pressão dos lábios macios sob os seus, o calor de seus lábios eram a prova de que não foi um sonho e que tudo ficaria bem, afinal, eles iam estudar amanhã, não é?

 Deku entrou em seu quarto se jogando na cama, afundando a cara no travesseiro para abafar um grito, seu coração parecia ter um ataque, estava tão feliz que não sabia o que fazer, encolheu-se na cama com um sorriso bobo nos lábios enquanto encarava sua escrivaninha, sentou-se de uma vez antes de correr até lá e pegar um de seus cadernos de anotação e abrir uma página em branco e começar a escrever.

                                         Desculpas para ver o Todoroki

 

1 – Estudar para as provas

2 – ?

 


Notas Finais


Me digam o que acharam, estou curiosa demais, é a minha primeira vez escrevendo fic desse fandom!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...